7 de mai de 2016

Ação dos Guardiões no Brasil e no Mundo (Parte I) - Olimpíadas, Brasil de 2016-2018 na Política e o Plano do Mago Negro da Rússia



Faltam poucos dias para uma importante vitória: um duro golpe contra o projeto criminoso de poder que se instalou no país, julgado no mensalão e escancarado através do petrolão. Ainda não é o fim da corrupção, mas é um importante passo nessa direção, o primeiro de muitos outros que ainda virão, investigando os demais partidos e políticos envolvidos, mas, sem jamais esquecer, a fonte primária do maior projeto de corrupção da atualidade no mundo: o projeto instalado pelo partido que está no governo há 13 anos.

Que isso fique bem claro, o impeachment não é o fim da corrupção, é o fim do projeto criminoso de poder daqueles que um dia julgaram que poderiam desviar dinheiro, aos bilhões do Estado para alimentar um partido político que desejava se perpetuar no poder, fazendo a ditadura do proletariado (na teoria, pois na prática era da elite abastada sugando o Estado) travestida de democracia.

Não conseguiram, não conseguirão. Nunca mais um presidente ou um partido de ideologia marxista ou comunista será eleito no Brasil, mesmo que com um suave discurso falacioso de social democracia tentando esconder suas verdadeiras intenções, intenções de quem defende torturadores e ditadores como Che Guevara e Fidel, nunca mais conseguirão. Que isso fique bem claro, nada mais podem fazer quanto a isso, todas as tentativas serão infrutíferas. As equipes de guardiões ligadas a Anik e Jeremias informaram, desde 2013 que a queda desse projeto, tanto no Brasil como na América do Sul aconteceria em breve (naquela época) e agora afirmam, vocês nunca mais conseguirão voltar; tentarão, mas não conseguirão e é sobre isso que este texto vai falar mais pra frente.

É bom lembrar que o aviso, de mais de 3 anos atrás, se cumpriu com exatidão, o cronograma mundial dos guardiões não falha, missão dada é missão cumprida:


As 7 profecias sobre a transformação do Brasil desde 2013:

As 3 profecias sobre a transformação do Brasil e o entendimento sobre o "homem do cavalo branco":

O cronograma mundial dos guardiões:

O engajamento da população, tanto nas manifestações como no acompanhamento das notícias, a busca por informações a respeito da política, dos parlamentares, de doutrinas sobre filosofia econômica e social, tudo isso foi um grande avanço no amadurecimento político do país. Quem poderia imaginar há alguns anos que estaríamos tão envolvidos e interessados nesses temas? É somente com o engajamento popular, acompanhando e cobrando os políticos, que verdadeiramente poderemos transformar o país.

No decorrer destes 2 posts os amigos guardiões Anik e Jeremias trarão um panorama sobre os 3 temas apresentados no título, relembrando algumas informações que eles trouxeram e, ao mesmo tempo, trazendo novos esclarecimentos sobre o panorama do Brasil (em especial sobre as eleições de 2018 e o que já está programado para o decorrer da década de 20) e no mundo diante das recentes atividades das equipes do mundo espiritual.  

Olimpíadas

Para compreendermos o cenário brasileiro, tanto na questão das Olimpíadas como na questão política é importante relembrar os dois posts de janeiro com as previsões para este ano, pois esses textos abordam dois conceitos bem interessantes: o início do grande ciclo de Saturno e também o cálculo das cartas do Tarô que regem o Brasil a cada ano, cálculo que, por exemplo, demonstrou que entre setembro de 2015 à setembro de 2016 o Brasil viveria o ano da carta Morte, explicando exatamente o fim do político do governo e um profundo processo de transformação:

Previsões para 2016 parte I:

Previsões para 2016 parte II:

Vejamos o que foi dito de relevante nesses dois posts sobre as Olimpíadas:

“A soma do arcano que rege o mundo com o arcano que rege o Brasil mostra exatamente o que está guardado para o país a nível mundial, ou seja, como será visto pelo mundo (em especial na época das Olimpíadas): a soma do arcano 9 (regendo o mundo) com o arcano 13 (regendo o Brasil) que resulta no arcano 22, o arcano “O Louco” que simboliza a impulsividade, a despreocupação, o impulso, ação impulsionada em virtude de grandes preocupações. É a carta que representa o filho pródigo, mostra um homem iniciando uma jornada com poucas roupas na bagagem, vestido de “bobo da corte”, com roupas rasgadas e sendo atacado por um cachorro, ou seja, alguém que foi forçado a abandonar uma situação e iniciar a duras penas um novo caminho.

