16 de nov de 2010

A Grande Cidade e a Grande Babilônia


Foi na Babilônia, segundo a Bíblia, a primeira tentativa do homem em se rebelar contra a vontade divina, construindo a Torre de Babel (Gênesis, capítulo 11), ou seja, foi simbolicamente a primeira manifestação bíblica de materialismo sobrepujando os valores espirituais.

“E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.” (Apocalipse 17:18)

“Grande cidade” é sinônimo de grande Babilônia, uma representação do Cristianismo Romano, mas como já foi explicado a Babilônia representa o materialismo, o culto ao dinheiro, sendo assim não temos só uma grande Babilônia, mas no Apocalipse temos claramente duas grandes Babilônias: o Vaticano , que representa a mulher corrompida (Cristianismo Romano, cidade) e é grande por atingir o mundo todo e os Estados Unidos, o Egito Espititual, que também simbolizam uma Babilônia, eis portanto porque temos duas grandes Babilônias, duas grandes cidades:

“na rua da grande cidade que se chama espiritualmente Sodoma e Egito (onde o seu Senhor foi crucificado)”. (Apocalipse 11:8)

“Parados ao longe, de medo de seus tormentos, eles dirão: Ai, ai da grande cidade, Babilônia, cidade poderosa! Bastou um momento para tua execução!” (Apocalipse 18:10)

Apocalipse 11:8 faz uma referencia aos Estados Unidos (grande cidade), mais precisamente as cidades de São Francisco (Sodoma) e Nevada/Califórnia (formam o Egito espiritual). O “Senhor crucificado” é uma referência a Nova York que representa Jesus nesse enigma deixado por João: beN Youssef (filho de José, Jesus). Os dois aviões no céu nos atentados de 11 de setembro na visão de João eram como 2 cruzes crucificando as duas testemunhas do Deus da Terra (Estados Unidos representado pela imagem da Estátua da Liberdade), duas testemunhas que estavam em NY, o “Senhor” do “Deus da Terra”

Mais explicações sobre a Estatua da Liberdade e o “Deus da terra” podem ser obtidas aqui:



São também referências aos Estados Unidos:

“Houve, então, relâmpagos, vozes e trovões, assim como um terremoto tão grande como jamais houve desde que há homens na terra. A grande cidade foi dividida em três partes, e as cidades das nações caíram, e Deus lembrou-se da grande Babilônia, para lhe dar de beber o cálice do vinho de sua ira ardente.” (Apocalipse 16:18-19)

“Depois vi o Cordeiro abrir o sexto selo; e sobreveio então um grande terremoto. O sol se escureceu como um tecido de crina, a lua tornou-se toda vermelha como sangue e as estrelas do céu caíram na terra, como frutos verdes que caem da figueira agitada por forte ventania”. (Apocalipse 6:12-13)

As estrelas “caindo” é uma clara referencia a verticalização abrupta do eixo terrestre, causando a sensação de que as estrelas do céu estão caindo, devido a mudança em poucos instantes da inclinação do eixo, atualmente inclinado em 23 graus

Apocalipse 18:10 é uma referencia clara a queda do Vaticano e de Roma, assim como essas referencias :

“Vi que a mulher estava ébria do sangue dos santos e do sangue dos mártires de Jesus; e esta visão encheu-me de espanto”. (Apocalipse 17:6)

“Por isso, num só dia virão sobre ela as pragas: morte, pranto, fome. Ela será consumida pelo fogo, porque forte é o Senhor Deus que a condenou”. (Apocalipse 18:8)

“Ai, ai da grande cidade, que se revestia de linho, púrpura e escarlate, toda ornada de ouro, pedras preciosas e pérolas”. (Apocalipse 18:16)

“Foi em ti que se encontrou o sangue dos profetas e dos santos, como também de todos aqueles que foram imolados na terra.” (Apocalipse 18:24)


São vastas referências, não apenas a cor das roupas que os cardeais usam, bem como a característica perseguição aos profetas e mártires do Cristianismo Primitivo que Roma empreendeu nos primeiros 3 séculos após o nascimento de Jesus, culminando no ano de 325 com a criação do Cristianismo Romano por Constantino, que continuou perseguindo os cristãos primitivos por mais mil anos, culminando com o massacre do cátaros na Itália. Interessante observar a profecia: “Será consumida pelo fogo”, confirmando a profecia do próprio Jesus:

“No dia em que Lot saiu de Sodoma, choveu fogo e enxofre do céu, que exterminou todos eles. Assim será no dia em que se manifestar o Filho do Homem”. (Lucas 17: 29-30)

O próprio João relata a erupção vulcânica:

“O quinto anjo tocou a trombeta. Vi então uma estrela cair do céu na terra, e foi-lhe dada a chave do poço do abismo; ela o abriu e saiu do poço uma fumaça como a de uma grande fornalha. O sol e o ar obscureceram-se com a fumaça do poço.” (Apocalipse 9: 1-2)

A passagem de um cometa ou de uma estrela cadente será o sinal para a erupção vulcânica, representada pelo poço do abismo que emite fumaça como uma grande fornalha. A queda de um pequeno meteorito também não deve ser descartada, visto que o meteorito quando explode antes de tocar o solo emite o brilho como o de uma estrela. Recentemente esse fenômeno foi observado no deserto do Sudão em outubro de 2008. Essa queda seria o sinal de que em breve os vulcões na Itália entrarão em erupção.

“O quinto derramou a sua taça sobre o trono da Besta. Seu reino se escureceu e seus súditos mordiam a língua de dor. Amaldiçoaram o Deus do céu por causa de seus sofrimentos e das suas feridas, sem se arrependerem dos seus atos. “ (Apocalipse 16:10-11)

A fumaça vulcânica escurece realmente os céus, e pode causar feridas por causa das queimaduras bem como intoxicação.

Nenhum comentário: