30 de mar de 2011

Dragões e Magos Negros (parte III) A Queda da Atlântida

Apophis chega na Terra em 2036, asteroide caindo na Terra

A segunda e a primeira parte desse texto estão: AQUI
 
Nos dois textos anteriores foi explicado um pouco sobre a origem dos dragões e magos negros (os magos da escuridão, que são também conhecidos por magos negros pela preferência em usar roupas em tons mais escuros, demonstrando oposição à luz), a indicação de algumas obras sobre o assunto e a questão do exílio planetário.

Nesse texto buscarei esclarecer, segundo meu entendimento, alguns dos eventos finais que envolveram a Atlântida, bem como o desenrolar no resto do planeta, tanto do período final da guerra entre as populações atlantes (brancos, vermelhos, negros e amarelos) como a colonização realizada pelos sobreviventes atlantes, que levaram significativo avanço tecnológico a várias partes do planeta.

A Atlântida da última Era de Ouro (período que demarca o apogeu dessa civilização nos últimos 12 séculos antes da chegada dos capelinos exilados à Atlântida para as suas primeiras encarnações no orbe terrestre) era reduto de espíritos de grande moral e de grande conhecimento, sobretudo na manipulação do fluido universal através do uso de cristais e de metais como o ouro e o orichalco, tecnologia criada pelos magos atlantes que encarnaram durante essa última Era de Ouro e ficaram conhecidos como magos brancos em virtude das vestes que usavam na cor branca. Foi justamente o reencarne em massa na Atlântida de espíritos exilados de Capela que precipitou o fim da Era de Ouro.

Tanto o fluido universal e o orichalco foram usados de forma negativa pelos rebeldes capelinos encarnados na Atlântida na guerra entre os dois povos. Como a manipulação do fluido universal controlado mentalmente era restrita a um seleto grupo de magos negros nesse conflito, os líderes dos dois povos arranjaram uma forma de proteger e dar força de ataque aos exércitos com atlantes que não dominavam o controle desta energia e essa forma foi exatamente o orichalco, talhado na forma de armaduras que respondiam bem na defesa a ataques dessa energia fluidica e mental , pois foi a manipulação do fluido universal que deu origem ao orichalco.

Material leve e extremamente resistente, o orichalco além de resistir a ataques vindos de magos negros (que manipulavam amplamente com a mente o fluido universal) tinha outra vantagem e talvez tenha sido essa a decisiva para que o povo dos vermelhos, liderados por Atlas, tenha vencido o conflito entre os dois povos: era um material com propriedades semelhantes aos cristais de quartzo, ou seja, podiam ser programados e foi exatamente essa ampla programação que foi realizada pelo maior mago das sombras que estava encarado naquela época na Atlântida, no povo vermelho: Atlas.
 
Além disso, Atlas possuía ampla ascendência mental sobre o povo vermelho, que o admirava como um verdadeiro líder e isso facilitava uma egrégora mental muito forte e amplamente usada por ele no confronto contra o exército e magos negros da população de etnia branca.

A vantagem do exército de Atlas era tão absurda, em virtude dessa ampla programação das armaduras e da egrégora mental que envolvia seu exército, que numa atitude desesperada, o líder do exército dos brancos, Gaderius, tentou invadir a Grécia para conseguir um contingente maior de homens que pudessem usar as armaduras de orichalco e assim, quem sabe, ter alguma chance contra o exército de Atlas.

Aproveito aqui para corrigir uma informação que coloquei no primeiro texto (parte I), pois na verdade o povo formado pelos atlantes de etnia vermelha não ficava a oriente da Atlântida, mas sim a ocidente, enquanto que os atlantes de etnia branca, liderados por Gaderius, é que viviam a oriente. O ocidente da Atlântida dava para os territórios das Américas, enquanto que o oriente para a Europa e África, isso explica o desenvolvimento das etnias européias, entre terrícolas e descendentes da etnia atlante branca, enquanto nas Américas essa influência foi predominante da etnia atlante vermelha, justamente por eles estarem no lado ocidental da Atlântida.

Hércules, Atlas, Moisés

Atlas era um mago das sombras tão poderoso na manipulação do vril e na manipulação hipnótica que nem todos os magos negros da etnia branca juntos poderiam fazer frente a sua força descomunal, até porque ele usava habilmente a egrégora energética criada pelo povo vermelho que o amava e admirava; diferente do líder da etnia branca Gaderius que não possuía esse carisma junto ao seu povo. Apesar de ser um mago das sombras, Atlas sabia que somente o amor incondicional do seu povo é que poderia dar a força necessária para que enfrentasse a guerra contra a etnia atlante branca e vencesse.

Atlas ficou conhecido como o mitológico Hércules, descrito na mitologia como “um viril guerreiro com uma clava, de pele bronzeada e grande barba, que se utilizava de trapaças e truques a seu favor e que deixou o mundo seguro para a humanidade após destruir diversos “monstros” e também como o mitológico Poseidon , senhor supremo da Atlântida ou Poseidonis, visto como um Deus pelos gregos após salvá-los das tropas de Gaderius. Inclusive a descrição física de ambos, Poseidon e Hércules é bem semelhante, ambos possuem aspecto forte, barba vasta e seguram em uma de suas mãos objetos semelhantes, Hércules um clave e Poseidon um tridente.

Mapa da Atlantida a 12 mil anos, atlantis, poseidon, ruta e daitia

Podemos observar no mapa da Atlântida que existiam duas colônias (na verdade um confronto entre as forças dos dois povos) exatamente na África onde hoje é o Marrocos, com o exército de Atlas ao norte, mais numeroso descrito como “Atlas” e abaixo um exército menor, descrito como “AntiAtlas”, pois Gaderius tentou realizar a invasão sobre o território grego exatamente através do norte da África .
 
Após os vermelhos derrotarem por completo o exército de Gaderius, muitos atlantes da etnia vermelha permaneceram na região, dando origem a diversos povos, como os etruscos e os bascos, no entanto a maioria preferiu retornar a Atlântida. Sobreviventes da etnia atlante dos brancos se juntaram a um grupo de atlantes também da etnia branca que havia fugido de barco da Atlântida perante a certeza da derrota para os vermelhos. Os atlantes brancos se aglomeraram então na Península Balcânica (Bálcãs) a sudeste da Europa e assim, nos séculos seguintes junto aos remanescentes da civilização do Hiperbóreo (atual Groenlândia) que já viviam no continente europeu, se iniciou o desenvolvimento majoritário dos árias na Europa.

A guerra entre os povos atlantes, principalmente os vermelhos e brancos, tinha algumas peculiaridades. Gaderius, líder dos brancos, desejava exterminar toda a população dos vermelhos quando vencesse o confronto, enquanto Atlas não tinha esse mesmo desejo, apenas acreditava que a única forma de defender a sobrevivência dos vermelhos na Atlântida seria exterminando o líder e o exército dos atlantes brancos e foi exatamente isso que Atlas fez, pois logo após a vitória sobre os brancos ele não permitiu que a civilização vermelha realizasse uma chacina sobre os cidadãos atlantes da etnia branca que viviam no lado oriental da Atlântida

Esse desejo praticamente insano de extermínio que dominava Gaderius advinha da aliança que ele realizou com os Dragões ( descrito na parte I desse texto), que eram e são seres interessados na destruição do planeta, diferentemente da maioria dos magos negros, que desejavam exercer um controle sobre grupos de espíritos encarnados e desencarnados. O que motivou a Alta Espiritualidade a destruir a Atlântida através da queda de um meteoro vermelho no continente atlante, foi basicamente impedir que a energia advinda do Sol Negro (descrito na página 66 do livro “Atlântida no Reino das Trevas”, Editora do Conhecimento) pudesse se espalhar na dimensão física da Terra.
 
O Sol Negro é uma poderosa egrégora (um foco central onde são canalizadas emanações mentais que criam um campo, uma forma pensamento que absorve todas as energias que se alinham aquela vibração, bem como alimenta energeticamente o espírito que dela saiba usar e manipular) desenvolvida pelos Dragões assim que eles foram exilados pra Terra após o evento em Erg, sendo que essa egrégora emana matéria astral (antimatéria, pra entender mais sobre antimatéria falo sobre ela nesse texto:  AQUI  )

Mago negro

Essa matéria astral emanada pelo Sol Negro apresenta intensa radiação atômica, e seria capaz de desagregar a matéria da dimensão material em proporções inimagináveis, como se agisse como um micro buraco negro, caso chegasse à dimensão física.

Sabendo disso, os magos da luz (também conhecidos como magos brancos, pois se vestiam com roupas brancas e não por serem de determinada etnia) que viviam na Atlântida selaram o intenso fluxo de fluido universal que partia do cume da grande pirâmide Atlanteana feita com cristais, para impedir que ele fosse usado no conflito entre os povos atlantes. Após o final da guerra, com Atlas reinando sobre toda a Atlântida esse fluxo, que havia sido corrompido durante a guerra, estava agora nas mãos da civilização vermelha e apesar do carisma e esforços de Atlas pra evitar um genocídio contra os povos atlantes vencidos, cada vez mais rebeldes capelinos, encarnados no povo vermelho, começavam a se insuflar desejando vingança completa pelos anos de guerra entre os povos.
 
Com o crescente sentimento de vingança sendo alimentado dentro do próprio povo vermelho e a insistência de Atlas em não realizar um genocídio sobre o povo branco, logo surgiu uma conspiração entre os próprios vermelhos para eliminar Atlas, que já se preparava para deixar o poder após aqueles anos de luta, deixando o reinado da Atlântida e seus estados-governo na mão de uma de suas filhas, que era sacerdotisa do fluido universal. No entanto ambos, Atlas e a futura rainha, ja pressentiam que o fim da Atlântida estava próximo.   

Atlas, o gigante vermelho, atlantes vermelhos, Hercules, Moisés

No meio desse processo, dias antes da queda do meteorito vermelho na grande Poseidônis, um grupo de vermelhos descobriu a “pirâmide inversa”, uma formação feita de matéria astral (antimatéria) que tinha as mesmas dimensões da Grande pirâmide Atlanteana, só que com o cume apontando pro centro do planeta e era usada na última Era de ouro pelos magos da luz em diversos processos tecnológicos para o bem da civilização atlante, mas que vinha sendo estudada nos anos finais de vida de Gaderius como forma de captar a energia do Sol Negro dos Dragões.

Gaderius apenas não iniciou o uso dessa captação do Sol Negro pois não soube como manipular essa energia enquanto era vivo, pois sabia que se perdesse o controle, a energia causaria uma intensa destruição nas imediações da Grande Pirâmide, que estava exatamente no território do povo branco, o que poderia causar a destruição completa do seu reino durante a guerra que travou com Atlas.

Os vermelhos que desejavam tirar Atlas do poder resolveram ativar a pirâmide inversa, mesmo sem ter o conhecimento pleno de como manipular aquela energia, pois sabiam que essa energia seria capaz de atingir Atlas ou qualquer outra pessoa à distância, além de iniciar um processo de destruição onde os atlantes brancos viviam.

Foi essa ativação a razão da morte de Atlas e a responsável por um processo irreversível na grande pirâmide Atlanteana, que deu início  a emanação de cada vez mais radiação do Sol Negro, que era parcialmente bloqueada pela programação existente nos cristais da grande pirâmide, feita na época de ouro pelos magos da luz e não havia sido ainda corrompida totalmente.

A radiação começou a se espalhar rapidamente mesmo com o bloqueio parcial, pois os vermelhos não tinham o conhecimento necessário pra controlar aquela energia, que vinha das profundezas da escuridão.

A anarquia se instalou na Atlântida, pois os conspiradores vermelhos começaram a realizar uma chacina tanto entre membros da civilização dos brancos como os próprios vermelhos que fossem fiéis aos ideais do já falecido rei Atlas e de suas filhas.

A sacerdotisa e filha escolhida por Atlas para ser a rainha dos atlantes foi morta e outras duas foram “ofertadas” aos deuses (os rebeldes capelinos eram politeístas), acorrentadas num dos portos atlantes para tentar acalmar a ira da natureza que já convulsionava, pois terremotos e vulcanismo começaram a se tornar intensos com o grande desequilíbrio energético produzido pela Grande Pirâmide.
 
