29 de abr de 2013

A Vida no Astral Inferior (Parte II): Extinção do Ovóide e Destruição da Alma, É Possível ?

Reservatório de ectoplasma

Questão que recebi pelo email do blog, mais de uma vez:


“Tenho uma dúvida e gostaria de saber se você pode me ajudar. A minha dúvida é a seguinte: É possível um espírito ovóide reencarnar mesmo que o ovóide tenha sido destruído por outro espírito, ou seja, o ovóide sendo extinto, é possível uma nova reencarnação para esse espírito? Agradeço desde já a sua atenção!” 

E aqui: "Existe morte espiritual, ou seja, quando morremos, acaba a vida física e o espírito/alma/mente/ energia ou seja lá o que existe após a morte terrena, podemos morrer definitivamente na vida espiritual, sermos deletados da existência, de todo o tipo de existência?"


O estágio de ovóide é quando o corpo astral já está destruído e o corpo mental inferior em amplo estágio de degradação, normalmente apresentando-se como uma esfera gelatinosa enegrecida girando alucinadamente no próprio eixo ou como uma espécie de grande larva, também enegrecida e de aspecto gelatinoso, nesses casos não passando de um metro no tamanho.

Nesse estágio o espírito perde a consciência do mundo exterior e passa a viver apenas dentro de si, das próprias formas pensamento desordenadas que habitam no seu íntimo.

Entretanto, a sabedoria divina cria mecanismos que impedem a destruição do ovóide, seria como querer matar uma pessoa já desencarnada ou dividir um espírito em várias partes, ambas ações impossíveis.

Quando atinge esse estágio de ovóide, as partículas do corpo mental inferior estão tão densas e coesas que qualquer arma ou mecanismo no astral inferior não conseguiria desagregar ou destruir esse corpo. É como se o ovóide fosse um pasta gelatinosa, extremamente flexível e ao mesmo tempo muito coesa; sempre que tenta ser muito distendida para que ocorra o rompimento, produz uma força incrível atraindo para o seu centro (o conjunto dos principais 7 chacras que ficam girando alucinadamente no centro do ovóide como se fosse um chacra só, produzindo um redemoinho que centraliza energia, causando essa gigantesca coesão molecular)

Existe ainda um outro estágio, relatado no livro "O Abismo" posterior ao ovóide, que é o ovóide petrificado, que também é inquebrantável e indestrutível, pois apresenta uma coesão ainda maior do que um simples ovóide. São mecanismos divinos que impõe um limite para a degradação do perispírito, impedindo que o veículo de manifestação de espíritos tão desequilibrados não seja extinto.

Nesses casos, o espírito que esta com o corpo perispiritual na forma de ovóide precisa de um longo tratamento junto a espiritualidade maior, para que tanto o corpo mental inferior como o corpo astral sejam refeitos.

André Luiz chega a falar disso em seus livros, quando se refere às grávidas do astral (espíritos com perispírito na forma feminina) que servem de mães espirituais na formação de novos corpos perispirituais para espíritos que estão em processo de reconstrução do corpo perispiritual, sobretudo o astral.

Alguns links do blog abordam esse tema dos ovóides:

Corpo astral e processos de energização: AQUI 

Dragões e Magos Negros (parte VII) - Os ovóides petrificados: AQUI 

No oitavo texto da série “Dragões e Magos Negros”, que posterei em breve é relatado o processo de reconstrução do perispírito dos dragões durante o seu processo de exílio após o auge dos eventos da transição planetária em 2036.

O espírito pode ser definido como energia vital inteligente, que se manifesta não apenas através dos chamados corpos inferiores (físico, etérico, astral e mental inferior) como também dos corpos superiores (compostos unicamente por fluido universal e sem princípio material), composta de duas essências fusionadas que formam a individualidade espiritual ou o principio espiritual individualizado: a alma e o Espírito. 

A alma é o ser em evolução, a mente em desenvolvimento, que evolui, vivencia os karmas, a sede do livre arbítrio.

O Espírito (em maiúsculas) é a essência divina, a centelha divina perfeita que torna o espírito (em minúsculas, somatório da alma e do Espírito) a imagem e semelhança de Deus, o Espírito é a voz da consciência, a presença divina em cada ser vivo impulsionando a evolução da alma através da matéria orgânica pela experiência da encarnação. 

A medida que a alma evolui, ela vibra cada vez mais em harmonia com o Espírito (que alguns também chamam de Espírito Santo, Eu Superior, Eu Sou), essência que a vitaliza e permite que a individualidade espiritual evolua. 

É a ação do Espírito sobre a alma no espírito individualizado que impede a destruição da alma, pois Deus criou todos os seres vivos com a Sua essência, para que evoluam, se desenvolvam e um dia possam compreender plenamente todo o Universo e vislumbrar a “face” de Deus, sendo assim, não existe destruição da alma, da mente, do espírito, primeiro pela ação do Espírito fusionado a cada alma formando cada individualidade espiritual que vitaliza constantemente a alma e em segundo pela própria ação do Espírito que impede a extinção do corpo mental inferior no estágio de ovóide.

A única forma do corpo mental inferior ser extinto é quando o espírito evolui de tal forma que não precisa mais de corpos inferiores e nesse caso a luz do seu espírito atua de tal forma nas moléculas semi materiais do corpo mental inferior que elas se elevam vibratoriamente ao seu estado original, que é o de fluido universal e assim o espírito passa a se manifestar unicamente em corpos superiores, formados de fluido universal, o que não significa uma destruição dos componentes moleculares do corpo mental inferior mas sim sua elevação vibratória.

Dito isso, não existe nem extinção do espírito, da alma, da mente e nem do perispírito.


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:



25 de abr de 2013

João XXIII, Parravicini e Nostradamus (Parte V) - Roma após a Morte de Francisco

Papa Francisco e papa da Igreja Católica Oriental


Parte IV: AQUI

Trago hoje a quinta parte (penúltima) de uma série de de 6 textos com profecias de João XXIII, Parravicini e Nostradamus sobre a vinda do último Papa, o processo de queda do Vaticano, o surgimento do falso profeta, a invasão européia e o fim do papado antes do ápice da Tribulação. Os seis textos estarão assim nomeados:

1) A Eleição do Último Papa
2) A Morte do Papa
3) A Queda da Igreja
4) Muitos Pais antes do Ápice
5) Roma após a morte de Francisco
6) O Falso Profeta



Papa João XXIII, papa joão 23, angelo roncali


No livro “As profecias do papa João XXIII” publicado em 1976 pelo jornalista Píer Carpi, quase uma década após a morte do famoso papa, podemos observar várias profecias muito interessantes, como a subida ao poder de Gorbachev e do papa João Paulo II, além de um prazo estipulado em vinte séculos mais a idade do Cristo para o auge dos eventos descritos no Apocalipse. Fiz uma pequena análise dessa parte principal das profecias do papa João XXIII nesse post AQUI 

Vou agora interpretar uma outra profecia que está nesse livro, mais precisamente na página 151 da primeira edição produzida no Brasil em 1976 pela editora Difel. A profecia está assim escrita:

“Abraão, voltaste da montanha e trouxeste ileso o filho. A montanha da Itália não deseja mais sangue dos seus prediletos. Está é a terceira Itália. Os mapas estão fora do tempo, a mulher está morta, os nomes foram feitos fatos. Duas Itálias tiveram de morrer, para limparem o passado. E as cinzas não parecem suficientes. Todos confessaram, exceto os que foram mortos. Mas os assassinos foram presos um por um. Abraão se encontra nesta terra onde o Sol escureceu há muito, onde o Pai da Mãe caminhou no sangue das ruas de Roma, no primeiro dia. Hoje Roma não tem mais este nome. É uma lembrança e os seus palácios estão no Norte. Aqui, as ruínas, ruínas de homens e de coisas. Abraão é filho e pai da Europa e seus irmãos estão aqui. Sete chefes mortos sobre sete colinas, antes da terceira Itália. Rebelde, última rebelde na Europa, ligada por Severo às bandeiras vermelhas. O juramento secreto no Gianicolo, a conjura, depois o vento da liberdade. Irmãos entre irmãos. Alguém chora e reza na pequena casa de Loreto. O mundo o ouve todas as noites”   

Temos várias chaves proféticas que necessitam ser compreendidas para que possamos “abrir” o entendimento que está oculto nessa profecia. 

