25 de out de 2010

Apometria : A Aura, os Chacras, o Desdobramento e os Ovóides


Nessa série de  8 vídeos animados graficamente , com um total aproximado de meia hora, temos uma explicação sintetizada  desses temas tão importantes para o estudo da Apometria. Para ver cada video , basta clicar em cima do respectivo número.


Vídeo 1:


Vídeo 2:


Vídeo 3:


Vídeo 4:


Vídeo 5:


Vídeo 6:


Vídeo 7:


Vídeo 8:

20 de out de 2010

2036, o ano do Dragão de Fogo


No horóscopo chinês temos um signo diferente a cada 12 anos. O ano de 2036 será um ano do dragão, assim como foi o ano 2000 e como será também o ano de 2012.

Descobri estudando esse signo algumas informações interessantes. O principio da estação que rege esse signo é a primavera, o mês correspondente é abril e as horas governadas pelo dragão são das 7 as 9 da manhã. No estudo que fiz sobre 24 de abril de 2036, vemos que o evento ocorrerá na primavera, em abril e as 10 horas pelo meridiano de Greenwich (meio dia horário de Israel), ou seja, no horário regido pelo dragão (até as 9 horas) teremos a atração definitiva do asteróide Apophis para que ele passe bem próximo da Terra realizando o ápice das mudanças. O estudo completo sobre 24 de abril de 2036 pode ser visto : AQUI
 
O dia do mês do signo chinês do Dragão é 25, ou seja, 12 horas após o evento previsto pro dia 24 de abril ao meio dia no horário de Israel é que entraremos no dia do dragão, dessa forma, entraremos no dia do dragão assim que o ápice dos eventos tiver ocorrido em todo o planeta e seus efeitos possam ser sentidos por todos, exatamente no dia do Dragão.

Vejamos o que a sábia astrologia chinesa fala sobre o ano do Dragão:

“Nós deveremos olhar com cuidado para os quatro ventos, a fim de podermos realizar os nossos grandiosos , colossais, ambiciosos e audazes projetos. O espírito indomável do dragão tornará tudo maior na própria vida. De algum modo nós encontrar-nos-emos a borbulhar de energia adicional. O poderoso dragão não é muito prudente. Joga por tudo e por nada. O sucesso e as falhas serão ampliados da mesma maneira. Os anos do dragão fogo são especialmente temidos, porque são mais destruidores do que os dragões de outros elementos. No ano do dragão, os desastres virão em ondas maciças. Este é um ano marcado por muitas surpresas e atos violentos da natureza. Todos estarão encenando alguma revolta real ou imaginária de encontro às suas compreensões . A atmosfera elétrica criada pelo poderoso dragão afetar-nos-á, de forma individual e coletiva, a tudo e a todos”.

Os chineses, diferentemente dos ocidentais, acreditam em cinco elementos: água, ar, terra, fogo e madeira. Por isso, a cada 60 anos temos um dragão num desses elementos. Anos de dragão apresentam grandes mudanças e grandes eventos.

1916 – Ápice da segunda guerra, fazendo com que em 1917 os americanos entrassem no conflito para ajudar Inglaterra, França e Rússia.

1928 – Reunificação chinesa, inicio da Era Stalinista com o “socialismo integral”. Stálin foi responsável pela morte de milhões de russos.

1940 - Guerra sino- japonesa , intensificação da segunda guerra mundial iniciada no fim de 1939.

1952 - Churchill anuncia que a Inglaterra tem a bomba atômica, Eisenhower é eleito presidente dos EUA, realizada a primeira reunião da ONU em Nova York, nasce Vladimir Putin. Em agosto os EUA iniciam o Plano de Golpe, uma dura ofensiva contra a Coréia do Norte na Guerra das Coréias, com o uso de 1100 bombas em um único dia, destruindo meio milhão de moradias.

1964 – Criação da OLP, golpe militar no Brasil. Lindon Johnson cria o episodio do “Golfo de Tonkin” para iniciar a campanha americana no Vietnã

1976 - Jimmy Carter é eleito presidente (200 anos da independência americana), Fidel Castro torna-se chefe de estado e presidente de Cuba. Inicio da guerra civil em Angola. Morre Mao Tsé Tung

1988 - Inicio do Mercosul, aprovada a Constituição brasileira que sepulta de vez a ditadura militar. Gorbachev abandona a doutrina Brejnev admitindo que a Europa do Leste adotasse regimes democráticos, o que culminou com as revoluções de 1989 cujo ápice foi a queda do muro de Berlim e o fim da Guerra Fria

2000 – Putin é eleito presidente, João Paulo II pede perdão pelos erros que a Igreja cometeu nos últimos 2000 anos e canoniza 120 mártires, cientistas anunciam o primeiro esboço da seqüência completa do genoma humano, George Bush é eleito presidente dos EUA . Inicio da segunda intifada que marcou as ações de revolta civil dos palestinos contra os israelenses e a retirada completa das tropas israelenses do Líbano.

O ano de 2036 é um ano de Dragão Fogo, assim como foram 1916 e 1976. Ele se iniciará na China no dia 28 de janeiro. Os anos do Dragão de Fogo sempre terminam em 6, são a cada 60 anos.

O metal que simboliza esse signo é o ouro. Dragão Fogo e ouro, será que a Bíblia fala alguma coisa? Sim:
“Em toda a terra - oráculo do Senhor - dois terços dos habitantes serão exterminados e um terço subsistirá. Mas farei passar este terço pelo fogo; prová-lo-ei como se prova o ouro.” (Zacarias 13:8-9)

“Se esconderem no cimo do Carmelo, eu os irei buscar e os tirarei de lá; se se ocultarem de meus olhos no fundo do mar, lá ordenarei ao dragão que os morda; Eis que os olhos do Senhor Javé estão fixos no reino pecador: eu o farei desaparecer da face da terra, mas não destruirei completamente a casa de Jacó - oráculo do Senhor. Porque vou dar ordens; vou sacudir a casa de Israel entre todas as nações, como se sacode o grão na peneira sem que um só grão caia por terra.” (Amós 9:3,8-9)

“Para que a prova a que é submetida a vossa fé (mais preciosa que o ouro perecível, o qual, entretanto, não deixamos de provar ao fogo) redunde para vosso louvor, para vossa honra e para vossa glória, quando Jesus Cristo se manifestar.” (1Pedro 1:7)

"A obra de cada um aparecerá. O dia (do julgamento) demonstrá-lo-á. Será descoberto pelo fogo; o fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa” ( 1 Corintios 3:13-14)

Já o elemento que simboliza esse signo é a madeira. Ou seja, em 2036 teremos o Dragão Fogo, madeira e fogo. Jesus utiliza uma parábola que usa esses dois elementos:

“Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo” (Mateus 7:18)

O número do dragão é 9. O terceiro milênio começou em 1 de janeiro de 2001, ou seja, o ano 36 será o terceiro ano do dragão do terceiro milênio (2012, 2024, 2036), considerando que o número 9 é o numero do dragão, então 2036 será exatamente 999 (os 3 dragões do terceiro milênio), que representa a mudança completa do 666, o ápice das mudanças.

Os seis primeiros números romanos somam 666, o sétimo numero é 1000, equivalente a 999+1, a mudança completa (999) auxiliada por Deus (1) para o inicio da Nova Era simbolizada pelos 3 zeros que simbolizam a Nova Era no terceiro milênio (representado pelos 3 zeros), pois os zeros estão no numero mil, sétimo numero romano, sete símbolo da criação divina.

Outro dado interessante é que do dia 28 de janeiro (inicio do ano novo chinês do Dragão) a 24 de abril de 2036 teremos 88 dias, ou seja, 28/88 = 2888.

Se colocarmos as 2 sequências (666 e 999) uma sobre a outra, veremos um 888 ou seja, 2/888 = 2888

Outra dado interessante é que a Bíblia diz que o homem viveria até 120 anos:

“O senhor então disse: “Meu espírito não permanecerá para sempre no homem, porque todo ele é carne, e a duração de sua vida será de cento e vinte anos.” (Gênesis 6:3)

E se considerarmos que esses 120 anos dizem respeito ao prazo do homem ate o ápice das mudanças e que o “6” e o “3” tem intima ligação com esse período?

Já vimos que o Dragão Fogo surge a cada 60 anos e sempre termina num ano 6. Ora, 3 anos de Dragão Fogo entrariam exatamente no período de 120 anos, um ano terminado em 6, 3 vezes

1916
1976
2036

1916 – 2036 = 120 anos

1916,1976,2036 = 6:3

Ao desencarnar o homem entra numa nova vida. O limite pro desencarne é 120 anos, assim como o limite pra o fim da era de expiação na Terra. Lembrando que Gênesis significa “no principio” (do hebraico “bereshit”), ou seja, o principio da mudança com o ápice dos eventos.

Quem quiser conferir essas informações sobre o signo do dragão é só entrar no link: AQUI

Não devemos esquecer também que o asteróide Apophis é relatado no Apocalipse como a primitiva serpente, o dragão vermelho que será precipitado na Terra. A primitiva serpente era chamada pelos egípcios de Apep e em grego era conhecida como Apophis, que se traduz como “O Destruidor” , sinônimo dos termos usados no Apocalipse para Abadom e Apoliom que significam “Devastador”, que também é sinônimo do “Avassalador” que vem dos céus, descrito em Daniel capitulo 9. Ora, o Dragão vermelho descrito no Apocalipse só poderia mesmo ser precipitado num ano astrológico do Dragão de Fogo, aparecendo nos céus com uma forma vermelha, tal qual relatada na profecia Hopi do “Red Kachina”. Seria tudo isso apenas grandes coincidências?

Sobre a profecia Hopi: AQUI



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036

13 de out de 2010

24 de abril de 2036, meio dia em Israel: O Ápice da Tribulação


A data exata do ápice da tribulação só poderia ser uma data que pudesse ser encontrada nas diversas fontes proféticas do planeta, ou seja, não estivesse restrita a apenas uma única fonte. A data de 24 de abril de 2036 é uma data que encontra respaldo, como veremos a seguir, nos evangelhos bíblicos, no Apocalipse, no livro de Daniel no Velho Testamento, nas profecias de Nostradamus, na Cabala e na Numerologia.

Para encontrar a data exata (24 de abril) no NT eu parti de duas premissas: a primeira delas é que a profecia de Jesus é contada basicamente pelos 4 evangelistas, ou seja, a data exata estaria escondida, inclusive com a hora, nos livros dos 4 evangelistas: Lucas, João, Mateus e Marcos.

A segunda premissa é que o ano do evento será em 2036, e para tanto eu tenho fortes argumentos:

A soma de todos os números de 0 a 36 é 666, é uma evidência numerológica.

João XXIII informa que o grande evento ocorrerá 20 séculos somados a idade do Cristo , que segundo alguns historiadores nasceu entre o ano 3 e 4 Ac, ou seja, teria morrido com 36 anos. Estudo histórico completo : AQUI
 
João XXIII acertou, em uma de suas profecias, a subida ao poder de Mikail, profecia que se cumpriu quase 10 anos após sua morte, ou seja, ele já tem uma profecia cumprida.

Nas profecias de Daniel dos 70 períodos, o abominador vem exatamente pelos idos de 2036 (e essa profecia é citada por Jesus em Mateus 24, ou seja, se refere aos tempos finais). Ela esta interpretada:AQUI
 
Vários médiuns espíritas e espiritualistas afirmam que durante o exílio planetário a Terra sofrerá no seu ápice a influencia de um astro. Em 2036 está confirmada pela Nasa a passagem do Apophis.
 
João Evangelista no Apocalipse capitulo 11 ao prever o atentado as torres gêmeas, da um prazo de 35 anos até a queda completa dos Estados unidos, esse prazo é de 35 anos pois é o mesmo prazo da construção das torres gêmeas até seu fim (1966-2001), 3 períodos e meio de 10 anos (2001-2036). A interpretação dessa profecia pode ser vista: AQUI
 
Nostradamus na Centúria 6, quadra 66 informa que a terra tremerá justamente em ABRIL e então o mal será sepultado. Já vimos o que representa o 666 (o ano 36 do novo século).
 
Partindo então dessas duas premissas, eu iniciei a minha análise, considerando que o enigma seria desvendado no versículo 36 de cada um dos capítulos onde Jesus fizesse as previsões sobre os tempos finais da Grande Tribulação. Considerei portanto os 3 evangelhos sinóticos, pois é exatamente neles que Jesus fala de forma semelhante sobre esse evento. Temos então:

Lucas 21:36

Marcos 13:36

Mateus 24:36

Três evangelistas falam sobre as previsões do Cristo, o que indica que será no TERCEIRO MILÊNIO

Vamos seguir a ordem alfabética dos 3 evangelistas pra designar, através dos capítulos o SÉCULO, o MÊS e o DIA (visto que o ano já esta designado como 36)

Lucas: século 21

Marcos: não temos mês 13, portanto somamos 1+3 = Abril

Mateus: dia 24

Ah, e antes que alguém pergunte sobre a hora, é exatamente a sexta hora (que equivale ao meio dia, pois é a sexta hora da manhã). E só poderia estar expressa de forma oculta no livro do quarto evangelista, João, mais precisamente no Apocalipse. Em Apocalipse 13:18 João fala que o número da Besta é 666.

Tanto o capitulo 12 como o 13 possuem 18 versículos, dessa forma o relato do numero da besta é feito, se considerarmos os versículos que começam no capitulo 12 (que representa a hora sexta ou meio dia), é feito no versículo 36 (que é o 18ª versículo do capitulo 13).

Dessa forma, Apocalipse 13:18 é um véu para a verdadeira contagem: Apocalipse 12:36, o que faria com que o Apocalipse tivesse 21 e não 22 capítulos, exatamente o número de séculos que englobam as revelações contidas no livro: primeiro século ao século 21. O horário será meio dia, horário de Israel, 10 horas da manhã segundo o horário de Greenwich.

No livro de João, Jesus dialoga com a mulher samaritana na hora sexta, ou seja, meio dia (João 4:6). No versículo 35, ou seja, logo o anterior ao 36, Jesus assim diz:

"Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: levantai os vossos olhos e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa." (João 4:35)

Ora, 25 de dezembro é a data mais celebrada do cristianismo. No dia 24 de dezembro ocorrem todos os preparativos pra essa grade celebração. Se somarmos a ela 4 meses, teremos 24 de abril, a data que simboliza as grandes transformações a nível físico na Terra e prepararão a definitiva transição do período de expiação e provas para o período regenerador, o período da Nova Jerusalém. Ou seja, nesse versículo João está relatando o 24 de dezembro de 2035, em 4:35.....coincidência também??? 

Em Mateus 13:39 Mateus afirma que a ceifa é o fim do mundo, no caso ápice dos eventos do exílio planetário

Seriam tudo grandes coincidências numerológicas?

Jesus arremata:

"Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim. Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) - o leitor entenda bem então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas. Rogai para que vossa fuga não seja no inverno, nem em dia de sábado; porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será."(Mateus 24:15-21)

Jesus deixa claro que a profecia dos 70 períodos diz respeito aos tempos finais do terceiro milênio e que só ocorreria após o evangelho ter sido pregado no mundo inteiro (coisa que não aconteceu na época de Jesus). Jesus fala em Mateus que esse período será como nos tempos de Noé (Mt 24:37), e deixa isso claro: "fujam pras montanhas", ou seja, será uma grande inundação por águas.

Jesus deixa claro, não adianta tentar fugir na época de inverno. O inverno nos hemisférios norte e sul ocorre durante 8 meses (4 meses em cada hemisfério): parte dos meses de Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março no hemisfério norte, e Junho, Julho, Agosto e Setembro no hemisfério sul.

Dia 24 de abril é primavera em Israel. Nos versículos 32 e 33, vemos que esses fatos ocorrem na primavera, antes do verão: “Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta."

A estação mais próxima do verão é a primavera.

Jesus deixa claro que não adianta fugir no sábado, pois o evento será numa quinta feira.

O ápice da ação do asteróide será em 2036 e quanto mais próximo de 2036 mais forte será essa ação, que continuará até 2072 quando se encerra o exílio planetário, exatamente 36 anos após o ápice.

72 não é um número “a toa” na cultura judaica, sobretudo para os estudiosos cabalistas.

As letras do Alfabeto Hebraico, 22 letras, associadas de várias formas, indicam as várias manifestações de DEUS – J H V H .

A cabala decifrou o significado espiritual das três frases que aparecem no Livro do Êxodo (Capitulo 14, vers. 19, 20, 21).

Êxodo 14: 19 “Então o anjo do [verdadeiro] Deus, que ia na frente do acampamento de Israel, afastou-se e foi para a sua retaguarda e a coluna de nuvem afastou-se da sua vanguarda e pôs-se na retaguarda deles”.

Êxodo 14: 20 “Assim veio estar entre o acampamento dos egípcios e o acampamento de Israel. De um lado mostrou-se uma nuvem como escuridão. Do outro lado iluminava a noite. E este grupo não chegava perto daquele grupo durante toda a noite”.

Êxodo 14: 21 “Moisés estendeu então a mão sobre o mar e Jeová começou a fazer o mar retroceder por meio de um forte vento oriental, durante toda a noite, e a converter o leito do mar em solo seco, e as águas foram partidas.

Cada uma das frases, escritas em hebraico, contém 72 letras que revelam a combinação dos 72 Nomes Sagrados com os quais DEUS se manifesta. Esses nomes são ENERGIAS que regem as Leis da Natureza Manifestada, e são como canais que transmitem a combinação de Luz, Energia e Amor.

Esta fórmula é chamada “Os 72 Nomes de Deus”. Eles não são realmente nomes. Os 72 Nomes são as seqüências de 3 letras compostas de letras hebraicas que tem o poder extraordinário de superar as leis da natureza humana. Estas 72 seqüências estão na verdade codificadas na história da Bíblia que fala a respeito da separação do Mar Vermelho. Elas são como condutores que transmitem vários tipos de energia desde a Luz até o nosso corpo físico. Usando o poder dos 72 Nomes e superando suas naturezas reativas, Moisés e os Judeus foram capazes de realizar o milagre do Mar vermelho.

Mas as “coincidências” não param por aí. Na tabela dos anjos cabalísticos (72, um pra cada combinação de 3 letras do idioma hebraico) vejam os dias do 36ª anjo (Menadel):

10 de fevereiro, 24 DE ABRIL, 06 de julho, 17 de setembro e 29 de novembro

Sim, um dos cinco dias dele é 24 de abril!!!!!!

Quem quiser conferir a tabela dos 72 nomes de Deus e seus respectivos dias é só entrar: AQUI

Cada um dos 72 nomes de Deus é um nome de um anjo, que equivale a um dos 72 anos do período final do exílio planetário, sendo que no ano 36 uma das 5 datas é na mosca: 24 de abril!!!

A passagem bíbilica para este anjo segundo os estudiosos da Cabala é Salmos 25:8 que é: “Bom e reto é o Senhor, por isso ensinará o caminho aos pecadores” (Salmo 25:8)

O caminho aqui referido é o Caminho do Meio (Menadel está exatamente no meio da tabela dos 72 anjos), também conhecido como “Caminho para a Verdade Superior” ou “Caminho da Iluminação”, que é o Dharma ensinado no Hinduismo, Budismo e Jainismo. Nessas tradições, os seres que vivem em harmonia com o seu Dharma se libertam mais rapidamente do ciclo reencarnatório (a roda dos samsaras). Jesus, que teve contato com as tradições budistas através dos essênios, deixou o entendimento do Dharma claro na essência dos seus ensinamentos e da necessidade de praticá-los: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”

Daniel, os 4 evangelistas e a Cabala nos mostram claramente o dia, mês e ano do evento, basta ter olhos para ver.

Já vimos o significado do número 72 e seu significado amplo e especial na Cabala. Na Cabala o 72 é como o marco do fim de um período, como os números 100, 1000.

No início do terceiro milênio ele será o marco do ápice do exílio planetário, cujo ápice dos eventos será exatamente na metade , ou seja, no ano 36.

Já vimos também a questão do 666 ligado ao número 36 (a soma de todos os números de 0 até 36, 0+1+2+3+....+35+36, é 666). Vejamos agora sua ligação com o número 72.

72 é 27 invertido

27 é 9+9+9

9+9+9 invertido é 6+6+6

Mais uma equivalência do 666 com o 72 é que 6+6x6 é igual a 72

Vimos a explicação sobre o anjo Menadel nos "72 nomes de Deus", ele que é o 36ª nome e tem como um dos cinco dias o dia 24 de abril.

Não bastasse essa "coincidência" , cada um dos 72 nomes corresponde a um pequeno período durante o dia, de 20 minutos, onde ele deve ser exaltado. No caso de Menadel esse período é das 11:40 da manhã ao meio dia. Meio dia é o horário exato que vimos aqui para o ápice dos eventos no dia 24 de abril de 2036. Seria mais uma coincidência??? Temos também:

"Desde a hora sexta até a nona, cobriu-se toda a terra de trevas." (Mateus 27:45)

Temos também no Apócrifo Apocalipse de Tomé algo interessante:

"E no quinto dia, na sexta hora, um trovejar imprevisto soará no céu e as Potências da luz e da roda do sol serão destruídas e haverá trevas intensas sobre a terra, até à noite, e as estrelas serão retiradas de sua missão. Naquele dia todas as nações terão ódio ao mundo e desprezarão a vida desse mundo. Estes são os sinais do quinto dia". (24 de abril de 2036 cai exatamente numa quinta feira, o quinto dia. A sexta hora da manhã é meio dia)

De 2012 à 2036 vivenciaremos o aceleramento do processo exilatório, em 24 de abril de 2036 vivenciaremos o auge do exílio, até os primeiros anos da década de 40 vivenciaremos a reconstrução do planeta, o periodo de pacificação, para que pelos idos de 2052 a Terra já possa ser considerada um mundo Regenerado, onde a grande maioria dos espiritos encarnados será de evolução compatível com um mundo Regenerado, sendo que em 2072 será o fim completo do exílio planetário, com uma minoria de espíritos que até essa época nao tenham conseguido atingir o nivel moral necessário para permanecer encarnando na Terra. 

Temos assim diversas informações, de diversas profecias e profetas confiáveis, que apontam exatamente para um mesmo ponto, um mesmo foco, um alerta em uníssono para toda a humanidade , que a data do ápice já está marcada e depende de cada um o esforço pessoal na reforma íntima para enfrentar esse período de gigantescas mudanças que já se mostra surgindo no horizonte. Que cada um possa refletir e melhor aproveitar esse precioso tempo para definitivamente merecer a Terra Regenerada que começará a surgir após o exílio planetário.

Sobre o exílio planetário, a explicação está contida nesses textos: AQUI


Comunidade Profecias 2036 no Orkut: http://www.orkut.com.br/Community?cmm=98634186
  

10 de out de 2010

Apometria


É uma terapia que basicamente consiste no desdobramento e dissociação dos corpos inferiores ( físico, etérico, astral e mental inferior) mediante uma seqüência de pulsos ou comandos energéticos mentais.

Tanto nos médiuns que atendem, como também nos pacientes, os corpos inferiores estão intimamente associados e durante o atendimento apométrico ocorre uma dissociação temporária em ambos.

Tanto o dirigente dos trabalhos como os médiuns que permanecerão na mesa durante o atendimento ao paciente projetam sua consciência no plano astral, seja para atuar diretamente nos processos desobssessivos, seja para atuar nos processos de cura de doenças. Essa projeção ocorre através da contagem de pulsos, que nada mais é do que um comando mental projetado em voz através da contagem (normalmente de 1 a 7) juntamente com o ritmo do estalar de dedos visando apenas estabelecer a concetração dos médiuns, estalar esse que segue o ritmo da pulsação, por isso o termo usado é “sequencia de pulsos”.

Temos como exemplo a limpeza de trabalhos de magia negra, feitos em cemitérios ou matas e direcionados a casa do paciente.



Os médiuns da apometria colaboram com ectoplasma no auxilio aos irmãozinhos que estão obssediando o paciente e que na maioria das vezes são levados ou diretamente para os hospitais do astral ou para o atendimento na mesa, junto aos médiuns da mesa, para que seja iniciado o processo de doutrinação com algumas técnicas que serão mencionadas a seguir. Em todos esses casos o médium tem a percepção do que está acontecendo no astral e atua diretamente auxiliando os mentores e demais espíritos envolvidos no trabalho, como por exemplo os índios e pretos velhos (que trazem compostos de ervas , compostos esses de matéria astral para auxiliar os médiuns), elementais (que trabalham juntamente com os índios).

Normalmente são também os pretos velhos que comandam os espíritos responsáveis pela proteção dos trabalhos, conhecidos como guardiões ou exus, que impedem a atuação de milícias de magos negros, protegendo assim o perímetro onde são realizados os trabalhos. São também os pretos velhos que lideram as equipes de espíritos que atuam nos casos de desobssessão, retirando as vezes de uma mesma casa até 50 obssessores de uma única vez.

Na mesa de trabalhos, além do dirigente e dos médiuns que ficam na mesa atuando no astral, podemos ter também um médium de incorporação ou psicofonia, que atuará dando passagem tanto para algum espírito que componha a equipe socorrista como também para algum espírito obssessor, quando for o caso destes se comunicarem diretamente com o paciente.



O paciente normalmente fica sentado em uma cadeira a um metro da mesa ou então em uma maca, esta ultima mais usada nos trabalhos específicos de cura. O médium de cura na maioria dos casos vai atuar fora da mesa, junto ao paciente que esta na cadeira ou na mesa. Dessa forma, tanto o paciente doente ou aquele que estiver sofrendo a ação de um obssessor diretamente ligado a ele, receberá a ação da aura do médium curador.

A aura nada mais é do que o conjunto de energias que se projetam do corpo mental inferior junto com elementos do duplo etérico.

Esse conjunto de energias forma um campo (a aura), que irradia de 2 a 3 metros para fora do corpo físico, com cor, movimento e brilho. Esse campo de energia atua diretamente junto ao paciente, o envolvendo e permitindo que ele receba de forma mais ampla o passe do médium. O ideal é que o médium além de curador seja também magnetizador (falarei mais sobre essa classe de médiuns no próximo parágrafo).

O médium de cura estabelece, durante o atendimento, uma ligação com os mentores através do chacra coroa, situado no topo da cabeça alguns centímetros acima da cabeça. Essa ligação se forma através de uma espécie de fio, que irá impregnar a aura do médium com fluidos de elevada vibração e que serão absorvidos pelo paciente juntamente com o fluido mais animalizado que o médium emana, fluido animalizado este que servirá como condutor para o fluido vindo dos mentores.

Nos médiuns magnetizadores a quantidade de fluido animalizado que está contido no duplo etérico é maior do que o normal em uma pessoa comum, é uma cota extra que pode ser muito útil nos trabalhos de cura quando bem dirigida. Esse fluido animalizado sai pela ponta dos dedos e pelos olhos e pode ser direcionado pela vontade do médium, que aprende a trabalhá-lo mentalmente através de clichês mentais, ou seja, a criação de formas pensamento que serão imantadas a mente do paciente, o auxiliando no processo de cura.


Esse fluido animalizado é o ectoplasma que significa literalmente “modelar por fora”, um fluido semi-material que é composto de células menos densas do que as do corpo físico, porém mais densas do que aquelas que existem no corpo astral, justamente por isso se acumulam no duplo etérico, o corpo que fica exatamente entre o corpo físico e o corpo astral. É um fluido mais suscetível a ação do controle mental, possuindo condutores de eletricidade e magnetismo que tornam esse fluido perfeito para a ação dos mentores nos trabalhos de cura junto aos encarnados, pois conduzem o remédio que é o fluido em alta freqüência até as células do paciente, tanto as do corpo físico como do corpo astral, devido as propriedades do ectoplasma. Essa substância só existe entre os encarnados, exatamente no duplo etérico, corpo que após o desencarne se dissolve em até 72 horas.

O corpo astral é o molde do corpo físico. Quando um médium “vê um espírito” na verdade ele esta vendo o corpo astral daquele espírito, que possui aspecto humano e uma natureza mais diáfana do que o corpo físico. O corpo astral se conecta ao corpo físico através do duplo etérico, corpo esse que também é conhecido como corpo vital, justamente por ser o reservatório do fluido animalizado/ectoplasma dos encarnados. O corpo físico humano possui diversos sistemas: nervoso, linfático, digestivo, bem como é composto de diversos tipos de tecido que revestem o esqueleto.

Esses sistemas e tecidos são como camadas que interagem, exatamente como ocorre no corpo astral. O corpo astral que serve de matriz para o corpo humano também possui essas camadas, como se fosse uma gigantesca malha de camadas sobrepostas. Em pontos específicos no cruzamento de linhas dessa imensa malha surgem os centros de força também chamados chacras, que ligam os sistemas do corpo astral ao corpo físico através do duplo etérico.

Os sete principais centros de força ficam numa linha imaginária ou eixo, que parte do ponto central acima da cabeça até a região do ventre, por onde esses chacras são distribuídos. O corpo astral por sua vez esta ligado ao corpo mental inferior por um fio dourado. O corpo mental inferior apresenta o aspecto de uma esfera, que emite fagulhas e luzes de cor, movimento e brilho variado.


É envolta desse corpo que o corpo astral desenvolve o seu molde, atraindo a matéria astral do mundo no qual o espírito for levado para iniciar o seu ciclo reencarnatório.

Através do corpo astral, mais precisamente no chacra situado entre os dois olhos físicos, é possível ver as faixas de passado do paciente. Essas faixas são como arquivos que contém passagens importantes de encarnações passadas do espírito e estão localizadas no corpo mental inferior, mas devido a ligação deste ao corpo astral podem ser percebidas e captadas numa espécie de tela mental que se projeta exatamente através do corpo astral.

Quando o paciente apresenta algum trauma, fobia ou mudança repentina de comportamento, ele pode estar com uma dessas faixas abertas e influenciando diretamente a atual existência. Em cada encarnação o espírito apresenta uma personalidade, que reflete parte da sua personalidade imortal. Quando uma dessas faixas esta aberta, ele pode nessa atual encarnação fazer aflorar uma personalidade de uma encarnação passada, que traz todos os traumas que ocorreram naquela existência.

Muitos dos pacientes que a medicina define como dupla personalidade e bipolaridade apresentam esse problema, que junto a um tratamento espiritual e medicação adequada trariam resultados excelentes para o paciente. Vale ressaltar que não apenas a Apometria trabalha nas faixas de passado, como também muitos especialistas em TVP (terapia de vidas passadas).


Nas sessões de atendimento ao paciente que tem alguma faixa aberta são usadas diversas técnicas para que o paciente conscientemente perceba que aquela faixa não corresponde a sua atual encarnação e que aquele trauma não faz parte da sua existência atual. O uso de clichês mentais, reequilibrio dos chacras ligados ao sistema nervoso e inclusive alguns recursos hipnóticos (caso o médium magnetizador domine a técnica) surtem efeitos satisfatórios que gradativamente ajudam o paciente a fechar essa faixa de passado.

Nos atendimentos ligados a saúde é muito comum que o corpo astral do paciente seja levado até os hospitais do astral e permaneça em tratamento por vários dias. Como o corpo astral é um corpo formado por uma imensa malha, em camadas sobrepostas, de natureza ideoplástica, basta que uma dessas camadas seja levada para tratamento, que ele irá refletir o tratamento em todo o resto do corpo astral que permanece ligado ao paciente. Esse é um dos casos onde ocorre a dissociação temporária dos corpos, uma das ferramentas básicas utilizadas pela Apometria.

É também muito comum que esse trabalho prossiga nas semanas seguintes ao atendimento, inclusive com cirurgias astrais no corpo astral do paciente, para dar prosseguimento ao tratamento de saúde ao qual ele esta estabelecido. Normalmente os médiuns da mesa e o médium curador também continuarão no trabalho de ajuda enquanto seu corpo físico está dormindo a noite, doando ectoplasma através do duplo etérico para que os fluidos de elevada vibração dos mentores sejam melhor absorvidos através do ectoplasma dos médiuns (que age como um condutor dos fluidos em alta freqüência dos mentores)

Em muitos casos são feitas transfusões de fluido animalizado do médium, diretamente no corpo etérico do paciente, ajudando na vitalização dos órgãos físicos, muitas vezes desvitalizados em virtude da doença kármica que se manifesta no corpo astral e desce ao corpo físico. Nessas transfusões é comum ocorrer também uma expulsão dos fluidos animalizados contaminados com as toxinas kármicas, esse fluido é expelido na forma de uma espécie de sangue mais escuro, dando lugar a um sangue com uma cor vermelha mais viva e brilhante. Isso tudo ocorre no astral, onde o paciente expele esse sangue enegrecido e recebe uma quantidade de fluido animalizado que modifica a estrutura das células sanguineas do corpo astral e consequentemente, o sangue que circula no corpo físico.

4 de out de 2010

Blue Star Kachina - A profecia sobre Alcyone


Já vimos em dois textos anteriores a função de Alcyone A, a gigante azul, no processo conhecido como Exílio planetário, onde atuará através de duas correntes de energia juntamente com o asteróide Apophis. Os dois textos estão aqui nesse link: AQUI

Todo esse processo já fora previsto pelas tradições indígenas americanas e é exatamente sobre isso que falaremos agora.

A profecia da Estrela Azul Kachina , presente na cultura dos índios Hopi, relata os tempos finais da seguinte forma, por Dan Evehema, chefe da nação indígena Sovereign Hopi, Arizona, Estados Unidos e que está no livro “ Ultimo choro, profecias nativo americanas” do Dr Robert Ghost Wolf:


“Nos últimos dias – diz a profecia -, olharemos para o céu e testemunharemos o retorno dos dois irmãos gêmeos que ajudaram a criar este quarto mundo em tempos remotos Nos dias finais, Blue Star Kachina virá com seus sobrinhos menores e eles farão com que a Terra retorne a sua rotação natural. Eles trarão muitos de sua própria família (raça) com eles nos dias finais”.

Comentário: Os últimos dias do mundo de expiação e provas. Os dois irmãos gêmeos são referências a Capela e Alcyone.

Alcyone pertence ao aglomerado das plêiades, a gigante azul é a estrela mais brilhante das Plêiades. Sabemos que exilados das Plêiades ajudaram a criar e desenvolver a Terra, assim como os exilados vindos de Capela, da constelação do Cocheiro. A estrela azul Kachina é a denominação que os Hopi deram para Alcyone, que nos tempos finais (atualmente) viria com seus sobrinhos menores (habitantes), espíritos habitantes desse mundo, que Divaldo Franco denomina de “índigos”. A referência ao “quarto mundo” também se explica: é uma referencia a configuração da Terra após o quarto e definitivo afundamento da Atlântida. Não devemos esquecer que segundo as tradições espiritualistas os índios ou vermelhos, têm origem exatamente na civilização atlante, por isso faria sentido que a profecia dos índios Hopi realizasse a contagem da Terra ligada a um quarto mundo, nascido após o quarto e ultimo afundamento da civilização da qual tiveram origem, os atlantes. Os 4 afundamentos são relatados por William Scott Elliot no livro “Entre dois mundos, a historia da Atlântida e Lemuria”

“A vinda de Blue Star será o alarme a nos alertar sobre um novo dia e uma nova forma de viver, um novo mundo que está prestes a iniciar, o que será procedido por drásticas mudanças no planeta e em todos os seres vivos”.

Como já foi explicado nos dois textos sobre o cinturão de fótons, 2012 e Alcyone, esta “vinda” de Alcyone (Blue Star) não será a aproximação da estrela em si, mas a chegada de toda a vibração que ela emana, o famoso cinturão de fótons que irá inundar a Terra com a sua luz que está se expandindo pelo sistema solar, pois sabemos pela astronomia que em seu movimento a Terra se distancia do aglomerado das Plêiades (e por tabela de Alcyone) ao invés de se aproximar. Essa vinda está ligada às duas trilhas já relatadas nos textos anteriores, trazendo os tempos finais do exílio planetário, com drásticas mudanças para que o novo mundo (de Regeneração) se inicie.

“Não muito distante dos gêmeos (distante no tempo) virá o Purificador, Red Kachina, trazendo consigo o Dia da Purificação. Os gêmeos surgirão no céu e por sete anos poderão ser vistos”.

A referencia a um astro higienizador ou purificador é constante em varias profecias. Esses gêmeos que surgirão no céu não são os irmãos gêmeos citados no início da profecia, mas sim as duas correntes ou trilhos que ligarão Alcyone a Terra e por onde passará o asteróide Apophis (o que realizará a purificação) e será visível por 7 anos, de 2029 a 2036 quando estará em ressonância gravitacional com a Terra. Sua cor visível no céu também está clara: será visto como uma estrela vermelha. A Bíblia traz uma clara referencia sobre o Apophis no capitulo 12 do Apocalipse quando fala do Dragão vermelho sendo precipitado a terra. Dragão no Apocalipse é relatado como a primitiva serpente (Ap 12:9), primitiva serpente que para os egípcios era conhecida como Apep, em grego Apophis (o destruidor) sinônimo de Abadom e Apoliom (Ap 9:11) que significam devastastador. Tanto João como os Hopi enxergaram o mesmo asteróide vermelho nos céus: o Apophis.



“Quando se aproximarem da terra tudo tremerá; vulcões entrarão em erupção e gigantescas ondas varrerão as costas, terras se levantarão e terras afundarão. Muitos parecerão ter perdido suas almas nestes dias. Tão intensa será a natureza das mudanças que aqueles que forem fracos de espírito perderão a razão. Serão tempos muito difíceis para todos, especialmente para mulheres grávidas e crianças”.

Não carece maiores interpretações, as profecias Bíblicas e de vários profetas como Dom Bosco, Nostradamus e tantos outros relatam os mesmos eventos

“Muitas crianças não serão normais, algumas virão das estrelas, outras de mundos antigos e muitas nascidas aqui na terra possuirão poderes especiais”.

A vinda dos índigos e crianças cristal, não apenas de espíritos oriundos de outros mundos como Alcyone como também espíritos “antigos” (magos negros que a muito não encarnavam e que decidiram pela última chance de resgatar seus erros).

“Primeiro veremos o Purificador como uma Estrela Vermelha se aproximando do nosso mundo. Passará tão próxima à terra que para nós parecerá que parará no céu, nos observando e “vendo” se nos lembramos dos ensinamentos sagrados antigos.”

Referência clara ao Apophis.

“Então numa manhã despertaremos com um amanhecer avermelhado, com o céu da cor do sangue. Muitas coisas que agora não sabemos exatamente como ocorrerão começarão a acontecer. E enquanto o Purificador estiver passando, deixando um rastro de destruição que permitirá a reconstrução necessária, muitos andarão pelas cidades como fantasmas”.

Narração dos eventos de abril de 2036. A passagem do Apophis ocorrerá realmente pela manhã, antes do anoitecer.

“Após a chegada dos gêmeos, muitos começarão a “desaparecer” como uma névoa suja; outros sofrerão grandes deformidades mental e física. Após esse período de quarentena nossos irmãos das estrelas descerão e nos ajudarão a construir a nova civilização do quinto mundo, a Terra”.

Como já dito na profecia, os gêmeos serão vistos por 7 anos, no caso de 2029 a 2036 quando da ação mais direta do Apophis, até o ápice dos eventos em 2036. É nesse período que ocorrerão os exílios em massa, de forma muito mais acelerada do que já vem acontecendo nesses últimos anos. A referencia do “quinto mundo” é uma referencia a um quinto afundamento, depois dos 4 afundamentos da Atlântida. Se considerarmos a quarentena como um período de 40 anos, basta somarmos 2036+40 e teremos 2076, ou seja, assim que se encerrar o exílio planetário (pelos idos de 2072) e a Terra já estiver relativamente recuperada dos eventos que ocorrerão durante o ápice do exílio, aí sim se iniciará o contato mais direto e visível com os irmãos de outros planetas, o principio da Era do Mentalismo, a civilização do quinto mundo (pois surgiu após o quinto afundamento, que trouxe novamente a Atlântida para a superfície)

“a terra já está se contorcendo com as primeiras alterações que já ocorre em seu interior, mas a maioria ainda não percebeu a imperativa necessidade das mudanças. Mas eu digo: ainda há tempo. Não para evitarmos as mudanças pois, por ser parte do ciclo da criação do grande espírito, elas são inevitáveis, mas para amenizarmos as conseqüências e salvarmos o maior número possível de pessoas”.

Salvarmos aqui se refere salvar do exílio planetário. Ainda há tempo, pois as mudanças na geografia física do planeta para um futuro breve ocorrerão.

“Como foi dito pelos nossos antigos, o caminho mais seguro para esses tempos que virão em breve é nos unirmos ainda mais à nossa família e tribo, com cada um reunindo seu ser espiritual (razão, emoção e espírito) para encontrar dentro de si mesma as forças necessárias para atravessar esses terríveis tempos de provação, purificação e mudanças; mudanças tão profundas que alterarão nossas percepções do mundo. E essas novas percepções serão ferramentas muito importantes na construção desse novo mundo, com uma nova civilização baseada em harmonia entre as criaturas deste e de outros mundos. Nós e nossos parentes das estrelas seremos, finalmente, parte de uma grande tribo. As coisas aqui escritas foram ditas por seres humanos como você e eu, meus avós Hopi. E eles estão dizendo a verdade… Ainda há tempo para você mudar.”

O processo de espiritualização que já começou a ocorrer é irreversível, no entanto ele virá com tempos de provação, para que todos nós possamos ter uma visão mais fraterna do mundo e menos materialista como a maioria vivencia hoje. É essa a mensagem da profecia, um alerta para as provações futuras mas também uma mensagem de esperança para aqueles que buscarem a espiritualização e a força moral necessária para se salvarem do exílio planetário que se avizinha.

Para maiores informações sobre as profecias, clique no banner abaixo e conheça um pouco mais sobre o livro A Bíblia no 3º Milênio:



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 

1 de out de 2010

A profecia dos 70 periodos e seu fim em 2036


 “Setenta semanas foram fixadas a teu povo e à tua cidade santa para dar fim à prevaricação, selar os pecados e expiar a iniqüidade, para instaurar uma justiça eterna, encerrar a visão e a profecia e ungir o Santo dos Santos. Sabe, pois, e compreende isto: desde a declaração do decreto sobre a restauração de Jerusalém até um chefe ungido, haverá sete semanas; depois, durante sessenta e duas semanas, ressurgirá, será reconstruída com praças e muralhas. Nos tempos de aflição. depois dessas sessenta e duas semanas, um ungido será suprimido, e ninguém {será} a favor dele. A cidade e o santuário serão destruídos pelo povo de um chefe que virá. Seu fim {chegará} com uma invasão, e até o fim haverá guerra e devastação decretada. Concluirá com muitos uma sólida aliança por uma semana e no meio da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado” (Daniel 9:24-27)

Antes de mais nada, devemos esclarecer que a profecia de Daniel conhecida como 70 semanas ou 490 anos é na verdade uma profecia de 70 períodos, com cada período equivalendo a um ano.

A palavra hebraica contida no texto é “shavuim” que siginifica períodos e não “shavua”, essa sim significa semanas. No livro de Daniel, capitulo 10 versículo 2 , a palavra “shavua” (semanas) é usada, aqui sim, designando semanas. Já no capítulo 9, o termo usado é ‘shavuim”

Então correto na tradução não é utilizar a palavra semanas, e sim, períodos.

Por isso, a profecia não é de 70 semanas, mas sim de 70 períodos. Sendo assim jamais poderia ser considerada como uma profecia de 490 anos. Isso fica ainda mais claro aqui:

"No ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falou o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de acabar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos." (Daniel 9:2)

Jesus cita a profecia dos 70 períodos como algo que iria acontecer posteriormente a sua morte, so esse fato já poria fim a tese do encerramento da profecia no ano 34 Dc que alguns teólogos teimam em demarcar. Mas Jesus vai mais alem:


“E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” (Mateus 24:14)

Ora, no ano de 34, o evangelho não tinha sido pregado no mundo inteiro, até porque a Austrália e as Américas eram praticamente desconhecidas do “mundo civilizado”

E após Jesus dizer que “então virá o fim” ele cita a profecia de Daniel, ou seja, a profecia de Daniel é realmente para os tempos finais da tribulação:

“e então chegará o fim. Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel {9,27} - o leitor entenda bem “ (Mateus 24:14-15)

Mas resta um último argumento dos teólogos que defendem a profecia dos 70 períodos (pra eles, 70 semanas ou 490 anos): ele dizem que Jesus afirmou em Mateus 24 que a profecia ocorreria naquela geração que vivia o povo judeu. Vejamos o que Jesus diz nessa PARÁBOLA:

“Aprendei, pois, {esta} parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas {coisas,} sabei que ele está próximo, às portas Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas {coisas} aconteçam." (Mateus 24:32-34)

Reparem, Jesus é claro: ele diz que esta contando uma PARÁBOLA. A geração, nessa parábola, diz respeito a geração das folhas, o ato da figueira fazendo com que as folhas novas sejam geradas. O verão nessa parábola representa o nascer de uma nova estação, cheia de luz. Ou seja, Jesus mostra que os 70 anos da profecia dos 70 períodos são o prenúncio da nova “estação” e esses 70 anos são o período em que a Terra (figueira) será renovada (brotar de novas folhas, o nascimento da humanidade mais fraterna, ou seja, que após esses 70 anos o verão chegaria, a figueira brotaria, simbolizando a nova Terra .

Feitos esses esclarecimentos, podemos agora iniciar a interpretação dessa famosa profecia de Daniel:

"Sabe, pois, e compreende isto: desde a declaração do decreto sobre a restauração de Jerusalém até um chefe ungido, haverá sete períodos; depois, durante sessenta e dois períodos, ressurgirá, será reconstruída com praças e muralhas. Nos tempos de aflição" (Daniel 9:25)

A restauração foi em 1967 e não em 1948.

Em 1948 foi a CRIAÇÃO do estado de Israel, mas a profecia fala em restauração de Jerusalém ao domínio judeu.

Sua RESTAURAÇÃO, a restauração de Jerusalém ao domínio dos judeus se refere aos territórios obtidos na guerra dos seis dias em 1967. A criação do estado israelense ocorreu em 1948, no entanto consideramos profeticamente a restauração em 1967, quando territórios foram restaurados ao estado israelense, pois Jerusalém orienta, a cidade velha que pertencia aos judeus no passado só voltou ao domínio dos judeus em 1967 e não em 1948, pois quando da criação do Estados de Israel, a cidade velha de Jerusalém não estava no domínio dos judeus e a profecia de Daniel fala claramente: restauração de Jerusalém 

Mais sobre essa questão pode ser visto aqui: AQUI
 
“Desde a declaração do decreto sobre a restauração de Jerusalém até um chefe ungido, haverá sete períodos”

Esses 7 períodos fariam cair no ano de 1973 (67,68,69,70,71,72,73), exatamente na guerra do Yom Kippur (outubro de 1973), A unção do chefe ocorreu 7 anos (períodos), desde a restauração (67) até a unção (73). Repare, a profecia é clara em dizer que “desde a restauração”, ou seja, devemos contar o período (ano) da restauração, dessa forma os 7 periodos ficam: 67,68,69,70,71,72,73


Em 1973 Israel defende os territórios ocupados a partir de 1967 de uma ofensiva da Síria e do Egito (a guerra do Yom Kippur), quando Israel se afirma como o “chefe” daquela região que conquistou em 1967. Essa foi a unção do chefe, até porque aquela região da Cisjordânia e Jerusalém oriental está sob domínio israelense até hoje.


“Durante sessenta e dois períodos, ressurgirá, será reconstruída com praças e muralhas. Nos tempos de aflição”

Esse período vai de 1974+ 62 anos , o que vai dar em 2035. Essa reconstrução vem acontecendo ate hoje, desde a guerra do Yom Kippur, passando pelas guerras com o Líbano, os conflitos constantes com os palestinos e sobretudo a construção da muralha de mais de 400km que separa o território israelense da Cisjordânia, que começou a ser construída em 2002, visando aumentar o controle de Israel sobre a área que já controla (a Cinsjordânia) de forma ilegal, visto que são territórios por direito dos palestinos. São realmente “tempos de aflição”


“depois desses sessenta e dois períodos, um ungido será suprimido, e ninguém (será) a favor dele. A cidade e o santuário serão destruídos pelo povo de um chefe que virá”.

Aqui temos a clara definição da derrota de Israel pra alguma força invasora, pois o ungido (estado de Israel) será suprimido. A cidade e o santuário (Jerusalém é a cidade, Al Aksa e o Domo da rocha são o santuário) serão destruídos durante a guerra com o povo que virá....esse povo serão os árabes, ligados as forças chinesas que formarão o último exército do anticristo, o cavalo amarelo descrito na Bíblia.


“Seu fim (chegará) com uma invasão, e até o fim haverá guerra e devastação decretada”.

O fim se refere a invasão árabe durante o Armagedon (guerra no monte Megido), que devastará Israel

“Concluirá com muitos uma sólida aliança por um período e no meio do período fará cessar o sacrifício e a oblação;”

A aliança com muitos é aliança entre árabes e chineses, todo o mundo muçulmano. Colocar fim ao sacrifício e a oblação indicam claramente a destruição do Domo da rocha e Al Aksa. Essa profecia como veremos a seguir se une a profecia dos 1290 dias, pois com a construção do Domo da Rocha os sacrifícios foram cessados, no entanto a oblação (oferenda feita a Deus) também cessará, o que indica muito provavelmente a destruição do Domo da Rocha e Al Aksa.

“sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado”

Vemos na profecia dos 1290 dias que a abominação do devastador se estabeleceu em 1999, mas que nessa data da profecia, ou seja, em 2036, virá o próprio devastador, que nada mais é do que o asteróide Apophis que já está exercendo sua atuação magnética sobre o planeta Terra, sendo que passará mais próximo nos anos de 2013, 2029 e 2036. A ruína do devastador ou destruidor (tradução do termo Apophis) ocorrerá em 2036, quando se encerra a profecia dos 70 períodos, iniciada em 1967 (pois contamos o ano de 1967 também, por isso ela termina em 2036 e não em 2037) Devastador ou destruidor é a mesma descrição do Apocalipse para Abadom ou Apolion, a Besta que sobe do abismo e é precipitada a Terra, a primitiva serpente que é como os egípcios descreviam Apep, que em grego se escreve Apophis.




Nostradamus descreve em uma de suas quadras a ascensão do grande rei do terror em 1999:

Centúria 10 Quadra 72

“Em 1999 e sete meses,

do céu virá um grande rei do terror.

Ressuscitará o grande rei D’ANGOLMOIS.

Antes que Marte reine pela felicidade”.

O ano de 1999 é o 33ª ano da profecia dos 70 períodos, exatamente o ano (33) em que Jesus foi crucificado. Nostradamus, hábil conhecedor das profecias bíblicas deixou esse pequeno véu para aqueles que tivessem olhos de ver: o ano 33 foi o ano da ascensão do Cristo, do Mestre, do Cordeiro e também seria no futuro o ano da ascensão do grande rei, só que do terror (o oposto do Cristo). A ascensão do grande rei do Terror remete a passagem do Apocalipse que fala da “Besta que sobe do abismo” e que depois será precipitada sobre a terra, varrendo com sua cauda um terço das estrelas. Tanto João no Apocalipse 11 como Daniel na profecia dos 70 períodos viram exatamente o mesmo evento, no Apocalipse mais específico sobre a queda dos Estados Unidos e em Daniel mais específico sobre a queda de Jerusalém. Aliás, 2 quadras depois desta quadra, Nostradamus deixou claro que o mundo não acabaria em 1999:

Centúria 10 Quadra 74

“No andamento do grande número sétimo

Aparecerá nesse tempo os jogos da hecatombe

Não longe da grande idade milésima,

Os que entraram sairão de sua tumba”.

O grande número sétimo representa o terceiro milênio da Era Cristã (o ano sete mil segundo a cronologia bíblica, que começará segundo o calendário hebraico em 2240 com o início do sétimo milênio hebraico) ou século 21 e isso fica claro ao somar os números da centúria e da quadra (10+7+4). Ou seja, entre o início do século 21 e a chegada do sétimo milênio (2240) aparecerão os jogos da hecatombe.

Hecatombe significa carnificina, jogos da hecatombe são disputas envolvendo carnificina. O ultimo versículo provavelmente se refere ao umbral, lugar profundo (tumba) o que significa o ápice da limpeza dessa região do astral mais inferior da Terra durante o exílio planetário. A profecia mostra também que isso ocorrerá não longe do ano 2000 ( grande idade milésima) e no andamento do século 21.

Centúria 8 – Quadra 16

“No lugar em que Deus fez fabricar seu barco

Será tão grande e súbito o dilúvio

Que nenhum lugar, nenhuma terra será poupada

A Onda subirá com os Jogos Olímpicos”

O barco que dirige os rumos do Cristianismo foi fabricado em Roma, com a criação no ano de 325 do Cristianismo Romano por Constantino. Será um evento súbito, que destruirá tudo pela elevação das águas, e fará com que nenhum lugar da Terra seja poupado. A onda de água subirá na época dos jogos olímpicos, mais precisamente no ano de 2032, o que se alinha a profecia de Dom Bosco na profecia da Lua Plena. Esse desastre na Itália, que destruirá Roma e boa parte da Europa, além de atingir todo o resto do planeta, será a mega erupção do vulcão Etna, o maior e mais ativo vulcão da Europa, será também o primeiro dos três “ais” descritos no Apocalipse, e abrirá passagem para o inicio do Armagedon, a invasão de tropas muçulmanas ao território de Israel, exatamente o evento descrito por Daniel no capitulo 9. O Etna é 3 vezes maior que o Vesúvio, a base do Etna tem mais de mil quilometros quadrados e sua circunferência mede 140 kilometros, sendo também o vulcão mais alto da Europa com mais de 3.300 metros de altura. Ao iniciar sua atividade monstruosa, todos os demais vulcões na Itália também entrarão, numa reação em cadeia, entre eles o Stromboli e o Vesúvio (os três vulcões são vulcões ativos atualmente).



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/ 


Dom Bosco e a profecia do fim dos tempos


João Belchior Bosco é o nome do profeta Dom Bosco, nascido na Itália em 1815, foi ordenado depois sacerdote da Igreja, morrendo em Turim em 1887. Entre suas profecias confirmadas está a criação de Brasília:

“Eu enxergava nas vísceras das montanhas e nas profundas da planície. Tinha, sob os olhos, as riquezas incomparáveis dessas regiões, as quais, um dia, serão descobertas. Eu via numerosos minérios de metais preciosos, jazidas inesgotáveis de carvão de pedra, de depósitos de petróleo tão abundantes, como jamais se acharam noutros lugares. Mas não era tudo. Entre os graus 15 e 20, existia um seio de terra bastante largo e longo, que partia de um ponto onde se formava um lago. E então uma voz me disse, repetidamente: Quando vierem escavar os minerais ocultos no meio destes montes, surgirá aqui a Terra da Promissão, fluente de leite e mel. Será uma riqueza inconcebível.”



Dom Bosco prevê também a queda de Roma, após a queda do império ocidental , oriental e decadência do papado:

“Roma! ... Eu irei a ti quatro vezes. Na primeira golpearei as tuas terras e os seus habitantes”.

A queda do Império Romano do Ocidente

“Na segunda, levarei a destruição e o extermínio até os teus muros”.

A queda do Império Romano do Oriente

“Não abres ainda os olhos? Virei a terceira vez e derrubarei as defesas e os defensores e ao comando do Pai seguirá o reino do terror, do medo e da desolação. Mas os meus sábios fogem. A minha lei continua sendo pisada”.

A invasão das tropas napoleônicas e o enfraquecimento do poder papal, no entanto poucas décadas depois é criado o Vaticano.

“Por isso farei a quarta visita. A guerra, a peste e a fome são flagelos com os quais serão castigadas a soberba e a malícia dos homens. ”

O fim de Roma e do Vaticano.

O próximo papa que será eleito nos próximos anos, será relativamente “jovem” e será o último. Acredito que Pedro Romano será tão bom quanto João 23 e João Paulo II, buscando conduzir a Igreja num processo de união e pacificação com a ala protestante e com o catolicismo oriental. Se formos considerar as profecias de São Malaquias e de João 23, a época desses eventos seria por volta de 2033, já que para os católicos Jesus morreu com 33 anos e para eles a profecia de João 23 aconteceria em 2033. Profecia de João 23 aqui: AQUI

A profecia de Dom Bosco:

“…as potências do século vomitarão fogo e gostariam que as palavras fossem sufocadas na garganta dos guardiões da minha lei. Ocorrerá ainda um furacão violento. Consumada a iniquidade, o pecado terá fim e antes que se passem dois plenilúnios no mês das flores, a íris da paz aparecerá sobre a Terra. O Grande Ministro verá a esposa de seu rei vestida para festa. Em todo o mundo aparecerá um sol tão luminoso como não o foi jamais, desde as chamas da última Ceia até hoje, nem jamais será visto até o último dos dias. Quatrocentos dias após o mês das flores que terá duas luas cheias (plenilúnia, plena lua), a revolução será proclamada na Itália. Duzentos dias depois, o Papa será obrigado a deixar Roma e andará errante durante cem dias, depois do que regressará à sua capital e cantará em São Pedro o Te Deum de Salvação”.

No século XXI (até 2.040), as datas em que haverá duas luas cheias são: 01 e 30 de novembro de 2.001, 01 e 30 de junho de 2.007, 02 e 31 de dezembro de 2.009, 01 e 30 de setembro de 2.012, 01 e 31 de outubro de 2.020, 02 e 31 de dezembro de 2.028, 01 e 30 de setembro de 2.031 e 02 e 31 de outubro de 2.039.

Segundo a profecia de Dom Bosco, a data do mês das flores que terá duas luas cheias seria 01 e 30 de setembro de 2.031, pois além de setembro ser conhecido como o mês das flores, é também conhecido como o mês da Bíblia, por causa de São Jerônimo autor da tradução latina das escrituras e que faz aniversário exatamente no dia 30 de setembro. Além disso a primavera se inicia no hemisfério sul exatamente em setembro

Podemos executar os cálculos:

“O Grande Ministro verá a esposa de seu rei vestida para festa.”

O grande ministro é o ultimo papa da Igreja, Pedro romano, vendo a Igreja (que é a esposa do rei, Jesus) vestida para festa, ou seja, pronta para as mudanças que simbolizam a “festa”, ou seja, a celebração, um grande acontecimento, o inicio do fim da era de expiação e provas

“Em todo o mundo aparecerá um sol tão luminoso como não o foi jamais, desde as chamas da última Ceia até hoje, nem jamais será visto até o último dos dias.”

O “sol luminoso” diz respeito a primeira passagem do Apophis, em 2029. Os “últimos dias” dizem respeito ao período principal da Tribulação, em 2036.

“Quatrocentos dias após o mês das flores que terá duas luas cheias, a revolução será proclamada na Itália.”

Depois de narrar os fatos que viu em 2029, o profeta chega a setembro de 2031. Os 400 dias após chegaríamos entre dezembro de 2032 e janeiro de 2033.

“Duzentos dias depois, o Papa será obrigado a deixar Roma e andará errante durante cem dias, depois do que regressará à sua capital e cantará em São Pedro o Te Deum de Salvação”

Isso colocaria os eventos exatamente no ano de 2033.

Uma profecia de Nostradamus da uma pista de que realmente esses 400 dias terminariam no fim de 2032, logo após o fim dos jogos olímpicos programados para esse ano. Unindo as duas profecias, de Dom Bosco e Nostradamus temos o encaixe perfeito para compreender a profecia:


Centúria 8 – Quadra 16

“No lugar em que Deus fez fabricar seu barco

Será tão grande e súbito o dilúvio

Que nenhum lugar, nenhuma terra será poupada

A Onda subirá com os Jogos Olímpicos”

O barco que dirige os rumos do Cristianismo foi fabricado em Roma, com a criação no ano de 325 do Cristianismo Romano por Constantino. Será um evento súbito, que destruirá tudo pela elevação das águas, e fará com que nenhum lugar da Terra seja poupado. A onda de água subirá na época dos jogos olímpicos, mais precisamente no ano de 2032, o que se alinha a profecia de Dom Bosco na profecia da Lua Plena. Esse desastre na Itália, que destruirá Roma e boa parte da Europa, além de atingir todo o resto do planeta, será o primeiro dos três “ais” descritos no Apocalipse. Será a erupção do mega vulcão Etna.



O papa Pio X, teve a seguinte visão, que confirma os relatos de Dom Bosco, Malaquias e Monge Pádua para o ultimo papa da Igreja:

"Tive uma visão assombrosa. Será comigo, ou com algum sucessor meu? Vi que o Papa deixará Roma e, para sair do Vaticano, terá que passar sobre os cadáveres de seus padres”.

Dom Bosco por fim faz a seguinte profecia:

“Guerras entre os príncipes e súditos, entre o dogma e o erro, a luz e as trevas, o pobre e o rico. - Um grandioso acontecimento se está preparando no céu, para fazer pasmar a gente. - Far-se-á uma grande reforma entre todas as nações, e o mundo irá misturar-se como um oceano. Nunca o grande marulho se afervorou tão forte, nunca se viu um lobo desta espécie”.


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036