28 de jun de 2012

Atlântida, 2036 e os Ciclos Planetários da Terra: As Eras Astrológicas (Parte II - Final)


batismo de fogo



Parte I : AQUI

É importante compreendermos quando aconteceu a última Era de ouro na Atlântida. Esse estudo dos ciclos planetários mostra informações interessantes sobre as eras astrológicas. A última Era de Ouro da Atlântida durou aproximadamente, 12 séculos, foi de 10.838 Antes do Ano Zero até 9679 ,do início do período 90 até o final do período 99, para que então se iniciasse o processo de queda da Atlântida que culminou com o seu afundamento a quase 11.600 anos. Abaixo podemos ver os últimos períodos do século planetário anterior ao século atual do ciclo planetário terrestre que se encerra em 2036. Os anos abaixo são antes do ano zero:

90-10838-10723
91-10722-10607
92-10606-10491
93-10490-10375
94-10374-10259
95-10258-10143
96-10142-10027
97-10026-9911
98- 9910-9795
99 - 9794 - 9679
100 - 9678 – 9565

Em 10.838 a.a.z, iniciou-se a construção da Esfinge, um imenso leão inteiro de pedra. Ela foi construída pelos atlantes como uma importante embaixada da Atlântida no Egito, nessa época a Grande Pirâmide bem como a pirâmide Atlanteana já existiam (construções que falarei nas próximas linhas). A Esfinge foi construída na forma de um leão, pois representava o animal de guarda, aquele que vigia e protege, era o animal símbolo do povo vermelho da Atlântida, assim como se tornou desde tempos imemoriais o símbolo dos guardiões do astral (biblicamente chamados de exército do Cristo ou exército celeste) na forma de um leão com asas de coruja, simbologia que já foi explicada em textos anteriores do blog.

A Esfinge guardaria no futuro importantes estudos pra humanidade, sobretudo da civilização atlante e justamente por isso foi nesse ano que iniciou-se sua construção que demarca o início da última Era de Ouro dos atlantes, período que durou perto de 1200 anos com grandes avanços no campo da tecnologia e da espiritualidade e sobretudo do crescimento moral daquela civilização. Os atlantes tinham naquela época consciência de que em breves séculos ocorreria uma grande mudança na Terra com a vinda de exilados de um distante astro (Capela), pois já tinham vivenciado em milênios anteriores a vinda de outros grupos de exilados de outros orbes, bem como afundamentos do seu território, sabiam que o próximo afundamento seria o último.

Mapa do subterrâneo da Esfinge


Em virtude disso, os atlantes orientaram a construção da Esfinge num local específico, próximo a grande pirâmide egípcia, ela seria construída perfeitamente alinhada com o leste, com seus olhos mirando o sol nascente do equinócio da primavera. Em 10.500 a.c o olhar da Esfinge não apenas olhava o sol nascente do equinócio da primavera mas também a constelação de Leão, algo que nunca mais ocorreu. Esse acontecimento astrológico, quase 300 anos após a construção da Esfinge, ocorreu justamente pra anunciar a vinda de um avatar, um messias, que ajudaria a maioria do povo egípcio daquela época, composto por espíritos exilados de um exílio anterior a Capela, a retornarem a seu mundo de origem. Esse espírito ficou conhecido como Toth, era um grande iniciado atlante que se comprometeu a ajudar aqueles espíritos, bem como trazer um conjunto enorme de conhecimentos que ele dominava no seu espírito sobre a civilização atlante. 

Mas vejamos algo ainda mais impressionante....

A questão das Eras Astrológicas é bem interessante, pois cada Era Solar ou Era Astrológica é considerada pelos astrólogos como tendo em média 1260/1256 anos, apesar do Sol levar em média 71 anos pra cruzar cada um dos graus de um signo, que em média tem 30 graus, totalizando assim na média, 2132 anos. 

Se multiplicarmos 71 pela proporção áurea que é a "digital de Deus" 1.618, pois está na proporção de tudo no Universo (corpo humano, galáxias, natureza...) temos um número bem próximo de 115 (diferença de 122 milésimos ou 40 dias num período de 115 anos). Ou seja, cada um dos 360 graus do grande ciclo astrológico de quase 26 mil anos equivale em média a 71 anos e pra cada um desses graus ou "dias" do ano astrológico de 26 mil anos temos um período que é a proporção áurea desse espaço de tempo, ou seja, 115 anos por cada ano do século planetário. Eis os segredos desvelados dos 2 principais calendários planetários da Terra:

1 grande ano astrológico = 360 graus/dias de 71 anos cada

1 século planetário = 100 períodos/anos de 115 anos cada

O ano astrológico é como um movimento de translação da Terra, enquanto o ano do século planetário é como o movimento de rotação da Terra., um é um ciclo mais longo com 71 anos por "dia", o outro tem 115 anos por "ano".

Outra questão interessante é que mesmo considerando uma Era Astrológica de 2160 anos, os astrólogos (como os respeitáveis Max Heindel, Elsa Glover e Shepard Simpson) consideram que nos 550 a 500 anos finais de uma Era, a vibração do signo da Era seguinte já se sobrepõe. Vamos então fazer uma análise das últimas Eras, segundo o tradicional cálculo da maioria dos astrólogos, aqui estão os anos onde cada uma delas começou:

Virgem: 12462 a.c
Leão: 10302 a.c
Câncer: 8142 a.c
Gêmeos: 5982 a.c
Touro: 3822 a.c
Áries: 1662 a.c
Peixes: 498 d.c
Aquário: 2658 d.c

Vamos agora adiantar entre 500-550 anos em média em cada Era, pois dessa forma teremos o ano exato onde a vibração da nova Era chegou, já se sobrepondo à Era vigente, reparem que interessante:

Virgem: 13.000 a.c
Leão: 10.838 a.c
Câncer: 8678 a.c
Gêmeos: 6518 a.c
Touro: 4357 a.c
Áries: 2198 a.c
Peixes: 39 a.c
Aquário: 2127 d.c

A Era Astrológica de Leão começou exatamente com a construção da Esfinge e o início da última Era de Ouro dos atlantes, a terra dos vermelhos, a terra dos guardiões, a terra do Leão.

Outro dado curioso é que a Era de Peixes começou exatos 36 anos antes do nascimento de Jesus (que nasceu pelo calendário em 3 a.c), ou seja, do ano que marca o início da Era de Peixes até o ano da morte de Jesus (33 d.c) temos exatos 72 anos 

Alinhamento pirâmide Gizé - Alcyone - Estrela Polar

Mas afinal, quando a grande pirâmide de Gizé e a grande pirâmide atlanteana foram construídas? Teria sido a grande pirâmide da Atlântida construída na última Era de Ouro? A Atlântida viveu algumas eras de ouro, vale lembrar que nos últimos 100 mil anos ela sofreu 3 afundamentos conhecidos: o último a pouco mais de 11.500 anos aproximadamente, outro narrado pelo Feraudy a aproximadamente 40 mil anos e outro narrado pela Teosofia a aproximadamente 80 mil anos.

A Astrologia parece confirmar que realmente ocorreu algo importante a 80 mil anos. Lá pelos idos de 1864 d.c. o famoso astrônomo Charles Smyth descobriu que no ano de 2170 a.c. ocorreu um fenômeno interessante envolvendo a grande pirâmide egípcia: a estrela polar na época a Alfa draconis estava perfeitamente alinhada com o corredor ascendente da grande pirâmide enquanto que ao mesmo tempo, o vértice superior estava alinhado com a estrela Eta Tauri, também conhecida como Alcyone A, a gigante azul mais brilhante do aglomerado das Plêiades. Ocorre que esse alinhamento entre a estrela polar, Alcyone e a pirâmide é raríssimo, ocorre uma única vez ao longo de todo um ciclo astrológico (que dura quase 26 mil anos), mais precisamente a cada 25827 anos, ou seja, ele havia ocorrido em 2170 a.c e antes disso somente em 27997 a.c!!!

Vamos observar as eras astrológicas anteriores:

Virgem: 13.000 a.c
Libra: 15.160 a.c
Escorpião: 17320 a.c
Sagitário: 19480 a.c
Capricórnio: 21.640 a.c
Aquário: 23.800 a.c
Peixes: 25.960 a.c
Áries: 28120 a.c

Se colocarmos pequenas variações de 15 anos nas mudanças de uma era pra outra, algo aceitável na janela dos 500-550 anos, provavelmente o fenômeno do inicio da Era astrológica de Áries foi também demarcado pela pirâmide de Gizé, quando Alcyone estava perfeitamente alinhada ao topo do seu vértice, assim como a estrela polar alinhada ao corredor ascendente da grande pirâmide. Nessa época, tanto a pirâmide de Gizé como a grande pirâmide atlanteana já existiam, ambas ficaram prontas um pouco antes do ciclo anterior, que ocorreu pelos idos de 53.800 a.c, ou seja, há quase 56 mil anos, novamente começando numa Era de Áries, simbolizada pelo cordeiro (toda a preparação dos quase mil anos de Jesus pra encarnar ocorreram durante uma era de Áries também). Elas foram construídas nessa época como parte de um grande projeto da espiritualidade para que ocorressem os avanços necessários ao homo sapiens na África e na Europa, criando no seio do homem de neandertal (homo sapiens neanderthalensis) um novo tipo de homo sapiens conhecido como homem de cro magnon , ambos do gênero homo sapiens se extinguiriam mas o cro magnon deixaria uma herança genética ao homo sapiens sapiens criada justamente pelo cientistas atlantes desta época: o marcador genético M343.

Se recuarmos mais um grande ciclo, chegaremos exatamente ao ano 80 mil AC, novamente no inicio de uma era astrológica de Áries também demarcado pela rara conjunção entre Alcyone e a estrela polar, o que de certa forma pode ter servido como um “marcador” para a construção exatamente no Egito e quando esse alinhamento ocorresse no grande ciclo seguinte, tanto para a pirâmide egípcia como a pirâmide atlanteana. Temos, portanto, marcados esses grandes ciclos:

80 mil anos a.c - Afundamento de parte da Atlântida, início da era astrológica de Áries, conjunção entre a estrela polar e Alcyone com o local onde no futuro seria erguida a grande pirâmide egípcia.

53.800 anos a.c – Construção das grandes pirâmides, atlanteana e egípcia, marco do início do aprimoramento genético da espécie humana homo sapiens pelos atlantes, início da era astrológica de Áries, pirâmide egípcia perfeitamente alinhada com o raro fenômeno de Alcyone e estrela polar alinhadas, marco do início da penúltima Era de Ouro da Atlântida.          

28 mil anos a.c – Início da Era astrológica de Áries, novamente Alcyone alinhada no topo da grande pirâmide egípcia demarca o fim do homem de neandertal , o trabalho de aperfeiçoamento do gênero homo sapiens avança

10.838 anos a.c – Início da Era astrológica de Leão e da última Era de Ouro da Atlântida , início da construção da Esfinge

10.500 anos a.c – Encarna no Egito Toth, iniciado atlante

9.564 anos a.c – Afundamento da Atlântida, extinção do homem de Cro Magnon, início dos 100 períodos do atual século cíclico terrestre. O afundamento do território atlante provocou tsunamis em todas as áreas costeiras do planeta, atingindo com mais força principalmente o Caribe, Europa , noroeste da África e toda a área costeira do mar Mediterrâneo eventos que causaram a extinção do Cro Magnon bem como produziram uma tsunami que invadiu o planalto de Gizé quebrando a cabeça (de Leão) da Esfinge, que foi levada pelo mar e encontra-se hoje nas águas entre a ilha de Sucutra e de Seycheles próxima à costa da Somália. 

Tsunami produzida pela Atlântida


2.170 anos a.c – Início da Era astrológica de Áries, nesse período de 2160 anos Moisés encarna 3 vezes (como o próprio Moisés e mais duas vezes) preparando o caminho de Jesus, que realiza sua redução perispiritual a partir de 981 a.c. Se no último alinhamento entre Alcyone, estrela polar e a pirâmide de Gizé ocorreu o aperfeiçoamento do homo sapiens criando as bases do que atualmente é o homo sapiens sapiens, nesse novo alinhamento 26 mil anos depois ocorre o aceleramento do processo de divulgação da mensagem monoteísta, da espiritualidade e do evangelho de amor , a era dos avatares que engloba as eras astrológicas de Áries (Cordeiro) e Peixes tendo na sua figura máxima o cordeiro de Deus pescador de homens, Jesus, e tendo como grandes avatares Moisés, Elias, João Batista, João Evangelista, Maria, Maria Madalena, Gautama, Zoroastro, Lao Tsé, Confúcio, Hillel o ancião, Francisco de Assis, Maomé, Gandi, João 23, Chico Xavier, Nelson Mandela e Teresa de Calcutá  

4.300 – Esse ano demarca o início da Era astrológica de Capricórnio e o início de uma grande era astrológica de quase 26 mil anos. Durante os 21 séculos da Era de Aquário, a Terra gradativamente elevará a vibração da sua matéria (princípio material) fazendo com que a vida deixe de se manifestar no plano físico e se manifeste onde é hoje é o plano astral.

Mas alguns podem perguntar: mas Zé, se o tal alinhamento de Alcyone- estrela polar - grande pirâmide ocorre a cada 25827 anos e o último ocorreu em 2170 a.c, como que teremos uma grande mudança em 2036, com a energia vinda de Alcyone em direção da Terra, se um próximo alinhamento como esse ainda levará mais de 20 mil anos pra acontecer?

A resposta está nos períodos que compõe o século planetário terrestre de 11.600 anos. A partir de 2170 a.c, ano que ocorreu o último raro alinhamento entre Alcyone, pirâmide de Gize e estrela polar, tivemos um período começando alguns anos depois, em 2140 a.c. Desse período, de número 65 até o final do “século”, no período 100, quando então começa o novo século planetário exatamente em 2036, teremos exatamente 36 períodos completos de 115 anos.

Esse raro alinhamento de Alcyone, pirâmide Gizé e estrela polar, não demarcou a construção da pirâmide Gizé, mas sim o início da contagem até o ápice da Tribulação, pois 36 períodos inteiros depois desse alinhamento, chegamos exatamente ao ano 2036.


Pra maiores informações sobre a ação da energia vinda de Alcyone no processo do exílio planetário e a questão de 2012 basta acessar o link:  AQUI


Podemos observar nesses grandes períodos a importância da energia vinda de Alcyone nessas grandes mudanças cíclicas da Terra.  Mas afinal, a Terra e o Sistema Solar giram entorno de Alcyone? Vejamos a imagem abaixo e a teoria sobre o Sistema Solar girando entorno de Alcyone e de ciclos em ciclos entrando e saindo de eras de escuridão e eras de luz.


