26 de dez de 2013

Palestra "Profecias, Espiritualidade e Transição Planetária" no GEC (Grupo Espiritualista Consciência)



No dia 12 de dezembro de 2013 tive a oportunidade de ministrar uma palestra no Grupo Espiritualista Consciência (GEC), na sua sede no bairro da Tijuca no RJ, na Rua Bom Pastor 484 a convite do médium Fábio Figueiredo e da Kátia Carvalho. A palestra, de praticamente 2 horas foi filmada (créditos ao Marcos Lima e demais membros do GEC que ajudaram na parte operacional) e está disponível na íntegra aos amigos da fanpage e do blog.

Quero deixar o link da fanpage do GEC:  AQUI 

Também agradecer a oportunidade de expor esses assuntos e pela receptividade de todos os membros do GEC que compareceram à palestra.

Deixo abaixo do vídeo apenas algumas pequenas considerações quanto a algumas informações trazidas:


Durante a palestra citei o nome de um livro sobre a Transição Planetária com informações a respeito do Brasil. O nome do livro escrito pelo Alcor Fayard através do espírito de Humberto de Campos (Irmão X) não é "Transição Planetária" mas sim "O Terceiro Milênio". Esse livro está esgotado e não encontrei versão impressa a venda nem na Estante Virtual, portanto se alguém quiser lê-lo, envie um email para profecias2036@gmail.com que eu enviarei gratuitamente o pdf deste livro (basta enviar um email pedindo pelo livro). 

Além deste equívoco citei durante a palestra o tamanho do núcleo terrestre como aproximadamente 5 km quando em verdade são 5 mil km.

Esses foram os dois erros que encontrei nas informações que passei na palestra. Todas as demais informações estão corretas.

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/

20 de dez de 2013

Os Dragões, Hitler, Tiamat e o Schwarze Sonne: A História dos Magos Negros na Guerra


Para saber mais sobre a história e características sobre os Dragões e magos negros é interessante ler os textos que estão nesse tópico no fórum: AQUI 

Chegou a ser especulado que Hitler e boa parte de seu staff seriam dragões justamente pela ligação com o Sol Negro que eles tiveram (quando na verdade seu staff era composto por magos negros servindo a um poder maior, o dos dragões), chegando inclusive a colocar o símbolo do Sol Negro, que esconde seu real significado, na torre norte do castelo de Wewelsburg num hall de mármore onde só se reuniam os mais importantes generais alemães e que Hitler havia imaginado como o futuro “centro do mundo”.

Alias, já que estamos falando de Sol Negro (Sol das Trevas, Schwarze Sonne) e dragões, vale lembrar um pouco da mitologia suméria: Na Suméria, Assíria, Acádia e na Babilônia, a deusa Tiamat era representada por uma serpente e era conhecida como a deusa do caos e das trevas. Quem leu o final do livro "A Bíblia no 3º Milênio" e o resto do texto a seguir, vai entender que essa mitologia não é tão mitologia assim....


Mas voltemos a questão de Hitler: Eu já li diversas teorias sobre Hitler. Numa delas é dito que ele reencarnou rapidamente apos o desencarne e isso já ocorreu duas vezes, sempre voltando dentro do povo judeu com graves problemas físicos, como limitações de locomoção e raciocínio e que hoje estaria encarnado nessas condições como uma criança judia.  Não acredito nessa hipótese.

Na minha opinião Hitler ainda esta no plano astral, sendo tratado e reabilitado para uma nova encarnação futuramente no planeta exílio.  

Creio que no seu planejamento kármico ele viria para levar a Alemanha, Áustria, Polônia, incluindo dentro deste território o povo judeu, a tempos de prosperidade e paz. Ao contrario de muitas pessoas nao acredito que Hitler fosse uma mago negro, tal como Komeini, Torquemada ou Rasputin, mas tão somente um espírito de índole guerreira que veio para uma missão pacificadora e se perdeu totalmente no meio do caminho, se deixando levar por vontade própria para o lado negro.

Acredito que os magos negros da cúpula alemã daquela época eram outros, Hitler era tão somente uma marionete nas mãos deles. Esses magos negros seriam o General Karl Haushofer, aluno do russo Georg Ivanovitch Gurdjieff, ambos usaram conhecimentos de lamas tibetanos para cometer vários crimes contra a humanidade em nome de uma suposta  raça superior. Eles ensinaram a Hitler algumas técnicas de hipnose em massa e motivaram a ganância do reich. O espírito de Hitler sucumbia, mais uma vez, a provação da riqueza e do poder.