A carta “O Louco” traz uma energia muito semelhante a Áries, que representa o início, a ação intempestiva, busca por desbravar um novo caminho, mas ao mesmo tempo carece do planejamento e da análise mais minuciosa, o que é péssimo para gerir um evento da magnitude dos jogos de 2016. Certamente é uma das piores cartas pra representar como o mundo enxergará o Brasil em um ano de Olimpíadas” (02 de janeiro de 2016)

“o espírito questionador e crítico estará ainda mais intenso, pois além da expansão de tal sentimento teremos algo ainda maior: esse sentimento canalizado para um profundo sentido de transformação da nação.

Todos esses ingredientes já seriam o suficiente pra dizer que algo grande vai acontecer nessa época (além obviamente das Olimpíadas) e que terá um impacto coletivo no Brasil e também a nível mundial, desde uma tentativa de algum atentado ou até mesmo a queda da presidente ou a prisão/morte de alguma figura histórica do país que tenha forte influência do signo de Escorpião.

Todos esses posicionamentos astrológicos, somados a influência do Sol como regente duplo do ano (tornando tudo mais claro e visível) e ainda a influência do arcano da Morte sobre o Brasil e o arcano O Louco (que mostra como o mundo enxergará o Brasil), sobretudo na época das Olimpíadas mostram que haverá um forte impulso por uma profunda transformação, mas algo que não deve ser suave, pois é uma energia bem semelhante a que existia na época da Copa que o Brasil tomou o 7 a 1.” (04 de janeiro de 2016)

Outro texto importante que eu gostaria de relembrar é a profecia de Parravicini que foi interpretada no dia 11 de janeiro de 2016 e que pode representar algum evento significativo durante os jogos envolvendo a Coréia do Norte e seus testes nucleares:

Jeremias ainda complementa que os sinais mais recentes da natureza não são nada animadores: a queda de parte da ciclovia em São Conrado e o surgimento de um gigantesco buraco no meio da rua no coração da zona sul carioca, são sinais claros que mostram a falta de planejamento e estrutura para a realização dos jogos. É muitíssimo provável que tenhamos manifestações populares dentro e fora dos estádios nos quais acontecerá competições. Quanto aos jogos propriamente ditos poderá haver uma grande surpresa nas provas de atletismo envolvendo Usain Bolt.


No livro “Armagedoom 2036” foram trazidas algumas informações dos guardiões sobre o planejamento das hostes trevosas para os jogos Olímpicos:

"Os grupos radicais islâmicos superdimensionam essas diferenças entre o Ocidente e o Oriente, não apenas pela leitura mais ortodoxa da Sharia, como também pelos interesses políticos e geográficos, agindo como milícias paramilitares que não respeitam governos estabelecidos, seja na Síria ou na França, agindo a semelhança dos grupos de traficantes que tomam morros e comunidades, criando uma espécie de "poder paralelo"

É exatamente por essa semelhança que existe um grande plano orquestrado pelas sombras para trazer o terror aos jogos Olímpicos. Após os atentados ocorridos na França, inclusive um deles próximo a um estádio de futebol no qual se encontrava o presidente francês François Hollande, ficou evidente o perigo real de um evento deste porte nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

– E qual seria esse plano? – questionei com apreensão aos guardiões

Com um brilho de esperança em seus olhos violetas, a guardiã russa esclareceu algo importante antes que Jeremias pudesse responder a minha pergunta:

– José, o evento dos jogos olímpicos no Rio de Janeiro é uma oportunidade de congraçamento entre os povos, quando bilhões de pessoas assistem duelos pacíficos, quando o confronto entre as nações respeita as diferenças e ocorre unicamente no campo desportivo. É uma representação superdimensionada do que acontecerá na Era de Regeneração e daquilo que já vem acontecendo, em parte, tanto no processo de globalização do mundo como também no estabelecimento da zona do Euro, tentativas de incentivo a união e compartilhamento entre um número maior de grupos e nações, buscando o fim das divisões tanto no âmbito geográfico, religioso como também ideológico.

– Por todos esses motivos, a idéia de macular os jogos olímpicos com um atentado de grandes proporções – completou Jeremias – está sendo planejada há meses pelas hostes umbralinas. O que foi visto recentemente em Paris foi um tubo de ensaio para algo maior, um projeto das sombras que eles pretendem realizar exatamente na época das Olimpíadas.

Prosseguindo na exposição daquelas importantes informações e com uma fisionomia mais grave, o gigante negro de olhos azuis concluiu detalhadamente:

– Os serviços de Inteligência de Israel, França e Estados Unidos que atuarão de forma mais intensiva durante os jogos com a organização brasileira dos jogos estão sendo fortemente intuídos para rastrear células terroristas que estão buscando se estabelecer em comunidades do Rio de Janeiro. Da mesma maneira que aconteceu nos recentes atentados em Paris, as sombras trabalham utilizando táticas de guerrilha através dos grupos terroristas, ou seja, buscam o fator surpresa e o disfarce de uma minoria no meio da multidão. Dessa maneira, o planejamento inicial não é tentar algo de grande porte durante uma final do atletismo ou durante uma cerimônia de abertura ou encerramento, pois notadamente as hostes umbralinas e seus prepostos no mundo físico têm conhecimento que nessas datas a segurança estará redobrada, podendo haver tentativas de realizar algo que traga medo ou assuste as pessoas, mas com o objetivo apenas de disfarçar os alvos reais, que inicialmente não contariam com um esquema tão amplo de defesa que ocorrerá nos eventos principais.

– E quais seriam esses alvos? – perguntei com um tom aflito ao guardião

– Basicamente grandes áreas abertas nas quais seja difícil estabelecer um perímetro de segurança totalmente eficaz, especialmente grandes estacionamentos, provas olímpicas a céu aberto que reúnam muitas pessoas ao longo de vários quilômetros e ainda a possibilidade de um ataque a pontos turísticos famosos, como o Cristo Redentor. Tudo isso que estamos comunicando a você estamos transmitindo de forma intuitiva às principais equipes de segurança dos jogos, exatamente para evitar qualquer ato de barbárie durante o período do evento olímpico.

Refleti alguns segundos e relembrei de algo que o guardião tinha dito há alguns instantes:

– Como seria o disfarce de uma minoria no meio da multidão? – perguntei

– Uma das táticas utilizadas pelos grupos extremistas é se infiltrar no meio da população, tanto no aliciamento de pessoas que vivem no próprio país que será foco de um ataque como aconteceu na França, em virtude da fluência no idioma, por conhecer perfeitamente o local planejado como alvo e, sobretudo pela aparência física que seja típica ou comum à maioria das pessoas que vivam em determinado local, o que acrescenta um componente de maior dificuldade para o rastreamento de tais planos por parte dos departamentos de inteligência do mundo, pois é uma realidade bem diferente daquela que é mostrada nos filmes de forma quase caricata" (Página 133 à 136 do livro "Armagedoom 2036" lançado em dezembro de 2015)


BRASIL DE 2016 – 2018

Todo o processo de mudanças que está acontecendo no Brasil foi previsto aqui no blog há mais de 2 anos (e complementado com informações nos livros “Brasil o Lírio das Américas” e “Armagedoom 2036”):

"Brasil, seu caminho de mudanças será decidido entre 2014 e 2018. Postergado talvez, evitado, jamais. Seu povo escolherá se deseja liderar o processo de mudanças nas Américas ou se será levado. Novo até 2018, renovação completa entre 2022 e 2029." (publicado em 1º de janeiro de 2014)

"Essa REVOLUÇÃO ESPIRITUAL terá sua contrapartida no mundo físico. O que foi visto em junho de 2013 é apenas uma pálida imagem do que vem por aí. A história nos conta que todos os grandes impérios tiveram sua ruína exatamente quando a corrupção, os desmandos, a sede pelo poder atingiu seu ápice e estamos vendo isso aqui no Brasil, o grande império da America do sul, que esse ápice não esta longe de acontecer, o atual sistema que rege esse "império" vai ruir em breve." (publicado dia 17 de março de 2014, quando foi deflagrada a operação Lava Jato)

Mais recentemente nos primeiros dias de 2016 chegaram as seguintes informações:

“Não apenas as manifestações ocorrerão em um momento muito favorável a contestação das estruturas estabelecidas como também acontecerão em um momento ainda mais difícil em relação ao mapa natal da presidente, sobretudo de março a meados de abril. É muito difícil que ela consiga sobreviver a esse primeiro semestre e não está descartado que o país tenha que passar por um processo eleitoral muito próximo (antes) ou durante os jogos Olímpicos, pois as posição no céu do primeiro semestre não indicam “meias medidas” do tipo “vamos tirar a presidente e colocar o vice”, mas sim a retirada de ambos, inclusive existindo o risco a médio prazo que o registro de ambas as legendas venha a ser cassado.

O processo de limpeza e transformação que está sendo organizado diretamente pelas esferas superiores do mundo espiritual sobre o Brasil (maiores detalhes no livro Armagedoom 2036) objetiva realmente transformar as estruturas do poder no país, mostrando que o esquema de corrupção institucionalizada não serão tolerada e que nenhum projeto criminoso de poder florescerá no “Lírio das Américas” (publicado em 04 de janeiro de 2016)

Na época, entre final de dezembro de 2015 e começo de 2016 o impeachment estava praticamente sepultado, somente depois pelos idos de final de fevereiro, com a operação Acarajé e a delação de Delcídio é que ele retornou com força total, sendo que exatamente como dito no texto, em meados de abril, a presidente caiu na Câmara sendo que seu afastamento será finalizado em meados de maio, antes do fim do primeiro semestre em meados de junho, profecia cumprida a risca, inclusive nas datas (inclusive o próprio gran finale, a operação acarajé, foi prevista com 5 dias de antecedência em texto na fanpage):

Como todo o exposto até aqui, as chances de Temer não conseguir terminar o seu mandato e cair ainda antes de outubro (via TSE) são grandes. Diante deste cenário um outro texto, publicado em 12 de março (quase um mês antes do impeachment) explicou quem seria eleito, tanto no caso de um eleição direta até final de 2016 como em uma eleição indireta (pelo Congresso) caso a cassação do mandato ocorra após o final de 2016:

“Segundo informações dos amigos guardiões esse nome já existe e seria apoiado por Marina Silva e com forte chance de se eleger, trata-se de Roberto Freire.

Caso Aécio ou Marina concorram, um dos dois será eleito, somente dois nomes poderia derrotar os dois candidatos: Joaquim Barbosa ou Sérgio Moro mas a possibilidade de um dos dois concorrer é remota.

Se a eleição for via Congresso (pós 2016) creio que Serra ganhe ou ainda um outro político com boa entrada entre os políticos do DEM, PSDB e PMDB e com perfil mais administrativo que não seja dos nomes presidenciáveis atualmente” (publicado em 12 de março de 2016)

Após contextualizar todas essas situações, vamos agora analisar o que está previsto para as eleições de 2018, um indicativo claro de algumas informações que os amigos guardiões Anik e Jeremias ressaltaram que eu apontasse neste texto.

A primeira e mais importante é que estaremos bem no início do grande ciclo de 36 anos de Saturno, que se inicia em 2017. No último grande ciclo de Saturno tivemos a Revolução Francesa e a Independência Americana. Saturno funciona como o “grande cobrador” (por isso seu retorno no mapa é tão temido) pois ele aponta as provas que a pessoa precisa vivenciar para comprovar aquilo que melhorou ou não durante as experiências que vivenciou (e isso em cada pessoa acontece aos 29 anos e depois aos 58 anos). Os grandes períodos de Saturno expõe aquilo que precisa ser transformado, normalmente pela via da destruição, para que algo novo e melhor possa surgir (uma ação um pouco menos intensa do que Plutão). Saturno favorece os juízes, a justiça e os militares, tudo que é duro, reto, formal, sem tergiversações, a linha que deve ser percorrida sem o desvio de um único milímetro sequer, caso contrário o confronto eclode.

