11/03/2014

Apocalipse e Nostradamus - Os 3 Sinais da Grande Tribulação


O que uma lua de sangue, um eclipse solar e a constelação de Virgem tem em comum? É exatamente o que veremos nas próximas linhas, ao estudarmos os três grandes sinais da Tribulação.

O capítulo 12 do Apocalipse foi interpretado nas últimas 15 páginas do livro A Bíblia no 3º Milênio, explicando em detalhes as principais chaves desse capítulo e o significado aplicado em cada um dos versículos.

O 12º capítulo da Revelação fala sobre uma Mulher revestida de Sol com a Lua aos seus pés e uma coroa (sobre a cabeça) com 12 estrelas, sendo perseguida por um dragão vermelho com sete cabeças, sete coroas e dez chifres, enquanto sofria as dores do parto. Toda a explicação sobre a futura perseguição da aliança sino islâmica sobre a Europa é explicada nessa profecia, assim como o significado que liga o dragão vermelho tanto a China como ao Apophis. Entretanto, existe mais um significado dentro dessa profecia que confirma o auge dos eventos para 2036.

Disponibilizarei gratuitamente o pdf com as 15 páginas da Bíblia no 3º Milênio, que traz a interpretação do capítulo 12 do Apocalipse. Quem ainda não tem o livro e tem interesse em saber sobre essa interpretação basta enviar um email (profecias2036@gmail.com) pedindo o pdf que eu envio para o email que fez o pedido. Dito isso, vamos aos estudos.

Na série de 6 textos com as profecias de Nostradamus, Parravicini e João XXIII que fala sobre profecias a respeito da morte do papa Francisco para 2029, encontramos uma quadra interessante de Nostradamus:

Centúria VI Quadra 6

“Aparecerá próximo ao Septentrion
Não longe de Câncer, a Estrela com longa cauda
Suse, Sienne, Boece, Eretrion
Morrerá o grande de Roma, na noite em que desaparecer”

A palavra Septentrion vem do latim “septem triones” que é simplesmente um sinônimo para o ponto cardeal Norte. A “Estrela com longa cauda” é uma referência ao asteróide Apophis, que quando passar em 2029 será semelhante a uma estrela pelo seu brilho com uma cauda, algo semelhante ao que foi visto quando o meteoro caiu na Rússia no início de 2013.

A quadra informa que o Apophis aparecerá próximo ao norte, algo que os astrônomos confirmam como uma possibilidade real, pois devido a sua grande aproximação em 2029 o Apophis poderá ser visto em muitos locais a olho nu. Será uma luz que aparecerá primeiro no Oriente, na noite de 13 de abril e horas depois à noite no ocidente, visível entre a Ursa Menor e a Ursa Maior, próximo do norte e não longe da constelação de Câncer. A profecia indica, portanto, que entre 13 e 14 de abril de 2029 o papa Francisco deve desencarnar aos 92 anos.

O texto ainda contém a quadra 92 da centúria 5 que aponta para um reinado de 17 anos do papa Francisco. O texto pode ser visto no seguinte link:


Considerando a trajetória do Apophis bem semelhante a que acontecerá em 2029, podemos concluir que em 2036 ele será visto no céu, a olho nu, próximo da constelação de Câncer. E aqui a profecia do Apocalipse capítulo 12 fica interessante.

Pra quem ainda não conhece, é importante conhecer um programa chamado Solar System Scope que está na sua segunda versão, bem semelhante a primeira. Quem quiser confirmar as informações que eu colocarei aqui, basta entrar nesse programa para conferir, um programa fácil de usar e com uma configuração bem intuitiva. Ele está no seguinte link:


Outra informação interessante para uma melhor compreensão da interpretação que trarei a seguir é sobre a trajetória do asteróide que caiu na Rússia em 2013, pois ele passou um pouco mais baixo do que o Apophis passará em 2036. Um pouco antes de cair, o asteróide poderia ser visível no céu na constelação de Virgem. A informação pode ser conferida nesse link aqui:


A constelação de Virgem está muito próxima, quando vista no céu da Terra, a constelação de Câncer (citada a pouco na quadra de Nostradamus). E essa foi uma pista decisiva para compreendermos porque a profecia do capítulo 12 do Apocalipse está interligada as profecias de Nostradamus a algo que começará em outubro de 2035, prosseguirá até fevereiro de 2036 e culminará com o ápice dos eventos em abril de 2036, através do Apophis. Vamos estudar então os 3 sinais:


 OS TRÊS SINAIS DO ÁPICE DA GRANDE TRIBULAÇÃO


Eis os versículos bíblicos sobre esses sinais:

“O Sol se converterá em trevas e a Lua em sangue, ANTES que venha o grande e terrível dia do Senhor” (Joel 2:31 e Atos 2:20)

“Porque como o relâmpago que parte do Oriente e ilumina até o Ocidente, assim será a volta do Filho do Homem.... o Sol escurecerá, a Lua não terá a sua claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas. ENTÃO aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem” (Mateus 24: 27,29,30)


Como foi dito no texto anterior sobre o significado da Lua de Sangue, esse é um fenômeno que nada mais é do que um eclipse lunar total. Segundo as profecias citadas, um inclusive por Jesus em Mateus 24, ANTES que apareça no céu o sinal do Filho do Homem (o asteróide Apophis em 2036), o Sol e Lua passarão por um eclipse, mais especificamente um eclipse solar e no mesmo mês um eclipse lunar total (Lua vermelha).

De 2001 a 2036 teremos entorno de 420 meses e em apenas 15 desses meses aconteceram e acontecerão em um mesmo mês um eclipse lunar total e um eclipse solar, ou seja, uma chance de aproximadamente 3% do fenômeno acontecer nessas 3 décadas e meia. 

Em fevereiro de 2036 teremos um eclipse lunar total (Lua de Sangue) e um eclipse solar, 2 meses antes da queda do Apophis, mais um sinal que confirma a interpretação da profecia dos 70 períodos de Daniel para a janela 1967-2036


Mas falta ainda a confirmação do terceiro sinal, além do eclipse lunar e do eclipse solar e ele é descrito no início do capítulo 12:

“Apareceu em seguida UM GRANDE SINAL NO CÉU: Uma mulher revestida do Sol, a Lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de 12 estrelas. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar a luz.” (Apocalipse 12:1-2)

DEPOIS apareceu OUTRO SINAL NO CÉU: um grande dragão vermelho com 7 cabeças e 10 chifres e nas cabeças 7 coroas varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu e as atirou a terra. Esse dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar a luz, a fim de que quando ela  dessa a luz, lhe devorasse o Filho” (Apocalipse 12:3-4)  

Analisemos o sinal que fala sobre a Mulher: todos os anos, próximo de outubro, o Sol passa pela constelação de Virgem. Essa constelação é a Mulher citada na profecia (não é a toa que como foi dito no livro A Bíblia no 3º Milênio esse é um dos capítulos mais herméticos do Apocalipse, devido a grande quantidade de significados e “véus” em um mesmo texto). 

Mas a profecia fala em algo específico: quando o Sol estivesse passando pela constelação de Virgem, a Lua estaria abaixo, um pouco abaixo dos seus pés. A constelação de Virgem possui logo acima da sua cabeça duas constelações: Leo, com 9 estrelas e Leo Minor com 3 estrelas, totalizando as 12 estrelas acima da sua cabeça e ainda considerando que as duas constelações leoninas e em especial a estrela Régulus ou Alpha Leonis sempre foram símbolos da realeza para os estudiosos da Astrologia desde aquela época. Vejamos a imagem:

A lua de sangue e as constelações de virgem e leão


Reparem nessa outra imagem o desenho que representa a constelação de Virgem:

constelação de virgo, virgem vestida de sol
 
A profecia diz que a Mulher (constelação de Virgem) estava grávida e iria dar a luz. E que luz seria essa? A resposta é simples: a passagem do Sol pela estrela mais brilhante da constelação (Spica) para em seguida sair da constelação, essa é a metáfora de "dar a luz" como podemos ver na imagem abaixo

Virgem vestida de Sol dando a luz

Curiosamente, como mostrei no post que analisa o mapa astral de Jesus, seu nascimento em 21 de setembro do ano 3 AC foi marcado exatamente pela mesma passagem do Sol por Spica (conjunção) que na época juntamente com a conjunção de Júpiter e Régulus, formou o fenômeno da Estrela de Belém no céu. O post sobre o mapa e porque Jesus nasceu nessa data, está no link a seguir, sendo que de forma indireta o Apocalipse capitulo 12 parece confirmar tal teoria:


Em 4 de outubro de 2035 a Virgem com a coroa de 12 estrelas na cabeça estava com a Lua sob os seus pés e vestida com o Sol. Duas semanas depois, em 18 de outubro de 2035, a Virgem vivenciava as dores do parto, quando o Sol estava passando pela estrela Spica, a mais brilhante da constelação. Lembrem que no texto sobre o falso profeta, eu mostrei a quadra na qual Nostradamus aponta o início do Armagedon para 22 de outubro de 2035, ou seja, para o primeiro do três sinais: a Mulher passando pelo parto.


Na continuação do Apocalipse capítulo 12, a profecia fala em um dragão vermelho perseguindo a Mulher que daria a luz, ou seja, o Sol passando pela constelação de Virgem. Na mitologia egípcia, conhecida pelos hebreus do Velho e Novo Testamento, existia uma criatura que todas as noites buscava devorar o Sol e todas as manhãs era derrotada por ele: a mítica serpente Apep ou Apophis. Um eclipse solar e lunar, como descrito antes do grande ápice, não seria uma tentativa de Apep/Apophis, segundo a mitologia, “abocanhar” o Sol?

O dragão vermelho representa exatamente a primitiva serpente (Apep/Apophis) que na mitologia tentava todas as noites abocanhar o Sol através da escuridão. O asteróide Apophis, como vem dos céus e cairá na forma de uma grande pedra vermelha em chamas com um rastro de fogo, foi descrita exatamente como esse dragão vermelho, que exatamente em fevereiro de 2036, após ter “perseguido” o Sol na constelação de Virgem, causará dois eclipses: um eclipse solar e um eclipse lunar completo (Lua Vermelha ou de Sangue). Esses são os sinais que precedem a queda do Apophis, dois meses depois, em 24 de abril de 2036.

Mas Zé, e porque a profecia fala que o Dragão Vermelho (Apophis) tem 7 cabeças e 10 chifres, além de 7 coroas? A resposta também é simples: o Apophis entre outubro de 2035 e fevereiro de 2036 estará perseguindo primeiro a Mulher (constelação de Virgem) e depois o seu “filho” (Sol saindo da constelação de Virgem). Pois muito bem, existe uma constelação vista no céu, praticamente colada à constelação de Virgem e a constelação de Leão, que se chama Hydra, como podemos ver na imagem abaixo:

Hydra constelação, mitologia da hidra em hercules

Nessa “perseguição”, quando ela começar em outubro pouco antes do “parto”, o Apophis estará na constelação da Hydra, próxima de Virgem como visto na imagem. Na mitologia, a Hydra tem exatamente 7 cabeças. Se observarmos a mitologia, sobre os 12 trabalhos de Hércules, veremos que a Hydra e o Caranguejo foram derrotados juntos por Hércules, enterrados e deram origem, mitologicamente, a duas das 88 constelações do céu. A Cabeça da Hydra possui 5 estrelas e a constelação de Câncer (Caranguejo) possui também 5 estrelas, totalizando as 10 estrelas que formam os “chifres”. Já as 7 estrelas que correspondem às 7 coroas sobre Hydra e Câncer estão na constelação do Unicórnio (Monoceros). Basta conferir na imagem abaixo:

Dragão com 7 cabeças, 10 chifres e 7 coroas e a constelação de monoceros

Todos esses indicativos explicam as referências proféticas de Nostradamus em suas quadras que eu interpretei e citadas ao longo deste post, assim como os 3 sinais proféticos na Bíblia, com uma bela imagem figurativa explicada pela mitologia e pelas constelações do céu. 

Vamos então, para finalizar esse estudo, mostrar a interpretação dentro das profecias Bíblicas que citam os 3 sinais:

“O Sol se converterá em trevas e a Lua em sangue (eclipses), ANTES que venha o grande e terrível dia do Senhor (esse dia trará o ápice do Apocalipse e será simbolizado pela queda do Apophis)” (Joel 2:31 e Atos 2:20)

“Porque como o relâmpago que parte do Oriente e ilumina até o Ocidente, assim será a volta do Filho do Homem.... (esse relâmpago é o sinal do Filho do Homem, a luz produzida pela queda do Apophis) o Sol escurecerá, a Lua não terá a sua claridade (eclipses), cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas (verticalização do eixo planetário dando a impressão para as pessas de estrelas caindo). ENTÃO (após os dois eclipses e após a materialização do sol das trevas ao redor do Apophis como um planeta artificial e antes que o Apophis caia) aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem (o relâmpago, a queda do asteróide, sendo visto, atraindo a atenção ou seja, seduzindo o mundo inteiro)” (Mateus 24: 27,29,30)

“Apareceu em seguida UM GRANDE SINAL NO CÉU: Uma mulher (Constelação de Virgem) revestida do Sol, a Lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de 12 estrelas (as Constelações de Leo e Leo Minor, formadas por 12 estrelas). Estava grávida (O Sol estava dentro da sua constelação em outubro de 2035) e gritava de dores, sentindo as angústias de dar a luz (passagem do Sol pela estrela Spica antes de sair da Constelação de Virgem).” (Apocalipse 12:1-2)

“DEPOIS apareceu OUTRO SINAL NO CÉU: um grande dragão vermelho ( asteróide Apophis ligado a mitologia de Apep) com 7 cabeças (dentro da Constelação de Hydra, animal mitológico que possuía 7 cabeças) e 10 chifres (as  5 estrelas da cabeça da Hydra e as 5 estrelas que compõe a Constelação de Câncer, pois segundo a mitologia os dois seres, a Hydra e o Caranguejo foram enterrados por Hércules) e nas cabeças 7 coroas (acima dessas 10 estrelas que representam os chifres, as 7 estrelas da Constelação de Monoceros, ou seja, João representa os chifres e coroas, ambos acima da cabeça, como estrelas nessa metáfora profética) varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu e as atirou a terra (a verticalização do eixo quando da queda do asteróide, dando a sensação que as estrelas estão caindo devido ao abrupto movimento do eixo planetário). Esse dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar a luz, a fim de que quando ela  dessa a luz, lhe devorasse o Filho (os dois eclipses em fevereiro de 2036 que simbolizam a mitologia de Apep/Apophis sobre a luta para trazer a escuridão ao mundo)” (Apocalipse 12:3-4) 



CRONOLOGIA:

04 Outubro de 2035 – A Mulher vestida de Sol, com a Lua aos seus pés

18 de Outubro de 2035 – As dores do parto, a perseguição do dragão vermelho e dias depois o início do Armagedon

Fevereiro de 2036 – Um eclipse lunar total ou Lua de Sangue (dia 11) e um eclipse Solar (dia 27) nesse mês serão os sinais que precedem o ápice e simbolizam a perseguição do Apophis que tenta “engolir” o Sol, mitologicamente, através dos 2 eclipses.

24 de Abril de 2036 – Queda do asteróide Apophis  




Com todas essas informações, fica evidente que não teremos terceira guerra, armagedon ou ápice da tribulação nem em 2014 e 2015 com as “luas de sangue” e nem em 2018, 2019 ou outra data anterior a única e verdadeira data que une e explica todas as profecias e os principais eventos que as precederão antes do grande ápice: 24 de abril de 2036. 

Fanpage Profecias o Ápice em 2036:

Fórum Profecias 2036:



3 comentários:

Maira disse...

Muito bom o seu texto José, realmente essa parte do Apocalipse é bem complexa e muito interessante ao mesmo tempo.
Abraços.

josy carreri disse...

José o que acontecerá nos meses subseqüentes a queda do apophis, aos sobreviventes e aos mortos?
Obrigado.

Nessa disse...

Olá, sei que não é o objeto da discussão, contudo, tenho uma dúvida; existe colônia espiritual em Tebas? Colônia espiritual de Tebas?