Hitler, segundo Ramatís, teria sido o rei Davi, rei guerreiro dos judeus que trucidou e dominou vários povos. No livro O Sublime Peregrino de Ramatís, é assim relatado:

Nota de Hercílio Maes: Segundo certo comunicado mediúnico por entidade de reconhecido critério espiritual, Hitler, no passado, foi o Rei Davi, e comandou inúmeras vezes as hecatombes sangrentas registradas amiúde, na Bíblia. Mas, de acordo com a lei de “quem com ferro fere com ferro será ferido”, o seu espírito retornou à Terra, na Alemanha, e, sob a injunção do Carma, abriu as comportas do sofrimento redentor para os próprios comparsas e soldados que comandou outrora e lhe cumpriram fielmente as ordens bárbaras. Assim, os mesmos judeus que ele trucidou neste século, nos campos de concentração, já tinham vivido com ele e eram os mesmos soldados e comparsas impiedosos, afeitos aos massacres dos povos vencidos. Como exemplo a esmo das barbaridades cometidas pelo rei Davi e seus exércitos, no passado, eis o que se encontra em II Samuel, 12:31 e transcrevemos: “E trazendo os seus moradores, os mandou serrar; e que passassem por cima deles carroças ferradas; e que os fizessem em pedaços com cutelos; e os botassem em fornos de cozer tijolos; assim o fez com todas as cidades dos amonitas; e voltou Davi com todo o seu exército para Jerusalém.” O Sublime Peregrino, p. 32

Ou seja, reencarnaram na Alemanha soldados, membros da policia que eram a reencarnação de pessoas de povos que o rei Davi havia mandado trucidar, enquanto que os judeus que morreram nos campos de concentração eram ex soldados do rei Davi reencarnados.

Temos, portanto os dois grupos de espíritos distribuídos da seguinte forma:

Alemães que foram soldados nazistas ou apoiaram Hitler: vítimas que foram trucidadas no passado pelas tropas do Rei Davi

Entre os 6 milhões de judeus que morreram nos campos de concentração: 30 a 50 mil soldados do rei Davi que mataram diversos povos em nome do Rei Davi

Hitler veio com a missão e ao mesmo tempo uma grande provação para resgatar seus pesados débitos, justamente para evitar esse massacre, de terminar com a roda de sofrimentos carmicos de ódio e vingança envolvendo esse grupo de espíritos, pois ajudaria a trazer prosperidade econômica para a Alemanha e um crescimento coletivo de todos, para que superassem as antigas diferenças com o perdão e não com a vingança.

Segundo nos informa Robson Pinheiro no livro Senhores da Escuridão, a maioria desses espíritos envolvidos nos acontecimentos da segunda guerra reencarnaram nas Américas, como forma de tentar resgatar seus débitos num ambiente mais distanciado das áreas de conflito que enfrentaram na Europa. Um grande contingente de ex soldados do fuhrer e também de vitimas do holocausto reencarnou nos Estados Unidos para uma nova oportunidade de resgate de karmas coletivos, para buscarem a paz e o perdão.

Infelizmente o que mais existe são espíritos falhando nos compromissos que assumiram antes de encarnar, isso pode ser facilmente percebido pelo enorme numero de médiuns que encarnam com a missão de estudar, desenvolver seu dom em beneficio do próximo e acabam se perdendo pelo meio do caminho.

Hitler, na minha opinião, foi um desses espíritos, que suplicou uma chance para reparar as bobagens que fez quando na pele do rei Davi.

Veio com auxilio, primeiramente numa família humilde, motivando assim aquele espírito a vencer as ilusões da matéria, com grande inteligência apesar da saúde um pouco instável devido a vida boemia. Tinha intensa relação de carinho com a mãe e muitas brigas com o pai, este decisivo em obrigá-lo a ingressar no serviço publico do exercito, já que a vontade de Hitler era investir nas artes, como a pintura e arquitetura. Infelizmente após a morte da mãe quando ainda era jovem (19 anos), e ao ir viver em Viena, Hitler alimentou idéias antisemiticas contra o povo judeu, e a pobreza que enfrentou, somada a impossibilidade de galgar postos mais altos no exercito, desenvolveram um ódio intenso pelo povo judeu, ao qual culpava pela derrota na primeira guerra, pois acreditava que a culpa da pobreza da Alemanha era do povo judeu.  Essa idéia foi habilmente explorada pelo partido nazista, que logo após o fim da primeira guerra foi galgando espaço e poder e Hitler usando seu poder de oratória para inflamar o nacionalismo alemão para uma vingança através da segunda guerra, cujo bode expiatório seria exatamente o povo judeu.

Todas as mudanças estruturais que Hitler realizou poderiam ter sido feitas unindo o povo “ariano” da Alemanha ao povo judeu, fazendo com que a Alemanha, Áustria, Itália e nações vizinhas crescessem em prosperidade.

No entanto, Hitler negligenciou seu compromisso assumido antes de reencarnar, sentia desde jovem um ódio do povo judeu de forma racionalmente inexplicável, mas que na verdade se explicava pela própria encarnação como rei Davi: inconscientemente ele sabia que os soldados que executaram terríveis crimes com ele na época do rei Davi estavam agora encarnados como judeus vivendo na Alemanha, Áustria, Polônia e demais países e no fundo os culpava pelas faltas que ele realizou como rei Davi , apoiado na época por aqueles espíritos reencarnados. Considerando que o contingente de soldados do Rei Davi na sua época seria entre 30 a 50 mil homens, não é impossível considerar que esses milhares de espíritos estivessem entre os 6 milhões de judeus mortos de forma terrível por Hitler.

Para completar o quadro dantesco, na época do pós primeira guerra estavam encarnados na Alemanha vários espíritos que na época do rei Davi foram dominados e trucidados pelo rei e seus soldados. A oratória nacionalista de vingança aos judeus soou como uma vingança inconsciente aos antigos algozes, soldados do rei Davi encarnados como judeus. O povo alemão, composto na época por muitos espíritos que outrora foram de povos dominados pelo rei Davi, viam no rei reencarnado na figura do Fuhrer o líder que alem de trazer a vingança os levaria ao poder supremo de liderança mundial.

Esses espíritos que outrora foram vitimas, ao apoiaram as idéias ensandecidas do fuhrer se tornaram devedores da lei do karma, muitos deles estão hoje encarnados no território americano, insuflando um nacionalismo exacerbado em alguns segmentos do povo americano.

Hitler teve desde cedo as condições para desenvolver o desejo de levar a Alemanha a tempos melhores, mas esse desejo foi influenciado pelo desejo de poder, pelo desejo de vingança aos próprios comparsas de outrora reencarnados aos quais julgava culpados pelas suas enormes dividas karmicas.

Infelizmente o ódio prevaleceu e ele desperdiçou a oportunidade de usar a sua figura como um detonador psíquico favorável para o fim daquele ciclo de ódios, pois inconscientemente ele era visto como um rei que veio para devolver dignidade ao povo alemão, (onde estavam espíritos que outrora ele torturou) e desta forma favorecer o perdão daqueles espíritos as minorias judaicas, onde estavam muitos dos antigos soldados do rei Davi encarnados.


Voltando a questão dos dragões e do Sol Negro, que Hitler e seu staff procurou após sucumbir as forças trevosas e aos próprios desejos obscuros que deveria ter vencido, é interessante relembrar que existem diversos relatos históricos de que Hitler fora um médium com grandes capacidades no intercâmbio com o oculto e que usou tais capacidades, infelizmente, para ser a voz da Besta, ou seja, a voz de Tiamat entre o staff nazista nas reuniões que ocorriam na torre norte do castelo de Wewelsburg entre as doze colunas de mármore envolta do símbolo do Schwarze Sonne cravado no chão. 

A gigantesca egrégora pessoal de diversos magos negros encarnados como homens importantes do partido nazista aliada a capacidade mediúnica de Hitler proporcionou uma intensa e forte ligação fluídica do perispírito de Hitler com a egrégora do Sol das Trevas e com a mente de Tiamat, a líder dos dragões ou “dragão número 1” descrito no livro “A Marca da Besta” do Robson Pinheiro. Os discursos magnetizadores sobre a população alemã da época eram, literalmente, a voz da dragão através de Hitler.

Os magos negros do nazismo, envolvidos nessa aliança com os dragões (mesmo que submetidos ao poder de Tiamat e do Sol Negro) sabiam que tal intercâmbio causaria graves problemas no perispírito de quem servisse de intercâmbio, mesmo a distância, da força mental de Tiamat e da ligação fluídica com o Sol das Trevas, por isso escolheram alguém “menor” na hierarquia das trevas, alguém que não era mago negro e que sofreria severos problemas no perispírito após o desencarne, tanto que imediatamente ao seu desencarne Hitler adquiriu a forma ovóide no corpo mental inferior, tendo o corpo astral totalmente destruído, isso em questão de algumas horas.


O consagrado escritor e médium Hermínio Miranda fala sobre a mediunidade de Hitler em uma série de textos que foi publicada em março de 1976. Os 4 textos estão aqui indicados:

Texto 01: http://blog-espiritismo.blogspot.com.br/2011/04/hitler-1.html

Texto 02: http://blog-espiritismo.blogspot.com.br/2011/04/hitler-2.html

Texto 03: http://blog-espiritismo.blogspot.com.br/2011/12/hitler-3.html

Texto 04: http://blog-espiritismo.blogspot.com.br/2011/12/hitler-conclusao.html

Conclusão: Por tudo isso esse espírito ainda está no astral, aprisionado não por grades energéticas de alguma prisão no astral mas pelos próprios dramas de consciência, por novamente ter falhado e aumentando consideravelmente seus débitos kármicos, transformados em terríveis feridas que consumiram por completo seu corpo astral e o aprisionaram, no próprio pesadelo interior da sua consciência refém do seu corpo mental inferior em estágio de ovoidização.