Era de luz e trevas 10.800 anos Alcyone


Segundo a teoria, esse movimento do sistema solar ao redor de Alcyone levaria exatamente uma era astrológica completa, ou seja, aproximadamente 26 mil anos (12 x 2160). Durante esse período o sistema solar e a Terra ficariam mergulhados na escuridão em dois períodos de 10.800 anos e mergulhados em eras de luz por 2160 anos também em dois períodos. A teoria diz que em 21 de dezembro de 2012 a Terra estará plenamente mergulhada no cinturão de fótons, entrando numa nova era de luz de 2160 anos que coincide também com o inicio da Era de Aquário segundo a teoria. Segundo essa teoria, a Era de Aquário começará em 2012 e a última Era de luz começou no último ciclo de Leão a aproximadamente 10.800 a.c.

Vamos então analisar alguns fatos:

O primeiro deles, já mostrado aqui, é que a Era de Aquário não começa em 2012, mas sim em 2658 (ou seja, pra daqui a mais de 500 anos) e mesmo com boa vontade, considerando já a vibração de Aquário na Era atual de Peixes, como muitos astrólogos fazem e eu expus aqui, mesmo assim só entraremos na Era de Aquário em 2127, ou seja, daqui a mais de cem anos.

O segundo ponto: segundo essa teoria, a última "era de luz" foi de 10.800 até 8640 a.c, vimos que realmente uma era de luz se iniciou na Atlântida, o problema é que logo em seguida vieram os rebeldes capelinos e um grave período de guerras que inclusive fez a Atlântida afundar, exatamente no meio desse período da Era de Leão, algo que não condiz absolutamente em nada com uma era de luz.

O terceiro ponto: A Terra é um mundo de expiação e provas, isso é algo facilmente observável, entretanto existem diversas informações de fontes espíritas e espiritualistas sobre a existência de civilizações muito mais evoluídas que a Terra dentro do sistema solar, mundos como Júpiter e Saturno, muito acima evolutivamente da Terra, mundos inclusive que já passaram pelo nível de regeneração e se tornaram lares de almas evoluídas moralmente. Ora, como explicar que esses mundos fossem arrastados para longas eras de escuridão do sistema solar junto com a Terra? Como explicar que os mundos do sistema solar ficassem fadados a viver ciclicamente sempre entre milhares de anos na escuridão e poucos milhares de anos na luz? Do ponto de vista da lógica, da evolução dos mundos, isso não faz o menor sentido.       

Mas estes são apenas os pontos que levam em conta conhecimentos elementares de Astrologia e da história humana (como o afundamento da Atlântida narrado por Platão). Temos algumas questões de simples lógica astronômica que impedem a veracidade da teoria de Alcyone exercendo o centro de um sistema estelar onde o nosso sistema solar orbitasse ao seu redor. Vamos às questões de ordem astronômica:

As Plêiades (onde está localizada Alcyone) estão a aproximadamente 125 parsecs ou 407.5 anos luz de nosso sistema solar. Um cálculo rápido mostra que se nosso Sol estivesse nesta órbita, então sua velocidade orbital seria de um pouco mais de um décimo da velocidade da luz. Isto é aproximadamente 32,000 Km/seg. Esta velocidade seria aparente, não só para astrônomos, mas para todas pessoas, já que as constelações mudariam dramaticamente no curso de uma única vida se isto fosse verdade. A questão é que esse drástico movimento não ocorre, o que por si só já invalida a teoria dos defensores de uma era de luz em 2012.

As Plêiades são um agrupamento de aproximadamente 100 estrelas com uma idade média estimada em 78 milhões de anos. Estas são estrelas muito jovens, muito mais jovens que nosso próprio Sol, que se estima ter 5 bilhões de anos, muito mais jovens até mesmo que nosso próprio planeta, a Terra. Estudos dos movimentos próprios destas estrelas, ou de seu movimento pelo espaço, mostraram que elas estão no processo de dispersão. Não há nenhuma evidência que estas estrelas orbitem Alcyone. Não há nenhuma evidência de planetas ao redor (orbitando) de quaisquer destas estrelas (Plêiades).

Por uma simples questão de lógica, o Sol, a Terra e demais planetas do sistema solar, muito mais antigos que Alcyone A (estrela Eta Tauri) ou qualquer das estrelas do aglomerado das Plêiades, não poderiam orbitar estrelas que sequer existiam, a bilhões de anos, quando o Sol e os planetas do sistema solar já existiam.

Mas não acaba por aí, existem ainda outros problemas: O Sol se afasta 7 mil kilômetros por segundo de Alcyone. Caso estivesse orbitando a brilhante estrela das Plêiades isso jamais aconteceria. Tanto o Sol como todo o Sistema Solar orbita o centro da Via Látea, a uma velocidade média de 215 km/s e leva 225 milhões de anos aproximadamente pra dar uma volta completa na galáxia (no caso a galáxia que o sistema solar está inserido chama-se Via Látea). Se o Sol seguir alguma estrela e se seguir, será a estrela Vega da constelação de Lira, a qual o Sol segue em sua direção aproximada ao longo do seu movimento orbital na galáxia.  

Alcyone e as Pleiades

Mas faltou ainda uma questão: os defensores da teoria de Alcyone como centro de um sistema orbitado pelo nosso Sistema Solar, com início de Era de luz, apocalipse maia e outras baboseiras, afirmam que 4 astrônomos, após “amplos e minuciosos cálculos” atestaram que essa teoria é verdadeira. Os nomes citados são esses: Friedrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Sola e Edmond Halley. Pra começo de conversa, um deles nunca foi astrônomo, trata-se de Paul Otto Hesse que foi um escritor esotérico alemão que publicou um livro em 1949, chamado “O Dia do Juízo” (The Recent Day / Der Jungste Tag) onde ele apresenta essas idéias do Sol e do Sistema Solar orbitando Alcyone, sem qualquer base científica pra tal afirmação e rejeitando todos os dados básicos de Astronomia que foram mostrados até aqui. Mas e os demais três nomes, que realmente foram astrônomos?

Edmond Halley - britânico, astrônomo e matemático (1656-1742)
Friedrich Wilhelm Bessel - alemão, astrônomo e matemático (1784-1846)
José Comas Sola – espanhol, astrônomo (1868-1937)

Nenhum dos três jamais participou ou apoiou qualquer estudo ou hipótese de uma possível órbita do Sol em torno de Alcyone. Halley e Bessel estudaram as Plêiades, mas seus estudos foram voltados para o movimento próprio de suas estrelas, o que nada tem a ver com as idéias de Paul Hesse. Sola realizou amplos estudos voltados pra descoberta de asteróides (descobriu 11) também escreveu em um jornal quinzenalmente de 1893 até 1937 artigos sobre Astronomia, assim como publicou alguns livros e em nenhum deles defendeu tal idéia do Sol orbitando Alcyone.

Quem quiser conferir a páginas deles:

José Comas SolaAQUI

Edmond HalleyAQUI

Friedrich Wilhelm BesselAQUI

Paul Otto Hesse: AQUI

Quem utilizar o Google Chrome, basta clicar na opção de traduzir a página no topo quando a página carregar.