A primeira chave a ser decifrada é o significado do personagem Abraão, que etmologicamente significa “líder de muitos” e na história bíblica foi a partir dele que se desenvolveram três grandes vertentes religiosas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. 

O texto fala três vezes sobre o personagem Abraão e segundo o que é dito no texto esse personagem é uma referência aos Estados Unidos, mais precisamente a tropas americanas em solo italiano. EUA (Abraão) é filho da Europa, pois nasceu da Inglaterra (colônia inglesa) e no momento histórico que essa profecia se refere é também o pai, pois é quem tenta defender militarmente a Itália de invasores. Sabemos que atualmente nos EUA existe a segunda maior comunidade de judeus do mundo, assim como forte presença do protestantismo, tornando o cristianismo a vertente religiosa preponderante no solo americano. Dessa forma, o "líder de muitos" é uma referência aos americanos.

O tempo dessa profecia está logo após os eventos que causaram o fim da Igreja e a morte do último papa, descrito nas profecias de São Malaquias como “Pedro Romano”. Na profecia de João XXIII é dito que 7 chefes (papas) já terão morrido sobre as 7 colinas (Roma é a cidade das 7 colinas, onde está o Vaticano). Existe uma profecia no Apocalipse a esse respeito, é Apocalipse 17:10 que fala em 8 reis como referência aos 8 papas desde a criação do Vaticano até o final da Igreja. A Igreja recebeu seu “reino” com a criação do Vaticano, desde sua criação até Bento XVI temos exatos 7 papas, vindo então Francisco, o oitavo papa e que cumpre as profecias do Apocalipse, Malaquias e Monge Pádua.

Os 7 papas foram europeus, o oitavo sabemos que não é europeu e que devido as grandes confusões no futuro, na época da sua morte, muito provavelmente não será enterrado sob Roma, a cidade das 7 colinas, mas sim na região de Marche, próximo a Loreto.

Na profecia de João XXIII a Itália nessa época (já após o fim da Igreja Romana) é a terra “onde o Sol se escureceu há muito” (confirmando de certa forma que um grande evento no Etna como o primeiro “ai” do Apocalipse é possível, já que uma mega explosão vulcânica poderia deixar o céu na região escuro por semanas ou até mesmo meses). Somente um grande evento dessa magnitude, capaz de escurecer o céu, poderia colocar fim, literalmente a Itália, fazendo surgir uma terceira Itália (uma clara analogia à queda do Vaticano e de Roma, as “duas Itálias” que sucumbiram)

Outra referência interessante é que os “palácios que existiam em Roma estão ao Norte”, uma indicação a sobrevivência do Cristianismo através da Igreja Ortodoxa Russa, que fica ao Norte da Itália e onde a estrutura mais semelhante aos antigos palácios do Vaticano pode ter se mantido

Em suas profecias João XXIII cita a Mãe como a Igreja Romana e o Pai como o papa. Nessa profecia em específico, ele fala de um filho salvo por Abraão e da morte da mulher. 

Considerando que nessa época não temos mais a tradicional sede da Igreja em Roma (foi transferida provavelmente para a Rússia) essa mulher morta aqui referida provavelmente é o Vaticano e o filho salvo na montanha é uma referência ao amigo de Francisco, o santo franciscano que João XXIII cita em outras profecias, aquele que desceu da montanha e ficou diante do túmulo do papa Francisco, já morto nessa época. 

A região de Loreto fica na província italiana de Marche, que é cheia de montanhas, inclusive muitas delas foram utilizadas durante a época do Cristianismo Primitivo para os cristãos que fugiam das perseguições romanas. Em Loreto existe um conhecido santuário, a Santa Casa, todo construído em pedra e que tem a imagem negra da Virgem Maria com o menino Jesus, provavelmente é nessa região, nesse local, que o santo franciscano, amigo do papa Francisco já morto, se refugiará após a morte do papa.  O juramento e a conjura no Gianicolo remetem a profecia de Parravicini sobre conciliábulos e o retorno as catacumbas, sendo que o Gianicolo fica exatamente em uma colina ocidental em Roma, localização do Pontifício Colégio Americano, o que explicaria as conjuras de europeus e americanos contra as forças invasoras exatamente nesse local.

Vamos interpretar então de forma resumida cada trecho da profecia:

Abraão, voltaste da montanha e trouxeste ileso o filho. A montanha da Itália não deseja mais sangue dos seus prediletos.”

Abrahão representa aqui os americanos, foram até a montanha, na região de Loreto, trazer ileso o santo descalço, o homem que andou com o Papa Francisco e outrora desceu da montanha indo ao encontro do túmulo do papa já falecido. Ele é o filho, pois foi o mais próximo do papa (pai).

“Está é a terceira Itália. Os mapas estão fora do tempo, a mulher está morta, os nomes foram feitos fatos. Duas Itálias tiveram de morrer, para limparem o passado. E as cinzas não parecem suficientes. Todos confessaram, exceto os que foram mortos. Mas os assassinos foram presos um por um.”

O Vaticano está dizimado (mulher morta), Roma e o Vaticano são as duas regiões da Itália que morreram. Muitas mudanças geopolíticas e geográficas em virtude dos conflitos e dos desastres naturais (mapas estão fora do tempo), inclusive o termo “cinzas” parece indicar de forma velada um mega evento vulcânico (Etna)


“Abraão se encontra nesta terra onde o Sol escureceu há muito, onde o Pai da Mãe caminhou no sangue das ruas de Roma, no primeiro dia.”

Um grande evento vulcânico trouxe cinzas e escureceu o Sol (uma mega erupção poderia deixar os céus escuros por semanas ou meses).

“Hoje Roma não tem mais este nome. É uma lembrança e os seus palácios estão no Norte. Aqui, as ruínas, ruínas de homens e de coisas.”

Os palácios do catolicismo estão agora apenas na Rússia, na Igreja Católica Oriental (ao norte do Vaticano), pois no Vaticano sobraram apenas ruínas.

 “Abraão é filho e pai da Europa e seus irmãos estão aqui.”

Os Estados Unidos nasceram da Europa, pois eram uma colônia inglesa (filho) e nessa época da profecia torna-se pai em virtude da liderança e ajuda aos europeus.

 “Sete chefes mortos sobre sete colinas, antes da terceira Itália.”

Sete papas, desde que o Vaticano foi criado, enterrados em Roma sobre a cidade das sete colinas. O último, Francisco, ao que tudo indica não será enterrado em Roma.  

 “Rebelde, última rebelde na Europa, ligada por Severo às bandeiras vermelhas. O juramento secreto no Gianicolo, a conjura, depois o vento da liberdade. Irmãos entre irmãos.”

Uma aliança entre americanos e cristãos ligados ao santo descalço, uma aliança secreta para combater as bandeiras vermelhas (chineses) e Severo, um nome que ainda não surgiu no cenário mundial, mas que representa um homem de ascendência africana, radical islâmico, tez escura e aliado dos chineses, que é retratado por João XXIII em suas profecias como um camponês, calvo, que utiliza uma túnica (dourada) e que morrerá no deserto ( nas páginas 147 e 164 é relatada essa morte de forma igual).

Na história romana, a dinastia Severa (dos Severos) governou o império romano entre 193 e 235 e foi fundada por um general africano, Septímio Severo.

Em suas profecias, João XXIII inclusive afirma que esse camponês calvo de pele negra é “filho de leopardo”, mostrando claramente sua raiz africana e sua identificação como o personagem Severo. Considerando-se que leopardo é um animal feroz, ou seja, therion (palavra traduzida no Apocalipse como “Besta” e que significa animal feroz) e que Severo é filho de leopardo, ou seja, filho da Besta, ele é o personagem que João XXIII cita em várias outras profecias do seu livro como “o filho da Besta”, análise que farei futuramente no blog. 

Ao que tudo indica Severo é o Príncipe citado na profecia da página 93: “Do vale do Príncipe virão os cavaleiros cegos. Atrás deles, os corvos da fome, da carestia, da pestilência.” E com essa profecia sabemos que ele também apresentará algum defeito de visão, esse é o falso profeta. 

“Alguém chora e reza na pequena casa de Loreto. O mundo o ouve todas as noites”

A Santa Casa, famoso ponto turístico em Loreto a nordeste no território italiano é a pequena casa, local onde o amigo de Francisco reza todas as noites.     

O vento de liberdade chega em outubro de 2035 com a salvação do santo de pés descalços preso na montanha e em seguida a uma conjura para depor as forças invasoras do território italiano e em seguida de toda a Europa.

Essa cronologia é bem demarcada por Nostradamus através de várias quadras em que aponta com precisão raros alinhamentos zodiacais para que astrólogos do futuro pudessem identificar, sem erro, os marcos temporais de suas profecias. Entre 2034 e 2035 ele deixou simplesmente 4 marcos em suas quadras, identificando esse período como de grandes guerras, sobretudo em solo europeu. Sobre essa cronologia e sobre a identidade do filho da Besta eu escreverei, em pormenores, no próximo e último texto dessa série.

Outro profeta que fala bastante sobre esse período é Parravicini, em vários desenhos que também interpretarei futuramente no blog. Em aproximadamente 10 desses desenhos ele cita o número “66” que é uma referência velada ao período que começou com o último papa, Francisco, argentino como Parravicini e que na lista oficial de papas é o número 266.

Parte VI: AQUI 



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

20 de abr de 2013

Frases para Reflexão

Platão:

Frases Platão



Sartre:

Frases Sartre



Pablo Neruda:

Frases Pablo Neruda



Shakespeare:

Frases Shakespeare



Tim Maia:

Frases Tim Maia



Vinícius de Moraes:

Frases Vinicius de Moraes



José Alencastro:

Soneto do Renascimento de José Alencastro



Bob Marley:

Frases Bob Marley



Aristóteles:

Frases Aristóteles



Confúcio:

Frases Confúcio




Jesus:

Frases Jesus



Jesus:

Frases Jesus



Allan Kardec:

Frases Allan Kardec



Victor Hugo:

Frases Victor Hugo



Bruce Lee:

Frases Bruce Lee



Heráclito de Éfeso:

Frases Heráclito de Éfeso



Desconhecido:




Albert Einstein:

Frases Albert Einstein



Aristóteles:

Frases Aristóteles


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036


18 de abr de 2013

A Vida no Astral Inferior (Parte I) - Decapitação de um Perispírito

Decapitação no astral inferior


Pergunta curiosa que recebi no email do blog:


A pergunta é a seguinte: Se no astral inferior um espírito tem a sua cabeça perispiritual arrancada por uma ave ou um ser maligno do astral inferior, o espírito imediatamente vira um ovóide ou o seu corpo perispiritual permanece inteiro da cabeça para baixo. E se ele permanecer inteiro da cabeça para baixo, ele poderá ser resgatado para a reconstrução da cabeça perispiritual ? Muito obrigado pela tua atenção !Um abraço”
  
Olá, essa é uma pergunta interessante. Primeiro de tudo, devemos saber que o perispírito é formado pelo conjunto do chamado corpo astral com o corpo mental inferior, ambos ligados entre si. É esse corpo (perispírito) que o espírito se utiliza como meio de manifestação no mundo espiritual e também quando reencarna no mundo físico.

Se uma pessoa encarnada, por exemplo, amputa uma perna física, o seu perispírito continua ali, ou seja, a perna perispiritual continua inteira, tanto que é comum pessoas amputadas sentirem por um tempo a chamada dor fantasma, pois sentem a sua perna perispiritual e não mais a perna física, que foi retirada. Como normalmente ocorre uma grande descida de toxinas pelo local que foi amputado, é normal a pessoa sentir a perna perispiritual em processo de cicatrização e regeneração das feridas que ali existiam, mesmo a perna física não estando mais lá.

No mundo espiritual ocorre algo semelhante. Se, por exemplo, algum animal feroz do astral ou algum outro espírito cortar a cabeça ou outra parte do corpo perispiritual de alguém, terá cortado apenas a parte relativa ao corpo astral e não do corpo mental inferior, pois esses dois corpos se encontram em planos diferentes.

Sendo assim, dependendo dos conhecimentos do espírito (um mago negro, um assecla preparado e bem treinado ou ainda no caso de um espírito de luz, como um mentor ou guardião), ao ter a cabeça astral retirada, ele permanecerá consciente e em poucos segundos plasmará uma nova cabeça astral, visto que seu foco de consciência transita facilmente entre o astral e o mental. O corpo astral tem propriedades ideoplásticas  tanto que é comum mesmo em espíritos não muito treinados, plasmar máscaras ou formas diferentes sobre o próprio corpo astral, pois ele tem essa capacidade de manipulação e regeneração muito acima da que existe no corpo físico.

No caso de um espírito sem tantos conhecimentos de como plasmar formas no seu corpo astral, ao ter a cabeça decapitada, ele simplesmente ficará inconsciente por algum tempo, pois assim como alguém encarnado que desmaia e abandona temporariamente o corpo físico, nesse caso ele abandonará temporariamente o seu corpo astral, passando a ficar no plano mental, em corpo mental inferior, mas ainda conectado ao corpo astral, que naturalmente realizará um processo automático de regeneração das células astrais, semelhante ao processo que existem em alguns órgãos do corpo físico que conseguem se regenerar (alguns inclusive completamente).

O que pode acontecer nesses casos é que alguma milícia, algum cientista ligado a falanges trevosas ou mago negro interfira nesse processo natural de recomposição do corpo astral e dessa forma impeça que o processo se conclua e assim, nesse caso, o corpo astral poderá ser deteriorado gradativamente, primeiro ao estágio de "cascão astral" ("cadáver" astral) e depois ao estágio de vibrião (uma espécie de ovóide com 1 metro de tamanho, semelhante na forma a uma cobra gelatinosa enegrecida). 

Se o corpo astral deteriorar para um cascão astral, a ligação entre o corpo astral e o mental inferior será desfeita e o espírito ficará apenas com o seu corpo mental inferior que naturalmente começará a agregar matéria astral ao seu redor para formar um novo corpo astral, processo que pode levar bastante tempo e assim que esteja concluído fazer com que o espírito retorne ao plano astral.

No segundo caso, o do vibrião, o corpo astral é mantido ativo artificialmente e sobre uma ação de deterioração semelhante a do ovóide, nesses casos o espírito em corpo mental inferior ainda permanece ligado a esse corpo deteriorado, que normalmente é utilizado em processos de obsessão orquestrados por magos negros e cientistas ligados a esses magos.

Mas e se um encarnado, em projeção consciente, tiver sua cabeça perispiritual decapitada?  

Antes de mais nada será bem difícil que isso ocorra com um encarnado, pois o chamado cordão de prata traciona o perispírito em direção ao corpo físico quando existe um perigo muito grande que possa lesar a estrutura perispiritual, esse mecanismo é bem comum sobretudo entre os projetores iniciantes que ainda não conseguem controlar de forma mais ampla o seu perispírito no astral. Mas vamos supor que um projetor consciente e experiente evitou conscientemente esse mecanismo de defesa do cordão de prata e, durante alguma batalha, teve sua cabeça perispiritual decapitada, o que vai acontecer? A resposta é simples: uma nova cabeça perispiritual será plasmada em poucos segundos, mesmo que o projetor não tenha grandes conhecimentos de como plasmar formas artificiais, o seu duplo etérico (o corpo de ectoplasma) fará com que esse processo seja intensamente acelerado e o máximo que vai acontecer é que durante poucos segundos o espírito permanecerá inconsciente, normalmente nesse caso tendo sua cabeça perispiritual refeita enquanto, inconsciente, é levado de arrasto pelo cordão de prata ao corpo físico.  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


17 de abr de 2013

João XXIII, Parravicini e Nostradamus (Parte IV) - Muitos Pais antes do Ápice

Bento XVI e Francisco em reunião no castelo Gandolfo


Parte III: AQUI 

Trago hoje a quarta parte de uma série de de 6 textos com profecias de João XXIII, Parravicini e Nostradamus sobre a vinda do último Papa, o processo de queda do Vaticano, o surgimento do falso profeta, a invasão européia e o fim do papado antes do ápice da Tribulação. Os seis textos estarão assim nomeados:

1) A Eleição do Último Papa
2) A Morte do Papa
3) A Queda da Igreja
4) Muitos Pais antes do Ápice
5) Roma após a morte de Francisco
6) O Falso Profeta



Parravicini relógio profético 2036


Esse é o texto mais claro de João XXIII sobre o ápice da Grande Tribulação, pois ele menciona exatamente quando isso acontecerá: 20 séculos somados a idade do Cristo. É sabido que Jesus morreu no ano 33, mas hoje também sabemos que ele não nasceu no ano zero, mas sim antes. Esse texto foi analisado em setembro de 2010 em um dos textos do blog, então pra essa série de 6 textos trarei novamente essa análise com alguns acréscimos.

“Antes da última luz, os pastores terão reconhecido o sinal. E muitos Pais terá a Mãe, todos irmãos”

Após a morte de Francisco pelos idos de 2029, a Igreja Católica (Mãe) terá muitos papas (Pais), entre eles o santo de pés descalços que vive nos arredores de Loreto (mais informações sobre esse homem nos demais textos dessa série). A “última luz” e o “sinal” (de João no Apocalipse) são referências ao texto da página 93 que foi analisado no post “A Queda da Igreja”: a luz é a queda do próprio asteróide, visto do Oriente até o Ocidente sendo que o sinal será a sua primeira passagem em 2029, trazendo o desencarne do último papa e 7 anos de persignação até o grande auge em 2036.

“Das terras e das águas brotarão catedrais e templos para santos antigos e santos novos, do nome eterno. Mas já é tempo dos santos”

O tempo dos santos é uma referência ao quinto selo do Apocalipse, ou seja, o fim da espera dos santos descrito na Revelação, que apenas esperam o encerramento do terceiro ai para reencarnar na Terra, sendo assim o chamado “tempo dos santos” é o período temporal correspondente ao terceiro ai descrito no Apocalipse, evento que será marcado pelo maior terremoto desde que existem homens na Terra, segundo a ampla descrição da Revelação. De locais arrasados pelas águas e das catacumbas, como descrito nas profecias de Parravicini brotará a nova Igreja, esses serão os novos templos da Igreja antes da vinda do auge dos eventos da Transição Planetária / Grande Tribulação.

“Todos falarão a mesma língua. E a falarão para orar a Virgem e ao Salvador. O Reino de Deus chega a terra, é erguida sua cidade, também para os que não a quiserem”

Os eventos cataclísmicos oriundos do terceiro ai, que será segundo a Revelação o maior terremoto desde que existem homens na terra, arrastando ilhas e montes dos seus lugares (queda do Apophis), causarão tamanho estrago global que toda a humanidade sobrevivente rezará, essa será a mesma língua a nível mundial, a linguagem da oração. O Reino de Deus, como dito na própria Bíblia, está dentro de cada pessoa, ou seja, o Reino de Deus é o Reino do Espírito, do Espírito Santo, simbolizado por uma grande labareda de fogo, exatamente a queda da grande luz incandescente do meteoro que demarcará o fim da Era de expiação e provas, pois é essa nova Era, a Era de regeneração que está figurativamente representada na Nova Jerusalém (a cidade) que virá mesmo para os que não a quiserem (no caso os rebeldes que serão exilados). Dessa forma, podemos compreender que a vinda do Reino de Deus simboliza a vinda da Era de Regeneração, que tem como metáfora a descida do asteróide envolto a fogo e luz, tal qual a imagem do Espirito Santo, vindo para demarcar o ápice dos eventos, o terceiro ai.

“O primeiro sol ilumina a balança do criado”

Jesus é o primeiro sol, o primogênito, a luz do mundo que ilumina o dia do julgamento (a balança) da humanidade ( os seres criados por Deus). Vale notar, novamente a associação de Jesus, o Dia do Senhor, o Filho do Homem com a vinda do asteróide envolto de luz e fogo, pois figurativamente a volta de Jesus, o dia da sua volta é o exato dia que luz e fogo caírem do céu executando o terceiro ai, representando assim metaforicamente a volta de Jesus, pois trará o fim da Era de expiação e provas, o exílio dos rebeldes e a vinda de uma nova Era para a humanidade. Por isso que o dia do juízo é também o dia da vinda de Jesus e não porque o próprio Messias venha nos céus em um cavalo alado ou em uma nave extraterrestre.

“Abri o coração ao lírio. A voz será potente, anunciada pelas trompas”

O lírio é um dos símbolos de pureza iniciática do Cristianismo Primitivo e também é um dos símbolos da França, lembrando que “Francisco” significa “aquele que nasceu na França”, ou seja, abrir o coração ao lírio é aceitar emocionalmente todas as lições franciscanas de humildade e pobreza que serão trazidas pelo último papa, Francisco, e pelo seu amigo franciscano, o santo de pés descalços que será seu sucessor após a morte do papa pelos idos de 2029. Além disso, como já analisado nessa série de textos, o “jovialiste” de Nostradamus tem clara ligação com o lírio, a flor de lis. As catástrofes naturais farão muito barulho, são as “dores do parto” para que seja gerada a nova Terra, que nascerá a fórceps através da luz dos céus que causará o terceiro “ai”, por isso a voz será anunciada pelas trompas, uma analogia ao aparelho reprodutor feminino, para que nasça uma nova Terra através das dores na Mãe (renovação da Igreja do Cristo), que voltará a exaltar os aspectos do Cristianismo Primitivo e colocar abaixo a pompa que herdou do império romano, restaurando seu perfil humilde e franciscano, a verdadeira pureza do lírio, dos cristãos primitivos e o fim do materialismo e da exaltação dos templos luxuosos, assim como o fim das doutrinas que exaltam a comercialização da fé.

“Luz de Ocidente, última luz antes da eterna, desconhecida”

Como já informado essa luz do ocidente é o asteróide Apophis, descrito no Apocalipse como a luz que vem do Oriente e ilumina o Ocidente, essa é a luz que vem antes da Era de Regeneração, a Era de Luz que ainda é desconhecida para a humanidade, pois vive ainda na Era de Expiação e Provas. Ou seja, a Era de Regeneração ou Luz somente chegará a partir de 2036.

“A verdade será mais simples de quanto todos dissemos, escrevemos. Será um bom juízo. Pai nosso, que estás nos céus, vem o teu reino. É feita a tua vontade, no céu e na terra. São vinte séculos mais a idade do Salvador. Amém”

 Segundo um estudo baseado em informações históricas e espíritas (Emmanuel pelo médium Chico Xavier), Jesus teria morrido com 36 ou 37 anos em abril do ano 33. Esse estudo pode ser visto AQUI 

Segundo o post que fiz com o mapa astral de Jesus, ele teria morrido no ano 36 da sua existência, poucos meses antes de ter 36 anos completos. Sendo assim e aliando esses dados com todo o estudo profético a respeito de 2036, esses 2 mil anos (vinte séculos) são somados a idade de 36 anos, colocando o terceiro “ai”, a vinda da grande luz dos céus, o dia do juízo, o dia da vinda de Jesus no ano de 2036. Não apenas João XXIII como outro profeta de grande valor, Edgar Cayce também estipulou o ano de 36 como o de um grande evento de verticalização do eixo da Terra. Essa profecia de Cayce pode ser vista AQUI 

Nostradamus também indica o ápice para 2036:

Centúria 6 Quadra 66
“Ao fundamento de uma nova seita
Serão os ossos de um nobre romano descobertos
O sepulcro em mármore aparecerá aberto
A Terra tremerá em abril, mal sepultado”

Os fundamentos da nova seita dizem respeito a completa reformulação do Catolicismo.  Um sepulcro de mármore aparecerá aberto e os ossos de um nobre romano aparecerão descobertos, essa referência diz respeito ao túmulo em mármore de Paulo, pois abaixo do altar papal está uma lápide de mármore em memória do sarcófago de Paulo, que encontra-se no mesmo local. Ou seja, será um evento natural tão grandioso, um gigantesco tremor, que demolirá por completo todo o Vaticano. A centúria e a quadra juntas equivalem a 666, número que é o somatório de todos os números de 1 a 36, apontando o auge desse evento para 2036.

Parravicini em seu relógio profético também aponta o auge dos eventos para 2036: AQUI 

Temos, portanto além da profecia dos 70 períodos (restauração de Jerusalém em 1967 até 2036), profecias claras de João XXIII, Nostradamus, Parravicini e Edgar Cayce apontando o auge dos eventos para 2036. Nostradamus inclusive deixou 4 raros alinhamentos zodiacais em suas profecias para o período de grandes conflitos na Europa entre 2034 e 2035, alinhamentos esses que envolvem planetas e signos e que não se encaixam em qualquer data anterior a 2013 e somente em datas entre 2034 e 2035, apontando claramente que antes do ápice da Tribulação, antes do terceiro “ai” do Apocalipse, a ação dos dois “ais” ocorrerá nessa janela na década de 30, o que também confirma as profecias do Feraudy, no livro “Erg, o Décimo Planeta” ao apontar gigantescos conflitos na humanidade exatamente em 2035. 

Diante de tantas fontes proféticas de valor apontando para o auge em 2036 e na intensificação dos eventos nos anos próximos a 2036, não resta a menor dúvida que a Alta Espiritualidade inspirou diversos médiuns a mostrar, claramente, quando seria o grande ápice, demarcando assim o fim da Era de expiação e provas e o início de uma nova Era após o auge desses eventos.

No sexto e último texto dessa série trarei a cronologia exata desses eventos baseados nos marcos zodiacais trazidos por Nostradamus e que finalmente consegui interpretar após muitos anos de estudo. Espero que essas informações possam ser úteis no futuro, pois apesar de mostrarem muitos conflitos e lutas, mostram também que virá um tempo de paz eterna para a Terra muito em breve.

Parte V: AQUI 


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook: https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036




10 de abr de 2013

João XXIII, Parravicini e Nostradamus (Parte III) - A Queda da Igreja



Parte II: AQUI

Para saber mais sobre profecias e estudos bíblicos, conheça meu primeiro livro "A Bíblia no 3º Milênio" que interpreta todos os versículos do Apocalipse e boa parte das principais profecias bíblicas como Daniel, Sermão Profético, Nostradamus e Ezequiel: 

https://www.clubedeautores.com.br/book/148751--A_Biblia_no_Terceiro_Milenio


Trago hoje a terceira parte de uma série de de 6 textos com profecias de João XXIII, Parravicini e Nostradamus sobre a vinda do último Papa, o processo de queda do Vaticano, o surgimento do falso profeta, a invasão européia e o fim do papado antes do ápice da Tribulação. Os seis textos estarão assim nomeados:

1) A Eleição do Último Papa
2) A Morte do Papa
3) A Queda da Igreja
4) Muitos Pais antes do Ápice
5) Roma após a morte de Francisco
6) O Falso Profeta



O título dessa mensagem feita por Parravicini em 1938 é “Igreja Cega”. Seu conteúdo fala sobre a queda do Vaticano:


“Roma na miséria, cai em desastre a cidade ducal. Hermetismo no bairro de Nápoles. Desorientação no Vaticano. A Igreja desmorona, o Papa sairá, mas se popularizará mais tarde. As reformas assustarão os católicos. Os jovens sacerdotes enfrentarão correntes passageiras de poder e dominação. Nova Igreja, novas formas. Conciliábulos em lutas. O amanhã será o regresso às catacumbas.”

Cidade ducal é uma clara referência ao Vaticano, pois ducal vem de duque, título que se refere ao chefe de Estado de um ducado, aquele que conduz. A miséria em Roma devido a profunda crise econômica respingará no Vaticano e com suas riquezas seculares, passará a ser alvo do governo na tentativa de salvar em parte a economia destruída. “Hermetismo no bairro de Nápoles” parece identificar uma referência a reunião de grupos iniciáticos como maçons e rosa cruzes sobreviventes das convulsões sociais.

A morte do papa demarca o desmoronamento da Igreja, ou seja, da instituição do papado. O próprio papa já deu sinais de que pretende mudar profundamente o significado do cargo atribuído ao papa, acabando com a divinização do papa e dando maior ênfase ao estudo e prática do Evangelho, o que culminará com a própria descentralização do papado, que ao invés de ser restrito a um único homem como ocorre nos dias de hoje, será dividido em papados continentais ou apostolados a serviço do único papa, Jesus Cristo. Por essas profundas modificações no seio da Igreja, o papa será conhecido pelos mais tradicionalistas como um antipapa, alguém que foi contra o papado, reformas que assustarão os católicos e fará com que muitos, segundo Paracelso, acreditem que o papa é louco.

“Os jovens sacerdotes” parece identificar os mesmos “santos de Milão” citados por João XXIII, provavelmente jovens bispos, religiosos ligados aos franciscanos, jesuítas e outras ordens que apoiarão o papa Francisco e que após a morte deste levarão o seu legado, combatendo as correntes e o poder de opositores tradicionalistas, a própria ação do governo e futuramente uma invasão islâmica ao território de Roma.

Ou seja, a Igreja em Roma após a morte do papa não será guiada por outro papa, mas sim por um grupo de jovens sacerdotes com os mesmos propósitos e ideais do papa morto, é o que o texto fala quando diz “Nova Igreja, novas formas”.

“Conciliábulos em lutas” significa conluios, reuniões secretas, concilio que toma decisões heréticas, tudo isso em um clima de lutas internas. Ou seja, após a morte do papa, a ala mais tradicionalista brigará entre si pelo poder e com a autoridade governamental de Roma, que também desejará o controle do Vaticano, todos eles em oposição aos sacerdotes reformistas dando continuidade aos ideais do papa Francisco, já morto nessa época. Em virtude desse cenário, os progressistas/reformistas não terão mais espaço na Igreja e serão duramente perseguidos e terão que praticar o Cristianismo em locais escondidos, como era no passado, quando os cristãos primitivos se reuniam em catacumbas nas madrugadas para burlar a perseguição romana. A menção feita na profecia de João XXIII sobre a morte do papa ao dizer que um convento seria destruído durante na época que o papa morreu ratifica essa profecia de Parravicini sobre tempos de perseguição aos apoiadores da Igreja em solo romano.

Nas páginas 89 e 93 do livro que contém as profecias de João XXIII, o processo de queda e destruição do Vaticano é claramente vaticinado. Vejamos a profecia contida na página 89:

“Dois irmãos e nenhum será Pai verdadeiro. A Mãe será viúva. Os irmãos do Oriente e do Ocidente se matarão e no assalto matarão seus filhos”

O conflito em Roma entre a ala radical islâmica (irmãos do Oriente) e as forças européias e americanas (irmãos do Ocidente), no qual nenhum deles, nem islâmicos, nem americanos e nem europeus, serão chefes (pai, papa) da Igreja, até porque nessa época o Vaticano deverá estar em escombros, a figura centralizada do papa não existirá mais e no seu lugar existirão diversos apóstolos ou bispos representando a liderança católica em países e continentes do mundo. Esses eventos devem ocorrer a partir de 2029, pois é quando a Mãe estará viúva, ou seja, o último papa já terá falecido.

“Então descerá da montanha o santo descalço e abalará o reino, diante do túmulo do descalço, abençoado pela Virgem Santíssima. Ouvi as suas palavras”

O santo descalço é uma referência a um homem, provavelmente da Ordem dos Franciscanos, que após a morte do papa será uma espécie de líder dos católicos vivendo em Roma, um nobre homem que segundo a profecia de João XXIII apresentada no primeiro texto desta série de 6 textos, será uma espécie de braço direito do papa, alguém que o atual papa escolherá em meio aos conflitos internos em Roma e da possibilidade da invasão islâmica, alguém que manterá o seu legado no entre 2029 e 2036, até a chegada do ápice da Tribulação. Ao comandar essa resistência de jovens católicos (jovens sacerdotes, jovens de Milão descritos nas profecias de Parravicini e João XXIII), ele abalará o reino estabelecido, provavelmente um reino formado primeiro por políticos romanos sobre o Vaticano e depois de invasores islâmicos, sobre Roma e o que sobrou do Vaticano.

Veremos a seguir que esse santo descalço vem de Loreto, local que possui um santuário famoso todo construído em pedra.  Em outro texto profético, na página 120, João XXIII mostra claramente que a manifestação desse homem que desce da montanha, após a morte do último papa, ocorrerá em um tempo próximo do auge dos eventos em 2036: “Será então que Noé começará a construir a Arca (preparação para o grande dilúvio). Mas não conhecerá as águas, graças a palavra de não se sabe quem, mas que faz tremer os poderosos, quando desce da montanha”

“Maria Santíssima, senhora do tempo futuro, chama à colheita os teus filhos do campo, a fim de que abatam as duas Babilônias. E uma seja a Mãe, como única és tu”

Os filhos do campo parece indicar novamente os jovens de Milão, os jovens sacerdotes, naturalmente agrupando forças nas zonas campestres e rurais distantes do burburinho da área urbana. As duas Babilônias são duas representações da antifraternidade que também aparecem no Apocalipse, uma delas é a derradeira, representada pelos Estados Unidos, a outra é Roma, descrita como a Besta que era e já não é (Apocalipse 17) quando da eleição do último papa, pois Roma foi a primeira. representação da Besta através das 3 expressões do império romano: ocidente, oriente e papado. A unidade da Mãe representa a única expressão do Cristianismo que foi verdadeira: o Cristianismo Primitivo, ou seja, restabelecer em solo italiano perante os invasores islâmicos, políticos e exercito italiano e tradicionalistas católicos a única representação do Cristianismo. Ao final deste texto deixarei o link para o texto do blog que fala sobre as duas babilônias.

“A terra destruirá o cimento e de terra será, Rainha, a tua nova Igreja. E sobre a terra o grão, para a fome de teus povos, flores sobre o seu novo altar. Amém”

O fim das Igrejas luxuosas, dos templos nababescos, dos grandes negócios em nome da fé, tudo isso é representado pelo fim do cimento, fazendo surgir a verdadeira expressão da eklesia dos tempos do Cristianismo Primitivo justamente entre os homens do campo, enquanto na cidade urbana as lutas entre islâmicos e europeus colocam abaixo as antigas Igrejas de cimento.


Vejamos agora a profecia na página 93:

“A longa paz fará esquecer os passados erros. Fará esquecer o grande irmão crucificado invertido. E na Mãe estará a guerra e os rebanhos se dispersarão.”

A frase que fala sobre o esquecimento em virtude da longa paz representa o período entre o final da segunda guerra e o início das convulsões sociais em Roma, quando o próprio governo romano buscará nas riquezas do Vaticano a salvação da economia italiana, esse é o período da longa paz. O grande irmão crucificado invertido é uma referência clara ao apóstolo Pedro, que foi crucificado de cabeça pra baixo e representa nessa profecia o último papa, o último Pedro a sentar no trono romano, Pedro Romano que é o papa Francisco. A guerra começará na Igreja, ou seja, na Mãe, tanto pela modernização do papado e seu enfraquecimento (descentralização do poder na figura de um único papa) que causará fortes oposições dos clérigos mais tradicionalistas, como também pela própria crise interna em Roma, que buscará sua salvação econômica nos tesouros do Vaticano.

“Então alguém gritará sangue e será ouvido. Ai de quem tiver gritado, o primeiro sangue a escorrer será o seu. Meia-lua, estrela e cruz se encontrarão. Alguém manterá alta a cruz negra.”

Estamos em um período após a morte do papa, após 2029. Islâmicos (meia-lua) Americanos (estrela) e Europeus ( cruz) se encontrarão em um confronto sangrento. Enquanto isso, o personagem descrito por João XXIII como o santo descalço, aquele que acompanhou o papa Francisco até os seus momentos finais, permanece em Loreto, mais precisamente na Santa Casa, mantendo alta a cruz negra, pois exatamente nesse famoso santuário existe uma pequena imagem negra da Virgem Maria com o menino Jesus, por isso João XXIII fala sobre uma cruz negra (que está exatamente no corpo da imagem, mantida alta em um altar).



 “Do vale do Príncipe virão os cavaleiros cegos. Atrás deles, os corvos da fome, da carestia, da pestilência.”

O líder da ala radical islâmica, ao que tudo indica é alguém com um defeito na visão, cego de um olho talvez, ou com a visão muito comprometida nos dois olhos. Ele trará a fome e a guerra para a Europa, é a representação humana do cavaleiro Morte que monta o cavalo amarelo do Apocalipse, um dos 4 cavalos que representam respectivamente 4 representações da Besta, por isso o Apocalipse fala que o 666 é número de homem, pois representa os 4 homens que montaram nos 4 cavalos e os tornaram animais ferozes, therion, Bestas, e também é o número da Besta. Em um dos posts do blog eu explico os significados do 666. Esse homem é nomeado por João XXIII como “Severo” e dele falaremos em um dos próximos posts nessa série de seis textos.   

“Para onde acreditais fugir, ora que destruístes as igrejas e assassinastes o último Pai?”

Esse “alguém” que gritou sangue parece ser algum europeu, talvez ligado a política ou a Igreja, que terá atuação decisiva no assassinato do papa Francisco. Algumas pistas sobre esse assassinato futuro são dadas por Parravicini em suas profecias nessa série de textos.

“Esperais o sinal de João. A ovelha está preparada. Persignai-vos sete vezes com mão cansada e esperai. A luz vem ainda do Ocidente”

João XXIII fala de um sinal, dado por João no Apocalipse. A ovelha, que representa Jesus (o cordeiro de Deus) é uma referência a vinda do grande dia do Senhor, o ápice da Tribulação. A nível temporal pode indicar os 7 anos entre 2029 e 2036 ou ainda os 7 meses que precedem o grande auge em abril de 2036, de qualquer forma a profecia fala num momento de espera e oração (persignar, fazer o sinal da cruz na cabeça). A luz do ocidente é a referência que o próprio Jesus trouxe no sermão profético, um relâmpago do oriente que chega ao ocidente, a queda do Apophis em 2036. 

As Duas Babilônias: AQUI

Os Significados do 666: AQUI 


Parte IV: AQUI  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook: 



4 de abr de 2013

João XXIII, Parravicini e Nostradamus (Parte II) - As Profecias sobre a Morte do Papa Francisco

Papa reza deitado

Parte I: AQUI  

Trago hoje a segunda parte de uma série de de 6 textos com profecias de João XXIII, Parravicini e Nostradamus sobre a vinda do último Papa, o processo de queda do Vaticano, o surgimento do falso profeta, a invasão européia e o fim do papado antes do ápice da Tribulação. Os seis textos estarão assim nomeados:

1) A Eleição do Último Papa
2) A Morte do Papa
3) A Queda da Igreja
4) Muitos Pais antes do Ápice
5) Roma após a morte de Francisco
6) O Falso Profeta



Profecia Benjamin Parravicini a morte do papa



O texto da profecia de Parravicini é enigmático. Em meio ao que parece a imagem de um homem morto e deitado, com o mundo sobre ele, aparece a imagem de uma faca e de um cobra segura por uma mão indo a sua direção, dando a idéia de tentativas de assassinato, inclusive por envenenamento.

O texto diz: “Roma” como título e abaixo “Será o mártir da maravilhosa cidade e o...” para que em seguida apareça a letra “B” seguida pela letra “e” dando início a uma palavra que se forma; “Luz”. Abaixo dessa frase um desenho indecifrável.

Aparecem no desenho ainda duas serpentes, uma sobre o mundo com o nome “Israel” e a frase “Israel regressa” e logo abaixo, no canto direito, o que parece ser um homem-serpente vestido com uma roupa sacerdotal (desenho no topo da sua cabeça) que tem escrito dentro dele “Sion sera Sion” dando idéia do sibilar e do triplo “s” como uma referência velada ao 666.

A profecia fala de um mártir em Roma, alguém iluminado, pois termina a frase do nome dessa pessoa com o termo “luz”, mas cita apenas as duas primeiras letras “Be”. Sabemos que o sobrenome do atual papa começa exatamente com essas letras: Bergoglio. A profecia ao que indica fala de sua morte, talvez em uma viagem a Jerusalém, difícil saber, mas ao que parece será em meio a um intenso conflito entre judeus e palestinos, pois faz uma referência velada ao sionismo (Sion será Sion). De qualquer forma, confirmando a profecia de Paracelso, Parravicini dá a entender que o papa sofrerá um atentado que causará a sua morte.

Em outra profecia, Parravicini deixa claro que o desenho acima fala da morte do papa, pois mostra um homem, um menino, também ligado a luz, dentro do Sol:

Profecia Benjamin Parravicini sobre o papa e o menino novo, ninho nuevo


Na imagem é mostrado um menino, vestindo roupas sacerdotais e que está sobre um chão que aponta para um Sol, muito bem desenhado, com a palavra “Luz” escrita dentro. O Sol é facilmente interpretado como sua nacionalidade, pois está na bandeira argentina e também no símbolo da Companhia de Jesus, ordem a qual Bergoglio pertence. Vejamos o que diz o texto:

“O Novo Menino já no seu nascimento tomará consciência do mundo em seu tempo, desde o dia da sua concepção, porque trará a certeza do seu dever missioneiro: Ensinar”

O “Novo Menino” diz respeito aos primeiros momentos do novo papa, que nasceu, foi concebido logo após o final do Conclave e vem mostrando desde a sua apresentação ao mundo a consciência do dever e missão de ensinar uma nova forma dos católicos vivenciarem a sua religião. Em poucos dias, desde que se tornou papa já demonstrou em diversas ações o objetivo de ensinar a simplicidade e a importância de buscar novas formas de ajudar os pobres. Por esse motivo o homem com as iniciais “Be” e com o resto do nome escrito como “Luz” fala de Bergoglio, o último papa.

Além dessas duas profecias, Parravicini fez ainda mais 8 profecias sobre o “Novo Menino”, mostrando a importância desse personagem no contexto histórico das profecias. Essas oito profecias e seus desenhos podem ser vistas AQUI 

A referência feita na primeira imagem utilizando a palavra “Sion” é confirmada em outra profecia de Parravicini, ligando claramente essa palavra ao símbolo da Estrela de Davi, como podemos ver na imagem abaixo:

Profecia de Benjamin Parravicini sobre o falso profeta cego


O texto da profecia diz o seguinte:

“Vencida a Argentina, vencida pelo homem cego. Tsunamis, pestes, terremotos, lutas a assolarão. Ambição do homem, exploração do homem pelo homem. Guarnições armadas gritarão ocultas, mas sairão ao encontro do caos. Pequim, Tókio, Havana, Rússia, América do Norte, dilemas e cantos de enfrentamentos. Sombra, escuridão, surdez. Um homem e uma mulher gritarão e não se escutará, mas de repente aparecerá um militar e será”  

A profecia de Parravicini aponta que o falso profeta ou o grande líder da aliança sino- islâmica será alguém com uma deficiência severa em um dos olhos ou com baixa visão em um dos olhos. João XXIII fala sobre isso em uma das suas profecias na página 93: “do vale do Príncipe virão os cavaleiros cegos”

E existe alguma profecia que fala quando o papa irá morrer? Existe uma de Nostradamus que pode trazer essa resposta:

Centúria V Quadra 92
“Depois que o trono real completar 17 anos
Cinco mudarão em tal termo de revolução
Depois será eleito um de mesmo tempo
Que dos romanos não será muito concordante”

Pio XI, o papa que assinou o tratado de Latrão em 1929 e morreu em 1939 ficou exatamente 17 anos e 4 dias no trono papal. Depois dele foram eleitos cinco papas (Pio XII, João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II) que mudaram de trono exatamente da mesma forma: ao morrer. Ou seja, mudaram no mesmo termo de revolução.

O sexto, Bento XVI, mudou o trono papal sem morrer, de forma diferente. “Depois dos 5 papas será eleito um de mesmo tempo”, ou seja, que ficará 17 anos no trono. Sabemos pela profecia de Malaquias e Apocalipse que depois desses 5 papas viriam  apenas mais 2 e Bento XVI não completou 17 anos no papado, justamente por não ter seguido o “termo de revolução” dos papas anteriores. Sendo assim, Francisco é o papa que ficará 17 anos no papado.

De 2013 à 2029 são 17 anos transcorridos. Em 2029, antes de dezembro, Francisco terá 92 anos, o mesmo número da quadra. Em 2029 completar-se-ão 100 anos do tratado de Latrão

E realmente não será muito concordante dos romanos, pois segundo as profecias de João XXIII ele terá de enfrentar problemas internos contra o governo italiano, mais especificamente em Roma.

Essa quadra confirma outra quadra de Nostradamus:

Centúria V Quadra 56
“Pela morte de um pontífice muito velho
Será eleito um romano de boa idade
De quem se dirá que o trono real se exaurirá
E terá longa e apimentada obra”

Nostradamus nessa quadra fala da morte de um pontífice, ou seja, a morte do papa.

Bento XVI morreu em 2013, mas Joseph Ratzinger permaneceu vivo, às vésperas de completar 86 anos, essa é a morte do pontificado dele que devido a sua renúncia não significou a morte de Ratzinger. Através da morte do papado de Bento XVI foi eleito Pedro Romano, alguém com boa idade (idoso): Jorge Mario Bergoglio, 76 anos e ainda relembrando a quadra que fala sobre um papa de “bons ares” (C3,Q5).

A profecia diz que ele irá tirar a força do trono real, ou seja, exaurir o poder do papado, algo que ele mesmo já falou que deseja fazer: enfraquecer o culto ao papa e aumentar o culto ao evangelho de Jesus.

Terá longa obra (17 anos é bastante tempo) e “apimentada” obra, o que dá um sentido de deixar muita gente de boca aberta e com dificuldade de “engolir” muitas das ações que ele realizará, sobretudo a ala mais tradicionalista da Igreja

Mas a quadra decisiva para a interpretação de que o papa morrerá em 2029, após 17 anos no pontificado segundo a C5Q92, é essa aqui:

Centúria X Quadra 70
“Olhar para o objeto causará tamanho dano
Tão grande e ardente que cairá a neve
Os campos arrasados entrarão em decadência
Que o primaz sucumbirá no Reino”

A passagem do Apophis muito próximo da Terra ocorrerá no dia 13 de abril de 2029, poucos dias após o fim do inverno no hemisfério norte, que ocorre perto de 20 de março (nessa data em 2013, por exemplo, fortes tempestades de neve ainda estavam acontecendo, sobretudo nos Estados Unidos). “Tão grande e ardente” diz respeito a visão dele no céu: grande e avermelhado, com aspecto ardente. “O primaz” sucumbindo no “Reino” é uma referência clara que confirma o entendimento das demais quadras que Nostradamus fala sobre a ascensão e morte do último papa. 

Em outra quadra, Nostradamus confirma mais uma vez esse entendimento:

Centúria VI Quadra 6
“Aparecerá próximo ao Septentrion
Não longe de Câncer, a Estrela com longa cauda
Suse, Sienne, Boece, Eretrion
Morrerá o grande de Roma, na noite em que desaparecer”

A palavra Septentrion vem do latim “septem triones” que é simplesmente um sinônimo para o ponto cardeal Norte. A “Estrela com longa cauda” é uma referência ao asteróide Apophis, que quando passar em 2029 será semelhante a uma estrela pelo seu brilho com uma cauda, algo semelhante ao que foi visto quando o meteoro caiu na Rússia no início de 2013.

A quadra informa que o Apophis aparecerá próximo ao norte, algo que os astrônomos confirmam como uma possibilidade real, pois devido a sua grande aproximação em 2029 o Apophis poderá ser visto em muitos locais a olho nu. Será uma luz que aparecerá primeiro no Oriente, na noite de 13 de abril e horas depois à noite no ocidente, visível entre a Ursa Menor e a Ursa Maior, próximo do norte e não longe da constelação de Câncer. A profecia indica, portanto, que entre 13 e 14 de abril de 2029 o papa Francisco deve desencarnar aos 92 anos. Os nomes indicados na terceira linha da quadra ao que parece indicam o nome de locais onde o asteróide poderá ser visto claramente a olho nu, identifiquei apenas o nome de Siena entre elas.

Papa Francisco reza no túmulo do apóstolo Pedro

E o que João XXIII fala sobre a morte do último papa? No livro que contém suas profecias, na página 82, encontramos o texto com essas informações:

“Hoje é a morte do santo. Não conhecerá altares, porque santo entre os santos é quem com humildade age, reza em silâncio”

Referência clara ao papa, que possui nome de santo: Francisco. O parágrafo seguinte dessa profecia indica que João XXIII realmente se referia ao santo de Assis. Ele fala da morte de alguém que age com humildade, uma marca do papa Francisco desde os primeiros dias de papado. A profecia fala sobre não conhecer altares, com o sentido bíblico de “conhecer”, ou seja, manter relação íntima, algo que também é uma característica proeminente do atual papa que já falou em público do seu desejo em diminuir o poder na figura do papa para que seja aumentada a exaltação no evangelho de Jesus, ou seja, tirar a figura do papa do altar.


“Ó Assis querida, que viste dele no passado, e tu Emília que os embalaste, e tu Israel, que lhes deste refúgio”

A profecia fala dele, deste santo, mas faz referência a ele como se fossem duas pessoas, pois diz “os embalaste”. É pra não deixar qualquer dúvida: o profeta falava de Jorge Mario Bergoglio que adotou o nome de Francisco (de Assis), considerando os dois como um homem só em virtude da busca do atual papa em espelhar suas ações no modo de vida de São Francisco. Mas a profecia traz ainda informações interessantes: fala sobre o refúgio em Israel, algo que pode ser confirmado na profecia de Parravicini mostrada no início desse texto, dando a entender que o papa morrerá após regressar de um longo período em solo israelense. A referência à Emilia é fantástica, pois Santa Emília foi conhecida como a “mãe dos santos” por ter sido mãe de diversos santos e bispos da Igreja, indicando dessa forma que o personagem morto descrito na profecia seria alguém da Igreja, embalado por essa mãe. Mas as pistas não param por aí: Emília nasceu na Capadócia, mesma região na qual nasceu São Jorge, nome do atual papa (Jorge Mario) ou seja, ela embalou seu filhos na Capadócia, a mãe dos santos da Capadócia, lugar mais conhecido justamente pelo nascimento de São Jorge, nome de nascimento do papa.


“Sete rosários esta noite. O convento será destruído e flores rubras sobre tumbas destampadas”

O convento destruído indica uma época na qual os locais da fé cristã na Europa serão duramente perseguidos, provavelmente pela aliança radical islâmica.  Mas porque flores rubras sobre tumbas destampadas? Na Antiguidade as rosas passaram a ser colocadas sobre os túmulos sendo uma cerimônia chamada pelos antigos de “Rosália”. Todos os anos no mês de maio enfeitam-se os túmulos com rosas. Considerando que o Apophis passará em abril de 2029 demarcando a morte do papa, a cerimônia mencionada na profecia pode ser uma missa de sétimo dia ou uma missa de um mês da morte do papa.


“A respeito dele o mundo se calará sempre. A Mãe esquece seu coração latino, seu coração do Oriente.”

O coração latino diz respeito a origem do último papa, nasceu na América Latina, já o coração do Oriente diz respeito a morte do papado, pois o Vaticano está geograficamente no Oriente do Globo.


“E sangue nas prisões para quem crê. Mãe, porque estás em silêncio?”

Período de perseguição aos católicos europeus dentro da Itália.


A partir do próximo texto, o terceiro dessa série de 6 textos, serão relatadas as profecias sobre o processo de queda da Igreja e no último texto, o sexto, detalhes minuciosos sobre o falso profeta e a cronologia profética com os principais eventos entre 2029 e 2036.

Parte III: AQUI 


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook: