25 de jun de 2013

Experiências Projetivas e as Revoluções no Brasil


Pergunta que recebi nos comentários da fanpage: “José, o Robson Pinheiro diz em um de seus livros que muita coisa que acontece no plano físico é reflexo do que está acontecendo no plano espiritual. Vc pode fazer algum paralelo entre o que está acontecendo no Brasil, nesse momento (protestos por todo o país), e o que está acontecendo no plano espiritual? E outra coisa: Eu temo que esse movimento, dos jovens protestando por um país melhor, possa ser usado por aproveitadores e isso acabe descambando numa ditadura novamente. A gente sabe que as ditaduras que aconteceram na história mundial começou através de badernas generalizadas, em que surge alguém como salvador da pátria, que é apoiado pelo povo, e logo após se torna um ditador. O que vc acha disso tudo?”  (Fábio Santos)


Olá Fábio. Em dois textos do blog que publiquei experiências projetivas que tive desde o final de dezembro, eu relatei informações que são confirmadas nos dias de hoje. Enquanto alguns ficaram falando em era de regeneração começando ao final de 2012, profecia maia e Terra entrando numa era de luz do cinturão de Alcyone, eu divulguei esse texto aqui no dia de 24 de dezembro: AQUI

Veja o que diz um trecho da experiência projetiva relatada nesse texto em dezembro:

“Os guardiões também capturaram nessa missão realizada em Gizé um assecla dos magos negros com aparência andina, QUE DEU IMPORTANTES INFORMAÇÕES SOBRE ALGUMAS PIRÂMIDES ASTRAIS E COLÔNIAS LIGADOS A ANTIGOS VULCÕES AMBAS LOCALIZADAS NA MESO AMÉRICA E NA AMÉRICA DO SUL e que serão retomadas completamente nos próximos anos.

Os guardiões me contaram que muitos espíritos que encarnaram no passado naquela região infelizmente foram vítimas de sacrifícios e intensas guerras em virtude de antigos rituais e da invasão espanhola naquelas regiões da meso América e que havia diversos bolsões de espíritos no astral inferior ainda sob o controle de magos negros, sendo que muitas dessas almas necessitavam de uma nova oportunidade encarnatória em breve, do que eu entendi que essa retomada, por parte dos guardiões, das antigas pirâmides das Américas que estão sob o domínio de magos negros não irá demorar muito pra ocorrer (provavelmente em menos de 5 anos).

Enfim, como eu havia dito antes em outros textos do blog, essa ação dos guardiões no dia 21 foi apenas o início de uma série de ações que desmantelarão as forças trevosas do astral inferior E INTERMEDIÁRIO, até o grande auge em 2036 quando a egrégora do Sol Negro será retirada da Terra.”


Comentário: Temos um vulcão já extinto, muito antigo, exatamente em Nova Iguaçu (estado do Rio de Janeiro). Milhões de anos atrás a atividade vulcânica no Brasil foi muito mais intensa, destacando-se as seguintes ocorrências: Poços de Caldas e Araxá (MG), São Sebastião (SP), Itatiaia e Cabo Frio (RJ),  Lajes (SC); Na região Sul - Sudeste houve um dos maiores derrames basálticos do mundo, abrangendo uma área de 1 milhão de km², que vai desde o Estado de São Paulo até o do Rio Grande do Sul, onde houve diversas manifestações. O resquício desse evento pode ser observado na região de Torres atualmente, como as belíssimas falésias basálticas. Curiosamente em todos esses estados ocorreram manifestações dos jovens contra a corrupção política. Considerando que o processo terminará em até 5 anos na Meso América é possível compreender agora que esse movimento no Brasil faz parte de uma grande ofensiva, organizada pelos guardiões, para higienizar as regiões da América do Sul e da Meso América, mais precisamente bolsões de espíritos no astral inferior e intermediário. O texto seguinte do blog também fala sobre isso: AQUI 

Publicado em 25 de fevereiro de 2013 eu falei naquele texto do trabalho de muitos jovens na conscientização das pessoas, algo que já estava incomodando as entidades das zonas umbralinas. Aqui vai o relato daquele texto que fala sobre isso:   

"Mentalmente, um dos guardiões me informou que o trabalho daquele prédio ou “subsolo” do prédio que ficava no astral inferior era semelhante ao do prédio que havia sido destruído semanas antes; só que ao contrário daquele prédio no astral intermediário, que visava alienar crianças que seriam futuros médiuns, o prédio no astral inferior VISAVA COMBATER A ATIVIDADE DE JOVENS MÉDIUNS, JOVENS QUE JÁ ESTIVESSEM REALIZANDO ALGUM TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E DESPERTAR E QUE ESTAVAM CAUSANDO ALGUM INCÔMODO NO SUBMUNDO ASTRALINO PELA VISIBILIDADE QUE ESTAVAM ALCANÇANDO, SOBRETUDO ENTRE OS MEIOS DE DIVULGAÇÃO VIRTUAL.

Justamente por esses jovens estarem mais engajados e cultivando com firmeza seus projetos, o trabalho de combate por parte dessa ramificação das trevas havia sido instalado no astral inferior, bem escondido e protegido, para que tentasse passar despercebido pelos guardiões."


Comentário: Repare que tanto as lideranças como os jovens mais engajados no movimento estão sendo inspirados e não praticar violência, com os gritos de “sem violência”, assim como criando uma dissociação de partidarismos, ou seja, não apoiando qualquer partido político, além de lutar por mudanças na atual política que se instalou no Congresso Nacional, mais precisamente no Legislativo, que tenta através de pecs criar amplos poderes pra si para servir aos propósitos do Executivo.

Já vimos em outras páginas da história o que acontece quando tanto poder é concentrado na mão de um pequeno grupo de políticos e quando este tenta retirar as forças contrárias ou de fiscalização (STF, MP) para que possa mandar e desmandar sem o diálogo ideológico: é quando tentam transformar democracia em ditadura.

As manifestações dos jovens, em sua grande maioria pacífica e contrária a corrupção política, sobretudo a instalada no Congresso Nacional e comprovada claramente pelo julgamento do STF no caso do mensalão, são manifestações inspiradas pela Alta Espiritualidade que deseja colaborar na manutenção do estado democrático de direito.

Um sábio amigo espiritual sempre me diz que “papai do céu não joga, mas fiscaliza” e está acontecendo isso mesmo: quando começam a querer esculhambar o jogo, as providências do Alto chegam para colocar a situação em novos e melhores rumos, inspirando a população a exercer de forma positiva o seu livre arbítrio e começar a se informar mais, saindo da alienação e das velhas retóricas e chavões do tipo “esse é o partido do povão”, “esse é o pai do povo”.

Salvo alguns baderneiros e vândalos, que não chegam a 10% do contingente de jovens que tem ido as ruas, a grande maioria está consciente da importância de reivindicar, de forma pacífica, os clamores da população, apontados basicamente por propostas bem definidas contra a corrupção e pela manutenção do estado democrático de direito, combatendo medidas que tentem diminuir a força do STF e do Ministério Publico.

A chamada Transição Planetária, que define os anos finais de uma era de expiação e provas que precedem a chegada de uma era de regeneração ou era de luz, é um período que pode ser comparado as dores do parto para que a Mãe Terra dê a luz: aparentemente com o corpo físico transformado, com as dores e contrações mas que em breve dará luz a uma nova vida.

Também podemos comparar a Transição Planetária a uma grande faxina: móveis são tirados do lugar, a poeira sobe quando se começa a varrer o chão, antigas sujeiras começam a aparecer. Quando alguém chega à casa, no meio da faxina, tem a impressão de que a casa está ainda mais bagunçada e suja, mas na verdade ela está sendo preparada para ficar limpa. Os anos finais de uma era de expiação e provas (anos esses que são um período pequeno dentro de uma era conhecido como Transição) é exatamente isso, uma grande faxina que deixa essa impressão de uma maior bagunça ou sujeira, mas que nada mais é do que uma preparação para a organização e limpeza necessárias. Da mesma forma que uma casa em plena faxina não está mais suja e também só estará limpa ao final da faxina, no período denominado Transição Planetária ainda não estamos na Nova Era (casa limpa), mas já se intensificam os movimentos para sair da era de expiação (casa suja) através da faxina (Transição Planetária).

Resumindo as questões da sua pergunta Fábio, o que está acontecendo desde os últimos dias de 2012 é um processo de limpeza, um “faxinão” nas Américas do Sul e MesoAmérica e em proporções menores em outras partes do planeta. A eleição de um papa argentino, o desencarne do Chavez, o despertar das reivindicações para mudanças na política do Brasil, tudo isso faz parte de uma organizada ação da Alta Espiritualidade especificamente sobre as Américas do Sul e Meso América que fica cada dia mais clara, com o objetivo de lançar as sementes das mudanças amplas que precisam ser semeadas nessas duas grandes regiões.

Não acredito na vinda de um ditador, acredito que todas as ações dos últimos meses, desde o final do ano passado, mostram claramente que a Alta Espiritualidade, juntamente com os guardiões, já iniciou um amplo processo para dar fim a todo tipo de regime ditatorial ou de falsas democracias que escondem lideranças ditatoriais ou que tenham a intenção de utilizar mecanismos democráticos com propósitos ou posturas ditatoriais, assim como impedir qualquer possibilidade de um regime teocrático no Brasil, visto que nos próximos anos a separação da política e da religião ficará mais evidente, pois infelizmente ainda existem líderes religiosos no Brasil que sonham um dia alcançar o posto máximo do poder Executivo. Acredito que daqui pra frente isso ficará ainda mais claro.


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


14 de jun de 2013

As Profecias, o Mapa Natal e a Astrologia

Sol brilhante, revolução solar, sol 33

O que as profecias, o mapa natal e a Astrologia têm em comum? Ao começar a aprender como fazer um mapa astral e após ler o texto abaixo, você descobrirá que ambas possuem muita coisa em comum

Uma profecia que aparece tanto no livro de Daniel 12:7 como no Apocalipse é a profecia dos 3 tempos e meio (um tempo, mais dois tempos mais meio tempo) e que no Apocalipse capítulo 11 aparece equivalente a 1260 dias e 42 meses, ou seja, 3 anos e meio. Quando publiquei no Youtube há dois anos um vídeo com a interpretação completa desse capítulo do Apocalipse, demonstrei claramente que esses 3 períodos e meio equivaleriam a períodos de décadas, ou seja, 35 anos.

Mas afinal, o que uma profecia que fala em 3 anos e meio e 35 anos tem haver com Astrologia? Os ciclos de Saturno e do Sol respondem essa pergunta.

Saturno leva exatamente 29 anos e 167 dias para dar uma volta completa no Sol, ou seja, se na Terra uma pessoa leva um ano para completar seu primeiro aniversário, se estivesse em Saturno ela levaria 29,45 anos (praticamente 29 anos e meio) para completar seu primeiro ano de vida.

Como Saturno é o planeta das limitações, representa situações que necessitam de árdua disciplina e firmeza para que sejam superadas (barreiras, provações), normalmente por volta dessa época, bem próxima dos 30 anos, é que a pessoa começa a perceber, ter consciência das próprias limitações, é a fase do amadurecimento, de começar a dar forma prática aos sonhos e aos verdadeiros objetivos de vida que a pessoa buscará (ou deveria buscar) ao longo da vida adulta para realizar a sua verdadeira vontade, simbolizada pelo nodo lunar norte ou caput draconis.

O Sol, por sua vez, a cada novo ano de aniversário de uma pessoa retorna para o mesmo signo e graduação do mapa natal, é a chamada revolução solar. Por exemplo, eu nasci em 25 de junho de 79 às 18h40min no Rj, com o Sol a 3 graus 43’ 37”. Nesse ano de 2013, o Sol estará novamente em Câncer em 3 graus 43’37” no dia 24 de junho 9 minutos antes da meia noite.

A revolução solar mostra, portanto, o verdadeiro aniversário, normalmente no mesmo dia ou um dia antes do dia de nascimento. Ocorre que no aniversário de 33 anos de uma pessoa, o Sol não apenas passa pelo mesmo signo e pela mesma graduação do mapa natal, mas também pelo exato ponto que o Sol se encontrava no mapa natal.

Ou seja, os 33 anos marcam a plena revolução solar, um novo nascimento, quando o indivíduo após tomar consciência das suas limitações e das provações que precisa superar para alcançar seus sonhos quando realiza o ciclo de Saturno (29,45 anos) dá início a sua “nova vida” na busca desses objetivos, na busca de realizar a sua verdadeira vontade, quando atinge os 33 anos.

Entre a revolução de Saturno e o final do primeiro aniversário da revolução completa do Sol (29,45 a 34 anos) é exatamente o momento que o signo Ascendente do mapa natal começa a ganhar mais força, pois o disco zodiacal funciona no sentido antihorário, ou seja, o ponto do ascendente demarca em um dia o horário do amanhecer, o meio céu o ponto mais alto (meio dia), a descendente o entardecer e o inferior céu o ponto mais baixo (meia noite), por todos esses motivos o signo que estava no Ascendente do mapa natal equilibra as suas forças com o signo solar exatamente na fase próxima da revolução completa do Sol, entre 30-35 anos, pois marca a ascensão verdadeira, o novo nascimento solar no disco zodiacal.

Existem estudos amplos sobre o tema, inclusive o consagrado Alexandre Volguine expõe alguns métodos interessantes, que levam em conta principalmente a passagem do ascendente anual da revolução solar em relação ao ascendente natal para calcular períodos mais prováveis para desencarnes ou graves problemas que podem colocar a vida de uma pessoa em perigo.

Futuramente eu farei cálculos com esses métodos levando em conta a data de “nascimento” do Vaticano e dos Estados Unidos, com o objetivo de estudos mais amplos no tema profético, mas isso é uma outra história, para outra ocasião....

Voltando ao tema principal do texto, essas informações explicam porque a Igreja adotou a versão de que Jesus morrera com 33 anos. Na verdade, Jesus realmente morreu no ano 33, mas quando estava as vésperas de fazer 36 anos. Para alinhar a morte e o renascimento (ressurreição) de Jesus ao ciclo completo da revolução solar, o “renascimento do Sol”, ficou estabelecido que Jesus teria 33 anos na sua morte e que esse seria o ano 33 do calendário gregoriano (inclusive o primeiro dia da semana foi nomeado de Dia do Senhor ou Dia do Sol, ou seja, domingo).

Sol brilhante no sistema solar, revolução solar, revolução saturno, sol 33

O significado oculto, midráshico, que os profetas utilizaram na profecia dos 3 tempos e meio é exatamente dessa interação entre o ciclo de Saturno e o ciclo do Sol.

De 29,45 anos (ciclo Saturno) a 33 anos (ciclo Sol) temos exatamente 3,55 anos ou simplesmente 3 anos e meio, 3 tempos e meio.

Do início que se identifica, se toma a consciência de uma limitação, uma provação (Saturno), até a chegada a um novo início da luz (Sol) são exatos 3 anos e meio ou 3 tempos e meio. Jesus no sermão profético, em Mateus 24:32 compara a chegada de uma nova era (A Nova Jerusalém citada no Apocalipse) ao verão (a estação do Sol, pois os dias começam mais cedo e as noites começam mais tarde).

"Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas, e juntarão seus escolhidos dos quatro ventos, duma extremidade do céu à outra. Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta." (Mateus 24:31-33)

Considerando que o auge dos eventos do dia do juízo será em 24 de abril de 2036, a profecia de Jesus faz todo o sentido se calculada pelo início do verão no hemisfério norte (90% da população do mundo, incluindo Israel está nesse hemisfério), pois o verão começa nessa região no dia 21 de junho e segundo a profecia de Jesus as mudanças para uma nova era estarão “as portas” do verão, na primavera.

Se considerarmos esses 3 tempos e meio da profecia como décadas, teremos 35 anos. A partir do início do terceiro milênio (2001) temos 35 anos completos exatamente em 2036, sendo que 36 (o ano do auge das mudanças) representa exatamente a kamea solar da Cabala, assim como representa o caminho do meio dos 72 nomes de Deus na Cabala. 

Da mesma forma no disco zodiacal a décima casa (10) ou meio céu representa o ponto mais alto, o meio dia, o ponto mais brilhante do zodíaco, mostrando claramente a nível astrológico e cabalístico que a décima repetição desses 3 tempos e meio, a partir do terceiro milênio, representam realmente o amanhecer de uma nova era para a Terra. Por isso que ao fazer um mapa astral a casa 10, assim como o Ascendente e o signo solar são tão importantes para compreender várias questões â respeito de uma pessoa e ajudar no seu processo de autoconhecimento ao analisarmos o seu mapa natal.  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


12 de jun de 2013

Os Dragões e Magos Negros (Parte VIII) - O Exílio dos Ditadores do Abismo (2.0)


“Oi José, tudo bem? Eu tenho algumas dúvidas em relação ao exílio sobre os dragões. Eu cheguei à postá-las no seu blog, mas não sei porque não foram publicadas, acho que deve ter havido algum erro meu na hora da publicação. Mas, vamos às dúvidas. Os dragões poderão também adiar indefinidamente suas reencarnações no planeta para onde serão exilados? Ou a espiritualidade será mais rigorosa com eles do que foi aqui na terra? E os povos que lá já existem, também sofrerão as mesmas maldades que esses dragões praticaram aqui na terra? sds, Fábio”

Olá Fábio. O blog possui um pequeno filtro, ou seja, toda e qualquer mensagem pra aparecer no blog precisa passar pela moderação, inclusive a mensagem que aparece após a pessoa postar o comentário é de que ela será publica após ser lida pelo moderador. Quando quiser comentar no blog, pode comentar sempre, apenas vai levar alguns minutos ou horas pra que a mensagem apareça no blog.

Dito isso, vamos as questões que você trouxe, muito interessantes por sinal. O degredo que acontecerá com os dragões para o futuro mundo exílio será um pouco diferente daquele que eles sofreram em direção à Terra a aproximadamente 1 milhão de anos. Naquela época eles vieram, ou melhor, achavam que estavam vindo de passagem com suas naves de matéria astral e seus corpos originais, também de matéria astral, após a destruição de um planeta que existia entre Marte e Júpiter chamado pelo Feraudy (escritor e médium espiritualista) de Erg.

A providência divina e seus prepostos acabaram por encaminhar aquele grupo de espíritos, em número aproximado de 2 mil para a Terra e aqui os aprisionaram, não apenas pra impedir que eles continuassem invadindo e destruindo outros mundos, mas pra que eles também participassem do processo de desenvolvimento do gênero humano através das experiências genéticas que realizaram com o objetivo de elaborar futuros corpos físicos onde eles próprios pudessem encarnar.

Esse processo levou aproximadamente 200 mil anos, até que ocorreu um grande evento, responsável pelo primeiro afundamento da Atlântida, quando a Alta Espiritualidade enviou um grande grupo de espíritos exilados da constelação de Perseus (tema que pretendo abordar futuramente no blog dando continuidade ao texto “Os outros exílios além de Capela”) e assim os dragões foram definitivamente encaminhados para o astral inferior da Terra, pois até então eles viviam no astral intermediário (na contrapartida astral da superfície física onde vivem os encarnados), materializando-se com freqüência no plano físico.

A partir desse grande evento, há aproximadamente 800 mil anos, eles foram definitivamente impedidos de atuar no astral intermediário e no físico (com algumas exceções quando um ou outro deles aparecia como um agênere), mas sempre de forma temporária e algo que não ocorre mais desde o penúltimo afundamento da Atlântida, quando então foram definitivamente exilados para as zonas mais inferiores do astral inferior, abaixo das trevas, no chamado abismo, de onde surgiram todas as lendas egípcias a respeito de apep, apophis ( a serpente primitiva gigantesca que vivia nas trevas do abismo)


Segundo o recente texto publicado no blog (Dragões e magos negros parte 7- os ovóides petrificados), todos os corpos dos dragões já estão em estágio de ovóide petrificado, instalados na estrutura egóica (ou seja, uma egrégora) denominada sol negro. Ver o texto Os dragoes e o sol negro 

O que ocorre é que alguns dragões ainda mantém a consciência utilizando corpos artificiais, mas todos os corpos, de todos os dragões, estão lá, em estágio deplorável de ovóide petrificado.

Durante o exílio, quando a egregora do sol negro for retirada da Terra e desfeita (processo relatado no texto "o fim do Sol Negro") será também quando esses corpos em estágio de ovóide petrificado serão levados para uma localidade próxima de júpiter, onde se iniciará o processo de reconstrução desses corpos através das mais modernas técnicas dos cientistas mais avançados tecnologicamente e moralmente do nosso sistema solar. Esse processo está descrito no texto "dragões e magos negros parte 5 - o exílio dos dragões", AQUI 

Como descrito no texto, eles passarão pela reconstrução inicial do mental inferior e do astral em Ceres e em seguida num dos satélites de Júpiter, a lua Europa e só então serão encaminhados para o mundo exílio, com corpos perispirituais reconstruídos e adaptados para essa nova experiência no mundo exílio. 

Segundo os estudos que venho realizando, o mundo exílio na verdade não é um único mundo e sim um conjunto de mundos, localizados na órbita da estrela vermelha Gliese 581g. Mais sobre isso pode ser visto aqui:





Dessa forma esse grupo de espíritos será isolado do convívio com os demais exilados, que encarnarão em outros mundos ao redor dessa estrela vermelha. Acredito que os amplos poderes psíquicos dos dragões na manipulação dos elementos astrais serão de certa forma adormecidos durante essa reconstrução pelos cientistas de Júpiter e isso, somado ao encarne num mundo físico e tão inóspito, diminuirá em muito o poder de atuação desses espíritos, impedindo que eles realizem esse processo atual de evitar a reencarnação na Terra a centenas de milênios, e evitam justamente para que preservassem a bagagem de conhecimento que naturalmente seria muito limitada pelas condições do modelo físico existente na Terra. 

Dessa forma os dragoes reiniciarão seu ciclo de reencarnações em outro mundo.

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


7 de jun de 2013

Javé, o Demiurgo? Lúcifer Existe?

Monte Nebo - Moab, Moisés em Canaã



Pergunta interessante recebida por email sobre o tema: “José a minha pergunta desta vez é a seguinte.Assistindo á um video,de um palestrante de pseudonimo Jan Van Allen sobre Javé,fiquei não digo confuso,mais muito confuso.O palestrante diz coisas que tem nexo,mais deixa ''buracos'' nestas informaçoes muito desconexas,pelo menos .para mim, a respeito deste Personagem chamado JAVÉ,não sei c vc já viu alguma palestra deste senhor, são várias sobre diversos temas.Mais em particular fiquei curioso e ao mesmo tempo muito pensativo.Afinal quem é este Personagem tao polemico?Qual seu papel na vida de todos nós nesta Obra Divina?Qual o mistério que este palestrante tenta esconder á respeito de Javé?Será que que a Gnose está certa quando diz que Javé é um Mago Negro dos mais temíveis?Ou será que este senhor se encaixa naquilo que vc tão bem coloca sobre a fascinaçao?Espero ter me expressado de forma coerente,até mais e um abraço xará.OBRIGADO.” (Antônio)



Olá Antônio, eu não conheço muita coisa sobre o Jan Ellam, o que eu sei é que lá pelos idos de 2007 ou 2006 ele errou diversas profecias sobre supostos contatos de extraterrestres com a humanidade em datas que supostamente teria recebido por contato com os próprios extraterrestres. Isso foi amplamente divulgado: AQUI


O pouco que eu li do que ele escreveu não me despertou interesse, mas aí já é questão de gosto pessoal. Quanto a tua pergunta sobre Javé, eu não sei qual seria a visão do Jan Ellam sobre o assunto, o que eu sei é que existem algumas linhas de estudo, como a gnose de samael, que entendem Javé como o demiurgo, uma entidade que seria a criadora do mundo material, dotada de sabedoria limitada e imperfeita, ou seja, ele seria um ser que em épocas imemoriais foi um criador, assim como Deus (que é o supremo criador) mas resolveu exercer esse grande poder de criação em polaridade oposta a Deus, negativa, sendo uma antítese de Deus em poder e o responsável pelo mal do mundo. Ou seja, a explicação do gnosticismo é de que o mal não provém de Deus mas sim de uma entidade criadora intermediária responsável pela criação do mundo material. Dessa forma, o suposto criador da Terra seria essa entidade, o demiurgo, que criou o mundo com a maldade que existe até hoje por um ato de desobediência a Deus.

Pra mim, na minha opinião, isso é besteira, tal entidade não existe e nunca existiu, é apenas uma necessidade do homem, desde épocas imemoriais, em criar arquétipos maniqueístas, justificando o mal, que o próprio homem pratica pelo seu livre poder de escolha, como obra do “capeta” ou de um “anjo caído”. Deus criou o homem simples e ignorante (ignorando a lei de amor justamente pela sua inexperiência) para que ele evolua e aprenda, pelas próprias escolhas, a despertar a essência divina que existe dentro dele, despertar esse que ocorre uma hora ou outra devido a ação da lei do karma, que impulsiona o homem a felicidade quando age em acordo com a lei do amor e ao sofrimento quando pratica atos em desacordo com a lei do amor, devido ao processo de resgate e retificação que sofre como efeito ao mal praticado. 

Ocorre que a Terra sendo mundo de expiação e provas onde a maioria dos espíritos estão em um nível evolutivo atrasado, acaba por ser campo de lutas e provações, não porque um ser (demiurgo) tenha feito uma criação com defeito de fabricação, mas sim porque as próprias pessoas, em sua maioria,  estão em um nível moral e evolutivo atrasado, gerando karmas negativos pelos próprios atos invigilantes (e aí depois querem arranjar um bode expiatório quando chega a conta dos atos praticados).

Deus, em sua suprema bondade, permite as provações justamente para alavancar, através do sofrimento, a lição ou entendimento que não foi aprendido pelo exemplo de amor. Pra um aluno do primário, quando a professora ao observar a caligrafia ruim do aluno indica que ele repita uma mesma palavra 10, 20 vezes até que melhore a caligrafia, pro aluno isso é um “castigo” mas na verdade é a forma de fazer com que ele escreva melhor. 

Sempre que agimos de forma errada, ou seja, em desacordo com a lei do amor, teremos que “repetir a caligrafia’ até que ela fique "bonita", em consonância com a lei de amor e essa repetição é justamente sentir, em nós mesmos, aquilo que “escrevemos sobre os outros”. A medida que “escrevemos melhor” deixamos de sofrer com karmas negativos, simplesmente porque Deus é como a professora do primário: não quer o sofrimento do aluno, mas sim que ele aprenda pelos próprios esforços. O problema é que tem gente achando que essa professora é um demiurgo malvado fazendo o pobre aluno padecer na repetição da caligrafia.....

Mas então, afinal, quem é Javé? Pra resumir a história, Moisés ao libertar o povo hebreu do domínio egípcio e viajar por anos e anos pelo deserto (o êxodo) precisava motivar aquelas pessoas, não apenas a continuar na peregrinação rumo a terra prometida (Canaã) mas também a abandonar os costumes politeístas herdados da cultura egípcia. Moisés sabia que Deus é um só, o único criador, mas precisava ensinar essa idéia numa forma que os hebreus da época compreendessem. Foi então que ele criou a figura de um Deus antropomórfico, quase humano, aguerrido, justiceiro, que deveria ser temido e obedecido pela sua força e justiça implacável.

Moisés sabia que Deus não era assim, mas o povo só assimilaria a idéia do monoteísmo se conseguisse compreender Deus de alguma forma, mesmo que fosse um Deus quase humano. Apesar  dessa idéia do “Deus tropa de elite”  ter sido disseminada em grande parte do povo hebreu, Moisés também ensinou a um pequeno grupo, de hebreus com um maior potencial em compreender a real natureza de Deus, quem realmente era Javé. Esse pequeno grupo, chamado de essênios, viria a ter acesso aos estudos sobre YHWH, Cabala e todo conhecimento mais avançado da espiritualidade. Esse pequeno grupo dentro do povo hebreu foi quem ao longo dos séculos antes da vinda de Jesus construiu três templos essênios próximos da região onde Jesus nasceria : em Alexandria próximo ao lago mareotis, no Monte Carmelo e em Qumran próximo ao rio Jordão.

A grande massa de hebreus durante o êxodo, entretanto, não conseguiu assimilar esse conhecimento, tornando-se assim conhecidos como fariseus que significa em português “separados”. O Deus de amor que Jesus ensinou e em boa parte espelha muito do conhecimento dos essênios é o mesmo Deus que Moisés ensinava aos essênios mas para a grande maioria dos hebreus ainda com dificuldade em se desvencilhar do politeísmo, a imagem que Moisés passou pra essas pessoas de Deus foi com um objetivo definido e não a verdadeira imagem de Deus ou da Sua verdadeira natureza.

Não tem nada de Lúcifer, demiurgo e coisas do tipo, inclusive em um dos posts da fanpage eu falo sobre a questão de Lúcifer, um gravíssimo erro teológico sem qualquer sustentação bíblica: AQUI

Como você pode ver Antônio, a história é bem mais simples do que alguns tentam complicar. Abraço

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036