Somente o intenso calor da lava vulcânica somada à pressão que a pirâmide sofreria quando estivesse afundada a kilômetros no oceano seria capaz de conter aquele verdadeiro portal aberto para o “inferno” e foi exatamente isso que aconteceu: o meteoro vermelho caiu sobre a Atlântida com um impacto tão violento que rachou a placa tectônica abaixo do território atlante, produzindo inundação por magma dos vulcões e depois da água do oceano invadindo o território que afundava em 2 grandes pedaços.
 
Foi a única forma de selar a expansão energética da energia advinda do Sol Negro através da grande pirâmide atlanteana, que permanece restrita atualmente ao Triângulo das Bermudas, causando apenas alguns desequilibrios magnéticos na região .      

Poseidon, Atlantis

Podemos, por fim , lembrar ainda a mitologia grego-romana (que inclusive coloca Poseidon como uma divindade de origem etrusca) nos informando que “Poseidon teve de enterrar seus filhos, tamanha suas atrocidades, para assim evitar maior castigo”, o que denota de forma velada o afundamento da Atlântida/Poseidônis em virtude do grande desregramento dos capelinos rebeldes encarnados na Atlântida, a terra do rei Atlas.

“Coincidentemente”, Hércules é retratado na mitologia revestido pela pele de um leão inteiro com a cabeça do leão normalmente sobre seu ombro ou sobre sua cabeça. O leão era o símbolo da liderança de Atlas sobre o povo vermelho. O trono do rei atlante e a própria construção da Esfinge pelos atlantes no formato de um gigantesco leão inteiro (que teve a cabeça quebrada após o violento tsunami que atingiu o vale de Gizé quando do afundamento da Atlântida) atestam a supremacia dos vermelhos e do seu rei Atlas no período final da civilização atlante.

Esfinge é um leão inteiro





15 de mar de 2011

A Verticalização da Terra, os tsunamis e a Atlântida

 

Um tema recorrente após o grande tsunami do Chile ano passado e agora após o grande tsunami do Japão é a questão da verticalização do eixo terrestre, atualmente inclinado entorno de 23 graus. Pra entender um pouco mais dessa questão, explicada por Ramatís no livro “Mensagens do Astral”, precisamos estudar mais profundamente algumas questões, envolvendo, por exemplo, as placas tectônicas e o campo magnético terrestre

As placas tectônicas não estão fixas sobre a crosta terrestre, portanto elas não são como dois pontos fixos desenhados em uma bola de futebol, na verdade as placas tectônicas ligadas à crosta terrestre bóiam sobre o magma pastoso (lava vulcânica) que compõe uma camada líquida onde bóia a crosta. Se as placas tectônicas abaixo dos continentes fossem fixas, elas jamais se chocariam, e não teríamos terremotos. O motivo de certa estabilidade das placas e dos continentes para que se movam poucos centímetros por ano, é o magma. Devido à alta pressão da sua massa e devido à ação gravitacional e magnética que sofre do núcleo sólido em movimento (realizando a rotação) acaba por não transferir o movimento intenso de rotação do núcleo para a superfície, garantindo a relativa estabilidade das placas e dos continentes e a sensação de que estamos sobre terras imóveis. Se não fosse essa engenhosa ação, seríamos como formiguinhas em cima de uma bola girando alucinadamente sobre o próprio eixo.

Vamos esquematizar pra ficar mais fácil o entendimento:


A crosta é a litosfera, é a camada mais superficial da Terra (como uma fina casca de um ovo cozido). Logo abaixo dela, existe uma região pastosa, em azul na figura, chamada de astenosfera, composta de rocha derretida a alta temperatura que forma magma, também encontrado na camada conhecida como manto, mais profunda que a astenosfera. As placas são grandes pedaços de crosta ou litosfera boiando no magma pastoso da astenosfera e do manto e ocasionalmente se chocando, devido à força de movimento que o núcleo da Terra exerce sobre o manto e por conseqüência nessas placas. Vejamos as figuras:


Na foto a seguir podemos ver como as placas estão divididas e interagindo entre si, influenciando o vulcanismo e os terremotos, justamente por estarem em movimento abaixo dos continentes:



Considerando que o núcleo do planeta é sólido e que as mudanças no movimento das placas advêm do movimento do manto (líquido), a verticalização teria que influenciar o movimento do núcleo. A Terra obviamente realiza os movimentos de rotação e translação e os continentes se movem pouquíssimos centímetros por ano, isso porque todo o movimento do manto e do núcleo é harmônico com a rotação e translação terrestre. No entanto, com a verticalização o ângulo do núcleo que é sólido será verticalizado e isso inevitavelmente afetará o movimento que influencia o manto. Como resultado, a Terra não giraria no ritmo usual que mantém a crosta em equilíbrio com o manto e o núcleo e é esse desequilíbrio no movimento que irá alterar a posição de alguns continentes, fazendo algumas placas afundarem e outras subirem e que a maioria mude de posição.

Fica então a pergunta: o que seria capaz de verticalizar o eixo do núcleo terrestre? A resposta mais óbvia seria: algo que pudesse agir diretamente no núcleo. Esse “algo” é justamente o campo magnético que envolve o planeta. O que forma na grande maioria o campo magnético terrestre é a formação de correntes elétricas no núcleo externo líquido que ficam próximas ao núcleo sólido do planeta e que se exteriorizam para a atmosfera exterior da Terra, formando assim uma espécie de escudo conhecido como magnetosfera que protege a Terra dos ventos solares, raios x e massa coronal ejetados pelo Sol. Na foto abaixo podemos ver como é a magnetosfera:


Dessa forma, a melhor forma de verticalizar o eixo terrestre, atualmente inclinado em 23 graus, seria agir diretamente no campo magnético terrestre, realizando fenômenos que atuassem diretamente no núcleo e que obviamente seriam (e estão sendo sentidos) na superfície terrestre. Como já explicado no texto anterior, os cientistas terrenos acham que o campo magnético da Terra vem se enfraquecendo (pois não rechaça mais como antigamente os raios x e massa coronal vindos do Sol pelos ventos solares), mas na verdade é justamente o contrário: o campo magnético da Terra está se fortalecendo, pois está absorvendo cada vez mais energia solar e usando essa energia para realizar processos de purificação de energia astral, onde a energia deletérea produzida pela ação e pensamento dos encarnados em desequilíbrio é levada até o núcleo do planeta e depois volta, num processo de subida com tanta força que muitas vezes causa explosões nas áreas mais altas da magnetosfera e descarrega uma energia intensa no plano material, descarga essa que vai enfraquecendo a medida que desce para as camadas mais baixas da atmosfera planetária , mas que pode ocasionar , de forma pontual, certos fenômenos como os que temos visto ultimamente, como a mortandade de pássaros na Suécia, Canadá, Estados Unidos, exatamente no hemisfério norte onde está a maior concentração da população terrestre.