Em virtude de todas essas evidências cristalinas é possível afirmar sem a menor sombra de dúvida: A Terra e o Sistema Solar não orbitam Alcyone, assim como não adentraremos em Era de Luz alguma em 21 de dezembro de 2012.

Que alguns médiuns espíritas e espiritualistas possam pesquisar mais e não ir “na onda” de teorias furadas como essa de “era de luz em 2012” ou “Sol orbitando Alcyone”, pois muitos médiuns, escritores e palestrantes têm repetido esses absurdos em livros e palestras e o pior: alguns dizendo que receberam tal informação mediunicamente, certamente algum animismo ou algum espírito fanfarrão que se aproveitou da invigilância de tais médiuns.

Eu espero que esses dois textos tenham ajudado aos buscadores de informações sobre a espiritualidade e as transformações da Terra, pessoas que possuem um olhar de pesquisa, de comparação racional e científica e que não se deixam iludir por teorias esquisotéricas fantasiosas. Da mesma forma que a Atlântida teve a sua Era de ouro há quase 12 mil anos, a humanidade em breve após 2036 vivenciará em todo planeta uma nova era.



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 

23 de jun de 2012

Atlântida, 2036 e os Ciclos Planetários da Terra (Parte I de II)


Luz de fótons chegando a Terra, 2036, nova era

Antes de ler esse post é fundamental ler esse texto:  AQUI


O texto que está no link acima explica de forma bem resumida a questão do 666, das kameas e dos ciclos astrológicos, bem como a importância astrológica das representações do Sol e de Vênus, portanto só leia as linhas a seguir após ler o texto do link acima, pois as linhas a seguir complementam o texto do link.

Segundo os relatos de Platão, a Atlântida afundou exatamente 9.564 anos antes do ano zero. Como podemos calcular essa data? A resposta é simples: Platão tomou conhecimento da Atlântida através do famoso legislador grego Sólon, que em contato com os sacerdotes egípcios de Saís, ficou sabendo que a Atlântida havia afundado 9 mil anos antes daquele relato (feito à Sólon), tudo isso relatado em “Timeu e Crítias”. O famoso filósofo grego Plutarco relatou essa visita que Sólon fez a localidade de Saís, bem como dos relatos que Sólon ouviu dos homens da ciência egípcios sobre uma avançada ilha Atlântica (Atlântida). A visita de Sólon ocorreu exatamente em 564 antes do ano zero, exatamente 6 anos antes da sua morte. Foi baseado nessas informações obtidas por Sólon que Platão escreveu os diálogos de Timeu e Crítias.

O afundamento da Atlântida representou muito mais do que um grande evento, descrito na história milenar de diversas civilizações do mundo como um grande dilúvio, ele representou a nível temporal, no ciclo planetário terrestre, o início de um novo século, um grande ciclo de 11.600 anos exatos. Ou seja, um século no ciclo planetário terrestre equivale a exatos 11.600 anos. Mas porque esse número?

Simplesmente porque de 9.564 anos antes do ano zero, até 2036, temos exatos 11.600 anos. Do afundamento da Atlântida até o dia 31 de dezembro de 2035 teremos exatos 100 períodos completos, 100 anos do ciclo planetário terrestre. 

O novo século do ciclo planetário começa, portanto, no primeiro dia de 2036. Em primeiro de janeiro de 2036 teremos uma rara formação: uma cruz na eclíptica, formada num dos eixos por Terra, Lua e Vênus e no outro por Marte, Mercúrio e Sol, com o Sol representando a cabeça de Jesus (iluminação da razão), sua mão direita sobre Vênus (o planeta que representa o amor, nessa representação o amor ágape, a caridade) seus pés sobre Marte (impedindo uma guerra de extermínio, pois Marte representa a guerra, as paixões, a força da luta, que terá tudo isso sobrepujado pela vontade divina), já Mercúrio na mitologia simboliza o mensageiro dos deuses, aquele que anuncia e está na figura da cruz na eclíptica exatamente no coração de Jesus, ou seja, a mensagem de Jesus será totalmente anunciada e divulgada nesses tempos (início de 2036) de dificuldade, pois sua mão esquerda está sobre a Terra e Lua, demonstrando o auge das provações que a Terra terá de passar.

Interessante observar que nos mapas astrológicos pessoais esses 5 planetas que perfazem a cruz junto com a Terra nesse dia primeiro de janeiro de 2036 são planetas de grande importância: Sol e Lua representam no mapa natal a fonte da vida, enquanto Mercúrio, Marte e Vênus simbolizam as características individuais e pessoais, ou seja, essa cruz demonstra que a fonte da vida, da renovação, estará chegando a todas as individualidades da Terra, através de duras provações para o “parto” da nova Terra, pois está representada pela mão esquerda de Jesus sobre a Terra.

Alinhamento planetário com cruz na eclíptica
  

Mas afinal, quantos anos terão cada um desses 100 períodos? A resposta também é simples: 115 anos.

Como já foi explicado no link que deixei no início desse post, o número 115 em grego transliterado do grego koiné (idioma utilizado por João Evangelista pra escrever o Apocalipse) aparece nas letras que formam o número 666 (cxV), é um número que representa tanto a kamea solar como o planeta Vênus, pois no dia 115 de cada ano o Sol está em Touro (signo regido por Vênus), esse dia especificamente representando a kamea solar em Vênus. 

A kamea solar representa a mudança, pois seus números são o 36, 111 e 666, a renovação daquilo que não serve mais, para o surgimento de algo melhor, mais forte, flexível, simbologia do anjo cabalístico 36 (Menadel), do 111 (dia do ano que o Sol entra no signo de Touro regido por Vênus) e o 666 que representa a soma de todos os número da kamea solar (1 a 36) e que equivale ao número 115.

Dessa forma, cada ano do ciclo terrestre tem 115 anos no calendário terrestre, só se iniciando um novo ciclo no ano 116, como se fosse iniciado em janeiro do ano zero e terminado em dezembro do ano 115.

Dessa forma podemos calcular:

1 ano do ciclo planetário = 115 anos terrestres

10 anos do ciclo planetário = 1.160 anos terrestres

100 anos do ciclo planetário = 11.600 anos terrestres

1000 anos do ciclo planetário = 116.000 anos terrestres

É interessante também lembrar a informação trazida no link no início desse post sobre a kamea 13x13 que  representa a união das kameas solar e de Vênus que resulta numa kamea 1105 que mostra de forma oculta o 115, pois é 1,1,05 ou seja, 115, que expressa esse significado de renovação, mudança, reconstrução presente na própria kamea 13x13, pois o 13 é o arcano da morte, da mudança para uma nova vida, o que demonstra a profunda ligação do 115 com a kamea solar e de Vênus, sendo por isso o número que representa um período do ciclo planetário terrestre. Na parte II/Final durante a análise das Eras Astrológicas     veremos o significado desse número na contagem dos períodos em relação a contagem das Eras Astrológicas.   

Lista completa dos 100 períodos de 115 anos (até o período 83 são datas antes do ano zero (a.a.z):

1- 9564 até 9449
2- 9448 até 9333
3- 9332 até 9217
4- 9216 até 9101
5- 9100 até 8985
6- 8984 até 8869
7- 8868 até 8753
8- 8752 até 8637

9- 8636 até 8521
10- 8520 até 8405
11- 8404 até 8289
12- 8288 até 8173
13- 8172 até 8057
14- 8056 até 7941
15- 7940 até 7825
16- 7824 até 7709

17- 7708 até 7593
18- 7592 até 7477
19- 7476 até 7361
20- 7360 até 7245
21- 7244 até 7129
22- 7128 até 7013
23- 7012 até 6897
24- 6896 até 6781

25- 6780 até 6665
26- 6664 até 6549
27- 6548 até 6433
28- 6432 até 6317
29- 6316 até 6201
30- 6200 até 6085
31- 6084 até 5969
32- 5968 até 5853

33- 5852 até 5737
34- 5736 até 5621
35- 5620 até 5505
36- 5504 até 5389
37- 5388 até 5273
38- 5272 até 5157
39- 5156 até 5041
40- 5040 até 4925

41- 4924 até 4809
42- 4808 até 4693
43- 4692 até 4577
44- 4576 até 4461
45- 4460 até 4345
46- 4344 até 4229
47- 4228 até 4113
48- 4112 até 3997

49- 3996 até 3881
50- 3880 até 3765
51- 3764 até 3649
52- 3648 até 3533
53- 3532 até 3417
54- 3416 até 3301
55- 3300 até 3185
56- 3184 até 3069

57- 3068 até 2953
58- 2952 até 2837
59- 2836 até 2721
60- 2720 até 2605
61- 2604 até 2489
62- 2488 até 2373
63- 2372 até 2257
64- 2256 até 2141

65- 2140 até 2025
66- 2024 até 1909
67- 1908 até 1793
68- 1792 até 1677
69- 1676 até 1561
70- 1560 até 1445
71- 1444 até 1329
72- 1328 até 1213

73- 1212 até 1097
74- 1096 até 981
75- 980 até 865
76- 864 até 749
77- 748 até 633
78- 632 até 517
79- 516 até 401
80- 400 até 285

81- 284 até 169
82- 168 até 53
83- 52 (a.a.z.) até 63 (d.a.z)
84- 64 até 179
85- 180 até 295
86- 296 até 411
87- 412 até 527
88- 528 até 643

89- 644 até 759
90- 760 até 875
91- 876 até 991
92- 992 até 1107
93- 1108 até 1223
94- 1224 até 1339
95- 1340 até 1455
96- 1456 até 1571

97- 1572 até 1687
98- 1688 até 1803
99- 1804 até 1919
100- 1920 até 2035

1- 2036 até 2151


No início do período 72 (1328 a.a.z) é a data provável do nascimento de Moisés (justamente no período 72, número cabalístico das emanações de Deus e justamente Moisés veio trazer a idéia do Deus único no seio do povo hebreu onde surgiu a Cabala). Curiosamente o arcano desse período é o 9, do ermitão, mostrando a clara personalidade de Moisés que leva o povo hebreu ao isolamento do deserto para purificá-lo como o ermitão que procura a si mesmo no isolamento da caverna.   

Significado dos 22 ArcanosAQUI

Entre o final do período 74 (981 a.a.z) e o início do período 75 ( 980 a.az) iniciou-se a chamada descida angélica de Jesus, que se preparou por exatos 977 anos para encarnar entre os homens. Esse tempo de quase mil anos da descida angélica foi narrado por Ramatís em “O Sublime Peregrino” e não poderia ter acontecido em época melhor, entre o período do arcano força (7 + 4 = 11) e do arcano o dependurado (7 + 5 = 12), simbolizando a força do sacrifício messiânico de Jesus.

No início do período 79 (516 a.a.z) ocorreu a construção do segundo templo, após o retorno dos judeus do cativeiro babilônico. O arcano desse período é o 16, a torre, curiosamente o primeiro templo (torre) que foi destruído é agora construído.

No início do período 83 (52 a.a.z) ocorre o nascimento de José, futuro pai de Jesus, quando contaria com 49 anos. O arcano desse período é o 11, a força.

No início do período 84 (ano 64) ocorreu o grande incêndio de Roma por Nero e a morte de Tiago Menor, último líder do Cristianismo Primitivo, demarcando a primeira grande perseguição a Igreja Cristã Primitiva por parte do Império Romano. Não é a toa que o arcano desse período onde se iniciou a perseguição aos cristãos primitivos é justamente o de número 12, o dependurado.

No início do período 98 (1688) tivemos a Revolução Gloriosa, dando origem ao parlamentarismo na Inglaterra. O arcano desse período é o 17, a estrela, que representa um novo momento de confiança e simplicidade, quando a mulher se desfaz dos paramentos e busca a água da vida banhada pela luz de Vênus no céu (figura da carta desse arcano). Representa um período de grandes mudanças sociais, quando reis e nobreza perdem espaço através de diversas revoluções, iniciadas pela revolução gloriosa (1688) e seguidas pela Independência americana (1776), Revolução Francesa (1789-1799) 

No início do período 99 (1804) Napoleão é nomeado imperador na França, sem dúvida tudo haver com o arcano 18 desse período (a lua), representado pelo lagostim que em uma mudança decisiva em sua vida troca sua carapaça, sua estrutura para manter sua sobrevivência, uma clara metáfora pra ascensão de Napoleão.

No início do período 100 (1920) ocorre o nascimento de Karol Woijtila que seria no futuro o papa mais famoso que a Igreja Católica viria a ter (papa João Paulo II). O arcano desse período é o 1, O Mago, que representa a concentração, o místico, a ação criativa que precisa começar. Sem dúvida boa parte de modernização da Igreja Católica deve-se ao perfil de JPII.

Parte II AQUI

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036  


16 de jun de 2012

Transição Planetária em 3 Perguntas

Tsunami sobre prédios com trovoes, arte digital


Recebi oportunas perguntas sobre o tema transição planetária e as compartilho com os leitores do blog, pois acredito que sejam questionamentos de muitas pessoas também:


“Prezado José, venho acompanhando e lendo muitas coisas sobre profecias transição, realmente seu blog é o melhor, com conteúdo e excelentes informações.

Tenho algumas sugestões para seus posts

Como ficaria o Brasil apos às grandes tribulações?  O Brasil seria o grande País que ajudaria o mundo a se recuperar? No livro Brasil a Pátria do evangelho, o Brasil seria o grande indutor deste novo mundo regenerado?

No período de 2013 a 2036 vc acha que teríamos ainda a 3ºguerra mundial, ou somente as grandes catástrofes da natureza? Não seria uma transição em parte realizada em doses homeopáticas, um Tsunami ali, um terremoto aqui, fazendo assim a grande limpeza geral, ou tudo numa porrada só, perto de 2035, 2036?

Você tem mais informações sobre o papel da china em conjunto com os árabes na grande guerra?

Abraços. Alexandre”


O Brasil, assim como TODOS os países do Globo sofrerão provações coletivas durante o período denominado transição planetária, que terá um aceleramento a partir do final de 2012 e de forma gradativa, até o auge dos eventos em 2036, a partir desse ano iniciando-se uma gradativa diminuição das atividades de ordem natural, como terremotos, vulcanismo e tsunamis, permitindo a reconstrução dos locais afetados. 

Esse recrudescimento irá de 2036 até 2072, sendo que já a partir de 2052, com o início da era astrológica de 36 anos em Vênus, já será perceptível um mundo mais próximo da Regeneração e já bem distante dos graves conflitos e provações da época de Transição entre 2012 e 2036. 

Todas as cidades litorâneas do planeta sofrerão em algum momento nos próximos 24 anos a ação das águas. Localidades litorâneas ou pequenos territórios (como Holanda e Veneza) abaixo do nível do mar ou ao nível do mar e até 600 metros acima do mar tendem a desaparecer ou sofrer grandes danos pelas águas.

Nas Américas (América do Sul e do Norte), o Brasil será o país responsável por grandes reformulações no pensamento cristão ocidental, ajudando sobretudo a nações como México e Estados Unidos a compreenderem a natureza dos fenômenos mediúnicos e sobretudo a buscarem uma vida menos apegada aos valores da matéria. 

Em virtude de grandes comoções naturais que ocorrerão no México, Estados Unidos e Caribe, muitos habitantes destes países buscarão guarida em território brasileiro, em processo semelhante ao que ocorre atualmente com muitos fugitivos haitianos de sua terra natal. 

Acredito que em época próxima ao auge de grandes conflitos envolvendo as nações européias e islâmicas, ocorrerá um êxodo de habitantes, sobretudo da Itália, Espanha, Portugal e Alemanha em direção ao Brasil, aproveitando inclusive muitas oportunidades que surgirão no Brasil daqui a alguns anos para o melhor aproveitamento das terras no plantio de alimentos, o que em alguns anos fará com que o Brasil produza de 10 a 12 vezes mais alimentos do que produz atualmente e juntamente com alguns países da América do Sul (como Chile, Argentina e Colômbia) se transformem no celeiro de alimentos para o resto do mundo, sobretudo Ásia e Europa, cada vez mais castigadas com o agravamento de intempéries naturais.

Na Ásia este papel  de transformação moral caberá primeiramente a civilização da Índia e posteriormente também a Rússia (após o desencarne de um grande líder político deste país que é um dos mais perigosos magos negros reencarnado) , promovendo a união entre o pensamento orientalista do Budismo, do Hinduísmo e do Islamismo e do pensamento cristão oriental, reformulando filosoficamente o catolicismo na Europa e possibilitando sua aproximação em um segundo momento com o cristianismo ocidental, quando o Vaticano e a Igreja Católica Apostólica Romana como a conhecemos hoje não existirem mais. 

Até lá, no entanto, muitos acontecimentos ocorrerão, muitos falsos profetas, falsos religiosos e médiuns mal intencionados tentarão se arvorar de mensageiros únicos do Cristo, alguns inclusive se autointitulando apóstolos reencarnados e tentando erguer  novas Igrejas ou criar novas seitas e religiões, quando na verdade a única religião que existirá no futuro será a religião do amor. Essa religião não terá nome, não terá dogmas (como reencarnação e lei do karma) apesar de que nessa época a maioria das pessoas terá certo entendimento sobre estes dogmas. A nova idéia de religião(na verdade o seu significado original) será apenas de busca pela paz interior, autoconhecimento, coexistência pacífica com o próximo e trabalho em beneficio da coletividade acima do beneficio pessoal, nada mais do que isso. No futuro, já na Era de Regeneração, não existirão mais pessoas se proclamando espíritas, cristãos, judeus, islâmicos ou universalistas, pois enxergarão essas nomenclaturas apenas como diferentes filosofias e partes da única religião, que é a essência que existe dentro de cada pessoa e RELIGA o homem a seus nobres valores e de forma nobre e ativa a toda coletividade humana, nada mais do que isso.

Escada de Jacó, ascensão, elevação espiritual piramides egito


Em suma: Brasil, Rússia e Índia desempenharão papel fundamental nos meses anteriores ao grande acontecimento em 2036, motivando uma ideologia de paz e coexistência em contraponto ao conflito de rebeldes e radicais cristãos, muçulmanos e judeus, confronto potencializado pela ação de alguns governos interessados no controle de fontes de água e petróleo.

No período entre 2012 e 2036 teremos um aceleramento na quantidade e intensidade de eventos naturais, da mesma forma que no período de 1988 a 2012 tivemos grandes revoluções, queda de regimes autoritários e grandes reformas, nessa janela de 24 anos ou um "dia" milenar na história terrestre.

Teremos reformar e revoluções ainda maiores, sobretudo no âmbito religioso, um período que será de demolição de todas as estruturas religiosas que não se coadunarem com nobres valores e da mesma forma o afastamento de religiosos, médiuns e pessoas ligadas a espiritualidade que tenham enveredado por caminhos equivocados no uso de seu conhecimento, seja teológicomediúnico, ou de qualquer outra natureza.

próximo Papa será um grande reformador, fará mais reformulações na Igreja que João 23 e João Paulo II juntos, será um homem de fibra e nobres intenções, buscará de forma incessante reascender os nobres valores do cristianismo no seio católico e procurará uma ampla aproximação com África, Ásia e encontrará sobretudo no Brasil o terreno mais fértil para as mudanças que implantará, para melhor na Igreja Católica durante esse período de transição planetária.

A transição será um processo em doses cada vez mais amargas e concentradas pra extirpar o tumor do egoísmo, do materialismo, da falta de amor ao próximo que impera na humanidade atualmente e prioritariamente em dois terços dos espíritos do orbe terrestre.

Mas como ocorrerá esse processo, de forma sintetizada? Atualmente a crise americana e européia tem motivado as nações européias a escolherem governos ultranacionalistas ou de posturas radicais, seja de esquerda ou direita, como foi o caso da recente eleição na Grécia e na França. O agravamento da crise financeira no Velho Mundo e nos Estados Unidos motivará uma ampla reforma no sistema econômico mundial: O que ocorre atualmente é que a economia mundial é baseada no acordo de Bretton Woods, quando foi estabelecido que o dinheiro do mundo seria lastreado na chamada onça troy, um valor em ouro atrelado ao dólar. Com a queda dos Estados Unidos, muito tem se questionado por substituir o dólar por uma "cesta" de moedas, contendo o euro, o iene e a moeda chinesa.

Entretanto muito em breve a economia mundial verá que é insustentável manter esse padrão baseado em especulação, ou seja, de quanto supostamente vale uma moeda ou um conjunto de moedas. Quando isso ocorrer, o valor do dinheiro ou seu "lastro" será medido por coisas realmente valiosas, como comodities (produtos básicos de amplo consumo, como trigo, água, petróleo) assim como a capacidade produtiva, sobretudo de  alimentos e energia (petróleo, gás)

Nesse cenário, potências naturais como o Brasil (que tem a capacidade de aumentar em 10 vezes sua produção agrícola), Rússia (rica em gás e na produção de trigo), Oriente Médio (petróleo) ou potencias industriais como China (amplo potencial de produção industrial) e Alemanha (maior potencial industrial da Europa) serão as novas potencias globais. Essas mudanças no cenário econômico serão decisivas para a aproximação da China junto ao Oriente Médio, tornando essa aliança a nova potencia global, enquanto Brasil, Rússia e Índia formaram uma aliança, mas mantendo certa neutralidade quando aos conflitos políticos. No último balanço do PIB apenas duas nações tiveram desempenho positivo, apesar de baixo: Alemanha (que tem 40% do PIB de toda a Europa) e Áustria... já vimos esse cenário a algumas décadas atrás antes de um grande revolução política. A Alemanha está, literalmente, levando a Europa e a zona do Euro nas costas e em breves anos, ela decidirá se desligar da zona do Euro, muito em parte pela eleição em um futuro não tão distante de um ultranacionalista de direita, que buscará aliança com a Áustria e demais líderes políticos que enxerguem, nesse futuro próximo e segundo a visão deste político, a Alemanha como a única e verdadeira potência européia.

Essas mudanças econômicas, somados ao fim da zona do Euro e a união sino-islâmica demarcarão definitivamente a ascensão chinesa como nova potência mundial. A Alemanha, Áustria e alguns países do leste europeu estarão rompidos ideologicamente do resto da Europa e da Rússia, sobretudo de Itália, França e Inglaterra, entretanto apesar de enfraquecidos todos eles terão algo em comum: o aumento cada vez maior da xenofobia em relação aos muçulmanos, os estrangeiros islâmicos serão usados como bode expiatório pra falência do sistema econômico europeu, muito graças a aliança islâmica nessa época com a China e se iniciará, em solo europeu, um verdadeiro conflito civil entre ultranacionalistas europeus perseguindo muçulmanos que vivam em terras européias. A grande questão é que a população muçulmana é unida e cada vez maior na Europa, a média de filhos de uma família muçulmana é de 5 a 6 filhos, enquanto a taxa de natalidade na Europa é de zero a um filho. Atualmente existem 60 milhões de muçulmanos vivendo na Europa e a estimativa é que até 2030 seja possível existir de 20 a 30% da população na Europa formada por islâmicos.

Com a Europa afundada na crise em alguns anos, o crescimento desse sentimento de culpar estrangeiros, sobretudo muçulmanos pode também crescer e a partir desse ponto é que o problema realmente vai se tornar sério, pois não será uma guerra de invasão, mas a luta de um povo pra defender sua cultura dentro de solo europeu. É esse contexto que abrirá as portas para uma futura invasão sino-islâmica na Europa na década de 30, somada a um grande evento natural que ocorrerá na Itália, envolvendo o Etna, sepultando não apenas o Vaticano, mas todo o continente europeu. A China sozinha não tem condições de forma um exército de 200 milhões como descrito no Apocalipse, somente a aliança com o mundo islâmico poderá criar o maior exercito que o mundo verá em toda a sua história.

Nesse processo, segundo indicam diversas profecias, sobretudo no Apocalipse, teremos três grandes eventos, descritos como “os três ais” que serão: um grande evento vulcânico na Europa, envolvendo 3 grandes vulcões mas desencadeado pelo Etna e que ocasionará fortíssimos terremotos em toda a Europa, o que abrirá espaço para uma invasão sino-islâmica no Velho Continente e em seguida sobre Israel, que será dizimada pelas tropas invasoras no conflito que ficará conhecido nessa época como Armagedon, pois será exatamente no Monte Megido que será proclamada a soberania islâmica após este evento e a bandeira palestina será colocada como bandeira oficial de Israel, uma clara afronta sobretudo aos judeus sobreviventes que estiverem nos Estados Unidos.

A partir deste ponto existe o risco de uma guerra atômica Já teremos passado do ano de 2033 e exatamente em virtude deste risco é que teremos o auge dos eventos de 2036, pra destruir por completo as forças bélicas de China, aliados islâmicos, Estados Unidos, Rússia e nações européias sobreviventes e assim evitar uma guerra de extermínio atômica mundial. Esse auge será o terceiro "ai", após o grande evento vulcânico na Europa e o grande confronto entre judeus e muçulmanos em Israel. Esse último "ai" será exatamente o Big One, um terremoto de proporções nunca antes vista na história da humanidade após a extinção dos dinossauros, nem mesmo quando a Atlântida afundou ocorreu tamanho terremoto como este que ocorrerá, ele será responsável pelo rompimento de partes de várias placas tectônicas, o que ocasionará o afundamento de gigantescas massas territoriais e a emersão de grandes massas continentais, que outrora, em um passado distante, também afundaram.  

A China possui uma enorme população pra alimentar, necessita exportar cada vez mais pra manter o fôlego do seu sistema econômico, precisa de água e, sobretudo, de petróleo em grandes quantidades pra manter toda essa estrutura, justamente em virtude disso tudo é natural que busque uma aliança com o mundo islâmico, rico em petróleo e recursos financeiros.

Entretanto, chegará um momento no futuro onde a água e terras férteis pra plantar serão cada vez mais valiosas, assim como mercados econômicos e sabendo do secular conflito entre islâmicos e judeus e crescente xenofobia de europeus para com imigrantes islâmicos, a China tenderá a se aproveitar disto em um momento especial (um grande evento natural que devaste boa parte da Europa e abra espaço para uma invasão da ala mais radical islâmica), inclusive para oferecer seus serviços de reconstrução da Europa e domínio destes territórios, bem como investir num domínio de nações africanas e seus territórios.

A grande questão deste quebra cabeça é que Rússia e Índia estão muito próximas geograficamente da China e tenderão nesse futuro a manter neutralidade, não apoiando nenhum dos lados deste conflito e apoiando ações de pacificação, entretanto se os rumos da guerra levaram a China a tentar dominar, juntamente com exércitos árabes, tanto a Rússia como a Índia em virtude de seus recursos naturais, certamente o conflito pode progredir pra algo perigoso e somente uma intervenção dos céus, tal como ocorreu na época do afundamento da Atlântida, poderá salvar a Terra de ser exterminada pelos seus próprios habitantes. 


Terra Regenerada, paisagem da natureza exuberante, arte digital
                

Comunidade Profecias 2036 no Orkut:  http://www.orkut.com.br/Community?cmm=98634186


9 de jun de 2012

Transição Planetária Reloaded

Alinhamento planetário com 5 astros em 2072

Recebi algumas perguntas interessantes por email sobre alguns temas abordados aqui no blog, trarei essas perguntas em negrito com as respostas em seguida:


“Considerando que os próximos 24 anos serão de grande dificuldade, o que podemos esperar para o nosso Brasil nestes próximos anos? Existem as mensagens de Pietro Ubaldi, Irmão X, Humberto de Campos, Chico Xavier, Dom Bosco, o que vai acontecer com o Brasil, seremos mesmo a Pátria do Evangelho? O Brasil vai sobreviver, ou será tbm atingido de forma aniquiladora, como a Europa, EUA? Qual a sua opinião?”

Falarei mais sobre isso em um post sobre o Brasil e a Transição Planetária que publicarei mais a frente no blog. Mas posso adiantar que os efeitos no Brasil serão menores do que na Europa e Estados Unidos, pois o Brasil assim como Índia e Rússia (após a morte de Putin) buscarão a neutralidade diante do conflito mundial que envolverá a Europa dividida, Estados Unidos e a aliança da China com a ala radical dos países islâmicos, que será liderada por um iraquiano no Oriente Médio.

“Quanto às sociedades secretas que dizem estar criando uma nova ordem mundial para manter o poder (Iluminatti, Bilderberg, Caveira e ossos), desenvolvendo bunkers etc.? Que tal vc dar uma explicada sobre elas?”

As sociedades secretas não estão criando uma nova ordem mundial, na verdade estão tentando evitar que a nova ordem das coisas chegue, até porque atualmente são essas sociedades que comandam e influenciam governos e empresários do mundo inteiro, a nova ordem mundial ou organização mundial virá justamente pra reformular economias e políticas e colocar essas sociedades abaixo. Não existe ligação dessas sociedades com a construção de bunkers, o que existe são empresas privadas construindo bunkers pra pessoas desesperadas com a profecia mala pra 2012 assim como os bunkers construídos pelos governos pra proteção estratégica de autoridades, militares e de informações estatais e de grandes empresas, como a que existe em Iron Mountain (postei sobre isso na série de 5 post que comentam a palestra de André Luiz Ruiz). Quanto a essas sociedades, o nome da principal delas ainda não foi revelado, inclusive muitos membros de outras sociedades julgam que ela sequer exista, falei sobre isso também no ultimo texto sobre dragões e magos negros

Texto sobre os bunkers: AQUI


Texto sobre dragões e magos negros: AQUI



“Para esta década até 2020, vamos ter uma 3º guerra mundial?”

Com certeza não.


“As grandes potencias, com a 2º guerra mundial e a guerra fria, realizaram ou realizam grandes pesquisas (armas secretas, Controle da Mente, Telecinésia, equipes paranormais) inclusive eu assisti a documentários onde os Nazistas buscavam intensamente o “oculto”, a Arca da aliança e outras formas de poder sobrenatural. Minha pergunta é o governo oculto destas potencias, não sabem o que esta por vir, não estão se preparando?”

Certamente se preparam, tentando acelerar eventos como guerras ou potencializar eventos naturais, a tentativa mais recente foi feita durante o lançamento da cápsua dragon, como relatei recentemente no texto “a fuga do dragão” (não de um espírito, mas da cápsula dragon). A grande maioria dessas tentativas e armações a gente nem fica sabendo, mas o trabalho de contenção dessas entidades trevosas está cada vez mais intenso por parte dos guardiões, evitando qualquer tentativa desse pessoal em atrapalhar o curso da transição planetária.  


“Vai ocorrer algo agora nas olimpíadas de Londres?”

Acredito que não, a nível internacional a China e Rússia impedem qualquer ação sobre a Síria das demais potências. Na Inglaterra é muito difícil, a própria escolha do dia da abertura (assim como foi feito na China a 4 anos, com uma data específica) mostra que o dia escolhido não foi qualquer dia, haverá no dia 27 de julho (data da abertura dos jogos) uma conjunção poderosa de 5 planetas e o Sol com a Terra, além desse dia ser arcano 21, com o ano no arcano 5, ideal para a abertura dos jogos pela rainha inglesa. Três datas nas Olimpíadas apresentam aspectos que favorecem grandes eventos, como algo a nível natural ou algum evento importante de ordem política pro mundo: 30 de julho, 2 de agosto e 11 de agosto (ambos tem em cada dia o arcano diabo como regente, muita força anímica e poder de controle), isso sem falar que em 11 de agosto ocorrerá uma conjunção planetária desfavorável, pois aponta pra conflitos e rupturas, que é Marte -Sol- Júpiter, tendo ainda Vênus e Mercúrio perfeitamente alinhados com o Sol e um terceiro alinhamento triplo, esse bem desfavorável a nível astrológico que é a Terra alinhada e no meio de Marte e Urano. Astrologicamente e cabalisticamente, esse é o dia onde algo pode ocorrer a nível mundial.


“Quanto aos seres extraterrestres, vão ter algum papel nesta transição? Eu já lia algo a respeito que o Cristo ou o Governador da nossa Galáxia, somente vai liberar um contato oficial quando o nosso mundo estiver na fase de regeneração? O que vc pode nós dizer a respeito “Contato, Óvnis”?”

Seres de outros planetas estão ajudando a Terra nesse processo, sabidamente de mundos mais evoluídos que o nosso, pois já passaram por esse processo que vivenciaremos ao longo dos próximos anos, os anos da transição planetária, o final da era de expiação e provas. Uma aparição agora, visível, a nível mundial, apenas traria desespero e medo a muitas pessoas, justamente por isso é que o contato mais visível apenas ocorrerá quando a Terra se tornar um mundo regenerado. Enquanto isso os encarnados vão interagindo a nível astral, seja durante o sono ou a nível mediúnico, quando entidades espirituais de outros planetas que auxiliam centros espíritas e espiritualistas se manifestam juntamente com espíritos que já estão na esfera terrestre a mais tempo

Alcyone gigante azul dos fótons


“Com relação à abertura do Portal em 2012 com a influência de Alcione, vc poderia explicar melhor, quais as conseqüências e o que essa abertura vai nós trazer?”

Imagina que um grupo de pessoas começa a faxinar a casa e descobrem que tem tanta sujeira e limpeza a ser feita que os produtos pra limpar que possuem não serão suficientes pra limpar tudo no tempo devido. A Terra está nessa situação: sua aura energética está altamente intoxicada, enegrecida, e isso vem aumentando a níveis extremos, pois uma grande quantidade de prováveis futuros exilados está reencarnado, tendo a ultima oportunidade antes do auge do exílio planetário. A energia astral que a Terra recebe do Sol já não é mais suficiente pra esse processo de limpeza da aura terrestre e justamente por isso a Terra receberá mais energia, vinda deste portal.

Com o exílio gradativo até o seu auge daqui a 24 anos, diminuirá essa carga tóxica que existe na aura terrestre, produzida pela ação mental deletéria de bilhões de habitantes que serão exilados gradativamente. 

A transição é justamente esse processo, quando se acelera o processo de exílio, com um aumento gradativo até seu ápice, somado a ação de limpeza da aura terrestre.

Como ainda existe um contingente grande de espíritos rebeldes que estão reencarnando pra ter sua última oportunidade (característica dos anos finais de uma era de expiação e provas) e que provavelmente serão exilados, espíritos que não reencarnavam a séculos mas que tem sua derradeira chance através da misericórdia divina, existe a necessidade de uma energia extra pra ajudar na limpeza da aura planetária, energia vinda de Alcyone, que longe de caracterizar uma era de luz, indica apenas o início da fase aguda da limpeza energética terrestre, a intensificação da “faxina”. 

Confundir transição planetária (período final de era de expiação e provas) com era de luz é o mesmo que dizer que uma casa que está em plena faxina, com móveis fora do lugar e poeira subindo já estaria limpa, plenamente faxinada. Portanto não teremos era de luz ou regeneração começando em 2012. Vou deixar um pequeno diagrama abaixo pra facilitar o entendimento:

2012 – 2036: Período denominado transição planetária, aceleramento do exílio planetário, anos finais da era de expiação e provas, terá seu ápice, também chamado de grande tribulação exatamente em 2036.

2036 – 2072: A reconstrução do planeta, após os grandes eventos do auge da transição planetária. Dentre as almas sobreviventes e aquelas que irão reencarnar entre o final da década de 20 e de 30, teremos espíritos em sua maioria mais brandos, mas que terão de provar através de muito trabalho em prol da reconstrução coletiva do planeta se merecem continuar na Terra . Serão os anos finais do exílio planetário, com um número bem menor e composto por espíritos sem a revolta característica dos exilados da época de 2012 a 2036. Alguns escritores espíritas como Chico e Divaldo já apontam meados de 2050 como o início da era de regeneração, pois nessa época a maioria das cidades afetadas pelos eventos de 2036 estará reconstruída e nessa época a maioria dos habitantes não será de futuros exilados.

31 de dezembro de 2072: Fim do exílio planetário, data do início da era de regeneração, um raríssimo alinhamento de Marte, Mercúrio, Sol, Terra e Júpiter, sendo que a Terra estará entre Júpiter e o Sol, tendo Marte e Mercúrio “escondidos” atrás do Sol. 


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036