Será necessário, portanto, primeiramente que a matriz do seu corpo astral seja reconstruída para que ele possa reencarnar. Como o grande exílio se aproxima, essa reconstrução já está sendo feita para adaptar o futuro corpo astral reconstruído ao futuro corpo físico que ele utilizará no mundo exílio.

O auxílio de Gandi a esse e outros espíritos em situação semelhante (citado na obra "Gestação da Terra" do médium Róbson Pinheiro pelo espírito de Alex Zarthú), visa ajudar, de alguma forma, que Hitler supere seus dramas de consciência, medo e culpa e saia da própria prisão mental que ele mesmo criou para si e reinicie o doloroso ciclo de provas e expiações para resgatar os crimes que ele cometeu e assim, um dia, após várias encarnações, possa despertar o amor, a compaixão e a fraternidade que ele tanto negou em sua última encarnação na Terra como um sanguinário ditador em busca de poder e dominação.

Entretanto, apesar de Hitler não estar encarnado, pelo menos um de seus comparsas de guerra está. Procurei acessar maiores informações mas não foi possível descobrir a identidade do espírito, mas tão somente o primeiro nome com o qual a entidade está encarnada, no corpo de uma mulher. Seu primeiro nome começa com D.... e o resto veio em três palavras em alemão: "von binnen schweiz", como não entendo lhufas de alemão, joguei no tradutor do google e saiu o seguinte: "de dentro Suiça". Ou seja, um dos comparsas dele está em encarnação expiatória, em um corpo com limitações físicas, no sexo feminino e no território suíço.

Após todas essas informações e reflexões podemos concluir que Hitler não conseguiu cumprir as pesadas provações que teria de vencer através do cultivo do perdão e de uma reforma moral interior, permitindo assim que antigos ódios e sentimentos destrutivos falassem mais alto, causando sua queda e um aumento no número das suas dívidas kármicas, ao aliar-se com uma falange de magos negros encarnados que por sua vez estava submetida ao comando dos dragões e do Sol das Trevas na busca por instaurar uma Era de caos e violência na Terra. A partir dessa queda, Hitler tornou-se uma marionete para o trabalho mais sujo e perigoso que nenhum mago negro faria: o de servir de médium e estabelecer perigosas e profundas ligações fluídicas com a egrégora do Sol das Trevas e com a mente de Tiamat, a líder dos dragões, o que causou após o seu desencarne a destruição automática do seu corpo astral e todo o processo de aprisionamento da sua consciência em seu corpo mental inferior ovoidizado.

A mitologia sobre Tiamat, clique a seguir: os dragões 

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

18 de dez de 2013

Parravicini em 8 Atos (Parte VI de VIII) - As profecias sobre OM: Ordem Mundial? Ordem Magna? Um símbolo? Um anagrama? Ou tudo isso junto?



Parte V:  AQUI 

Vimos nos 2 textos anteriores a análise sobre as profecias de Parravicini a respeito do personagem profético denominado SION/SILLÓN e os eventos de 2035 que precedem o grande ápice demarcado no relógio profético.

Vamos analisar agora os desenhos que falam sobre OM e que, como mostrado anteriormente, possuem ligação com os desenhos sobre sion.

Vimos no texto anterior que OM trará desespero aos humanos, pois o auge dos eventos do Apocalipse virá na década de 30 (os 3 “ais” e o ápice da tribulação de 2032/2033 até 2036) e que um personagem denominado por Parravicini como SION terá participação decisiva nos eventos finais.

Vamos tentar descobrir mais alguns significados para OM pesquisando os desenhos proféticos de Parravicini:



Texto: “A rápida observação do homem leviano, da época (hora) deformada (degenerada) que o mundo vive, ele fará o mundo se desencontrar, seja na política, na religião, na família, na ciência. Em todo lugar será lugar de desencontros e, portanto, a época (hora) do colapso. Começa por (através) de OM. É iminente.”

Um homem leviano observará o caos vivido pelo mundo nessa época futura e aproveitará esse momento no futuro para exercer seus planos.


 Texto: “Circula a lenda do jovem chinês (mandarim) que em um dia de Sol tomou seu cavalo e partiu para a região da conquista (prêmio). O jovem chegou, tomou uma pluma de ganso verde e regressou. Ele com aquela pluma observou o espetáculo ao redor e escreveu, não a manifestação de suas palavras, mas sim uma manifestação celeste (vinda do céu), dada ao mensageiro (jovem) para ser propagada. Aquela manifestação foi chuva em uma plantação sedenta e o chinês se calou (morreu?) nas palavras, pois as palavras foram integralmente ditas e o jovem se entregou a OM”   

A pluma de ganso verde remete a algum ensinamento islâmico (simbolizado pela cor verde), ou seja, um jovem chinês e ao mesmo tempo islâmico que nos tempos da aliança sino-islâmica receberá alguma revelação divina, mas que por algum motivo será morto ou entregue a autoridade de OM (homem serpente, homem leviano)


Texto: “Cai Babel, cai o cego. Caminhante, chegou a transformação do mundo, ordenada por Deus. Vão será o protesto dos rebeldes e o grito dos jovens sem pêlos, o grito doente da mulher livre e dos religiosos com suas teorias inconclusivas. Chega a hora do trovão, a hora da ordem maior (ordem magna, OM). Uma civilização destruída não deve prosseguir, disse o Alto que a civilização decadente deve terminar. Vem a mudança, é o grito de triunfo do mundo em Babel, chega a transformação do mundo  é a voz de Deus ordenando. É a voz convincente de quem viu é a voz do tempo que disse do tempo, no tempo que chega é a voz que prevalecerá à voz da explosão. É a voz que derrubará Babel, vem OM

O desenho parece associar “Babel” claramente a nação americana. Nesta profecia, Parravicini associa “OM” a uma “ordem maior”, ou seja, demarcando OM como o tempo de mudança, que marcará o fim do mundo decadente, materialista para que seja transformado, através de um “trovão” enviado por Deus. Nesse sentido, OM parece confirmar a associação com a década de 30 e mais precisamente a “hora do sol” ou “hora doze” que marca o horário no qual chegará o ápice da mudança em 2036.


Texto: “Mudanças. Gritam milhões de vozes no mundo. É que os peixes foram trazidos para habitar a terra e os homens os levaram para habitar as águas. Caminhante, se os que gritaram por mudanças, tentaram e tentam mudar os sexos, nada conseguiram ou vão conseguir. Se falaram e falam de pobreza e miséria para que sejam humildes irmãos do próximo mas que insultam e explodem, enganando crianças e com isso enchem seus bolsos (de dinheiro), não poderão mudar (a si mesmos) no ritmo da Terra comandado e guiado por Deus. A mudança será sim, neles, e será uma mudança definitiva (morte?), será no castigo, os que não viram a proximidade da explosão. E a nova civilização será a dos que viram (a proximidade da explosão). Vem OM!”     

A mensagem profética parece apontar para alagamentos e inundações afetando milhões de pessoas ao dizer que os “peixes foram levados para a terra”. Parece indicar também as guerras pelo dinheiro, trazendo fome e guerra (explosões), mas ao que tudo indica essas pessoas ou a maioria delas, envolvidas em tais violências, serão aquelas que não perceberão a “proximidade da explosão”, ou seja, a chegada do grande evento, o “trovão” vindo dos céus, que trará o ápice das mudanças. Tais pessoas violentas serão instrumentos da mudança, como já vaticinado nas profecias do Apocalipse sobre as guerras, mas serão castigados por terem sido agentes de tais violências. A nova civilização, ou seja, os sobreviventes do evento do ápice (queda do Apophis) será aquela que soube se precaver do evento ao vislumbrarem a proximidade de tal evento.

Temos portanto, nessa profecia, mais uma vez o significado de OM ligado aos eventos da década de 30 que culminarão após caos e guerra, a chegada do ápice dos eventos através do Apophis (trovão vindo dos céus) para que uma Era de Regeneração possa chegar após 2036.  

O desenho abaixo parece confirmar tal interpretação e ainda mostra a associação entre OM (Ordem Maior) e ON (Ordem Nova), coligando OM e aos eventos trazidos pelo homem nomeado como SION:


Ainda sobre a transformação para um novo mundo após a década de 30, temos o interessante desenho abaixo:  


Texto: “A liderança (capitania) da “embarcação mundo” caiu em torpor. Esta embarcação parece guiada como um balão inflado e que pouco poderá resistir aos embates contra o temporal que chega. Quebrada a liderança, e a embarcação à deriva, navegará até as costas de OM e OM salvará ao justo.”

A metáfora é bem interessante, pois um “balão inflado” se eleva, ou seja, transmite a idéia de que o mundo será levado para um Era melhor, mas antes suas lideranças (políticas, sociais) e as velhas estruturas que compõe a “embarcação” serão quebradas pelo temporal que, pela metáfora, vem exatamente através das águas. A imagem relatada como as costas ou fronteiras de OM diz respeito exatamente a nova Terra, representada como uma nova costa,  que chegará após os eventos cataclísmicos da década de 30.




Eis os próximos 2 textos:

7) As datas - As várias profecias sobre "65" e "66", como entender o significado dessas datas e descobrir a confirmação de que Parravicini, assim como João XXIII, também enxergou um "santo de pés descalços" que irá suceder Francisco, mesmo sem ser papa

8 ) As profecias "2000" e "2002" - A análise do significado destas datas e como elas estão inseridas a nível temporal no relógio profético


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/ 

7 de dez de 2013

Parravicini em 8 Atos (Parte V de VIII) – O Significado da Profecia “555”

Parravicini pássaro de fogo


Parte IV: AQUI 

Apesar de considerar a profecia do “Relógio Profético” (“A hora da grande tribulação é chegada”) como a mais importante para que possamos compreender a grande obra de Parravicini, a sua profecia talvez mais famosa é a profecia “555”, que inclusive deu origem a um filme argentino de 2011-2012 que fala sobre essa profecia e que chama-se “555”. A crítica do filme pode ser vista AQUI 

 Eis abaixo a profecia “555” de Parravicini:

Parravicini profecia 555


O texto diz o seguinte: “Cai sobre a terra no dia 5 do 5 de cincos o golpe do fogo estelar, cairá nas regiões de Gibraltar e das ilhas baleares, três dias ali, dois na América do Norte e por fim um dia de cinco horas nas Antilhas. O fogo purificará”  

Mas afinal o que seria isso? Seria um grande acontecimento em 5 de maio de algum ano terminado em 5 ou que a soma dos seus números equivalesse a 5?

Parravicini trouxe, segundo eu pude analisar em mais de 600 desenhos proféticos, mais de 20 desenhos sobre o tema, em muitos deles mostrando o número “5” junto com o número “3”. Dois desses desenhos são a chave para compreender a questão do “555”



O texto diz o seguinte: “A Besta-5-Sol-Humanidade-SJ-O Apocalipse chega no último selo.”

 Parravicini cita São João com as iniciais “SJ”, autor do livro do Apocalipse para mostrar que um dos “5” diz respeito a quinta trombeta, pois segundo a narrativa do Apocalipse o último (sétimo) selo traz um silêncio de meio hora (Apocalipse 8:1-2) e vem depois do sexto selo (que traz os eventos do auge da Tribulação), ou seja, o sétimo selo mostra a preparação de João Evangelista nas altas esferas espirituais para que recebesse visões mais aprofundas sobre os eventos relatados durante os seis primeiros selos. Após o sétimo selo ser aberto, as trombetas falam sobre os mesmos eventos narrados anteriormente nos seis primeiros selos, com a diferença que trazem um aprofundamento sobre as questões dos tempos finais trazidas nos “3 ais” que correspondem às 3 últimas trombetas e englobam um período que vai de final de 2032/início de 2033 até o ápice em 2036.

A quinta trombeta fala do “primeiro ai”, a queda de Roma, a partir de um grande evento natural envolvendo o Etna e a posterior invasão da aliança sino-islâmica sobre o território europeu, que por sua vez é a ascensão da última das quatro manifestações da Besta (therion, animal feroz) representada no cavalo amarelo montado pelo cavaleiro morte. Falei sobre isso no livro A Bíblia no 3º Milênio ao final do capítulo 19 (manifestação das 4 Bestas ligadas aos 4 cavaleiros do Apocalipse e seus cavalos), no capítulo 20 (selos, trombetas e taças interpretadas) e no capítulo 22 que explica 3 profecias de Nostradamus para a época do quinto selo com raríssimas configurações astrológicas que acontecerão na década de 30, nessa época.

Em outro desenho Parravicini deixa esse entendimento ainda mais claro:



O texto diz o seguinte: “Frio, nevadas, fome, calores únicos, sede, terremoto, inundações, peste, espanto, dor, fogo, guerra, incêndios, explosões, mortes, catástrofes, naufrágios, destruição, combate no céu e na terra com sangue por 5 meses: maio-julho-setembro.”

A imagem mostra um grande “5” acima do texto escrito. Tal relato profético de Parravicini tem ligação, assim como o desenho anterior, com a quinta trombeta ou primeiro “ai” do Apocalipse, contido no capítulo 9 do livro da Revelação e que fala exatamente dos 5 meses de confronto que se encerram com a chegada do segundo “ai” (sexta trombeta) que demarca a reunião das tropas de todo o mundo em direção a Israel para o Armagedon.

Foi uma grata surpresa ter descoberto esse desenho, pois ele confirmou um estudo que eu havia trazido no sexto post da série de textos com as profecias de Nostradamus, João XXIII e Parravicini e que consta também no livro A Bíblia no 3º Milênio ao final do capítulo 22 no cronograma profético, que mostra exatamente uma quadra de Nostradamus que eu interpretei apontando o início desses 5 meses em maio de 2035. Tal interpretação pode ser vista no capítulo 22 do livro ou no link: AQUI 

 Segundo a profecia, a Rússia abandonará a neutralidade e decidirá se aliar aos Estados Unidos para socorrer a Europa em 1º de maio de 2035, dessa forma podemos entender a profecia de Parravicini da seguinte forma:

“Cai sobre a terra no dia 5 do 5 de cincos o golpe do fogo estelar”

Já a partir de 5 de maio (mês 5) de 2035 começará a ofensiva de Estados Unidos e Europa (simbolizados em suas bandeiras pela estrela, tanto a americana como a da união européia) aliados ao fogo, que representa o mitológico pássaro de fogo do tradicional folclore russo, inclusive adotado como símbolo dos jogos de inverno em Sóchi na Rússia em 2014.

Da mesma forma podemos considerar a referência ao início em maio (mês 5), os 5 meses de conflito em um ano terminado em 5 (2035). Em vários desenhos Parravicini mostra o número 35 o associando a sete vezes o número 5 (7x5=35). Vejamos:



O desenho mostra “35” (3 sobre o 5) e abaixo o número 75 (7 vezes o número 5 igual a 35) e mostra pessoas apontando no céu para um ponto com nome “Rússia” ponto idêntico a outro ponto no céu, no lado esquerdo do desenho com o nome “luz”, o que permite considerar e confirmar a associação da Rússia com o pássaro de fogo e o fogo que auxilia as estrelas (Eua e Europa) simbolizando o fogo estelar.
 


Mais um desenho que mostra os números 3,5 e 7 e uma referência a Rússia



O texto diz que com o “5” os russos chegarão a Europa, ou seja, os 5 meses de conflito em 2035 para auxiliar Estados Unidos e Europa.



Nesse desenho mais uma vez Parravicini fala do conflito da profecia “555”: “Lutas finais a 5 do mês 5 do ano 5 (5 de maio de 2035) com os 5 dias e 5 horas (relatados na profecia 555 sobre o fogo estelar) e faltam 5 (os 5 meses do confronto)




Esse desenho é bem interessante pois tem estreita ligação com as profecias de João XXIII sobre o sucessor franciscano do atual papa Francisco, sucessor esse que não será um papa oficial (mais detalhes na série de 6 textos com as profecias de João XXIII e no capítulo 22 da Bíblia no 3ºMilênio). Nele vemos 3 números 5 (555) um anjo tocando a trombeta bem em frente ao número 5 (quinta trombeta do Apocalipse), número este que parece estar acima de um corpo morto em um caixão ou algo parecido, com uma espécie de cruz na cabeça e os números 66 e abaixo duas letras “M” que nos escritos do desenho simbolizam “mártir” e “morto”. 

Segundo os estudos que publiquei no blog e no livro, o atual papa Francisco morrerá em 2029 e seu sucessor (que não será papa) será um homem franciscano mais jovem que dará prosseguimento ao processo de reformas e união do novo cristianismo em solo europeu. O número 66 representa o papa Francisco pois ele é o papa 266 e durante a quinta trombeta (idos de 2033 até 2035) ele já estará morto. Segundo as profecias de João XXIII o franciscano que sucederá Francisco é alguém que combaterá a ala mais tradicionalista da Igreja e do governo de Roma, tanto que em suas profecias João XXIII cita que ao descer da montanha e falar no túmulo do papa morto, os poderosos tremem, o que pode indicar que ele próprio atue como médium recebendo mensagens espirituais, explicando os dizeres do desenho de Parravicini: “O anjo fala novamente”.   



Após os 5 meses de confronto em 2035 a víbora será morta, simbolizando o fim da invasão da aliança sino-islâmica sobre o território europeu



Desenho semelhante ao anterior mostra a mesma víbora, o número 5 (5 meses de confronto em 2035) com os dizeres: “ o mal chega sobre o homem cego”, referência ao falso profeta e ainda os dizeres em latim Omnia homo rex algo como “rei de todos os homens" ou "rei da humanidade”, provavelmente uma referência ao cavaleiro Morte que é descrito no Apocalipse como o rei da região dos mortos e que monta o cavalo que representa a última manifestação da Besta e simboliza o último ditador do mundo.

Alguns desenhos associam o número 35 ao personagem sion/sillón descrito por Parravicini:



O texto diz o seguinte: “35. Sion chegará lentamente, mas chegará”.

Com a retomada da Europa pela aliança entre russos e americanos as forças invasoras concentrarão suas forças no Oriente Médio, na direção de Israel onde ocorrerá o confronto final, o Armagedon e em dois desenhos Parravicini parece confirmar esse entendimento ao associar invasões em 2035 tanto no Egito como na Palestina. Vejamos:



O texto diz o seguinte: “O trono (anagrama sillón) vazio – 35 – e eles caminham”

Esse desenho foi analisado anteriormente e mostra a serpente (símbolo do homem serpente/víbora) indo em direção ao trono egípcio simbolizado pelas iniciais “RA”. Na mitologia, Apep/Apophis (a serpente destruidora) tentava todas as noites atacar Rá que era simbolizado pelo Sol e no Apocalipse tal ser descreve, de forma alegórica, o cavaleiro Morte que reina no abismo tal qual esse personagem mitológico, como também o próprio asteróide Apophis que cairá dos céus como uma serpente voadora, um dragão vermelho. O desenho diz que eles “caminham” ou seja, indica uma movimentação de um território para o outro, por isso mesmo deixando o trono vazio. 

No livro A Bíblia no 3º Milênio eu falo amplamente sobre essa movimentação nos anos finais antes de 2036, inclusive o próprio Apocalipse menciona o “Egito espiritual” ou seja, uma força estrangeira que dará novo espírito ao Egito após seu território ter sido invadido e é exatamente isso que as forças americanas farão quando suas tropas estiverem indo em direção a Israel, por terra, através do Egito após a reconquista da Europa. O livro de Daniel e Ezequiel também explicam esse cenário futuro, mais precisamente ao indicarem as pistas sobre “Gog” e “Magog”, amplamente analisadas no livro A Bíblia no 3º Milênio



O texto diz o seguinte: “Os quadrantes do relógio da arena (referência ao relógio da grande tribulação) darão através de sua trombeta o som de uma marcha triunfal (associação a quinta trombeta do Apocalipse). Nos desertos serão mudadas as arenas dos mares secos (outra referência ao Apocalipse que fala sobre o avanço dos reis do Oriente quando as águas do Eufrates secassem). Palestina! 35.”

Após a derrota em solo europeu, as tropas invasoras que estavam na Europa movimentarão seu contingente para Israel, passando por Egito (como mostrado no desenho anterior) e depois pela Palestina.

Após a união entre americanos e russos, algo acontecerá na região das Antilhas, ao que parece uma resposta da aliança chinesa. Parravicini mostra alguns desenhos sobre isso:



O desenho mostra a união de algo parecido com duas cabeças com as iniciais “OSO” (urso, Rússia) e “N.A” (América do Norte, Eua). O texto diz o seguinte: “Russia e América do Norte se aproximam em razão dos triunfos náuticos do éter (tecnologias atômicas utilizadas em porta aviões e submarinos), verão no vôo para os astros uma fuga. Nada haverá que os contenha. Um raio amarelo conseguirá. Antilhas verá o fogo dos fogos e o fogo se espalhará.”

A China utilizará alguma espécie de arma (raio amarelo) para atacar as Antilhas ao vislumbrar a inevitável derrota para os americanos quando eles se aliarem a Russia para recuperar o solo europeu invadido pela aliança sino-islâmica antes meses antes do Armagedon em Israel. O interessante deste desenho é mostrar que realmente Rússia e Estados Unidos estarão unidos em algum momento para combater a China.



O texto diz o seguinte: “O centro das Américas (meso América, América central, caribe) se incendiará. Os yankes incendiarão e as Américas ficarão contra eles, Caribe sucumbirá”

Provavelmente a ação de americanos ao buscarem recuperar a Europa junto com os russos causará uma retaliação por parte dos chineses que atacarão territórios próximos dos Estados Unidos na América Central para fomentar instabilidade na região.



Mais um desenho que confirma algum evento importante durante a guerra que atingirá as Antilhas. O texto diz o seguinte: “As Antilhas serão cobertas de guerras. Logo o caos as tornará despedaçadas.”

Em outra profecias, Parravicini indica quando começará a abertura do quinto selo. No sexto texto da série com as profecias de Nostradamus, João XXIII e Parravicini, assim como no final do capítulo 22 de A Bíblia no 3º Milênio eu mostro a cronologia profética apontando tal evento entre agosto e novembro de 2032. Vejamos o que diz a profecia de Parravicini:



O texto diz o seguinte: “O mundo cai. Roda, mas para onde vai? Normas novas no novo papado, normas velhas antes retiradas regressam. Ano bissexto, outono romano. Retiro, meditação, paz”

2032 é um ano bissexto, o outono romano vai de final de setembro a final de dezembro, exatamente dentro da cronologia que expus no livro explicando o início da quinta trombeta. Nessa época Francisco, o atual papa, já terá morrido e a Igreja estará sob novas normas do papado, sendo que o líder da Igreja não será um papa oficial. Segundo as profecias de João XXIII que expus no blog e no livro, os cristãos seguidores deste novo líder franciscano após a morte do atual papa Francisco serão perseguidos e terão de buscar lugares secretos como catacumbas, cavernas, zonas no interior da Itália advindo dessa situação a referência ao “retiro, meditação e paz”, formando o gérmen do novo cristianismo na Itália mesmo diante tantos problemas.



Eis os próximos 3 textos:

6) As profecias sobre OM - Ordem Mundial? Ordem Magna? Um símbolo? Um anagrama? Ou tudo isso junto?

7) As datas - As várias profecias sobre "65" e "66", como entender o significado dessas datas e descobrir a confirmação de que Parravicini, assim como João XXIII, também enxergou um "santo de pés descalços" que irá suceder Francisco, mesmo sem ser papa

8 ) As profecias "2000" e "2002" - A análise do significado destas datas e como elas estão inseridas a nível temporal no relógio profético

A profecia do relógio profético ou o relógio da Grande Tribulação: AQUI  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: