23 de jan de 2016

Nono Planeta - A Lenda de Nibiru - Profecias e Transição Planetária - A Origem dos Dragões


Nibiru orbita, lenda nibiru

Essa semana foi noticiada a grande possibilidade (ainda não confirmada, mas muito provável) que exista mais um planeta no Sistema Solar, ou seja, orbitando o nosso Sol. Vamos descobrir o que essa descoberta tem haver com a lenda de Nibiru, as profecias e a transição planetária.

A primeira reação dos entusiastas das teorias sobre Nibiru de Zecharia Sitchin foi de euforia, mas, infelizmente pra eles, a descoberta (caso confirmada) vem ratificar o que a ciência já diz há tempos: não existe nenhum astro com as características descritas pelos entusiastas da teoria nibiruana (leia-se todos os espiritualistas que embarcaram nessa canoa furada): de que um astro massivo adentraria a cada 3600 anos o sistema solar nas proximidades de Marte e Júpiter causando graves perturbações na Terra (vide a imagem deste post que mostra a trajetória do astro que não existe) .

Vamos então aos fatos ligados a descoberta feita essa semana: um possível astro orbitaria o Sol, com uma órbita de 10 mil a 20 mil anos e em seu ponto máximo de aproximação com o Sol estaria a 200 unidades astronômicas distante do Sol (5 vezes a distância de Plutão ao Sol) tendo uma massa de 10 vezes a Terra.

Ou seja, esse planeta (caso realmente exista) está orbitando o nosso Sol (portanto pertence ao nosso sistema solar), mas tem uma órbita tão distante dos demais planetas conhecidos do nosso sistema solar (incluindo aí Netuno e o planeta-anão Plutão) que mesmo no seu ponto de maior aproximação do Sol ele ainda vai estar muito longe de Netuno e Plutão e mesmo no ponto mais próximo do Sol (o que pode acontecer daqui a mil ou 10 mil anos) ele não possui massa suficiente para influenciar a Terra devido à distância que vai passar, pelas leis mais elementares da Física (leia-se lei da gravitação universal).

A possível descoberta deste nono planeta, inclusive, ratifica o que já foi dito aqui no blog e na fanpage sobre o tema:

"Antes de falar em Nibiru é importante falar sobre a possibilidade, muito provável por sinal, de que exista alguma estrela (anã marrom ou branca) ou algum planeta com a massa equivalente a de Júpiter além da nuvem de oort e que seria o responsável pelos limites bem definidos do cinturão de kuiper assim como pela excêntrica órbita de Sedna"


"Sobra a possibilidade da existência de um planeta massivo agindo sobre o cinturão e a órbita de Sedna, mas mesmo assim muito distante e sem qualquer indicativo, pelo comportamento do cinturão e de Sedna, que esteja vindo na direção do Sistema solar." (publicado em 7/2/14)


Portanto não existe qualquer astro super massivo, com órbita elíptica, que adentraria em 2012, 2013, 2016, 2018, 2019 ou qualquer outra data o sistema solar, passando perto de Marte e afetando a Terra, isso (a teoria de Nibiru) é uma teoria furada sem base astronômica alguma que infelizmente vem sendo apoiada por alguns espiritualistas.



Aliás, vale ressaltar, que nunca existiu 12º planeta algum nos estudos da cultura suméria, hoje em dia já se sabe que o astro que eles definiram como "Neberu" ou "Nibiru" nada mais era do que o planeta Júpiter como é possível observar no trabalho do phd em línguas semíticas Michael Heiser e vastamente explicado de forma bem didática no vídeo do link acima (post do blog de 7 de fevereiro de 2014), trabalho esse que inclusive é ratificado pela maioria dos estudiosos em línguas semíticas que apontaram os erros de tradução feitos por Sitchin no estudo das tábuas sumérias que supostamente embasavam as suas teorias sobre um astro extra solar apocalíptico chamado Nibiru.

Nibiru é uma lenda, no mesmo patamar da lenda sobre o início de uma nova era em 2012, lendas que ano após ano estão ficando cada vez mais claras ao grande público que se interessa pelo tema profético. Soltar uma “data apocalíptica” é fácil, qualquer um pode falar em 2012, 2018, 2019, 2036 e por aí vai, o que infelizmente não acontece é alguém soltar uma data dessas e mostrar aonde no Apocalipse, no Sermão Profético e no livro de Daniel (citado por Jesus no Sermão Profético) está a base para tal data, afinal se o cidadão professa Jesus como o Mestre, como ele vai apontar uma data para o auge dos eventos que não esteja respaldada nas profecias que o Mestre trouxe, as interpretando em conjunto (Sermão Profético, trecho de Daniel citado por Jesus no Sermão e Apocalipse)?

Muitos embarcaram na canoa furada do "apocalipse 2012" porque não estudaram profecias, falando em Apocalipse, nova era. Se estudassem profecias não teriam embarcado nessa furada


E PORQUE NÃO PODE EXISTIR UM ASTRO COM AS CARACTERÍSTICAS DEFINIDAS POR ZECHARIA SITCHIN?

Se conhecessem as leis básicas da Astronomia (ou seja, seguissem o conselho de Kardec de pautar o estudo de toda a comunicação mediúnica junto ao conhecimento científico) saberiam que é impossível a existência de tal astro preconizado por Sitchin, pois se no passado (anos 50, 60) não existiam aparelhos para detectar astros de determinado tamanho e que seriam invisíveis para instrumentos mais rudimentares, enquanto que nos últimos 10 anos os potentes aparelhos já permitem descartar uma série de situações e não permitem descartar outras.

Por exemplo: ainda não temos aparelhos para detectar todos os objetos com menos de 50 metros de tamanho que possam entrar em colisão com a Terra, mas com os aparelhos que possuímos atualmente todo corpo acima de 200 metros e que esteja nas imediações de Marte em rota de colisão com a Terra já pode ser detectado. 

O mesmo ocorre na detecção de astros massivos ou estrelas, qualquer objeto que já estivesse dentro do sistema solar em rota de colisão com a Terra ou simplesmente adentrando o sistema solar para cruzar, por exemplo, a orbita de Marte (como está na teoria de Sitchin), seria identificado, em alguns casos até mesmo por astrônomos com equipamento amador e já seria identificado nas imediações do sistema solar quando estivesse adentrando o sistema antes de chegar a órbita de Plutão, ou seja, levaria no mínimo 40 anos para entrar no sistema e cruzar a orbita de Marte (o que mostra o quão furada é a tese de que abruptamente um astro gigante entraria no sistema solar sem que ninguém o visse e em poucos meses chegaria a órbita de Marte). 

São argumentos simples que mostram porque é impossível que exista o tal astro com as características criadas por Sitchin, que volto a lembrar, nunca existiu na cultura suméria, visto que o astro estudado pelos sumérios como “Neberu” é o planeta Júpiter (vídeo no link acima)


Ou seja, se algum espírito disser a um médium “um astro vai invadir o sistema solar e com sua órbita passará próximo de Marte em 2018” a mensagem tem que ser descartada de pronto, pois fere leis básicas, elementares da Física e da Astronomia, diferente, por exemplo, de algum espírito que disser: “o astro é uma gigantesca nave do tamanho da Lua que vai se materializar” ou “um astro vai se materializar com o tamanho da Lua, próximo da Terra , causando grandes convulsões” pois por mais surreal ou improvável que a mensagem possa parecer, ela ainda assim é possível, pois a materialização é um fenômeno comprovado, estudado, seria uma mensagem que poderia ficar em “banho maria” até que fosse comprovada ou descartada, mas não seria descartada de pronto pois não fere leis e elementos básicos da ciência.


E SE EU QUISER ESTIPULAR UMA DATA/PERÍODO PARA O AUGE DA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA?

Portanto quem desejar estudar sobre Apocalipse ou Transição Planetária tentando compreender ou estipular uma data ou período aproximado que o auge desses eventos vai acontecer, que observe essas duas questões elementares:

Primeira delas: estude as profecias trazidas por Jesus, está lá no Sermão Profético, capítulo 9 de Daniel citado por Jesus e também no Apocalipse.

Segunda questão: observe se o resultado comparativo deste estudo, para determinada data ou período fere algum postulado elementar da Física ou da Astronomia. É um dos princípios básicos que Kardec trouxe para uma adequada comunicação mediúnica. 

Observando essas duas questões eu garanto a você, estudioso ou interessado no tema, que vai ser muito difícil embarcar em canoas furadas do tipo “nova era em 2012” ou “apocalipse nibiruano”, pois todas as profecias apontam para uma única data para o auge dos eventos da Transição, 2036, para que então pelos idos de 2057 a Terra possa adentrar em um mundo de Regeneração, como explicou Emanuel pela mediunidade do Chico Xavier no livro “Plantão de Respostas Pinga Fogo 2” respondendo a perguntas enviadas ao programa Pinga Fogo.

Auge da transição, 2036, Nova Era em 2057, quem tiver outra data ou crer em outra data, creia, mas se quiser discordar dessas duas datas, seja porque crê em 2018, 2019, 2025, 2050, traga sólidos estudos sobre as profecias trazidas por Jesus e argumentos que não contradigam as leis básicas da Astronomia, como ensinou Kardec, senão é apenas chutômetro ou crença pessoal/anímica do médium


SERIA O NOVO PLANETA O ASTRO INTRUSO INDICADO POR RAMATÍS?

O novo planeta que foi descoberto é o astro preconizado por Ramatís na obra "Mensagens do Astral"? A resposta é não, qualquer estudioso da obra de Ramatis sabe que o planeta recém descoberto não cumpre as indicações do nobre espírito trazidas na referida obra:

Ramatis fala no livro que o astro não pertence ao sistema solar, o novo planeta descoberto orbita o Sol. No livro é dito que o astro possui 6.666 anos de órbita, os descobridores do novo planeta estimam pelo menos 10 mil anos de órbita podendo chegar a 20 mil anos, ou seja, é muito mais do que a órbita descrita no livro Mensagens do Astral.

Ramatis informa que a massa do astro intruso é equivalente a massa da crosta terrestre, ou seja, 1% da massa total da Terra, enquanto que o novo planeta descoberto pelos astrônomos tem 10 vezes (pelo menos) a massa da Terra. Portanto quem estuda Ramatis ou ao menos estudou como eu estudei Mensagens do Astral não saia por aí dizendo que o planeta que foi descoberto poderia ser o astro intruso indicado por Ramatís, que alias deixou bem claro que o grande volume ou massa é astral, áurico, sendo a massa física (eu diria materializada, como expliquei no livro A Bíblia no 3º Milênio) equivalente ao tamanho da Lua (que possui 1,2% da massa da Terra igualmente sólida).


O NOVO PLANETA VERSUS O “NIBIRU” DESCRITO POR ZECHARIA SITCHIN

E o novo planeta seria o "Nibiru" descrito por Zecharia Sitchin? A resposta também é não. Sitchin descreve um astro com órbita de 3.600 anos quase 3 vezes menos, pelo menos, que a órbita do novo planeta. Outro ponto é que Sitchin aponta um astro que adentraria o sistema solar atravessando o espaço entre a órbita de Marte e Júpiter (alguns médiuns e sensitivos inclusive afirmaram categoricamente que isso aconteceria em 2012, trazendo o auge do Apocalipse sei... esqueceram de estudar as profecias trazidas por Jesus há dois mil anos) sendo que o novo planeta está muito além da órbita de Plutão e sequer "corta" o interior dos planetas mais próximo do Sol do que Plutão.

O novo planeta apesar de orbitar o Sol passa em seu ponto mais próximo do Sol cinco vezes a distância  de Plutão ao Sol, ou seja, ele não causa perturbação geológica alguma na Terra, nenhuma, zero, nadica de nada.

Aliás, é sempre bom ressaltar que as teorias de Sitchin sobre Nibiru além de não possuírem qualquer base astronômica e ser impossível de existir, como expus nas linhas anteriores explicando que a tecnologia atual já descarta por completo a possibilidade de um astro com 3600 anos de órbita invadir o sistema solar entre Marte e Júpiter, assim como tais teorias já caíram por terra após as modernas traduções que vários phds em línguas semíticas fizeram das tábuas sumérias, atestando que o termo "neberu" trazido pelos sumérios descreve o planeta Júpiter e não um astro invasor de outro sistema solar. E a partir deste ponto chegamos a uma questão interessante sobre o exílio dos dragões:

SE O NIBIRU DE ZECHARIA SITCHIN NÃO EXISTE, COMO FICA A QUESTÃO DOS DRAGÕES?

A questão de Ceres e o exílio dos dragões eu já abordei em um texto bem antigo do blog, de 2012, e que não tem nada haver com "Nibiru" , alias é bom lembrar que os dragões, os ditadores do abismo brilhantemente expostos na trilogia Reino das Sombras pelo Robson Pinheiro não tem nada haver com magos negros capelinos exilados para a Terra a 40- 12 mil anos. Apesar de discordar frontalmente da tese do Robson sobre Nibiru e a obra do Zecharia Sitchin mostrada nas suas obras mais recentes (sim, existem discordâncias entre os conteúdos trazidos por diversos médiuns, basta ver que na Codificação é dito que Marte seria mais atrasado que a Terra, enquanto que Ramatis e Chico Xavier explicaram exatamente o contrário, que se trata de civilização mais evoluída), apesar de discordar nesses pontos mais recentes da visão mostrada pelo Róbson eu concordo totalmente com a definição que ele traz sobre os dragões e seu papel na estrutura de poder nas trevas, não sendo eles nem magos negros exilados de Capela e muito menos meros obsessores que seriam "postos na coleira" por magos negros. 

Que fique bem claro que existe sim muita divergência nos relatos da literatura espírita e espiritualista sobre a origem dessa estrutura de poder das trevas que existe atualmente na Terra, mas que está em vias de ser defenestrada em 2036.


É também bom lembrar que não apenas os antigos estudiosos do passado (antigos astrólogos e cabalistas) não apenas descartavam a existência de um astro extra solar invasor como também deixaram claramente identificado que conheciam há séculos a existência de Plutão (que teoricamente teria sido descoberto a pouco menos de 90 anos), marcando esse conhecimento no estudo das kameas e da Arvore das Vidas, mas isso é assunto para a segunda parte do especial sobre a Astrologia (próximo post do blog) e que vai explicar porque Plutão, a sefira Daat na Árvore das Vidas é não apenas a representação do abismo como o primeiro dos planetas do sistema solar com órbita além de Netuno que inicia a inclinação no plano da eclíptica (e por isso também define o “abismo” a nível espacial no sistema solar!!!)

Para completar o assunto sobre o tema profético já que a lenda sobre Nibiru foi totalmente defenestrada, deixo alguns textos que talvez possam ajudar quem desejar começar a estudar as profecias e a transição planetária:

O exílio dos dragões - Ceres e Lua Europa (texto de 2012):

Elenin 1 e Elenin 2, cometas e o chutômetro na busca por "Nibiru" (comentários do post a seguir explicando porque nenhum desses pequenos astros seria "Nibiru"):

Era de Aquário em 2012, Sistema Solar orbitando Alcyone e outras lendas desmascaradas:

Porque não existe profecia para 2019:

2057 - A data que Chico trouxe para a Era de Regeneração: 

Kardec confirmou na Gênese que a Nova Era viria através de intensos cataclismos por METEOROS:

Espero sinceramente que este texto sirva para desmistificar alguns temas como nova era ou era de aquário a partir de 2012, a lenda de Nibiru e sobretudo apontar as questões mais relevantes sobre o estudo das profecias dentro da Transição Planetária, afinal se não fosse importante o estudo das profecias, Jesus não teria prometido aos apóstolos que retornaria enquanto o discípulo João Evangelista estivesse vivo (ver os versículos finais do Evangelho de João) e muito menos teria retornado trazendo à João todo o relato do Apocalipse, complementando o que disse no Sermão Profético. 

Que o estudo das profecias, sobretudo das profecias de Jesus citadas acima, possa ser difundido e receber a importância devida, a mesma que o Messias concedeu durante a sua missão evangelizadora.   

.


 Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


16 de jan de 2016

Especial Astrologia (Parte I de III) - A Questão dos "13 Signos"

Serpentário 13 signo



A Astrologia possui agora 13 signos? Seria a constelação do Serpentário ou Ofiuco o 13º signo? Será??? Vamos colocar um fim a celeuma que vem desde 2011 e foi criada dentro da Astronomia por alguns astrônomos americanos que, ao que parece, não entendem muito de Astrologia (bons tempos em um passado remoto que astrólogos e astrônomos compartilhavam conhecimento, mas enfim...). Eis a matéria sobre o “novo signo”:


Essa historia da constelação do Serpentário como “13º signo” é antiga, volta e meia algum astrônomo tenta reavivá-la. 

A questão é que a Astrologia estuda 12 áreas fixas do céu, cada uma com 30 graus, relativamente próximas as constelações que nomeiam os signos nessas áreas e é isso que o pessoal que não estuda Astrologia não entende, pois obviamente se fossemos depender de associar os arquétipos dos signos apenas ao movimento referido pelos astrônomos (Sol pelas constelações), teríamos que desconsiderar, por exemplo, o papel relevante que Plutão tem na Astrologia e na Cabala (representado como Daat) por não ser mais considerado pelos astrônomos como um planeta ou ainda desconsiderar o significado histórico da estrela Regulus (alpha Draconis) que na época de Jesus estava no signo de Leão (e por isso sempre foi associada aos reis, pois quando a Astrologia começou a ser estudada essa estrela estava na constelação de Leão) sendo que atualmente esta estrela encontra-se no signo de Virgem (apesar de permanecer na constelação de Leão).

Constelações abobada celeste

Quem já utilizou o programa Stelarium observou que existe um módulo que mostra os símbolos de cada constelação ( por exemplo, uma mulher segurando uma espiga de trigo para a constelação de Virgem, um caranguejo para a constelação de Câncer e por aí em diante) na forma de um globo imaginário que envolve toda a Terra, como se a Terra fosse o centro do Sistema Solar. Esse globo imaginário é chamado de abóbada celeste

Temos 88 constelações, sendo que o Sol no seu movimento aparente (como é visto por quem está na Terra observando o céu) de 365 dias em relação a Terra (a translação da Terra ao redor do Sol, mas lembre-se a Astrologia estuda a posição dos astros em relação a Terra) cruza significativamente por 12 dessas constelações, formando aquilo que se conhece como círculo zodiacal, pois os planetas orbitam o Sol na faixa da eclíptica (um plano onde praticamente todos os astros ficam alinhados no horizonte com o Sol, com uma diferença de variação de 8 graus) como é possível observar na imagem abaixo. 