Como a Terra precisa purificar cada vez mais cargas de energia negativa nesses tempos finais do processo exilatório, ela precisa de mais energia para realizar esse processo (energia essa que está vindo atualmente do Sol e em breve virá de Alcyone).

Então, com mais energia, ela pode descarregar com mais força essa energia purificada, onde os vulcões e placas tectônicas agem como uma válvula de escape dessa tamanha energia gerada no astral e que se manifesta até a dimensão física do planeta. É justamente o aumento dessa atividade purificadora que está causando de forma cada vez mais freqüentes nos últimos anos eventos naturais grandiosos, como os recentes tsunamis no Chile e Japão com dois dos maiores tremores da história concomitantemente nesse período de 2010/2011 com o evento do vulcão na Islândia.

A partir do inicio de 2013 esse processo será acelerado, com a chegada das duas “correntes” de energia que vão ligar a Terra a Alcyone, num portal que será aberto no final de 2012. Mais informações sobre esse evento: AQUI 

O aumento desses cataclismos naturais não é um prenúncio de fim de mundo e muito menos manifestação da ira divina, mas tão somente uma forma de acelerar as mudanças já previstas a séculos por vários profetas, o período de transição, onde a Terra deixará de ser mundo de provações expiatórias e passará a ser um mundo regenerador.

Muitas das pessoas que morreram no tsunami do Japão tiveram seu espírito desligado do corpo físico antes mesmo que a onda ou o impacto de algum destroço lhes atingisse o corpo físico, outros tantos tiveram a oportunidade de purgar em poucos segundos nos momentos de luta pela vida, muitas vezes em vão, uma grande quantidade de débitos de outras encarnações.

Todos que ali desencarnaram terão novas oportunidades reencarnatórias, seja na Terra ou em outro orbe, assim como futuros espíritos que venham a desencarnar em eventos coletivos em virtude da força da natureza. Como nos relata Divaldo Franco no seu recente livro "Transição Planetária" a ocorrência desses eventos de grandes proporções e cada vez de forma mais constante, visa despertar no homem aquilo que realmente importa: a solidariedade, a fraternidade em detrimento do materialismo, da busca pelo poder, luxo ou da ostentação. Mesmo que através da dor das duras provações, o "batismo de fogo" descrito na Bíblia, a humanidade será impulsionada a buscar dentro de si aquilo que tem de melhor, aquilo que realmente importa.


Muito se fala em ascensões miraculosas ou fim de mundo, numa tentativa de fugir da realidade que muitos já pressentem: a mudança é inevitável, e será a ferro (trabalho) e fogo (provações) pra todos nós para despertar o verdadeiro arrependimento (reforma moral) e para o renascimento do homem espiritual, aquele que busca sinceramente a sintonia com a divindade. A época de Transição Planetária é como uma espécie de recuperação escolar, onde os alunos que renegaram a chance de aprender o evangelho de amor através da reforma moral ao longo de várias reencarnações tem essa oportunidade derradeira antes do exílio planetário, que vai dizer quem “passou” ou “não passou de ano”. É, portanto uma época de intensos esforços ou provações aliada a muito trabalho pela mudança interior, num tempo diminuto antes que se encerre o “ano letivo” terrestre e os alunos dessa “escola” sejam aprovados ou reprovados para o novo ano letivo, que será a Terra Regenerada.

Essas intensas atividades naturais, entre elas os últimos 2 tsunamis em dois anos, servem justamente como mecanismo acelerador dessas mudanças do período de transição planetária, tanto morais como na estrutura física do planeta, pois à medida que as correntes elétricas vão transmitindo cada vez mais energia (advinda do Sol e depois de Alcyone) ao campo magnético terrestre, cada vez mais o planeta vai purificando sua energia astral. Isso tudo vai permitindo que o processo de verticalização do eixo possa também ser acelerado gradativamente, até que culmine com o grande evento profético já predito por vários profetas e na Bíbilia como “o grande dia do Senhor”, exatamente o dia 24 de abril 2036 como já explicado em vários dos textos desse blog. Nesse dia, teremos a grande e decisiva mudança que permitirá a grande verticalização do eixo terrestre que deixará de ser inclinado em 23 graus e se tornará verticalizado, assim como era na última Era de Ouro da Atlântida a aproximadamente 12 mil anos.


Como conseqüência dessa verticalização, teremos o reaparecimento de parte do território atlante, pois com o abrupto afundamento de algumas placas tectônicas e outras subindo (como já explicado no início desse texto), teremos grandes massas de terra afundando pela perda de sustentação de parte de suas placas e outras massas de terra, antes afundadas como a Atlântida, voltando a superfície. O mapa profético do vidente Michael Gordon Scallion mostra bem esse raciocínio, com a Terra após os eventos de 2036.


Comunidade Profecias 2036 no Orkut: http://www.orkut.com.br/Community?cmm=98634186

7 de mar de 2011

Ashtar Sheran: Magos Negros aparecendo para canalizadores como se fossem do Comando Ashtar


A primeira parte dessa série de 2 textos está aqui : os dragoes e magos negros 

Nesse processo de transição planetária, tanto os magos negros como os dragões estão tentando de todas as formas aumentar o caos na superfície terrestre, pois sabem que seu exílio já está próximo, muitos deles já sucumbiram e aguardam o primeiro exílio já no satélite lunar. Tentam, de todas as formas, espalhar o pânico na multidão e uma das ferramentas que se utilizam é exatamente a das religiões. Médiuns, canalizadores, pastores sem o devido conhecimento acabam se tornando presas fáceis nas mãos desses espíritos com alto grau de conhecimento na manipulação hipnótica, os magos negros e os dragões.

Se observarmos, o mesmo tipo de mensagem é transmitida de maneira diferente, adequada ao tipo de crença que determinado medianeiro possui. Para os pastores, os magos negros se aproveitam do temor do “inferno” e sobretudo das mudanças inevitáveis, e inspiram para esse grupo de que uma “terrível Nova Era” irá começar e que a única salvação é permanecer crendo cegamente na religião que professam. Tudo que parece de difícil explicação colocam como “oculto” ou “do demônio” e inspiram esse grupo, no caso pastores de algumas Igrejas e seus seguidores, de que o melhor é crer cegamente na interpretação já consagrada das escrituras, pois essa interpretação é a “única” é a do “Espírito Santo”, quando na verdade é apenas uma forma de impedir que as pessoas que se deixam influenciar por esses líderes religiosos (fascinados por magos negros)  parem pra refletir e raciocinar.

Já a ação dos magos negros sobre os médiuns espíritas é semelhante, se aproveitam da existência de muitos médiuns invigilantes, que também na sua maioria tem um grande medo das mudanças (até porque muitos tiveram experiências no meio católico em outras encarnações e vieram nessa atual despertar um conhecimento mais amplo no cristianismo redivivo de Kardec), médiuns esses que muitas vezes se apegam a idéia de que Kardec jamais falou que teríamos uma mudança para a era de regeneração de forma violenta, muito pelo contrário, seria uma “mudança sem sobressaltos” segundo acreditam e passam então a aceitar facilmente qualquer inspiração dos magos negros que diga que esse negocio de profecias trágicas, apocalipse, é mentira, inspiram esses médiuns desavisados com argumentos do tipo “ah, essas desgraças sempre existiram desde que o mundo é mundo”, “Kardec não falou em verticalização da Terra, muito menos em uma passagem violenta pra era de regeneração”. Isso tudo uma estratégia dos magos negros para tentar dissuadir membros da doutrina de aceitar mensagens trazidas por médiuns reconhecidamente valorosos,  como Chico Xavier e Divaldo Franco, que foram claros em expor que as mudanças serão com grandes convulsões físicas, como inclusive o próprio Divaldo Franco deixou claro no seu recente livro “Transição Planetária”. 

Já entre os espíritas mais universalistas e entre os espiritualistas a ação ocorre de forma um pouco diferente. Os magos negros sabem que essas pessoas, sobretudo os médiuns, são sedentos por novos conhecimentos, sobretudo do conhecimento que pareça ainda velado. Usam então de táticas curiosas, como por exemplo, inspirar nesses médiuns idéias estranhas por debaixo de um verniz que possa ser plenamente aceito por todos, pois como sabem que na maioria das vezes são pessoas com pensamento progressista, dificilmente descartam uma nova idéia, ainda mais se essa nova idéia é disseminada como um vírus através de vários médiuns/canalizadores invigilantes, como é o caso por exemplo da questão de 2012 ligada aos Ets. Inspiram, fascinam de forma sutil pequenas mentiras que possam ser grandes verdades, coisas do tipo “é sincronicidade, a física quântica já fala disso, é o pensamento coletivo de algo que vai realmente ocorrer”.

Senhores da escuridão


A imagem acima lembra muito a descrição de um mago negro feita no final do livro “Senhores da Escuridão” do Robson Pinheiro, onde o espírito de um mago negro assume a forma de uma criatura mitológica, no caso o diabo, assim como pode assumir a forma de anjos ou mestres, como o comandante Ashtar por exemplo.

Sem dúvida o principal foco dos magos negros em disseminar o “hoax” (cascata) de 2012 através de vários canalizadores e também um eminente contato mundial com Ets em naves espaciais é desviar o foco dessas pessoas ligadas a esses movimentos, em realmente buscar um conhecimento mais profundo. Nos meios onde 2012 é disseminado como algo destruidor, que trará o fim do mundo, isso serve como um detonador mental para que as pessoas deixem de lado qualquer preocupação com qualquer mudança, pois o fim supostamente é inevitável.

No outro extremo, os que “canalizam” de “grandes mestres” que começaremos uma era de luz em 2012, com saltos quânticos pra dimensões superiores, investem justamente no contrário: no pensamento simples de “relaxa, já já vai começar a era de luz, uma luz vai invadir a Terra e todo mundo que estiver nessa onda de paz vai pro paraíso”. O problema é que essa “onda de paz” é simplesmente cultivar, em muitos casos, uma omissão com os próprios conflitos, não buscar dentro de si mesmo aquilo que está em confusão e precisa ser organizado, acabar por cultivar uma espécie de torpor como se a reforma interior dependesse do dia tal, quando portal “A” ou “B” fosse aberto. É transmitida a falsa idéia de que uma “banho de fótons” irá mudar as pessoas, quando na verdade a mudança é de dentro pra fora (reforma íntima, moral) e não de fora pra dentro.

Isso apenas mostra que muitas dessas mensagens que canalizadores e médiuns vêm recebendo e que dizem ser do Comando Ashtar ou de grandes mestres, são na verdade mensagens de magos negros travestidos de bons espíritos, fascinando canalizadores e médiuns que permitem essa brecha, se aproveitando de desejos mundanos do médium para disseminar no meio de algumas verdades , pequenas mentiras como grandes verdades, que nada mais são do que sofismas para tirar o foco de determinados grupos e sobretudo desacreditar alguns desses canalizadores e médiuns.

Em todas as frentes, seja no meio espírita, espiritualista ou através de pastores e líderes da Igreja, a idéia principal dos magos negros é usar os médiuns , canalizadores e quem mais tiver alguma capacidade de sintonia mais apurada com o plano astral, para alienar as pessoas, cultivando uma visão subjetiva ao invés de uma visão objetiva, cultivando práticas estéreis e mensagens cheias de “lugares-comuns”, literalmente plantando a embromação com textos que muitas vezes não acrescentam nada, não incentivam a busca pela reforma interior e mudança dos velhos hábitos.

Além da alienação através da desinformação, a ferramenta principal que esses espíritos (magos negros) gostam de usar é o medo, pois sem informações práticas, diretas e objetivas que ajudem a pessoa a buscar o conhecimento e sua reforma interior, através de um conhecimento mais amplo da espiritualidade, a pessoa facilmente desenvolve o medo do que está porvir justamente pela falta do conhecimento e esse medo a impele a aceitar a primeira mensagem que traga a solução pros seus dilemas: ou o fim de tudo ou um paraíso na Terra pra daqui a 1 ano, que é exatamente o pano de fundo da tal profecia de 2012.

EXEMPLO DE FASCINAÇÃO EM UMA CANALIZAÇÃO:

Vamos então analisar alguns trechos de uma dessas mensagens, apenas para que o leitor do presente texto possa perceber como ocorre essa fascinação, facilmente percebível nos próprios argumentos que a mensagem abaixo traz:



“Vocês não precisarão mais empenhar-se num nível de sobrevivência. Vocês terão o que desejarem e instantaneamente manifestado pelo seu próprio desejo. Todos os seres ascendentes podem fazer isso. Na minha opinião, uma das circunstâncias desastrosas dessa vida terrestre ou tridimensional é que todos os que estão aqui são muito limitados e escravizados pela necessidade de ter um salário para pagar comida e moradia. Tudo isso toma muito tempo e energia”.

Ou seja, o suposto Ashtar (que na verdade é um mago negro maroto se fazendo passar pelo nobre comandante Ashtar) diz com todas as letras que é um desastre a pessoa ter que trabalhar pra comer e morar. Essa é a primeira pérola do mago negro matreiro de muitas que irei reproduzir aqui.

“Por termos vivenciado muito amor, não sabemos o que fazer com ele e devemos compartilhá-lo.”

Ora, quem vivenciou muito amor é porque deu muito amor ou teve méritos de viver em mundos de grande evolução rodeados pelo amor, portanto a última coisa que um espírito desse quilate não saberia é o que faria com o amor, é uma frase de quem claramente esta tentando mostrar o que não é, ou seja, de um espírito que NÃO vivenciou muito amor.



“Como é viver numa nave entérica pentadimensional? É totalmente agradável e estético. Algumas das naves têm centenas de quilômetros de diâmetro. Há ciclos diurnos e noturnos, conforme sua experiência aqui - ciclos simulados. A luz solar é processada de tal maneira que se mantém a experiência de dia e noite. Existem ambientes naturais. Temos florestas, rios, lagos e oceanos cheios de criaturas. No entanto, não temos carvalho venenoso. Selecionamos sabiamente, a mistura de todas as espécies, evitando qualquer coisa tipo "carvalho venenoso". Você poderia dizer que é um paraíso. É parecido ao que a Terra virá a ser após ter ocorrido sua ascensão para uma entidade pentadimensional”.

Ora, mas se estamos falando com espíritos de luz e ascensionados, é obvio que não esperamos “carvalhos venenosos”, esse negócio de carvalho venenoso ficou mesmo na cabeça do espírito comunicante, que pareceu muito preocupado com a estética. Eu diria tranquilamente que essa “nave” é algum dos feudos que existem lá no plano astral inferior e cheia de veneno.....

“Temos estado trabalhando, especificamente, com grades energéticas.”

Espíritos em prisão.

“Até pouco tempo atrás estávamos trabalhando para dissuadir atividades ao longo da linha de erros. Essa atividade cessou. Este é o momento para deixá-la ocorrer e está ocorrendo (terremotos, etc.). “

Terremotos então são um erro?

“Você receberá treinamento se desejar ser um Mestre Ascensionado e retornar para ajudar ao resto da humanidade em seu processo de ascensão.”

Faço um cursinho de 5 anos na universidade intergalática, ganho o titulo de Mestre Ascensionado, do nível de Confúcio, Akhenaton e volto pra Terra...sei....

“De alguma forma, todos deverão ser elevados ou deixar este planeta nos próximos anos, para permitir a limpeza da Terra.”

Ora, e porque não os próprios moradores realizam a limpeza, não seria uma ótima oportunidade de trabalho? Ah, eu me esqueci que esse negócio de trabalhar é muito estafante, pro espírito que trouxe essa mensagem. Fica subentendido que a sujeira grossa é a humanidade toda, pois se ficar um humanozinho que seja, a limpeza não será possível.

“Todos vocês terão crédito ilimitado com o Criador. Todos usarão seus créditos sabiamente e com responsabilidade para criar manifestações que estarão alinhadas com a vontade de Deus. Isso será automático para vocês a partir daí. Não haverá medo e abuso de poder. Vocês serão purificados a ponto de não terem mais o desejo de abusar dos privilégios que estiverem recebendo. “

Algo vindo de fora vai nos tornar anjinhos de candura e exterminar nossos desejos impuros? Lei de causa efeito, cada um segundo suas obras, colheita do que se plantou nem pensar né?

“Podem ver que não tenho chifres na cabeça e nem pele verde. Nossa aparência é humana, como a de vocês. Há humanos por todo o universo. A Terra não é o único planeta habitado, e como o Senhor criou o homem à Sua imagem, é lógico que há imagens Dele espalhadas por toda a Sua criação.”

Esse ainda acha que Deus é um velhinho barbudo..... O homem é a imagem e semelhança de Deus porque possui espírito, sopro da vida e não pelo corpo físico ou astral.

“Se estiverem entediados com a vida terrestre, e muitos de vocês estão tendo alguma lembrança do que é ser um ser Ascensionado ou Deus-Criador, suas horas de tédio acabaram-se.”

Apoiar a megalomania de algumas pessoas pode ser perigoso, vai que alguém acredita que é um Deus , o próprio Jesus Cristo na Terra...começa assim, que o digam os magos negros e os dragões.


6 de mar de 2011

Ashtar Sheran: Os Extraterrestres e o Exílio Planetário


Ultimamente, um dos assuntos mais comentados tanto no meio espírita como espiritualista é a grande mudança pela qual a humanidade está passando, período esse conhecido como transição planetária e que demarca o final da Era de expiação e provas para que possa se iniciar a Era de Regeneração. Junto ao estudo desse assunto ( a transição planetária), surgem análises e teorias sobre como se dará esse período de transição, segundo o entendimento das pessoas interessadas no tema, englobando assim outros temas, como a questão de 2012 , salto quântico, comando Ashtar, aparições extraterrestres, surgimento da Nova Jerusalém, temas esses que abordarei no presente texto.

O mais importante, primeiramente, é definir quem são os extraterrestres. E pra começar a responder essa pergunta, eu diria que toda a humanidade é extraterrestre, pois já vivenciou encarnações em outros orbes antes de encarnar na Terra. O exílio de Capela a vários milênios, o exílio ainda mais antigo dos habitantes de Erg (planeta explodido pelos habitantes de um outro planeta que pertencia ao nosso sistema solar e já não esta mais nesse sistema solar, habitantes esses que também vieram exilados pra Terra com os habitantes de Erg) e o atual encarne de espíritos vindos de Alcyone, são apenas alguns dos exemplos dos vários grupos de espíritos vindos de outros mundos que encarnaram e encarnam na Terra.

Compreendendo isso, fica mais fácil entender que nós, espíritos encarnados na Terra, não somos muito diferentes dos espíritos que estão encarnados em outros mundos, orbes, estrelas do nosso sistema solar, bem como nos outros bilhões de sistemas solares que existem no Universo. Em outros planetas do nosso sistema solar, como por exemplo Marte, Saturno e Júpiter, os espíritos também possuem corpos, só que muito mais semelhantes em termos de vibração da matéria ao nosso corpo perispiritual ou corpo astral, que possui matéria mais etérea, com maior capacidade de vibração, sem que no entanto esse corpo deixe de ser matéria, corpo, carne, só que mais etéreo. Explicarei isso em pormenores no próximo texto, mas em síntese podemos definir assim os corpos materiais mais etéreos em planos acima da nossa terceira dimensão ou plano material:

A matéria ou princípio material em dimensões ou planos mais sutis e menos densos do que a terceira dimensão, é composta por átomos com maior quantidade de elétrons livres, a luz nessas dimensões tem uma quantidade maior de fótons e cada um desses fótons tem uma freqüência de radiação maior, permitindo que ele possua mais energia e que por isso mesmo transmita essa energia ao principio material através dos elétrons livres. Dessa forma, o movimento dos elétrons envolta do núcleo se torna mais acelerado, sem que sua estabilidade seja comprometida. E com esse movimento mais acelerado e a capacidade de reter maior quantidade de energia, o átomo e a matéria podem então suportar em seu centro (ainda não conhecido pela atual ciência humana e composto de fluido universal) uma quantidade maior de fluido universal e é exatamente essa maior quantidade de fluido universal fusionada ao centro atômico ( e consequentemente uma menor quantidade de principio material, sendo essa menor quantidade com maior capacidade de armazenar energia) que permite uma matéria mais etérea em dimensões ou planos mais sutis. A série de 3 textos sobre luz e fótons explica mais a fundo essas questões.

A existência física, encarnada, dos habitantes da Terra ocorre na terceira dimensão ou plano material, enquanto a existência dos espíritos nos demais orbes do nosso sistema solar que abrigam vida inteligente ocorre na quarta dimensão, uma faixa vibratória onde está localizado o plano astral da Terra. Os corpos físicos dos habitantes desses mundos, como por exemplo Marte e Alcyone , possuem uma matéria num estado de vibração semelhante a matéria que existe no nosso corpo astral (perispiritual), assim como a matéria que existe no plano astral terrestre.

Os espíritos desses mundos habitados do nosso Sistema Solar já conhecem a vida extraplanetária, são mundos Regenerados que compartilham experiências de vida entre si, assim como o homem atualmente compartilha experiências com habitantes de outros continentes.

A Terra, dos mundos habitados, é atualmente o mundo mais atrasado do Sistema Solar e justamente por causa disso, a incumbência de auxiliar os moradores do planeta Terra ficou com os seus “irmãos mais velhos”, ou seja, os espíritos de mundos mais evoluídos, que estão atualmente auxiliando encarnados e desencarnados da Terra. Essa ajuda ocorre em duas frentes: um grupo desses espíritos começou a reencarnar em maior número nos últimos 30 anos na Terra, enquanto que um outro grupo estabeleceu bases ao redor da Terra, no plano astral terrestre, para ajudar em diversos processos de equilibro energético, para que a Terra não entre em colapso devido a intensa vibração negativa dos espíritos que habitam atualmente a Terra, algo entorno de 20 bilhões de espíritos.

O grupo de espíritos que vem auxiliando a Terra nessas bases astrais, composto de habitantes de outros mundos do nosso Sistema Solar, é conhecido no meio espiritualista como comando Ashtar.


É um grupo grande de espíritos que auxilia a Terra desde épocas imemoriais, quando os dragões foram exilados para o planeta Terra. Foram a fonte direta de ajuda nas Eras de Ouro da civilização atlante, auxiliaram e auxiliam diretamente o Grande Conselho da Terra, sobretudo nas questões kármicas envolvendo os habitantes terrenos e também atuam na contenção de magos negros e dragões , sobretudo no atual período de transição planetária, períodos esses que normalmente são muito turbulentos, onde dragões e magos negros tentam a todo custo manter o status quo que estão acostumados a séculos, milênios .

Mais sobre dragões e magos negros: AQUI 
 
Atualmente esse grande comando vem intensificando sua ação sobre o planeta, preparando a Terra para o auge do período de transição planetária quando ocorrerá a execução do exílio em massa, em alguns anos, de 2 terços dos habitantes do planeta.

Para os cientistas terrenos, o campo magnético da Terra vem se enfraquecendo (pois não rechaça mais como antigamente os raios x e massa coronal vindos do Sol pelos ventos solares), mas na verdade é justamente o contrário: o campo magnético da Terra está se fortalecendo, pois está absorvendo cada vez mais energia solar e usando essa energia para realizar processos de purificação de energia astral, onde a energia deletérea produzida pela ação e pensamento dos encarnados em desequilíbrio é levada até o núcleo do planeta e depois volta, num processo de subida , com tanta força que muitas vezes causa explosões nas áreas mais altas da magnetosfera e descarrega uma energia intensa no plano material, descarga essa que vai enfraquecendo a medida que desce, mas que pode ocasionar , de forma pontual, certos fenômenos como os que temos visto ultimamente, como a mortandade de pássaros na Suécia, Canadá, Estados Unidos, exatamente no hemisfério norte onde está a maior concentração da população terrestre.

Como a Terra precisa purificar cada vez mais cargas de energia negativa nesses tempos finais do processo exilatório, ela precisa de mais energia para realizar esse processo (energia essa que está vindo atualmente do Sol e em breve virá de Alcyone).

Então, com mais energia, ela pode descarregar com mais força essa energia purificada, onde os vulcões e placas tectônicas agem como uma válvula de escape dessa tamanha energia gerada no astral e que se manifesta até a dimensão física do planeta.

A partir do inicio de 2013 esse processo será acelerado, com a chegada das duas “correntes” de energia que vão ligar a Terra a Alcyone, num portal que será aberto no final de 2012. Mais informações sobre esse evento : AQUI 
 
Ou seja, não teremos nem fim de mundo, nem início de uma era de luz ou regeneração em 2012, mas tão somente o prosseguimento de um processo para auxiliar a Terra nos anos finais do exílio planetário, que terá seu apogeu entre 2029 e 2036 e seu ápice em 24 de abril de 2036, definido na Bíblia como o “Grande dia da ira de Deus” (Apocalipse 6:17), uma visão hiperbólica, para explicar a magnitude dos eventos renovadores que sacudirão a superfície física e astral do planeta Terra.

O comando Ashtar irá auxiliar diretamente os habitantes desencarnados do planeta no processo de exílio que ocorrerá em 3 etapas, nas 3 passagens do asteróide Apophis: 2013, 2029 e 2036.

Atualmente milhões de espíritos que já tiveram sua íltima chance na Terra estão sendo levados do plano astral terrestre para colônias espirituais na Lua, onde aguardarão a passagem do asteróide Apophis, que servirá como “veículo” por uma das correntes que ligará a partir de 2013 a Terra ao portal dimensional localizado em Alcyone.

É esse tipo de resgate, dos futuros exilados, que estão sendo levados por veículos interestelares da Terra até a Lua que o comando Ashtar está e estará executando.


Não teremos resgates de encarnados subindo aos céus, corpos humanos sendo arrebatados em naves luminosas, nada disso acontecerá; é muito mais um desejo inconsciente de estudiosos de fenômenos ufológicos que anseiam por uma prova mundial da existência da vida extraplanetária.

As aparições de naves que ocorrem são apenas momentâneas materializações de naves e corpos de espíritos que estão na mesma vibração dos espíritos desencarnados da Terra e justamente por isso ocorrem mais a noite, pois necessitam de menos ectoplasma, menos energia para se materializar e ficarem visíveis, pois como a noite temos menos luz natural o corpo materializado precisa refletir menos luz, pois o que vemos na verdade não é a matéria, mas a luz que incide sobre a matéria materializada . Seria inviável arrebatar corpos físicos de encarnados em naves que sequer possuem matéria tão densa como a do plano material terrestre.

Muito também têm se falado sobre um “salto quântico” pra quarta ou até mesmo quinta dimensão quando entrássemos no famoso cinturão de fótons, como se, de uma hora pra outra, os que não fossem exilados se tornassem anjos de luz.

Sejamos realistas, o planeta está convulsionando nesse período de transição, mesmo as pessoas com alguma consciência da espiritualidade acabam sofrendo, na sua maioria, por vezes processos obsessivos em virtude de sua própria invigilância. Ainda somos facilmente presas do egoísmo, da intolerância, da maledicência, da vaidade, do orgulho, da presunção. Crer que num passe de mágica virá uma luz exterminando nossos “átomos impuros” como num passe de mágica é mais ou menos a velha idéia que muitos religiosos têm de que basta ser batizado pelo padre e pronto, você estará com a “salvação” garantida.

Na realidade, o um terço que não será exilado e permanecerá na Terra não é muito melhor do que os dois terços que serão exilados, tanto é que esse um terço que ficar terá muito trabalho na reconstrução física, social, econômica e espiritual do planeta, pois muitos permanecerão por simplesmente terem demonstrado sincera vontade em reformular comportamentos morais enraizados, que persistiram muitas vezes por milênios.

Os dois terços de exilados são aqueles sem o menor interesse em se reformular moralmente, ainda muito presos ao desejo de poder, dominação, ostentação e riqueza material, como se a vida física de encarnado fosse o objetivo e não o meio para se alcançar o avanço moral do espírito. Mesmo espíritos de boa moral, com algum conhecimento espiritual, ao desencarnarem ainda necessitam se alimentar no astral, ás vezes demoram meses para aprender a volitar nas colônias espirituais, então como poderíamos imaginar que de repente, num passe de mágica, os “eleitos” entrariam numa quinta dimensão, sem o mínimo preparo?

Ainda serão necessários pelo menos mais dez séculos até que, gradativamente, a existência física na Terra deixe de ocorrer no atual plano material e passe a ocorrer no plano astral mais inferior, onde hoje está atualmente o umbral. Será uma mudança gradativa, geração após geração os corpos dos terráqueos serão cada vez menos materiais, cada vez mais a matéria da terceira dimensão irá ficar sutilizada e aos poucos as pessoas estarão se alimentando muito mais de fluido universal (prana) do que de matéria propriamente dita. Será um processo gradativo, na mesma medida que a esfera mental da Terra se purifique, após milênios de intensos desequilíbrios. Essa será a nova Terra, que simbolicamente João enxergou como uma pirâmide espiralada descendo dos céus e descreveu, primeiramente como tendo o formato de um quadrado (sua base) em Apocalipse 21:16 e depois os demais pormenores cheios de significados amplos que futuramente serão explicados, mas deixando como mensagem clara que a “Nova Jerusalém” vai surgir quando os 4 cantos da humanidade, os 4 tipos sanguíneos, as 4 etnias básicas que compõe a raça humana se unirem na busca pela elevação rumo a espiritualidade, o símbolo da pirâmide que desce dos céus até a Terra, como fica claro no ultimo versículo em Apocalipse 21:27.

Inclusive a descrição da Nova Jerusalém no cap 21 é bem semelhante à colônia astral “Nosso Lar” descrita por André Luiz através do médium Chico Xavier como podemos ver na figura abaixo: