28 de ago de 2012

O Dia que um Tsunami atingiu o Brasil

tsunami imensa, tidal wave, paredão de água, onda destruidora
























Algumas pessoas talvez não saibam, mas a costa do Brasil já sofreu a ação de pelo menos um tsunami. O fato ocorreu na vila de São Vicente (atualmente localizada na área metropolitana de Santos) pelos idos de 1541 deixando submersa a Igreja da Matriz e o pelourinho (também conhecido com “picota”, uma coluna de pedra que se erguia na praça central das vilas, onde eram afixadas as leis e as penas como açoite e mutilação eram exercidas pela jurisdição portuguesa). Pois bem, a onda chegou até a praça central onde estava a Igreja e o pelourinho, submergindo a Igreja, o que dá uma idéia do tamanho da massa de água.    

Segundo o frei Gaspar da Madre de Deus , autor em 1797 da obra “Memórias para a história da capitania de São Vicente” descreveu sobre a vila de São Vicente que a duração de suas casas foi muito breve, pois tudo levou o mar. Frei Gaspar ao estudar as atas da Câmara de São Vicente  informa em seu livro que no primeiro de janeiro de 1542 a câmara reuniu-se em uma outra Igreja, mais distante da costa, pois o mar tinha levado as casas do conselho português no Brasil.

Em 1543 o governo português providenciou o resgate do que foi possível, entre os objetos o pelourinho e os sinos da matriz (enormes peças de bronze) levadas pelas águas e que tiveram de ser resgatadas no fundo do mar. Nessa mesma época a vila foi reconstruída, dessa vez distante da costa.

Em 1542 em virtude das mortes e da fuga de muitos dos sobreviventes, a vila de São Vicente ficou tão desprotegida que foi alvo de ataques de tribos indígenas, o que fez a câmara chamar moradores de outra colônia (o campo de Piratininga) pra defender a região despovoada.

Segundo o oceanógrafo André Luiz de Belém, professor da Unimonte, um pequeno tremor na costa poderia causar a tsunami, pois o deslocamento de sedimentos no leito marítimo faria o mar recuar e gerar um tsunami. Um evento parecido ocorreu em 17 de julho de 1998 , quando um pequeno tremor na costa de Papua Nova Guiné gerou um tsunami de 10 metros que adentrou poucos quilômetros adentro da costa, mas foi suficiente pra matar 3 mil pessoas. Na época os pesquisadores ficaram intrigados como um tremor tão pequeno poderia ter gerado um tsunami tão potente. Em 2002 os estudiosos concluíram que o tremor ocorreu muito longe de onde se formou a onda, na verdade o tremor causou um movimento no fundo do oceano fazendo com que uma grande camada de terra no fundo do mar, próximo a costa, deslizasse e assim gerasse o paredão de água.

Dependendo da força, um tsunami pode adentrar de 10 a 40 kilometros pra dentro da costa (caso seja gerado por um tremor de terra no oceano, ou seja, um maremoto) e segundo alguns estudos recentes de cientistas americanos, poderia entrar de 100 a 200 kilometros adentro da costa caso um asteróide de grandes dimensões (acima de 300 metros) caísse no mar próximo a costa. As ondas variam de tamanho também, podem ser de 10 a 40 metros de altura. No último tsunami, o do Japão, as ondas não chegaram a mais de 10 metros, mas adentraram 40 kilometros adentro do país.

Alguns estudos sobre esses eventos mostram que o tsunami normalmente dá um sinal: antes da chegada da parede de água, o mar recua entorno de 800 metros na praia e leva entorno de 10 minutos para o tsunami chegar na praia. Os maremotos (terremotos no fundo do oceano) que geram tsunami são os mais difíceis de prever, pois dependendo da distância que ocorreu em relação à costa, a formação do tsunami é muito rápido (a onda viaja no mar a 800 kilometros por hora), impedindo a verificação da formação ou não de tsunami, antes que o tsunami atinja a costa, foi exatamente isso que ocorreu no tsunami recente do Japão.

Um dos eventos que poderá ser previsto com antecedência caso ocorra é um tsunami provocado pelo deslizamento do Cumbre Vieja nas ilhas Canárias, pois caso isso ocorra uma onda de choque levaria de 6 a 8 horas para chegar a costa brasileira. De qualquer forma, quem mora em regiões costeiras precisa ter um plano de salvamento em mente, pois os poucos minutos que separam o recuo do mar a chegada de uma onda podem ser decisivos no salvamento de muitas vidas.

Nesse sábado, dia primeiro de setembro aqui no blog, a interpretação completa do mapa astrológico de Jesus  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook: http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036


4 comentários:

Alexandre T disse...

José, vc já disse que antes do tsunami geral(digamos assim) de 2036, que atingirá todas as terras litorâneas pelo mundo, o Brasil, particularmente, pode ser atingido por um tsunami provocado pelo vulcão em Las Palmas (ilhas canárias) ou por falha no meio do Atlântico, e que isso poderia acontecer em 2013 ou daqui a cinco anos. Sei que um tsunami provocado em Las Palmas atingiria (ou atingirá) o Brasil (Nordeste, principalmnte)com violência, talvez até mais destrutivo que este recentemente no Japão. Mas e se acontecer um por falha no fundo do Atlântico, seria forte e destrutivo como o do Japão ou seria algo mais leve? E você acha que a possibilidade é maior para 2013 ou para daqui a 5 anos?

José Alencastro disse...

Como disse Alexandre, não há como saber se amanha ou daqui a 5 anos. Os eventos que estao ocorrendo no Canadá (2 tremores de 7.7 em poucos dias) junto com a formaçao da mega tempestade Frankestorm no leste americano sao efeitos da lenta, porem gradativa subida do antigo territorio atlante, que causou problema climaticos, sobretudo na junção de placas que ocorre proximo ao territorio do Canadá. Uma subida mais acelerada, tende a disparar os eventos do Cumbre Vieja e tambem da falha ainda pouco conhecida pelos centistas no atlantico. A unica coisa que é garantido é que nos proximos anos a costa brasileira será atingida, quando antes de 2036 eu sinceramente nao sei dizer

Leticia Oliveira disse...

Olá José eu moro na cidade de são vicente, onde teve um tsunami em 1541, Eu acredito muito que possa vim a se repetir, e tenho muito medo, quando falo que acredito em tsunamis mts pessoas dizem que aqui isso nunca vai acontecer, só que eu não penso assim, até pq se aconteceu uma vez, pode acontecer de novo, moro mais ou menos(tirei conclusões pelo mapa,rs) 6,8 km da praia do itararé, e gostaria de saber oq poderia fazer caso houvesse um tsunami, todos nós sabemos que o Brasil não é um País preparado para nenhum fenômeno da natureza, mas gostaria de saber o que poderia fazer para tentar se salvar, lembrando que não moro perto de nenhum morro, e sei que morro seria até uma boa ideia, pq é mais alto, mas vc sabe me dizer o que poderia fazer?

Edson disse...

Letícia, o problema é que as regiões em torno do Oceano Atlântico, incluindo o litoral do Brasil, não possui um sistema de alerta contra tsunami, pois este fenômeno é muito raro nesse lado do Mundo ao contrário do que ocorre na área do Oceano Pacífico.

Eu acredito que nem o governo dos EUA tenha um alerta anti-Tsunami para costa leste daquele país banhada pelo Oceano Atlântico. Quase todos os governos acreditam que é impossível ter um tsunami no Oceano Atlântico.

Se acontecer um tsunami em áreas do Atlântico, todos serão pegos desprevenidos e de surpresa como aconteceu no grande Tsunami no Oceano Índico de 26 de dezembro de 2004 que também não tinha alerta anti-Tsunami e vitimou mais de 300 mil pessoas no sudeste da Ásia.