27 de jul de 2011

Os Significados do Número 12


Significados numero 12, piramide azul brilhante


Para saber mais sobre profecias e relatos com experiências projetivas, conheça meu primeiro livro "A Bíblia no 3º Milênio" que interpreta todos os versículos do Apocalipse e boa parte das principais profecias bíblicas como Daniel, Sermão Profético e Ezequiel ao mesmo tempo em que descreve vários relatos de projeção astral:

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2013/07/a-biblia-no-3-milenio.html


Doze - É a atuação de Deus no espírito, na dualidade das coisas e do homem. É o símbolo das pirâmides, o símbolo de Jesus. Nas pirâmides, os 4 triângulos simbolizam a evolução atuando na matéria. 3+3+3+3 = 12. a energia do Uno mais presente na dualidade do espírito do homem, pois o símbolo do espírito do homem , que é dual é 2, o homem encarnado é q simboliza-se pelo 6. Na base da pirâmide, a energia do vértice superior (junção dos 4 triângulos) simboliza o poder de Deus descendo aos 4 cantos do mundo, aos 4 tipos sanguíneos (o homem), visto que é esse o símbolo da base quadrada, a materialidade. A pirâmide tem também o 5, pois possui os 4 pontos da base e o ponto do vértice superior, a força da espiritualidade sobre a matéria. Doze é a multiplicação da criação, da perfeição divina, pois é a soma do 7 (3+4) que multiplicada (3X4=12) dará o maior numero possível. A outra multiplicação que seria 5X2 (visto que 5+2=7) resulta em 10, menor que 12, daí a força máxima de representação do 12 ligada ao 7. 

Não foi a toa que Jesus escolheu o número 12 como o número de apóstolos. Os essênios também se organizavam em grupos de 12 quando iam realizar missões terapêuticas e entre os sacerdotes (o nível mais elevado da hierarquia dos essênios) existia um grupo de 3 deles que eram os principais, pois os templos essênios eram 3 (Qumran próximo ao rio Jordão, monte das oliveiras e o templo do lago Mareotis em Alexandria/Egito) e cada um esses 3 era o mestre ou sacerdote supremo de cada templo, se reportando ao mestre da justiça, o sacerdote judeu dos essênios (que não aceitavam o supremo sacerdote do Sinédrio como suprema autoridade judaica). O mestre da justiça era também conhecido como rei Melkisedeque, cargo que foi ocupado por Hilel, o ancião (professor de Jesus dos 7 aos 13 anos), depois por João Batista e finalmente por Jesus. Esses 3 sacerdotes representavam o triangulo, a face da pirâmide.

Não à toa, foram construídas 3 pirâmides no vale de Gizé onde Jesus recebeu sua iniciação antes de iniciar sua missão messiânica.

A estrela de Davi nada mais é que um quadrado (a base de uma pirâmide) em 3 posições diferentes como exposto na figura abaixo:

Estrela de Davi significado, Selo de Salomão, 3 piramides na estrela de davi


Ora, 3 pirâmides são 12x3 = 36.

Dentro da Cabala existe o estudo das kameas, quadrados mágicos. Cada kamea possui o número de linhas e colunas equivalente ao número que representa (a kamea solar tem 6 quadrados nas linhas horizontais e 6 quadrados nas colunas verticais, sendo que os números de 1 a 36 são dispostos para que somem o mesmo valor quando somados verticalmente ou horizontalmente, no caso do Sol esse número é 111).

Ou seja, a kamea solar é um quadrado mágico com 12 linhas, 6 horizontais, 6 verticais, que resultam em um número mágico, a soma de 1 a 36 (36 quadrados da kamea solar), que é exatamente o 666, símbolo do Sol, símbolo do 12, símbolo da estrela que brilha todas as manhãs. João inclusive associa esse número, o 666, a Besta, pois se refere à ação do Sol Negro, o Sol (666) da Besta, mas que é numero de homem (no caso Jesus) e mais interessante ainda, é que durante o período tribulacional descrito no Apocalipse, 4 homens montam os cavalos do Apocalipse (besta = therion = animal feroz = cavalos do apocalipse) e quando o período tribulacional acaba Jesus retorna montado em um dos 4 cavalos, só que agora trazendo a justiça, colocando fim ao Sol Negro, simbolizando a volta do verdadeiro Sol, à kamea solar, a volta de Jesus.

Resumindo: 12 simboliza a estrutura piramidal, adotada de forma velada por diversos grupos iniciáticos (essênios, apóstolos, tribos de Israel), está inserida na Estrela de Davi e nas pirâmides de Gizé associada ao 36 (12x3), que por sua vez representa o Sol, o rei, a estrela radiosa, o espírito purificado (em contrapartida ao espírito primitivo, a primitiva serpente, o Sol Negro, o homem materialista). O 12 está inserido simbolicamente no numero bíblico dos 144 mil salvos (12x12 mil) que nada mais são do que 36 mil em cada lado do quadrado (a base da Nova Jerusalém que desce dos céus é narrada como tendo na base um quadrado, assim como o trono de Deus, figuras simbólicas), ou seja, a pirâmide (contato com o alto pelo vértice) e o Sol espalhados por toda a Terra.

Piramide moderna no deserto

 Além disso, o 666 é (6+6)x6 = 72 (na Cabala, Deus tem 72 manifestações que aparecem em 5 dias diferentes no ano cada uma, o que representa os 5 vértices da pirâmide), o que equivale à 360 dias, um triângulo com 120 dias em cada lado, 120 o número máximo de dias que um homem pode viver segundo a Gênesis. 

36 (kamea solar) x 10 = 360 (um ano completo com todas as manifestações divinas da Cabala, o círculo fechado com 360 graus, o próprio Sol) 

12 (pirâmide) x 10 = 120 (o número máximo de anos que o homem pode viver na matéria, o limite para a libertação física pela subida simbólica ao topo da pirâmide) 

Acredito que aqui estejam os significados mais importantes do número 12. Para complementar  esse estudo com uma abordagem mais profunda do 12 nas sefirôt da Arvore das Vidas da Cabala e no Tarot, vale a pena ler os dois textos abaixo:


O Símbolo (parte I)AQUI 


O Símbolo (parte II)AQUI 

O Símbolo (Parte II )

O Símbolo profecias o ápice em 2036, blog 2036

A profecia sobre 2036 está velada  por todo o símbolo, desde a referência a lenda dos 36 imortais ligada a letra Lamed, até a kamea solar 36 “escondida” nas 3 bases da pirâmide que estão na Estrela de Davi ( ver estudo sobre o número 12 e a pirâmide AQUI)

Estrela de Davi, selo de salomão



Antes de ler esse texto, leia a primeira parte sobre O Símbolo AQUI

Curiosamente se multiplicarmos a base 36 por 3 (número de bases na Estrela de Davi) teremos o número 108, que no Oriente é muito ligado a CURA. No Budismo e no Hinduísmo seus seguidores usam 108 contas em uma mala para a meditação, 108 é o número de vícios morais e mentais que no Budismo devem ser vencidos para que se atinja o dharma (caminho da iluminação). Na cultura popular esse número foi utilizado recentemente na série LOST, quando a cada 108 minutos uma série de 6 números precisava ser digitada no computador de uma estação da ilha. A soma desses 6 números equivalia também a 108 (4,8,15,16,23,42) e segundo a simbologia da série seriam números ligados a fatores que seriam responsáveis pelo fim da raça humana (ou a um grande evento que levasse a isso). Curiosamente, o ano 2036 (se nos basearmos no calendário oficial do planeta) é o ano 36 no terceiro milênio, ou seja, 36x3 = 108, o ápice da mudança no processo de cura da Terra.

Mas tem uma referência ao somarmos todos os números que aparecem no símbolo:

Todo = letra “D” em números romanos equivale a 500
Sempre = letra “M” em números romanos equivale a 1000
Dia = letras “D” e “I” em números romanos somam 501
Novo = letra “V” em números romanos equivale a 5

Ao somarmos todos os números romanos do símbolo juntamente com o número 30 que está no topo, teremos 2036.

Vimos também que os números romanos do símbolo somam exatamente 2006, que equivale a uma data especial: 20/06, momento de transição entre o signo de gêmeos e câncer, este ultimo o meu signo na atual encarnação. Não por coincidência os arcanjos de cada um desses signos são respectivamente Rafael e Gabriel    

Ao desmembrarmos mais ainda esse número, veremos que ele representa exatamente a minha data de nascimento, justamente por isso sendo um símbolo magístico pessoal:

500 + 1000 + 501 + 5 =
500 + 500 + 500 + 500 + 5 + 1  

O número 5 se repete 5 vezes, 5x5 = 25 (dia do meu nascimento)

Os algarismos básicos ( os dez números de zero a nove presentes numa maquina de calcular) são 0,1, 5  que somados equivalem a 6 (mês do meu nascimento)

Ao somarmos o número 1 com as 5 repetições do 5 teremos 26, que equivale a 1+9+7+9 (ano do meu nascimento)

Vejamos agora as medidas do símbolo:

Largura: 13,751 centímetros
Altura: 22,249 centímetros

E porque estas medidas? Porque a altura é 1,618 maior que a largura (proporção áurea). Essa proporção esta em tudo, por exemplo: a distancia da sola dos pés ao umbigo é 1,618 maior que a distancia do umbigo ao topo da cabeça.

Ao somarmos esses dois números (13,751 e 22, 249) teremos exatamente o número 36.

Ao somarmos esses números com 1,618 descobrimos alguns números fascinantes que retratam especificamente uma proporção cíclica com os dias e semanas de um ano.

Vejamos então :

13,751 x 1,618 = 22,249 ( 22,2491 precisaremos desse quarto dígito quando somarmos os triplos)

Soma individual:

1+3+7+5+1+1+6+1+8+2+2+2+4+9 = 52 (número exato de semanas de um ano)

Soma em pares:

13+75+11+61+82+22+49 = 313 (somando o resultado das duas somas, 313+ 52 temos 365 o número de dias de um ano)


Soma em triplos:

137+511+618+222+491 = 1979 ( o ano do meu nascimento, após vermos os dias e semanas de um ano)  


Ao inverter o resultado da soma individual (52) temos o dia do meu nascimento = 25

Ao subtrair e depois multiplicar os números da soma em pares (313) temos o mês do meu nascimento (3-1)x3 = 6   

A soma dos triplos é o ano exato do meu nascimento, 1979


Eis aí o significado completo desse símbolo que rege todo o conteúdo do blog “Profecias o Ápice em 2036”, meu símbolo pessoal e do trabalho de divulgação da profecia que me foi confiada e que divido aqui nesse espaço com todos aqueles que desejam estudar e se aprofundar no assunto.

Agora que o básico foi demonstrado, sobretudo na questão das sefirôt e do grande arcano 12 do tarô ( o dependurado, the hanged man) vamos ver algo ainda mais interessante. O baralho do tarô contém 22 grandes arcanos ou arcanos maiores e quem é bom observador, viu que na figura das Sefirôt na Arvore das Vidas, temos o nome dos 22 grandes arcanos nos caminhos que unem cada sefira, entre elas o arcano 12, O Dependurado, visto na figura abaixo em azul. Cada um dos 22 grandes arcanos está ligado a uma letra do alfabeto hebraico, que também contém 22 letras.  

Arvore da vida com sephirot e arcanos maiores


 


Outra questão interessante, O Dependurado está dentro da pirâmide e podemos ver a base quadrada dela exatamente na figura abaixo: 

Base da piramide dentro da arvore da vida, sephira, arcanos


Ao somarmos os valores de cada um desses 6 arcanos temos:

O Dependurado: 12
O Sacerdote: 5
A Força: 11
A Charrete: 7
A Sacerdotiza: 2
Os Enamorados: 6

Total: 43


Na base da pirâmide também temos as 4 sefirôt que somam exatamente 30. Dessa forma temos na pirâmide o número 73, simbolizando as 72 emanações de Deus descrita na Cabala exatamente na base da pirâmide e Deus no topo do vértice emitindo suas emanações perfeitas até a base da pirâmide.

Além disso, 4 planetas se equivalem à cada sefiras destas, cada um com um valor específico: Tiferet (Sol) equivale a 6, Netzach (Vênus) equivale a 7, Yesod (Lua) equivale a 9 e Hod (Mercúrio) equivale a 8 , num total que soma 30,  o mesmo valor que está no triângulo  no topo do símbolo. Cada um dos 4 planetas/sefira equivale a umas das 4 palavras do símbolo:

O Símbolo profecias o ápice em 2036, blog 2036

Tiferet = Sol = Todo
Netzach = Vênus = Sempre
Yesod = Lua = Dia
Hod = Mercúrio = nOvo

Formam assim a base da pirâmide por onde O Dependurado se eleva e atinge o topo da pirâmide simbolizado pelo número 2036, o ponto máximo da transição planetária, o ponto correspondente ao Grande Dia do Senhor, a soma do 30 com os números romanos da base, o 2036.   

Como complemento aos assuntos abordados nesses dois textos sobre O Símbolo, vale a pena conferir o seguinte site:AQUI  

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 

O Símbolo (Parte I)

O Símbolo profecias o ápice em 2036, blog 2036




Antes de iniciar a explicação de todos os significados do símbolo magístico é preciso explicar a proporção áurea, também conhecida como “phi” e usada no retângulo dourado, presente nas medidas dos blocos da pirâmide de Gizé e no Partenon. Para resumir, deixarei o link com esse estudo completo:  AQUI 


O número Phi é 1,618. Os egípcios usaram essa proporção nas pirâmides cada bloco da pirâmide é 1,618 vezes maior que o bloco do nível logo acima. As câmaras no interior das pirâmides também seguem essa proporção, de forma que os comprimentos das salas são 1,618 vezes maiores que as larguras. Essa proporção aparece também em objetos simples que usamos hoje em dia, como os cartões de créditos e em aparelhos, como todos os fabricados pela Aple. É o numero da proporção da criação de toda a natureza, representando a geometria divina.

Será também importante explicar os significados do número 12, que simboliza basicamente a pirâmide e tem ampla ligação com o 666 (o Sol, a kamea solar) em contraponto ao significado do 666 presente no Apocalipse (o Sol Negro, o primitivismo humano). Esse estudo completo está AQUI


O significado do número 30 no topo do símbolo:

O número 30 equivale em valor à letra grega “lambda” e no hebraico a “lamed”

No “Talmud” está escrito que em todos os dias há pelo menos 36 pessoas justas na presença da Shechiná.  Shechiná significa em hebraico “presença, morada” e se refere a presença divina que existe em todo ser vivo e em todo lugar

Está pessoa justa é chamada de “lamed vavnik” que quer dizer “1 dos 36”. Está pessoa que tem o Shechiná só entrará em ação se a comunidade ou um membro desta estiver padecendo necessidade ou em perigo materialmente ou espiritualmente. O “lamed vavnik” jamais poderá revelar abertamente dizendo eu sou um dos 36 (lamed vavnik) se assim o fizer morrerá. O “lamed vavnik” geralmente é um trabalhador como os demais trabalhadores da comunidade e assim raramente será identificado como o homem que recebe a Shechiná (presença ativa divina, o Cristo, o Espírito Santo). O batismo do Espírito Santo é justamente a busca ativa da Schechiná de Deus. Quando a Shechiná se irradia sobre uma pessoa o “Ruach Ha-Kodesh” (O Santo Espírito) também entra em ação e faz com que a Shechiná fale por sua boca. O “Ruach Ha-Kodesh” também inspirou os autores dos livros proféticos. 

Lamed é 12ª letra do alfabeto hebraico. As 22 letras do alfabeto hebraico estão  AQUI


Segundo Benjamin Mandelbaum , as palavras instruir, ensinar, aprender em hebraico são escritas com a mesma base Lmd, lido como “limod” quando se aprende e Lamed quando se ensina, e que é o nome próprio da letra L.  Daí deriva a palavra Talmud (livro que registra as tradições judaicas, a lei oral judaica, as discussões rabínicas a respeito da lei e ética.). Talmud tem a base Lmd e quer dizer estudo. Num sentido mais literal, lamed significa aguilhão, a ferramenta usada para conduzir o gado indicando o caminho, fazendo-o avançar. Ou seja, Lamed representa aquele que ensina, que instrui, que conduz, o Deus único que conduz o seu rebanho, a humanidade inteira.


A letra Lamed também compõe a palavra “El” (Deus) = L (lamed)+ a (aleph)  , a = preposição “até”que   indica direção, direção ao divino. Lamed+ Aleph (La) equivale a El, que por sua vez equivale a Deus, é um dos sagrados nomes divinos, presentes em vários nomes dos arcanjos dos 72 nomes de Deus da Cabala, como por exemplo Gabriel e Rafael e presentes em uma oração muita comum na Cabala:

“Possa Micael, a energia do amor, estar a meu lado direito. Possa Gabriel, a energia da coragem, estar ao meu lado esquerdo. Possa Uriel, a energia da visão, estar a minha frente. Possa Rafael, a energia da cura, estar as minhas costas. Schechiná El (presença divina), possa Tua energia estar a minha volta. Possa eu sentir Tua presença dentro de mim. Percebendo meu amor por Ti e Teu amor por mim.”

Toda a pirâmide (muitas vezes simbolizada por uma de suas faces, o triangulo) possui um vértice apontando para baixo, pois da mesma forma que ela capta energia astral pelo vértice superior, descarrega energia negativa pelo vértice inferior e capta energia telúrica pelo mesmo vértice, da mesma forma que o chacra básico e o coroa agem no corpo astral, o básico captando a kundalini que sobe pela coluna vertebral e o coroa permitindo o contato com as mais altas esferas da espiritualidade.

Dessa forma vemos que na Estrela de Davi os 6 triângulos têm suas respectivas 6 contrapartidas apontadas para o centro do hexágono. Temos assim 12 triângulos cada um com valor 30 (o valor do topo do símbolo, o valor de Lamed), que equivale a 360 (12x30), o número exato de dias abarcados pelas 72 manifestações divinas da Cabala.

O triângulo valor 30 (Lamed) inserido na Estrela de Davi simboliza portanto, basicamente, Deus.

Quem quiser conhecer mais sobre a lenda dos 36 justos pode entrar AQUI 


No Tarô, Lamed está vinculado a carta de número 12, O Pendurado que simboliza o santo, o justo e o iniciado. É o representante da Humanidade que se encontra entre dois reinos – o deste mundo e o dos céus em peregrinação e busca pela compreensão e realização da Divindade Interior. É o arcano da fé, da aspiração espiritual, do sacrifício crístico. A suspensão pelo pé era tortura comum usada contra os primeiros cristãos, além do número 12 dessa carta simbolizar o signo de peixes, as pessoas “pescadas” pelos pescadores de almas, simboliza a luta do verdadeiro cristão pelo ideal crístico.

Arcano o dependurado com estrela de davi


A carta mostra de forma estilizada a Estrela de Davi no dependurado e ele pendurado sem nó algum que prenda seu corpo a árvore, sinal que ele levita. A árvore da carta simboliza a arvore das vidas:

Arvore da vida com os 22 arcanos
  



O corpo do dependurado toca 8 sefirôt, formando com seu próprio corpo o símbolo da eternidade. O lado direito se eleva por completo e a ponta do seu pé toca Keter, esfera que representa a coroa, onipresença e onisciência de Deus, está muito acima das outras duas, que são Binah (tocada pelo joelho esquerdo) e Chochmá (tocada pelo pé esquerdo) e representam respectivamente sabedoria e entendimento. As duas mãos atrás das costas estão sobre o chacra umbilical localizado no plexo solar e na sefira Tiferet que representa a harmonia e misericórdia. Hod, a sefira que representa o esplendor, permite que o poder e a energia sejam bem recebidos para quem o dependurado doar (tocada pela dobra do braço esquerdo). Netzach é a sefira que representa a resistência, a capacidade de vencer o mal , não  é a toa que está justamente sendo tocada pela dobra do braço direito. Yesod, a sefira que representa o alicerce fundamental, a viga mestra, a coluna principal do templo , o veículo que transporta de uma condição a outra permitindo a troca de energias recíprocas, está localizado no dependurado sobre o chacra cardíaco, aquele que plenamente desenvolvido expressa o Amor Universal. Por fim, a sefira Malchut que representa o reinado, a corrente aberta, aquele que recebe o poder e deve doar, também por isso mesmo está sendo tocada pela cabeça do dependurado, nos chacras frontal e coroa, fechando o símbolo de infinito com a coroa no topo da cabeça do dependurado em contrapartida da sefira Keter, que é a coroa dos sefirot, o infinito circular da energia Deus - espirito. 

Reparem que no tronco da árvore, na carta, existem 4 folhas, que somadas as 6 pontas da Estrela da Davi equivalem ao número exato de sefirôt (10) da Árvore das vidas e se somarmos as 4 folhas às 8 sefirôt tocadas pelo dependurado, teremos o número da própria carta (12), uma pista para todo o significado velado dessa carta.   


Simbologia geral:


No centro da Estrela de Davi está o terceiro olho (chacra frontal) símbolo da visão espiritual e no centro desse olho o átomo, que simboliza o invisível que se manifesta no que é visível. A manifestação divina simbolizada pelo triangulo com o numero 30 lança sua energia através do infinito com seus 7 chacras, o infinito em pé na forma do número 8 mostrando o dependurado na árvore das vidas que toca 8 sefirôt, o homem como uma pirâmide ligado a Deus pelo infinito na Arvore das Vidas, que simboliza a ligação de Deus com sua criação e se manifesta como espelho do Criador, pois como vimos a Estrela de Davi com os triângulos de valor 30 representa Deus.


A Estrela de Davi que começa do Todo em sentido horário e volta ao Todo, se elevando pelo infinito e seus 7 planos/dimensões principais, até atingir de forma plena Deus (30, Lamed). É uma alusão a subida evolucional pelo Caduceu, onde as duas serpentes (símbolo do intelecto) representando a dualidade do Todo se elevam até atingir o Eu Superior, o Espírito Santo, simbolizado nas duas asas de pombo. O Espírito Santo apareceu no batismo de Jesus como um pombo, Jesus nos disse para sermos atentos como as serpentes e simples como as pombas. Vigilância e simplicidade para elevarmos o intelecto rumo a divindade, as asas que libertam, afastando do primitivismo instintivo, pois o intelecto primitivo é o símbolo da primitiva serpente, o diabo, aquele que desune, que separa o homem da sua essência divina. 


Caduceu de Hermes e os sete chacras, serpente e asas de pomba


No lugar de cada uma das asas podemos observar os números em dourado 144 e 111, no centro o 115 na energia violeta que está dentro da pirâmide e no topo o número 30. Na terceira parte a simbologia desses números será explicada.

No sentido horário temos as palavras Todo, Sempre, Dia e nOvo, que representam a manifestação do todo, causa primordial que sempre existiu e sempre criou, criação essa em constante renovação em busca da luz, simbolizada pela palavra Dia e a cada renovação e transformação a criação está mais nova e mais próxima da perfeição do todo.


Esses são os elementos e significados gerais do símbolo, mas ele indica um significado muito mais amplo: é um símbolo pessoal baseado na minha data de nascimento 25/06/79 e ligado a profecia de 2036, profecia que fui encarregado pelos mentores espirituais de informar em todos os seus pormenores, como venho fazendo aqui na comunidade. São esses elementos pessoais que irei explicar na segunda parte AQUI   



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 

13 de jul de 2011

Nostradamus: A Terceira Guerra e os pássaros de aço

Terra azul imagem 2036


Para saber mais sobre profecias e estudos bíblicos, conheça meu primeiro livro "A Bíblia no 3º Milênio" que interpreta todos os versículos do Apocalipse e boa parte das principais profecias bíblicas como Daniel, Sermão Profético, Nostradamus e Ezequiel: 




Centúria X, Quadra 67 

“Le tremblement si fort au mois de May, Saturne, 
Caper, Jupiter, Mercure au bœuf : 
Venus aussi, Cancer, Mars en Nonnay, 
Tombera gresle lors plus grosse qu'un œuf.” 


"O tremor é forte no mês de maio 
Quando Saturno, alcaparra, Júpiter e Mercúrio ao boi.
Assim como Vênus, Câncer, Marte em mulher enclausurada
Tombará granizo maior que um ovo.”

"Nonnay" no francês significa freira, mulher ou pessoa enclausurada, uma referência a Igreja em Roma (mulher enclausurada) aprisionada ou dominada por forças invasoras. No Zodíaco, a mulher enclausurada pode ser comparada ao signo de Libra, que é regido por Vênus (símbolo do feminino) e da justiça (que pode aprisionar)

Maio, até o dia 20, está no signo de Touro (boi), sendo que em 2035, Júpiter e Mercúrio estarão em Touro no dia 1ª de maio. Saturno, regente do ciclo de 2017 a 2052 estará, portanto, regendo o grande ciclo de 36 anos nessa época. Esse evento está, portanto, situado em primeiro de maio de 2035 (dentro do período último da profecia dos 70 períodos de Daniel)

"Caper" em francês significa alcaparra, é um tempero utilizado a milênios pelos italianos e povos do mediterrâneo, foi uma pista dada por Nostradamus pra mostrar onde será esse conflito. Tanto o "boi" como a "mulher enclausurada" tem dois significados: o boi representa o dia no signo de Touro do evento, mas também representa a Igreja, visto que os dois chifres do Touro podem ser associados a força armada que sustentava o papado (império romano ocidental e oriental) ou ainda nas duas grandes forças do cristianismo: o catolicismo e o protestantismo.

Cinco meses depois , no dia 22 de outubro temos algo realmente impressionante: nesse dia que está no signo de Libra (a mulher aprisionada) teremos um grande trígono formado Vênus, Urano (que está no signo de câncer) e Marte. É esse o significado da terceira linha da quadra: "Assim como Vênus, Câncer, Marte em mulher enclausurada"

Ou seja, a perseguição da aliança sino-árabe contra os remanescentes e sobreviventes   do evento do Etna e da invasão árabe em 2033 que buscarão refúgio na Rússia  levará 5 meses (maio a outubro de 2035), após a vitória dessa aliança sobre Israel fazendo com que nos meses finais de 2035 a Rússia seja obrigada a entrar na guerra contra essa aliança, potencializando as tensões mundiais entre final de 2035 e abril de 2036, quando russos e americanos se tornarão aliados e lutarão para recuperar os territórios dominados pela aliança sino-árabe, já que após os 5 meses de luta, essa aliança será expulsa do território russo.

Acredito pela análise dessa profecia e seu conjunto geral com as profecias do Apocalipse, que esse será o momento mais tenso do conflito. Como podemos ver na imagem abaixo, no dia 22 de outubro de 2035, esse grande trígono que Nostradamus se refere (câncer, Marte e Vênus) está preso em uma figura ainda mais forte, uma grande cruz:

Mapa astrológico da Itália em 22 de outubro de 2035:

Mapa astral armagedon 2035-2036




Mesmo mapa com o grande trígono e a grande cruz realçados:

Mapa astral do armagedon/apocalipse de 2035 a 2036





Apocalipse capítulo 9: 2-12 relata:

ela o abriu e saiu do poço uma fumaça como a de uma grande fornalha. O sol e o ar obscureceram-se com a fumaça do poço. (erupção do Etna que abre espaço pra invasão a Europa, também relatada em Nostradamus) Da fumaça saíram gafanhotos pela terra. O aspecto desses gafanhotos era o de cavalos aparelhados para a guerra. Nas suas cabeças havia uma espécie de coroa com reflexos dourados. Seus rostos eram como rostos de homem, seus cabelos como os de mulher e seus dentes, como os dentes de leão. Seus tórax pareciam envoltos em ferro, e o ruído de suas asas era como o ruído de carros de muitos cavalos, correndo para a guerra. Tinham caudas semelhantes à do escorpião, com ferrões e o poder de afligir os homens por cinco meses. Terminado assim o primeiro ai, eis que, depois dele, vêm ainda dois outros” (o primeiro “ai” é o mega vulcanismo que ocorrerá no Etna, arrasando boa parte da Europa e permitindo a  invasão da aliança sino-àrabe, o segundo “ai” será o Armagedon, quando esse exercito destruirá por completo Israel e terá de enfrentar na batalha final a aliança entre americanos e russos e sobreviventes europeus. Por fim o terceiro “ai”, que será o mega terremoto em San Andreas devido a ação do Apophis , que arrasará boa parte dos Estados unidos, China e Rússia, impedindo que a aliança entre russos e americanos execute um ataque atômico contra a China, assim como que a China e os aliados da ala radical islâmica não tentem um ataque atômico ao perceber que a guerra está perdida).

João descreve os caças militares com a linguagem que poderia naquela época, com um aspecto longilíneo (gafanhotos), com um aspecto reluzente como uma coroa (em virtude do uso dos metais e do vidro), com rostos de homem pois são homens que os pilotam, o “cabelo de mulher” descreve a visão do movimento do ar envolta do caça em pleno vôo, os dentes de leão dão a exata idéia das armas contidas na base do avião, alongadas na base parecendo realmente dois dentes.


Repare na foto abaixo que o numero de arma compridas abaixo do caça dão o aspecto de muitos dentes, a comparação com o leão também é clara, por ser um predador nato.   


Caça aereo com dentes de leao, nostradamus passaros de aço

Provavelmente o granizo caindo com o tamanho de um ovo pode ser uma referencia a visão de Nostradamus sobre os caças (pássaros voadores ou descritos por João como gafanhotos) lançando tiros com armas de grosso calibre, semelhante a granizo caindo do céu com o tamanho de ovos de galinha.

Na profecia de Dom de Bosco interpretada AQUI  teremos um grande evento no Etna. Essa profecia de Dom Bosco, alinhada com as profecias de Nostradamus e do Apocalipse, mostram um ponto comum que também é descrito pelo Feraudy no livro "Erg, o Décimo Planeta". Dom Bosco fala em vários períodos próximo ao "mês das flores":   

“Duzentos dias depois, o Papa será obrigado a deixar Roma e andará errante durante cem dias, depois do que regressará à sua capital e cantará em São Pedro o Te Deum de Salvação” 


Cronologia da profecia:

O mês das flores da profecia de Dom Bosco – setembro de 2031

Evento no Etna próximo aos jogos olímpicos de 2032 (C8Q16 de Nostradamus) causando a destruição da Itália

Revolução na Itália 400 dias depois – entre dezembro de 2032 e janeiro de 2033, esse evento abre as portas para a invasão ao território italiano e em seguida ao resto da Europa

200 dias depois o Papa deixará Roma – entre julho e agosto de 2033 , não conseguindo mais se esconder das forças invasoras, o papa abandona Roma

Papa volta a Roma – dezembro de 2033 – por certo não tendo qualquer local seguro na Europa, o papa prefere retornar aos escombros da Igreja (se entregar às forças invasoras), em território já controlado pelas forças invasores (aliança sino-árabe). Temos portanto, analisando o primeiro “ai” do apocalipse descrito em Apocalipse 9:2-12, esse primeiro “ai” que engloba um grande evento vulcânico e a invasão de árabes e chineses a Europa, de  final de 2032 a meados de 2033. A partir desse ponto, o caminho de invasão em direção á Israel está aberto

De 2033 a abril de 2035 – cristãos e europeus buscarão refúgio na Rússia, que pela constituição é cristã ortodoxa e nessa época ainda estará neutra nos conflitos. Nesse período as forças chinesas e árabes dominarão Israel e a Europa e buscarão capturar os sobreviventes europeus e cristãos no território russo, um motivo pra iniciar um confronto com a Rússia

1ª maio de 2035 – segundo a descrição de Nostradamus em C10Q67, ocorrerá figurativamente um grande tremor, não um tremor de terra (terremoto) quando duas placas se chocam, mas sim o início do confronto entre dois grandes gigantes: China e Rússia, que defenderá seus cristãos e cristãos europeus ali refugiados (os dois chifres do boi ou as duas ramificações ou chifres do “boi” que é o cristianismo na Europa)

O primeiro “ai” iniciado com o evento no Etna e a invasão sino-árabe, porém, ainda não terminou, pois na cronologia bíblica ele só termina quando se inicia o segundo “ai” que é o Armagedon, o conflito entre Gog-Magog, a reunião das tropas do mundo todo para o confronto final no Monte Megido em Israel (Apocalipse 9:16-17, 20:8-11). Segundo o capítulo 9 de Apocalipse, esse evento (Armagedon / segundo “ai”) ocorrerá após os 5 meses de confronto, exatamente o período entre maio à outubro de 2035.

22 de outubro de 2035 – a libertação da mulher enclausurada descrita nessa quadra de Nostradamus pelo granizo que cai do céu (em alusão as bombas e armas dos aviões). A Rússia expulsa os invasores do seu território e, aliada aos americanos, parte para a libertação do território de Israel.

Outubro de 2035 a abril de 2036 – Nessa janela de tempo ocorrerá o Armagedon, as forças da Rússia e Estados Unidos retomam os territórios invadidos na Europa, os devolvendo à comunidade européia. Partem agora em direção a Israel, último reduto de defesa da aliança composta por extremistas árabes e chineses. Segundo o capítulo 9 de Apocalipse esse segundo “ai” ou sexta trombeta será uma guerra global com 200 milhões de soldados (Apocalipse 9:16) e a morte de um terço dos homens. Acredito que próximo de abril de 2036 as primeiras armas atômicas poderão ser utilizadas pelos americanos contra alguns países da aliança árabe e justamente pra evitar um conflito mundial atômico, o asteróide Apophis cairá próximo ao solo americano, desencadeando eventos planetários, como uma explosão em Yellowstone e atividade vulcânica em vários vulcões do planeta, colocando fim à guerra pela necessidade de cada país precisar vencer esses problemas com a natureza.

Todas essas destruições levarão através do desencarne os revoltosos para fora da Terra, permitindo que os sobreviventes reconstruam o planeta, já que a guerra terá chegado ao seu fim através desses eventos. Analisando essas profecias consigo finalmente compreender os relatos proféticos do Feraudy no livro “Erg, o décimo planeta” que aponta o auge de grandes conflitos pra data de 2035, antes do evento envolvendo o Apophis, em 2036     

Pra terminar, uma questão interessante: Nessa quadra de Nostradamus é que ele cita os 5 planetas que compõe o chamado “regente do ciclo” (de 36 anos) da astrologia, juntamente com Sol e Lua que não são planetas. Para maiores informações vejam nesse link: AQUI 


Adquira o livro A Bíblia no 3º Milênio ao preço de 49,99 por suas 650 páginas, a venda no seguinte link :

http://www.clubedeautores.com.br/book/149168--A_Biblia_no_3_Milenio


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

12 de jul de 2011

La palma : tsunami com 250 metros de altura

Se o vídeo travar, basta pausar e clicar no link que aparece na própria tela, escrito: "Mega Tsunami" que ele vai direto pro Youtube.







http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com/

9 de jul de 2011

As 4 Bestas do Apocalipse (Parte II / Final)

A primeira parte desse estudo está : AQUI

Apophis bate na Terra em 2036, Apophis 2013, Apophis 2019, Apophis hit the earth

SEGUNDA BESTA: ALEMANHA DAS DUAS GUERRAS 

É ela que faz uma imagem para a primeira Besta, essa imagem é o Vaticano. 


“E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés, como os de urso, e a sua boca, como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”. (Apocalipse 13:2)


“E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem {é} semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela”? (Apocalipse 13:4)

Ora, SEMELHANTE ao leopardo quer dizer que parece um leopardo, mas não é. 

Jesus é o leão da tribo de Judá. A Besta PARECE um leão, mas não é justamente porque o cristianismo romano não é o cristianismo primitivo. A boca, por onde saem as palavras, age como se fosse a boca do leão da Tribo de Judá (Apocalipse 5:5), pois ela fala em nome de Jesus. Seu corpo todo parece ser o cristianismo primitivo, mas não é. Ela também tem na sua base, ou seja, nos seus pés, semelhança com um urso. O urso é animal símbolo da Rússia e está exatamente na Rússia a maior representação do cristianismo ortodoxo, os católicos do oriente, que no futuro serão a base, talvez até de salvação, do catolicismo ocidental. É também dito “o dragão deu-lhe o seu poder”, isso comprova que Roma deu o seu poder e o seu trono e que essa Besta citada é apenas uma manifestação diferente do Dragão.

“E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão. E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens”. (Apocalipse 13:11-13)

Fica claro que não temos apenas uma Besta, pois se fala numa outra Besta com o poder da primeira. Ora, a primeira Besta como sabemos é Roma, descrita por Daniel como o quarto animal fantástico que aparece como um dragão vermelho com cauda e depois como a Besta, no caso a primeira. Já sabemos que a última Besta será formada pela união de chineses e a ala radical islâmica. Então vamos analisar essa segunda manifestação da Besta:

Ou seja, a Besta com os dois chifres parecia um cordeiro, mas não era, pois falava como Dragão. Esses dois chifres são o nazismo e o fascismo, representados por Hitler e Mussolini, que se aliaram de fato em 1936. Mussolini criou o Vaticano pelo tratado de Latrão e contava com amplo apoio da Igreja. Ambos fizeram realmente fogo cair do céu até a terra. As terras onde os dois controlavam (Hitler e Mussolini) realmente adoravam a primeira Besta, ou seja, Roma, já que os dois líderes eram aliados.

Resumindo: “a outra besta que subiu” (Apocalipse 13:11) foi a Alemanha e exerce todo o poder da primeira besta (Roma) exatamente na sua presença. Roma, como vimos, representa o Dragão e essa outra Besta (Alemanha aliada a Roma) é que fala como um Dragão. Os dois chifres que surgiram naquela época foram o fascismo e o nazismo, sendo que o Vaticano nasceu aliado a Mussolini, por isso os dois chifres tem a semelhança como de um Cordeiro, pois a aparência do Vaticano é semelhante a de um Cordeiro por se utilizar da imagem de Jesus, que é o Cordeiro Verdadeiro. A criação do Vaticano foi a cura da chaga mortal (papado enfraquecido após as invasões napoleônicas) que existia na Besta (Roma)


“E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida de espada e vivia”. (Apocalipse 13:14)



Roma ocidental foi que recebeu a ferida de espada, a chaga mortal que foi curada (13:3). Essa imagem é exatamente o Vaticano, em 1929, pois foi quando Roma voltou a ter a força de um império global, o que representou a cura da chaga mortal. Ambos, Hitler e Mussolini (aliados da nova Besta, a Alemanha) fizeram os sinais na presença do Vaticano. A Igreja inclusive apoiou Mussolini, que foi o criador do Vaticano através do tratado de Latrão.

Sendo assim esse versículo fica: “E a nova Besta (Alemanha nas duas guerras), engana os que habitam a terra (no caso as terras da Alemanha e Itália e não a Terra, planeta)  com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da (primeira) Besta (Roma + poder papal), dizendo aos que habitam na terra que fizessem  uma imagem (Vaticano) à  (primeira) Besta (Roma + poder papal) que recebera a ferida de espada (queda dos dois impérios romanos) e vivia” 

“E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta”. ( Apocalipse 13:15)

Dragao azul

E foi concedido a Alemanha (a Nova Besta) dar vida ao Vaticano (imagem da primeira besta), vida essa que foi dada pelo tratado de Latrão (que deu vida ao Vaticano), tratado feito por Mussolini, fiel aliado da Nova Besta. Quando a imagem da Besta falava, era a Alemanha, Roma e o papado falando, prova disso foi apoio Apoio que o Vaticano deu a Mussolini durante a segunda guerra, ou seja, todos no mundo que não dorassem essa aliança, representada pela imagem da primeira Besta com o espírito da Nova Besta seriam mortos, e foi o que ocorreu na Segunda Guerra. 


TERCEIRA BESTA: ESTADOS UNIDOS  PÓS 2ª GUERRA

Representado  pelo “Deus da Terra” da “Grande Cidade”.

A explicação completa está no vídeo sobre o capitulo 11 do Apocalipse e nesses dois textosAQUI 

“São eles as duas oliveiras e os dois candelabros que se mantêm diante do Deus da terra” (Apocalipse 11:4)

“Seus cadáveres jazerão na grande cidade que se chama espiritualmente Sodoma e Egito onde seu Senhor foi crucificado” (Apocalipse 11:8)

Observamos após o estudo das 4 Bestas que todas elas têm em comum a sede pelo poder, pelo ter, o materialismo. O dinheiro está representado no 666 pelos 6 primeiros algarismos romanos, que somados equivalem ao numero da Besta e estão presentes em varias notas de papel moeda pelo mundo. O que coloca no mesmo nível as representações da Besta e a Grande Babilônia é o apego ao dinheiro, o materialismo. É isso que torna cada uma dessas representações tão implacável e feroz. Isso fica evidente nos seguintes trechos do Apocalipse: 

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na mão direita ou na testa para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome”. (13:16-17)

Quem faz aqui é a aliança entre Roma, papado e a Alemanha. Na época do feudalismo, os senhores feudais controlavam feudos, tinham o apoio dos reis ligados a Igreja Romana, ou seja, para as pessoas comprarem ou venderem a produção, necessitavam de um sinal de liberação do senhor feudal, subordinado ao poder da Igreja que estava em Roma. Depois, com o surgimento da moeda corrente, ou seja, o capitalismo, as pessoas passaram a ter documentos com números que definissem o próprio nome, tais como cpf, cartão de credito. Portanto o sinal é o dinheiro, as moedas e/ou seus derivados, que são usados prioritariamente pela mão direita, já que a maioria da humanidade é destra. O sinal na testa é o sinal da cruz feito com o dedo, símbolo da Igreja romana.  Não devemos também esquecer que durante o regime nazista, a partir de 1933 grandes campos de concentração foram construídos e oito milhões de pessoas perderam seus nomes e ganharam números, sendo a maioria depois torturada ou morta. Além disso a saudação do Reich era erguer a mão direita.

“Um terceiro anjo seguiu-os, dizendo em alta voz: Se alguém adorar a Besta e a sua imagem, e aceitar o seu sinal na fronte ou na mão, há de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice da sua ira. A fumaça do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos. Não terão descanso algum, dia e noite, esses que adoram a Besta e a sua imagem, e todo aquele que acaso tenha recebido o sinal do seu nome”. (Apocalipse 14: 9-11)

A imagem da Besta como já vimos, está representada pelo Vaticano, que é a imagem da primeira Besta (Roma + papado) feita pela Nova Besta (Alemanha da época de Hitler que se aliou a Mussolini que criou o Vaticano pelo tratado de Latrão)

Mas adorar essa imagem não significa apenas adorar o Vaticano, mas sim adorar os valores perpetrados pela primeira Besta: materialismo, primitivismo de sentimentos (violência, guerras, intolerância). Os que adoram o luxo, o dinheiro, o poder, esses são os que adoram a imagem da Besta, representado pelo imponente e luxuoso Vaticano.

OS 4 ANIMAIS E OS 4 CAVALEIROS DO APOCALIPSE

Para finalizar esse amplo estudo sobre os tipos de Besta descritos na Bíblia, podemos compará-las aos 4 animais ligados aos 4 primeiros selos. Esse estudo completo pode ser visto no texto “Os Selos (parte I): Os 4 Cavaleiros do Apocalipse”. Como já vimos no inicio desse texto, a palavra grega traduzida como “Besta” é therion, que significa animal feroz, portanto a analogia com os 4 animais descritos no capitulo 4 do Apocalipse (leão, bezerro que se transforma em touro, homem e águia em pleno vôo), que por sua vez estão ligados aos 4 primeiros selos que são representações de grandes forças anticrísticas que surgiram e surgirão até que se completem os dois mil anos da morte de Jesus. 

Essas 4 forças são popularmente conhecidas como os “cavaleiros do Apocalipse” (eis aí mais uma explicação para o número da Besta ser número de homem ou número de “um” homem como mencionam algumas traduções bíblicas, pois se refere a cada um dos 4 cavaleiros e em específico ao homem representado entre os 4 animais).

Reparem que no estudo dos selos cada cavaleiro tem uma associação com o 666: o último terminará seu trabalho em 2036, sendo que o 666 é a soma de todos os números de zero a 36 (0+1+2+3+....+35+36=666).

O penúltimo e atual tem como símbolo o dinheiro, sendo que os 6 primeiros números romanos, presentes em várias moedas financeiras do mundo somam 666 (1+5+10+50+100+500).

O segundo era representado pela letra “S” (suástica, ss), sendo que a letra grega Sigma é a 18ª do alfabeto grego (6+6+6 = 18ª). 

Por fim, o primeiro deles teve três impérios (Romano ocidental, Oriental e papado) sendo que todos eles cobravam impostos (ou dizimo) e a Bíblia deixa claro que o número do dízimo ou do imposto é 666:

“O peso do ouro que se trazia à Salomão a cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos" (2Cro 9:13) 

Vamos então analisar essa ligação das Bestas com os 4 animais. Primeiramente podemos observar que a definição das 4 Bestas é idêntica à definição dos 4 cavaleiros:

Besta do apocalipse, beast , balrog, demonio, satanas, dragao de fogo


1ª selo = Roma+ papado (1ª cavaleiro) = primeira Besta
2ª selo = Alemanha (2ª cavaleiro) = segunda Besta
3ª selo = Estados Unidos (3ª cavaleiro) = terceira Besta
4ª selo = China + árabes (4ª cavalo) + Apophis (4ª cavaleiro) = quarta Besta


1ª selo = Cavalo Branco = Cristianismo da época de Jesus, Puro, Verdadeiro
2ª selo = Cavalo Vermelho = I e II Guerras Mundiais
3ª selo = Cavalo Preto = Materialismo
4ª selo = Cavalo Amarelo = III Guerra Mundial, “Morte” da “Velha Terra” para o inicio da “Nova Terra”, a Era de Regeneração simbolizada na figura da Nova Jerusalém

São descritos assim os 4 animais que anunciam a abertura dos 4 selos:

“Havia ainda diante do trono um mar límpido como cristal. Diante do trono e ao redor, quatro Animais vivos cheios de olhos na frente e atrás. O primeiro animal vivo assemelhava-se a um leão; o segundo, a um bezerro; o terceiro tinha um rosto como o de um homem; e o quarto era semelhante a uma águia em pleno vôo”. (Apocalipse 4:6-7)

No capítulo 6 do Apocalipse, como podemos conferir no texto sobre os selos, cada animal anuncia a abertura de um dos 4 primeiros selos.

Vamos então à associação dos 4 animais com as 4 formas da Besta: João nos fala que uma das Bestas sobe do abismo (Apocalipse 11:7). A águia aprende a voar justamente quando se joga no abismo e após a momentânea queda, ela sobe. João também nos fala que o número da Besta é número de homem (Apocalipse 13:18) e um dos 4 animais que anunciam os selos é exatamente um homem. João relata  a Besta com 10 chifres (Apocalipse 17:3) e temos entre os animais um que possui chifres: o bezerro que se transforma em Touro. Por fim, João relata a Besta semelhante a um leopardo (Apocalipse 13:2),ou seja, com a forma semelhante ao primeiro dos 4 animais, que é o Leão (e como já foi explicado esse leão não tem nada haver com o Leão da tribo de Judá).