Seguindo essa linha de raciocínio, teremos o Brasil regido durante as eleições pela carta A Torre (que entra em setembro de 2018) enquanto que o mundo estará regido pela carta A Força. A nível mundial teremos um sentimento de coragem, bravura para encarar problemas espinhosos, vontade férrea para superar difíceis obstáculos (situações que estavam sendo “empurradas com a barriga” ou que não estavam totalmente resolvidas). Já no Brasil este sentimento será ainda mais potencializado, pois a carta A Torre (representada por um raio caindo e quebrando o alto do castelo) representa a libertação, a destruição completa daquilo que não serve mais, início de algo totalmente novo.



Diante deste cenário, Jeremias quis trazer alguns esclarecimentos, complementando o que havia dito no post do dia 29 de março:

“– Algumas lideranças trevosas mais realistas que fazem parte do “projeto jacobinos” já perceberam que a derrota do atual governo é irreversível, da mesma forma concluíram que o principal líder do partido dos trabalhadores não possui qualquer chance de um dia voltar a presidência. Essas lideranças defendem a idéia de se estimular o discurso de vitimização, que o governo teria sido vítima de um golpe e não de um processo democrático de deposição. Tal discurso visa manter alguma união da base mais fiel e ao mesmo tempo mais radical do partido, principalmente dos movimentos sociais interessados na reforma agrária e urbana. A idéia dos grupos trevosos é conseguir com o passar dos próximos anos tentar fortalecer essa base mais radical e ao mesmo tempo fazer oposição feroz a qualquer forma de governo que não tenha o atual partido do governo como a liderança executiva. Essa pequena resistência é que será responsável, pelos idos da década de 20, como foi explicado em um dos livros que trabalhamos (Brasil o Lírio das Américas) de um processo de união pela democracia e contra corrupção política ainda mais efetivo, unindo a sociedade brasileira, prioritariamente o Exército, o Judiciário e o empresariado para sepultar de vez por todas qualquer ideário ligado a ditadura, partido único ou política de viés comunista em solo brasileiro.”

Texto completo:

– José, o Brasil terá um grande número de candidatos nas eleições de 2018, sendo que teremos dois grupos bem definidos e antagônicos: os atuais apoiadores do governo, seus partidos satélites, somados a uma base bem radical ligada à sindicatos e movimentos de reforma agrária, totalizando aproximadamente 30% dos votos que serão direcionados a uma única candidata, que tentará transmitir uma imagem de social democrata, de centro esquerda. Do outro lado teremos um grande movimento envolvendo o Exército, o Judiciário e o empresariado, interessado em amplas reformas, uma economia mais liberal, com um Estado menor e profundamente engajada nas reformas políticas, combate a corrupção e combate a todo e qualquer modelo marxista de entender ou compreender a política. No seio deste movimento teremos aproximadamente 45% a 50% dos votos que serão divididos, inicialmente, em três candidatos, um deles do espectro político dos sociais democratas, o outro ligado claramente ao exército e por fim um que será claramente ligado ao Judiciário. Um deles irá ao segundo turno e vencerá as eleições, iniciando um processo irreversível de grandes mudanças que colocará fim, em território brasileiro, a qualquer nova tentativa ou possibilidade que um projeto político baseado no ideário de Marx consiga futuramente alçar o posto máximo do Executivo, que contará nessa época com o modelo parlamentarista, congregando na imagem do presidente e do primeiro ministro os aliados dessas forças que ganharão as eleições. Durante os primeiros anos da década de 20, o movimento mais radical que envolve sindicatos e outros grupos “sociais” percebendo que não mais terá qualquer chance de retornar ao controle do Executivo buscará criar desordem e combate contra as lideranças eleitas e estabelecidas e neste exato ponto teremos a libertação definitiva do país de tal ideologia com a vinda do homem do cavalo branco e o início de um ciclo tão virtuoso e impensável para os dias atuais, fazendo com que o Brasil seja, próximo da década de 30, uma das maiores potências econômicas do planeta, crescendo mais de 6% ao ano.

Diante daquelas informações impressionantes do gigante guardião refleti por alguns segundos, antes que pudesse transcrever os mais recentes relatos sobre o plano do mago negro russo, tema do próximo texto.....

.


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:

Grupo Profecias 2036 no Facebook:


Um comentário:

BVB disse...

José, gostaria que você pudesse dar uma lida nesse texto: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1292

Você acha que essa pauta progressista, que tende a levar as pessoas a uma histeria quando confrontada, pode ser revertida no futuro?