Circulo zodiacal pela ecliptica


O que os astrólogos fizeram desde a Antiguidade foi, primeiramente, nomear essas constelações as associando com homens, heróis, mulheres e, sobretudo animais, associação que vale lembrar permanece até os dias de hoje e continua sendo utilizada pelos astrônomos, lembrando em parte uma época em que astrônomos e astrólogos eram praticamente uma única ciência.

Ao perceberem esse movimento aparente do Sol de forma constante no céu (devido ao plano da eclíptica e ao movimento de translação, alinhado ao globo de 360 graus com as constelações envolta da Terra) perceberam exatamente que o Sol passava por 12 constelações e a partir daí dividiram o céu em 12 áreas fixas, com 30 graus cada, formando os 360 graus do círculo ou disco, o que dá origem ao estudo do mapa natal, pois a palavra Zodíaco significa exatamente isso: círculo de animais. Um bom programa para se ter uma idéia clara e tridimensional sobre a eclíptica é o Solar System Scope:


E aqui começa o ponto que os astrônomos não entendem: a Astrologia denominou essas 12 áreas fixas como signos, ou seja, os signos não são as constelações, os signos são as representações, nas 12 áreas fixas de 30º, dessas 12 constelações.

Sendo assim, temos 12 regiões fixas ou geométricas na abóbada celeste, cada uma delas representada por um signo, sendo que os arquétipos milenares da Astrologia estão baseados no movimento do Sol e dos astros dentro dessas áreas fixas, nomeadas e inspiradas nos seus arquétipos relativos às doze constelações. 

Por essa razão que os astrônomos não entendem que alguém seja do signo de Câncer por ter nascido em 25 de junho se o Sol estava passando nessa época pela constelação de Gemini (Gêmeos), ou ainda porque alguém nascido em 21 de setembro seja do signo de Virgem enquanto o Sol passava pela constelação de Virgem, isso porque os signos (repetindo) dizem respeito a 12 áreas fixas de 30 graus no céu, o zodíaco (circulo zodiacal) e não necessariamente a pessoa terá um signo igual a passagem do Sol pela constelação que deu origem ao arquétipo daquele signo (embora isso possa acontecer, sobretudo se a pessoa nascer sob o signo de Virgem).

Se a Astrologia estudasse os arquétipos e significados da passagem do Sol e demais astros pelas constelações no plano da eclíptica, aí sim teríamos que adotar a tabela fornecida pelos astrônomos

Tabela Sol pelas constelações


Mas como a Astrologia estuda os arquétipos e significados da passagem do Sol e demais astros pelas 12 áreas fixas do céu, a tabela utilizada é essa aqui:


Tabela signos meses do ano

Por isso que alguém nascido entre 20-21 de junho poderá ser do signo de Gêmeos ou Câncer, não porque o Sol esteja passando pela constelação de Gêmeos ou de Câncer, mas porque é verificado se naquele dia, em determinada hora e local o Sol estava dentro da zona de 30 graus no céu (eclíptica) correspondente ao signo de Gêmeos ou dentro da zona correspondente a Câncer.

Por esses motivos é que não existe signo do Serpentário ou signo de Ofiuco. Para os astrônomos existem 13 constelações que estão dentro do círculo zodiacal (a área da ecliptica pela qual o Sol percorre a abóbada celeste ao longo de um ano), já para os astrólogos a constelação do Serpentário está profundamente associada, dentro da mitologia, a Escorpião e exatamente por essa razão não dividiram o céu em 13 áreas fixas, mas sim 12 áreas fixas, representando o signo de Escorpião com os arquétipos e mitos que envolvem a constelação de Escorpião e do Serpentário. 

Há também um outro motivo, curiosamente com base na astronomia, para que os astrólogos utilizem a divisão em 12 signos e 12 áreas fixas do céu desde tempos remotos na Antiguidade, mas isso é tema para o próximo texto, que vai explicar a ligação da Astrologia com a Cabala e mostrar como os cabalistas de um passado remoto já sabiam da existência de Plutão séculos antes que ele fosse descoberto (ou redescoberto) pela Astronomia moderna.

O que podemos então concluir sobre o assunto?

Primeiro: existe o movimento solar (ao longo do plano da eclíptica) por 13 constelações (e não signos).

Segundo: com base nesse movimento é que os astrólogos da Antiguidade (que eram também astrônomos) criaram não apenas as 12 áreas fixas do céu associadas à 12 dessas constelações como também criaram toda a mitologia e os arquétipos para representar cada uma dessas constelações com a aparência de homens, heróis e animais.

Terceiro: Mesmo que esses arquétipos não sejam estudados nos dias de hoje na Astronomia, a representação mitológica das constelações permanece, ou seja, as estrelas que formam a constelação de Leão continuam sendo representadas como um Leão.

Quarto: as constelações não são signos, os signos são representações com base nas constelações e com base no movimento do Sol por essas constelações, inclusive na criação dos arquétipos. Isso inclusive está explicado ao final do livro “Armagedoom 2036” explicando porque a constelação de Virgem recebeu essa simbologia (de uma mulher segurando uma espiga de trigo).

Houve um tempo que astrólogos e astrônomos estudavam juntos, tempo no qual os astrólogos sabiam da necessidade de conhecer os conhecimentos astronômicos para que pudessem desenvolver os arquétipos de Astrologia e os astrônomos sabiam da necessidade de conhecer os conhecimentos astrológicos para que entendessem como a posição dos astros no céu poderia identificar de forma tão exata características do comportamento humano.

Duas ciências que trabalhavam juntas e que muito colaboraram com outra fonte de estudos iniciáticos, a Cabala. Todos esses estudos, que veremos no próximo post, explicam porque a Astrologia decidiu dividir o céu em 12 áreas fixas (os 12 signos) e porque cada esfera da Arvore das Vidas da Cabala está intimamente ligada ao movimento dos astros no céu, um tempo que Astronomia e Astrologia eram ciências irmãs...

O livro Armagedoom 2036 está em promoção até amanhã (17 de janeiro) no Clube dos Autores, para acessar o site clique no banner abaixo:  

 .


Parte II: AQUI 

  
Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/   


11 de jan de 2016

Parravicini: Uma Previsão para as Olimpíadas do Rio de Janeiro?


Profecia Parravicini Olimpíadas, previsão RJ


Teria Parravicini feito uma profecia para as Olimpíadas do Rio de Janeiro? Vamos analisar...

A profecia diz o seguinte: "Fogo, fome, pestes, morte, badala o sino da justiça que se aproxima do mundo, mas ninguém no mundo escuta nem vê. Vem das entranhas do dragão que parecia adormecido. Vem o terror do urso que fingiu amor e irmandade. Vem o democrata humilde, que ele nunca foi e vem com a pobreza, o (povo) sem albergue e com eles as explosões da desintegração. Vem a escuridão e logo a luz do Sul. E a Cruz."

A imagem mostra claramente uma referência aos jogos olímpicos, pois mostra um sino (a cerimônia de abertura tem um sino que é tocado) e apresenta a imagem de uma pessoa que segura em uma das mãos uma foice e na outra uma tocha (olímpica).

O sino parece conter as iniciais "R" e "J" o que colocaria a profecia em um marco temporal muito bem definido: os jogos no Rio de Janeiro.

Agora vem a parte interessante da interpretação: algo importante está para acontecer, mas ninguém no mundo escuta ou vê, isso significa que é algo imprevisível ou que se julgava improvável de acontecer. Vamos então analisar as possíveis chaves da profecia:

"Vem das entranhas do dragão que parecia adormecido" - Parece identificar claramente a Coréia do Norte, que fica na fronteira mais a Oriente da China (classicamente representada como um dragão)

"Vem o terror do urso que fingiu amor e irmandade." - Classicamente as profecias associam o urso a Rússia, mas no sentido do que está escrito nesta profecia não faz muito sentido supor que esse "urso" seja a Rússia, até porque temos que convir que o Putin nunca fingiu amor e irmandade. Teríamos uma associação ou com os EUA (devido a presença do urso pardo nessa região do planeta) ou a China (conhecida pelos ursos panda). Entre esses dois "ursos" sabemos que em termos de temperamento o urso panda parece estar muito mais adequado aquele que finge amor e irmandade e que teoricamente seria incapaz de um ataque. Creio, portanto, que esse urso seja uma referência a China, o país que há anos fornece a tecnologia que a Coréia do Norte utiliza.

"Vem o democrata humilde, que ele nunca foi" - Parece claro que Parravicini está falando de Obama. A presença militar americana na Coréia do Sul está maior nos últimos dias em virtude do teste atômico realizado pelos norte coreanos. Isso explica a parte final da profecia:

"e vem com a pobreza, o (povo) sem albergue e com eles as explosões da desintegração." -  Ao que tudo indica, Parravicini está confirmando que realmente está falando da Coréia do Norte, que parecia adormecida nas entranhas do dragão, mas que vem para a guerra, reconhecidamente um país miserável (pobreza, povos sem moradia) e que vem trazer as explosões atômicas (explosões da desintegração)

Parravicini parece descrever que na época dos jogos a presença americana na Coréia do Sul será maior e os conflitos podem chegar as vias de fato, com a Coréia do Norte utilizando um artefato nuclear sobre a Coréia do Sul, tecnologia fornecida pela China (o urso) o que explica o trecho que finaliza a profecia:   

"Vem a escuridão e logo a luz do Sul. E a Cruz" - Uma explosão forma um clarão, o que pode representar uma detonação a noite (escuridão) sendo sucedida pelo clarão da explosão no território do Sul, ou seja, a Coréia do Sul. A cruz nesse caso simbolizaria a morte em alusão ao personagem com a foice.

O próprio personagem em si é a personificação da Coréia do Norte, pois a serpente no seu interior simboliza exatamente que a fonte oculta da sua tecnologia é exatamente a China (serpente, dragão), é ele que vai trazer a morte (foice) através do fogo (a tocha faz uma alusão aos jogos mas também representa a luz e calor liberados pela energia atômica) e por fim o detalhe mais importante: o personagem tem um cabelo característico e um rosto redondo, muito semelhante a face do ditador norte coreano.

Profecias Parravicini Olimpíadas

E ao aumentarmos o tamanho da imagem do sino vemos claramente um "J" e uma outra letra, que pelo formato só pode ser uma das seguintes letras; "R" ou "K", o que significa que temos as iniciais tanto de "RJ" (Rio de Janeiro) como "KJ" (Kin Jong), as iniciais do ditador norte coreano.

Profecias Parravicini Olimpíadas



Creio que seja essa uma  interpretação possível para a  quadra, saberemos em breve se nos próximos meses o conflito na região prosseguir numa crescente ou enfraquecer.

Aguardemos o que as Olimpíadas no Rio de Janeiro reservam.... 

Clique no banner abaixo para adquirir os livros no Clube dos Autores em promoção até 17 de janeiro:


"Armagedoom 2036" lançamento por 39,70 até 17 de janeiro. Acesse a página clicando no banner: 



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:

4 de jan de 2016

Previsões 2016 (Parte II) - Astrologia e a Análise para as Olimpíadas, Manifestação de Março e o Resto do Mundo

2016 ano solar, grande ciclo do sol 36 anos


A primeira parte deste estudo com as previsões pra 2016 está aqui:


Vamos começar pela presidente (e não presidenta) do Brasil. O que foi previsto pra ela nas previsões de 2015 aconteceu exatamente:

"A coisa vai estar feia no mapa dela exatamente no dia 12 de março de 2015. Nesse dia teremos no céu Marte exaltado e Urano em Áries, ambos em conjunção, em forte quadratura com Plutão, além de uma outra quadratura envolvendo Saturno e Netuno. São aspectos muito tensos envolvendo todos os planetas "sociais" ou "transpessoais"."

A partir desses aspectos muito negativos, logo no domingo seguinte (dia 15) ocorreu a maior manifestação contra o governo de 2015 e a maior desde as Diretas.

"Mercúrio e Júpiter natais (em conjunção) em uma quadratura com Netuno que vai durar muitos meses, dificultando enormemente sua capacidade de dialogo (Mercúrio) e aprendizado com os problemas (Mercúrio e Júpiter). Essa posição envolvendo Netuno estará muito forte e tensa, pela quadratura, até final de 2017 começo de 2018."

A insistência na política desenvolvimentista e no confronto direto contra adversários e até mesmo aliados políticos demonstrou incapacidade de aprender com os problemas. Quanto ao diálogo foi um ano antológico por conta de vários discursos sofríveis que se tornaram memes da internet e ao mesmo tempo vimos algo inédito: um presidente evitando os pronunciamentos na TV (diálogo com a população) em virtude dos panelaços. A influência astrológica permanece por mais dois anos, ou seja, a manutenção da incapacidade de criar diálogo e de mudar de postura em relação aos problemas, o que significa "dobrar a aposta" nas "soluções" que deram errado até o presente momento desde a posse do segundo mandato.   

O ANO DE 2016 NA ASTROLOGIA – A “ORDEM” DOS ASTROS É MUITO CLARA: QUESTIONAR E CONSPIRAR

previsoes astrologicas ano de 2016


O Universo é uma grande e perfeita engrenagem, sendo assim todas as formas consagradas de leituras sobre os arquétipos (Tarô, Orixás, Astrologia), baseadas na sua maioria no estudo da Astrologia e seus ciclos só poderiam falar a mesma coisa.

Em virtude de nós termos um ano regido unicamente pelo Sol (Oxalá na Umbanda) deixando tudo mais claro, visível, perceptível, obviamente que isso vai aumentar o poder crítico e questionador das pessoas, afinal elas estarão enxergando tudo aquilo que está sendo feito certo e também aquilo que está errado muito mais claramente. E qual o signo conhecido como o mais questionador, perfeccionista, crítico, o “cri cri” do Zodíaco? A resposta é Virgem, que representa o lado mais meticuloso, racional, detalhista de uma pessoa e se manifesta dentro de cada um de nós, segundo a casa e os planetas que o signo receber no mapa, ainda que por muitos seja visto de forma pejorativa como “o chato” do Zodíaco.

No dia 1º de janeiro de 2016, à zero hora de Brasília, Virgem está ascendendo no céu, com Júpiter e Lua em conjunção neste signo (guardem bem essa conjunção) e muito próximos do Ascendente, indicando que essa será a energia mais forte do ano, até porque o regente de Virgem (que é Mercúrio) faz o aspecto mais favorável do início do ano, um forte trígono com a Lua, indicando que as pessoas não apenas enxergarão as coisas mais claramente, não apenas questionarão e racionalizarão sobre as questões como também as mais diversas formas de comunicação (Mercúrio na casa 05) a nível coletivo estarão favorecidas, pois a energia da casa 01 sempre quer se mostrar para o outro, projetar a própria imagem sobre os outros, enquanto que a casa 05 fala do palco da vida, daquilo que é criativo, visto pelas pessoas, um indicativo que teremos mais manifestações nas ruas e engajamento da população nas questões de ordem política.

O sentimento (Lua) de questionar (Virgem) estará expandido (Júpiter) e terá abertura coletiva pra se manifestar (trígono da Lua com Mercúrio).

Ao mesmo tempo, no mapa do ano novo do Brasil em 2016, temos 9 dos 10 astros do Zodíaco ao sul, apenas o explosivo e elétrico Urano em Áries aparece ao norte, o que significa que as pessoas públicas e ligadas ao poder perceberão logo que, por alguma “estranha força” (leia-se ano regido pelo Sol) as populações do mundo estarão com os sentidos mais aguçados, pegando mais facilmente as coisas no ar e ao mesmo tempo, especificamente no Brasil, o sentido de questionamento e de racionalizar sobre as situações estará mais intenso, o que causará um movimento de intensificação nos bastidores da política e das conspirações, pois 90% dos astros nesse mapa estão “escondidos” abaixo da linha do horizonte.

Mas ao que parece esse mapa não vai dar refresco para os políticos e pessoas de poder aqui no Brasil. Primeiramente o Sol e Plutão estão na casa da família (casa 4) mostrando que em muitos lares os antigos problemas virão a tona (Plutão) tendo por objetivo trazer a resolução, a solução, o domínio sobre o problema (Sol é a representação da autoridade, o que busca a solução prática), algo que tende a ser desencadeado em boa parte pela quadratura Marte- Mercúrio, sendo que Marte na casa 02 (capacidade de ganhar dinheiro e independência) mostra claramente que a crise econômica no país será o grande detonador para a maioria das comunicações (Mercúrio) ao longo do ano.Um sentimento muito forte, pois o posicionamento Lua-Júpiter em conjunção no signo de Virgem reaparece na abertura dos jogos Olímpicos, o que definitivamente não é uma coincidência.  

O Sol está em quadratura com Urano na casa 07, ou seja, o elétrico Urano vai trazer a tona como um raio na casa das associações públicas e pessoais (casa 07) os problemas de cada família (Sol na casa 04), um movimento muito forte que está ligado à dinâmica da insatisfação com a economia (quadratura Marte na casa 02 com Mercúrio). Esses são os dois aspectos mais tensos do mapa e aqueles que motivarão à ação.

OLIMPÍADAS

Os jogos começam dia 3 de agosto com o futebol, mas a cerimônia de abertura acontecerá dia 5 de agosto às 18 horas. Eis o mapa:

previsoes 2016, previsões olimpíadas


Curiosamente Júpiter e Lua estarão novamente juntos em uma conjunção em Virgem, só que dessa vez não estarão mais em proximidade ao Ascendente, mas sim na casa 08 que representa o arquétipo de Escorpião: a morte (simbólica ou literal) para o renascimento, lidar com as forças mais profundas da natureza humana (espiritualidade e sexualidade) e, sobretudo buscar a transformação interior pela doação a algo maior do que si mesmo (individualidade), o que representa o casamento, o ato sexual, despir-se das máscaras e se mostrar verdadeiramente.

Podemos, então, ler da seguinte forma: o espírito questionador e crítico de Virgem estará ainda mais intenso, pois além da expansão (Júpiter) de tal sentimento(Lua) teremos algo ainda maior: esse sentimento canalizado para um profundo sentido de transformação (Escorpião) da nação. Plutão que naturalmente rege a casa 08 estará em conjunção exata com o ponto da fortuna na casa 11, o que significa profundo despertar coletivo (casa 11) sobre antigos problemas florescendo do inconsciente coletivo (Plutão) que precisam ser transformados, sendo que o signo regido por Plutão, que é Escorpião estará no topo do mapa no Meio Céu (início ou cúspide da casa 10).

Todos esses ingredientes já seriam o suficiente pra dizer que algo grande vai acontecer nessa época (além obviamente das Olimpíadas) e que terá um impacto coletivo no Brasil e também a nível mundial, desde uma tentativa de algum atentado ou até mesmo a queda da presidente ou a prisão/morte de alguma figura histórica do país que tenha forte influência do signo de Escorpião.

Tal entendimento está ressaltado na configuração explosiva (uma grande quadratura) que aparece envolvendo as casas 10, 1 e 7, sendo que Mercúrio em exaltação em Virgem (o signo que ele rege) e na casa das associações e publicidade (7) indica que todo esse “estado mental” da população representado na energia de Virgem ganhará grande voz e visibilidade para o mundo. A dinâmica tensa entra as casas 10 e 7 é muito clara, pois envolve Mercúrio na casa 07 em quadratura com Saturno na casa 10 e também Vênus na casa 07 e Marte na casa 10, ou seja, tensões envolvendo público(casa 07) e eventos sociais com visibilidade (casa 10).

Todos esses posicionamentos astrológicos, somados a influência do Sol como regente duplo do ano (tornando tudo mais claro e visível) e ainda a influência do arcano da Morte sobre o Brasil e o arcano O Louco (que mostra como o mundo enxergará o Brasil), sobretudo na época das Olimpíadas mostram que haverá um forte impulso por uma profunda transformação, mas algo que não deve ser suave, pois é uma energia bem semelhante a que existia na época da Copa que o Brasil tomou o 7 a 1.

Astrologicamente a única notícia boa é que a quadratura Urano-Plutão que tem influenciado em boa medida as manifestações sociais contra o estado das coisas estará mais branda na época das Olimpíadas devido ao movimento retrógrado dos dois astros que vai afastá-los, deixando a energia da quadratura bem fraca, diferentemente de março, quando os dois astros estarão em uma quadratura praticamente exata...

NOVA MANIFESTAÇÃO

previsoes 2016, previsoes manifestação março


Teremos dois posicionamentos muito tensos e fortes ao longo do ano. O primeiro deles e que atuou intensamente ao longo de 2015, sobretudo nas manifestações de março, é a quadratura envolvendo Urano e Plutão potencializada em razão dos astros estarem nos signos de Áries e Capricórnio, ou seja, disposição de sobra pra começar qualquer superação de obstáculo.

Do início do ano de 2016 até março, data marcada para mais um protesto contra o governo, a quadratura estará exata, com diferença de menos de 2 graus. A partir do final de abril/início de maio a quadratura estará mais fraca com 5 graus de diferença e nas Olimpíadas essa distância será de quase 9 graus. Sendo assim entre janeiro e março ela estará muito forte, em abril um pouco mais fraca e a partir de maio começará a se desfazer no céu, após eletrizar a política com a Lava Jato e mexer profundamente no inconsciente coletivo colocando fim ao sonho de que estávamos no caminho do desenvolvimento na última década. Plutão é assim, não apenas derruba a casa e as estruturas como todas as idéias falsas ou equivocadas ligadas a tal estrutura, realizando um renascimento completo, ainda mais quando envolve o duro Capricórnio e o destemido Áries.

Mas a “moleza” dura pouco, pois outro aspecto forte começa a surgir no horizonte enquanto a quadratura de Urano-Plutão se desfaz: a quadratura entre Saturno e Netuno que começa a ficar forte em maio, trazendo para a realidade dura dos fatos (Saturno) quem ainda poderia estar sonhando (Netuno em Peixes) que talvez a situação política não estivesse tão ruim, que talvez não fosse responsabilidade do governo a grave crise econômica, que talvez não existisse um esquema de corrupção institucionalizado para manter um partido “ad eternum” no poder. Saturno é o choque de realidade para mostrar claramente como está e estará a situação do país a partir de maio de 2016. Esse aspecto permanecerá forte até meados de outubro quando então começa a enfraquecer, “coincidentemente” quando sairemos no Brasil do arcano A Morte (setembro de 2016) e adentraremos o arcano da Temperança.

Pra complicar um pouco mais, nesse espaço de tempo que a quadratura Urano-Plutão enfraquece e a quadratura Saturno- Netuno se fortalece, teremos Marte fazendo uma conjunção com Saturno e depois com Plutão, acirrando ainda mais o espírito de luta por transformação. A conjunção Marte-Saturno acontecerá entre o meio e final de agosto, enquanto que a conjunção Marte-Plutão entre o meio e final de outubro. Nesse período teremos também Urano em oposição ao Sol e Plutão/Marte em quadratura com o Sol prenunciando que algum evento natural significativo ou algum evento bélico significativo possa ocorrer pode ocorrer nesse período (meio e final de outubro).

Voltando aos protestos de março: teremos Netuno em Peixes (o astro que se mantém até 2018 em posição desfavorável ao Júpiter e Mercúrio natal de presidente) que junto ao Sol no mesmo signo nesse mês de março, além de Mercúrio e Vênus também em Peixes, indica o fortalecimento de um sonho.

As 14h em SP, Câncer estará ascendendo ao céu potencializando ainda mais a participação direta das famílias (Câncer) no evento. A oposição Júpiter em Virgem em relação/oposição a Mercúrio expande (Júpiter) a comunicação (Mercúrio) motivando pela configuração da quadratura em T (que une essa oposição por duas quadraturas a Saturno) um sentimento de superar barreiras, superar uma situação constituída (no caso a população que busca derrubar o governo).

O ponto extra é que Saturno nesse dia além de receber essa configuração tensa ativando grande energia de movimento e luta por derrubada do que está em vigência, estará a 16 graus de Sagitário e assim permanecerá até abril, quando faz o movimento retrógrado e efetua uma conjunção com Marte e nesse período, entre meados de março e final de abril, Saturno estará em uma conjunção com o Sol natal da presidente, ao mesmo tempo em que os efeitos da oposição Júpiter-Mercúrio das manifestações se manterão com a oposição Júpiter e Netuno (que atingirá ainda mais o mapa natal da presidente entre março e abril), oposição que segue forte até final de junho, mantendo os efeitos da manifestação.

Isso significa que não apenas as manifestações ocorrerão em um momento muito favorável a contestação das estruturas estabelecidas como também acontecerão em um momento ainda mais difícil em relação ao mapa natal da presidente, sobretudo de março a meados de abril. É muito difícil que ela consiga sobreviver a esse primeiro semestre e não está descartado que o país tenha que passar por um processo eleitoral muito próximo (antes) ou durante os jogos Olímpicos, pois as posição no céu do primeiro semestre não indicam “meias medidas” do tipo “vamos tirar a presidente e colocar o vice”, mas sim a retirada de ambos, inclusive existindo o risco a médio prazo que o registro de ambas as legendas venha a ser cassado.

O processo de limpeza e transformação que está sendo organizado diretamente pelas esferas superiores do mundo espiritual sobre o Brasil (maiores detalhes no livro Armagedoom 2036) objetiva realmente transformar as estruturas do poder no país, mostrando que o esquema de corrupção institucionalizada não serão tolerada e que nenhum projeto criminoso de poder florescerá no “Lírio das Américas”.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Temos que ter em mente que a energia preponderante do ano e que influenciará os aspectos astrológicos que serão formados no decorrer dos 366 dias de 2016 é a combinação da regência do Sol (trazer tudo às claras, facilitar a percepção sobre as situações) com a regência do Eremita (busca pelo autoconhecimento através da razão, reflexão, o ápice de um processo interno de amadurecimento interior, influenciando a coletividade). Essa influência sobre o Brasil foi amplamente analisada até aqui, mas e no resto do mundo? Vejamos:

ESTADO ISLÂMICO

O grupo terrorista tem em junho de 2014 sua data de nascimento quando proclamou o estado islâmico, terá, portanto a partir de junho de 2016 um ano do arcano A Sacerdotisa, indicando intensificação do fanatismo religioso pela exacerbação emocional e será visto pelo mundo como A Força (carta 9 regendo o mundo somada a regência da carta 2 sobre o grupo), apontando que muito provavelmente teremos novamente ações significativas de terrorismo desse grupo, o que é mais um sinal de atenção para as equipes de segurança que cuidarão das Olimpíadas no Brasil.  

EUA

O ator principal no mundo durante o grande ciclo de 36 anos do Sol, os EUA, sentirá bastante o final desse ciclo e do ano que encerra com profundas reflexões, pois não apenas se encerram os 36 anos do ciclo solar como também os dois mandatos do presidente Obama. Em 4 de julho de 2016 os americanos entrarão em um ano dos Enamorados (arcano 6, soma de 2+4+0 anos da independência em 1776 até 2016) o que favorece a busca pelo equilíbrio e diminui o interesse por loucas aventuras (leia-se a eleição de Trump).

O símbolo solar máximo da nação americana é o posto de presidente, caso a candidata Hillary (democrata) consiga aliar a sua imagem à imagem solar do atual presidente que é do seu partido e do marido (ex presidente) ela tem grandes chances de vencer o pleito. Outro ponto a se levar em conta é que em um ano solar tudo fica mais claro, inclusive as reais intenções do candidato republicano, fatores que devem sepultar em definitivo qualquer chance da sua eleição como presidente.

Por fim, Hillary trabalhou muito tempo no atual governo junto aos militares (símbolo do próximo ciclo de Saturno) como secretária de estado, o que praticamente define que ela será a próxima presidente dos EUA, ainda que não seja uma luta fácil, pois o mundo verá os EUA durante a eleição através do arcano O Diabo (carta 9 regendo o mundo + a carta 6 regendo os EUA), ambos os candidatos devem travar uma luta feroz e agressiva, sendo inclusive possível que um dos candidatos venha sofrer um atentado ou ameaça real de atentado ao longo de 2016.

FRANÇA

A França entrará em julho de 2016 no arcano A Força (227 anos desde a revolução de 1789, totalizando a soma de 227 em 11, o arcano a força), apontando que tende a continuar valorizando os valores de liberdade e democracia diante do problema com o estado islâmico. O mundo por sua vez enxergará a França com o arcano O Sol, entre janeiro e julho de 2016, Julgamento entre julho e fim do ano e O Mundo entre janeiro e julho de 2017, apontando que o país deve se recuperar dos atentados, fortalecendo sua democracia e os valores ligados a liberdade através de um amadurecimento espiritual. É possível, inclusive, que até julho de 2017 o país receba a visita do pontífice católico e deixe de fortalecer as idéias de extrema direita do clã Le Pen.

RÚSSIA

Em 25 de dezembro de 2015 o gigante da Eurasia entrou no arcano Os Enamorados, simbolizando que o processo de reaproximação com a Europa continuará intenso, ao mesmo tempo em que tende a continuar participando ativamente na guerra contra o estado islâmico. Vai continuar apoiando Assad e aqui podemos ter algum evento significativo envolvendo os EUA, pois tanto EUA e Rússia serão vistos pelo mundo com a carta O Diabo, o que pode significar algum evento diplomático mais severo, pois ambos tentarão mostrar força no cenário mundial, o que pode significar desde uma aliança para combater o estado islâmico a algum conflito em relação à manutenção de Assad na Síria.

EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS

Não recebi qualquer orientação adicional dos amigos espirituais pra 2016 e creio que por dois motivos: o primeiro deles é que os estudos apresentados nesses três posts (31 de dezembro no facebook, dia 2 no blog e agora esse no dia 4) já tenham traçado um panorama amplo e geral sobre o que podemos esperar para o novo ano.

O segundo motivo é que uma série de informações relevantes que recebi dos amigos espirituais depois de junho de 2015 e que estão no livro novo precisam ser lidas dentro do contexto do livro para serem plenamente compreendidas, inclusive sobre o confronto espiritual que está ocorrendo em Brasília e o plano das milícias umbralinas do astral para as Olimpíadas, ou seja, são informações que necessitam da compreensão dos demais conteúdos que estão no livro “Armagedoom 2036” e sendo assim a publicação desses trechos do livro aqui no blog, fora do contexto da obra, mais atrapalharia do que facilitaria a compreensão das informações.

Quem quiser adquirir o novo livro ou uma das duas obras anteriores, basta clicar nos banners abaixo. Quem quiser um pdf com trechos do novo livro ou das outras duas obras, basta pedir que eu envio pelo email: profecias2036@gmail.com


.



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: