12 de dez de 2014

Karma - Lei Punitiva ou Lei Evolutiva?

oroboro  abylsus abylsum invocat fixum volatile inferior superior
Oroboro: "Abylsus Abylsum Invocat" (Um abismo chama outro abismo - Salmo 42:7)

Pergunta que recebi no email do blog: 


“Como serão processados os efeitos, segundo a Lei do Karma quando houver violações, a partir de um espírito condenado ao exílio e tendo como vítima um dos escolhidos para na terra regenerada prosseguir sua jornada? Este débito poderá ser resgatado, estando ambos em mundos tão distantes? Deverá se aguardar que este devedor possa retornar, sabe-se lá quando,  cruzar o caminho do credor aqui ou em outro orbe novamente?

Resposta: O karma trata-se de uma lei evolutiva e não uma lei punitiva.

Todas as leis criadas por Deus visam a evolução dos espíritos, através da justiça e do amor. Amor por permitir que cada um através de inúmeras encarnações aprenda e crescer com os próprios erros, justo por permitir que cada um seja responsável pelos atos que praticou.

Dessa forma, o objetivo da lei do karma não é fazer com que o espírito devedor "pague" por um mal que tenha causado a alguém, o objetivo é que o espírito devedor tenha consciência do ato que praticou para que não o pratique mais e, até que tenha essa consciência, provavelmente passará por muitas expiações e provações até que amadureça a sincera vontade de não praticar o erro novamente.

Já o espírito que recebeu o mal de outrem, em seu processo evolutivo, deve buscar justamente o perdão, pois independente de se sentir ofendido com uma ofensa ou perdoar uma ofensa de outrem, aquele que realizou a ofensa inevitavelmente vivenciará uma experiência análoga até que tenha desenvolvido maturidade moral para não repetir o erro, independente se a pessoa a qual fez o mal se sentiu ofendida ou já o perdoou.

A lei do karma, portanto, não é punitiva e nem pessoal, pois não se trata de vingança ou desforra, mas sim uma lei que tem por objetivo conscientizar aquele que cometeu o erro, algo que necessariamente não precisa ser feito sofrendo o mesmo mal através das mãos daquele que outrora machucou.

Da mesma maneira a vítima deve buscar cultivar o perdão ao invés do desejo de vingança ou desforra, pois caso cultive tais sentimentos de vingança e desforra se tornará tão devedora quando o agressor de outrora, visto que estamos na Terra para evoluir e desenvolver nobres sentimentos e não vinganças ou desforras.

Mesmo que a pessoa sinta raiva por alguma ofensa que tenha recebido, ela deve buscar o caminho do perdão e não o da vingança, por dois motivos: o primeiro é que caso busque vingança ela também se tornará devedora e algoz na lei do karma e o segundo motivo é que, como dito anteriormente, independente de perdoar ou ainda cultivar raiva de quem a ofendeu, a pessoa que agiu de forma contrária a lei do amor responderá pelo erro praticado, pois o perdão do ofendido não exime o algoz de responder pelo ato praticado, visto que esse pagamento não é punitivo ou pessoal, mas tão somente um mecanismo que visa despertar o desejo sincero de não praticar mais um mal ao sentir esse mal na própria pele. 

A lei do karma tem esse objetivo, portanto a divida nunca é pessoal, mas sim para com a lei. Um exemplo claro disso, entre tantos outros que cito no livro A Bíblia no 3º Milênio  é o do profeta Elias, que degolou 400 sacerdotes de Baal. Caso a lei fosse pessoal e punitiva, ele teria que voltar 400 vezes e ser degolado, mas bastou apenas uma única vez ser degolado, quando reencarnou como João Batista, para que seu karma fosse quitado, pois o objetivo é que ele aprendesse naquela única experiência o mal que causou a tantas pessoas e não uma desforra para os 400 homens que sucumbiram sob sua espada.

Deus tenta organizar numa mesma família e numa mesma comunidade antigos desafetos, pois através dos laços de sangue e da necessidade de ajuda mútua, certas arestas podem ser mais rapidamente aparadas, mas isso não é uma via de regra.

Tanto o perdão por parte do ofendido como também a conscientização do agressor do erro que cometeu e cultivo de uma sincera vontade em não praticá-lo novamente são as maiores ferramentas para quebrar o “círculo vicioso” de raivas, ódios e vinganças, pois ao agredir alguém a pessoa está sempre, por desforra ou não, agredindo a si mesma, tal qual a emblemática imagem do oroboro. A quebra desse círculo vicioso é exatamente a LIBERTAÇÃO.



Por todos esses motivos não há qualquer problema para a manutenção da lei do karma diante de um exílio planetário. No livro "A Bíblia no 3º Milênio" eu explico em detalhes essa questão, além de várias outras, tendo por base os versículos bíblicos.


A Tragédia de Santa Maria

Em 27 de janeiro (o dia escolhido para lembrar o holocausto em virtude da libertação de crianças judias dos campos de Auschwitz em 27 de janeiro de 1945) de 2013 aconteceu o incêndio na boate Kiss em Santa Maria que vitimou fatalmente 242 jovens, a grande maioria desencarnando após aspirar a fumaça produzida pelo incêndio, que em virtude do material produziu gás cianeto, o mesmo utilizado nos campos de concentração durante a segunda guerra. Por esse motivo, algumas pessoas chegaram a cogitar que esses jovens que desencarnaram teriam ligação kármica com os soldados nazistas que participaram da segunda guerra controlando os campos de extermínio.

Na época muitas pessoas me perguntaram se realmente seria isso e prontamente, após receber orientações do plano espiritual, descartei por completo qualquer ligação dos jovens que desencarnaram com os eventos da segunda guerra. Falei na época, no blog, no dia 31 de janeiro de 2013:


“O que eu posso dizer pra voce, sem qualquer sombra de dúvida, é que no evento ocorrido em Santa Maria as pessoas que ali morreram NÃO ERAM soldados nazistas reencarnados, NÃO ERAM espiritos dos soldados alemães de segunda guerra que compacturam com os genocidios dos campos de concentração, onde judeus eram mortos por asfixia nos imensos fornos. 


É isso que posso dizer pra você, que esse evento ocorrido em Santa Maria não tem qualquer ligação com qualquer evento da segunda guerra ou dos campos de extermínio.”

Post: 

Quase dois anos depois, os pais das vítimas da boate Kiss se reuniram para lançar um livro com cartas psicografadas dos filhos e, “coincidentemente”, a carta escolhida na matéria publicada pelo G1 confirma exatamente isso que eu falei na época do evento:


"Contudo, de minha parte compreendo que, no último quartel do século passado, mais de duas centenas de espíritos, desejosos de adentrar o Terceiro Milênio da Era Cristã sem maiores comprometimentos cósmicos reuniram-se no Mundo Espiritual e decidiram pelo resgate coletivo das faltas cometidas em séculos anteriores."

Vejam que interessante: o último quartel do século passado (1975-2000) demarcou a encarnação desses espíritos e aqui o espírito comunicante fala de “faltas cometidas em séculos anteriores” (ao século 20) colocando claramente que esses espíritos não tinham qualquer ligação com os eventos da segunda guerra, exatamente como comentei nos comentários do blog na época do incidente

Matéria no G1:

Na mesma carta, o espírito comunicante explica:

“Claro que referidos compromissos não dizem respeito tão somente a nós outros, visto que, em maioria, aqueles que nos acolhiam na condição de filhos igualmente se encontravam comprometidos perante as Leis Divinas, que nos compelem as quitações de nossos débitos para com a consciência ceitil. Em vidas que se foram, mamãe e papai, não raro, nos transformamos em incendiários e não foram poucos os filhos que, em nossas atitudes de violência, apartamos dos braços carinhosos de seus genitores.”

O espírito esclarece que os débitos se referem a atitudes incendiárias que os filhos e genitores ligados a tragédia da boate Kiss realizaram em encarnações passadas (vidas que se foram, ou seja, vidas passadas). Como a própria matéria menciona, detalhes íntimos e detalhes das casas, fornecidas nas psicografias através dos médiuns que não tinham conhecimento de tais detalhes, atestam a plena veracidade das cartas.

No dia 29 de janeiro de 2013, em email enviado a um amigo que pedia um esclarecimento sobre a origem kármica do evento, eu esclareci nos seguintes termos:

“Segundo me informaram alguns amigos da equipe espiritual que me assiste, tanto nos trabalhos espirituais com a Apometria como também nos textos que escrevo sobre a espiritualidade, os eventos que ocorreram nessa tragédia tem estreita ligação com um período de algumas semanas que precedeu a revolução francesa, período esse que ficou conhecido como o grande medo. 

Nesse período, que durou de julho a agosto de 1789, muitos agricultores e homens do campo se insurgiram em revoltas contra os senhores feudais e autoridades francesas, contra os abusos dos senhores feudais e das Igrejas, sendo que a característica dessa revolta era justamente queimar livros, documentos e locais como as residências dos senhores feudais e igrejas. 

Em virtude dessas revoltas no campo, o governo francês no dia 4 de agosto resolveu implementar as primeiras medidas que colocariam, 4 anos depois, o fim dos direitos dos senhores feudais, em 1793 e antes disso o fim dos privilégios do clero, nobreza e das cidades e províncias que se mantinham a base do trabalho feudal quase escravo. 

Naquela época a França contava com 25 milhões de habitantes, sendo 20 milhões vivendo na zona rural a maioria em péssimas condições enquanto que meio milhão de pessoas entre nobreza e clero vivia as custas do governo. 

A revolução começou com a tomada da Bastilha em 14 de julho e se alastrou para o campo com uma violência ainda maior onde a característica dos levantes eram sempre de queimar propriedades e documentos dos senhores feudais/ elementos da nobreza o que resultou em muitas mortes, através do fogo. Dentre os eventos que se seguiram a partir dai, ocorreu a prisão e posterior morte de Maria Antonieta.

Sabemos, segundo informações advindas da espiritualidade, entre elas pelos médiuns Feraudy e Divaldo Franco, que muitos franceses da época da revolução reencarnaram no Brasil, muitos com o objetivo de trazer os valores de igualdade, liberdade e fraternidade para o solo tupiniquim, mas também para dar continuidade ao trabalho que se iniciaria décadas depois da revolução, quando da codificação do espiritismo por Allan Kardec.

Fui ver então no dia seguinte alguns textos sobre o ocorrido e vi que a festa que ocorria quando aconteceu a tragédia era exatamente para alunos dos cursos de agronomia, zootecnia e medicina veterinária, especialidades essencialmente ligadas ao campo.”

A carta psicografada mostrada na matéria do G1 confirma exatamente as informações que eu trouxe poucos dias depois da tragédia: que a causa kármica era de natureza incendiária e anterior ao século 20.

Dessa forma, ao comparar as orientações espirituais que recebi na época da tragédia, com as informações trazidas via psicografia por uma das vítimas do evento, creio que sejam essas as explicações mais próximas da verdade dos fatos para esclarecer os porquês e a origem kármica desse evento.   



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:





4 de dez de 2014

Experiências com Projeção Astral: Cerveja e Coordenadas "Vivas"


Na última semana que passou vivenciei uma experiência com projeção astral bem interessante. Como todo o final de ano, época que também coincide com o recesso dos trabalhos espirituais do grupo de Apometria ao qual participo, procuro fazer uma análise sobre os trabalhos que foram desenvolvidos ao longo do ano, as técnicas em si, inclusive novas informações trazidas pelos amigos espirituais com o intuito de tornar ainda mais eficiente a ação mental do grupo na utilização das técnicas apométricas.

Comentei anteriormente que existe uma diferença entre a obsessão e a goécia, inclusive muito bem exemplificada na obra Tambores de Angola (na minha opinião o melhor livro dele) do Robson Pinheiro: a obsessão é a ação, individual ou coletiva, de um ou mais espíritos encarnados ou desencarnados na perseguição e cultivo de ligações energéticas de baixa vibração, enfermiças, ligadas a pensamentos e sentimentos de ordem inferior que visam influenciar negativamente o obsediado.

Na goécia essa ação é, digamos, mais profissional: há a contratação de entidades especializadas em processos obsessivos no astral que se utilizam, inclusive, de técnicas hipnóticas para potencializar pensamentos e sentimentos negativos já pré existentes no obsediado, além de utilizarem aparelhagens e outras estratégias, como vibriões e ovóides (há maiores informações sobre isso no livro Brasil o Lírio das Américas, capítulo 8, no relato da missão contra o mago Kukulkan).

A Apometria além de tratar casos mais complicados na área de saúde, que necessitam de técnicas que não são usualmente utilizadas em passes individuais ou coletivos (como por exemplo, a dialimetria, também explicada no livro Brasil o Lírio das Américas), trata especificamente no combate às chamadas obsessões mais complexas, o que em alguns centros espíritas é conhecido como “anti goécia”.

Realizando a tradicional reflexão que costumo fazer ao final de cada ano de trabalhos, pedi uma orientação especial dos amigos espirituais sobre algo de novo ou algo que pudesse acrescentar ao combate às obsessões mais complexas (goécias), casos que freqüentemente o grupo de Apometria que trabalho encara ao longo do ano. Foi aí que aconteceu uma interessante experiência projetiva, em resposta ao pedido que realizei.  


“Acordei” no plano astral, desdobrado conscientemente em um grande elevador na companhia de um sereno amigo espiritual (identificado após rastrear sua vibração energética, pois mesmo um espírito com aparência serena e amiga pode ser, em verdade, algum kiumba disfarçado de ser de luz), observando que o elevador não subia verticalmente em 90 graus, mas sim em 45º. A entidade falou mentalmente comigo que havia uma entrega para mim no local de destino do elevador.

Chegamos a uma espécie de grande sala, na qual algumas pessoas aguardavam receber algo, que os funcionários do local entregavam. Compreendi, observando o local, que parecia algo como uma agência de Correios, na qual as pessoas recebiam cartas ou notícias através de outras “mídias” de pessoas desencarnadas. De alguma forma, os espíritos conseguiam se comunicar com amigos e parentes encarnados e, certamente, para aqueles que não acreditam em reencarnação ou temem entrar em um centro espírita ou espiritualista, aquela era uma ótima solução.

Uma funcionária vestida com um uniforme azul, entregou-me uma carta. Ao receber o pequeno envelope, assim que o segurei, fui literalmente teletransportado para um local fora daquele ambiente. Percebi que naquele caso, a carta que eu recebi não era para ser lida, mas sim o “caminho” para o destino ali marcado. Ainda conseguia me surpreender com as tecnologias e novidades do mundo espiritual, mas já que estava ali certamente era por algum motivo e como não havia sentido nada de negativo energeticamente desde a trajetória do elevador, prossegui atento, porém tranqüilo.

O local no qual me encontrava era uma longa rua com alguns estabelecimentos abertos. Em alguns trechos da calçada havia barracas que ofereciam alimento gratuitamente. Ao longo da rua havia muitos jovens, a sua maioria encarnados em desdobramento inconsciente e semiconsciente, com profundas olheiras e na grande maioria com aspecto alcolizado e drogado.        

Quando percebi quem estava servindo os alimentos fiquei impressionado: eram alguns dos guardiões que faziam parte da equipe de Jeremias. Mentalmente um deles me explicou enquanto eu observava a cena:

– Estamos aqui oferecendo remédio para esses jovens, que após longas noites abusando de álcool e drogas, começam a sofrer processos de vampirização energética. Então uma das soluções que encontramos foi a de levar ajuda a essas pessoas, que ficam perambulando pelo astral (inferior e intermediário pelo que eu entendi do pensamento dele) enquanto dormem no mundo físico.

Reparei que os alimentos tinham formas bem convidativas: alguns tinham a aparência de suculentos hambúrgueres e outros pareciam atrativos cachorros-quentes. Na verdade aquela era apenas a forma que escondia o remédio colocado pelas equipes socorristas, sempre trabalhando em conjunto com os guardiões, com o objetivo de ajudar em qualquer oportunidade possível, a diminuir os inúmeros processos de vampirização entre os encarnados.

Caminhei mais alguns metros quando observei em um estabelecimento, parecido com um quiosque e ali, a frente, dois homens de pé conversando. Mentalmente recebi nova mensagem, do mesmo guardião que havia encontrado instantes antes:

– Repare que agora você vai receber sua resposta. Um deles é dos nossos.

Permaneci observando a certa distância, quando um dos homens pediu uma cerveja para o atendente do quiosque, enquanto o outro homem, já posicionava animadamente o copo para receber o “suco de cevada”. A cerveja, dentro de uma garrafa aparentemente comum de 600 ml, apresentava grande brilho, então o homem (na verdade um guardião disfarçado) que havia pedido a cerveja a sacudiu rapidamente e ao invés de encher o copo do outro homem, jogou todo o liquido sobre o seu corpo astral. O homem parecia desnorteado não acreditando no que havia acontecido e então algo interessante aconteceu: pequenas larvas escuras, semelhante a vibriões, começaram a aparecer e se desprender do corpo do sujeito, caindo uma a uma, “mortas” no chão.

Após aquela visão eu acordei, tracionado para o corpo físico, ainda ouvindo mentalmente a voz do guardião que servia os remédios em forma de alimento para aqueles jovens:

71 e 3....

Pensei comigo qual seria o significado daqueles números e então novamente o guardião falou comigo mentalmente

– São coordenadas.


Levantei-me da cama e quando liguei o computador fui pesquisar sobre os conhecidos banhos utilizados na Umbanda. Intuitivamente eu lembrava da existência entre esses banhos de um que se utilizava de cerveja, mas não recordava para qual situação tal banho seria indicado. Fui pesquisar então e eis que encontro em todos os sites especializados no assunto, a mesma indicação: o banho de cerveja é indicado para desagregar energias negativas, inclusive já havia publicado uma lista com vários tipos de banhos comumente utilizados na Umbanda aqui:


A forma de realizar o banho é simples: após o banho higiênico, diluir uma garrafa de cerveja em 3 litros de água mineral e banhar-se, dos pés a cabeça com esse preparado, secar-se e em seguida utilizar roupas brancas. O ideal é fazer antes de dormir.

Pude presenciar, claramente, via projeção astral consciente que o banho realmente funciona para desagregar energias negativas. Mas ainda me perguntava afinal o que seriam aquelas coordenadas (71 e 3) e como que tal banho foi realizado no astral. Novamente a mesma vibração mental do guardião adentrou meu campo energético:

– Os amigos socorristas aproveitam o excesso de substâncias alcoólicas que alguns encarnados levam a esses locais, no caso os fluidos etéricos ligados a substâncias como o malte e a cevada e obviamente o próprio álcool, para criar também o remédio que servirá para desagregar substâncias astrais enfermiças da aura das pessoas que estão sofrendo processos obsessivos, pois se ingerido em excesso o álcool junto com tais substâncias que formam a cerveja e outras bebidas fazem mal a saúde, na dosagem adequada o álcool, o malte, a cevada e o levedo proporcionam grande limpeza externa na aura energética, aplicados na forma de banho.

Refleti sobre aquelas informações por alguns instantes, mas os números ou coordenadas não saíam da minha cabeça. Porque afinal o guardião teria indicado aqueles números pra mim, afinal o que os amigos espirituais queriam mostrar ou comprovar além da experiência que eu já tinha vivenciado no plano astral.

Peguei algumas informações no próprio site do Google e tentei então digitar na caixa de busca do Google mapas as coordenadas (latitude e longitude), mas depois de umas 4 tentativas frustradas apareciam apenas resultados desconexos no programa, como se o programa não conseguisse ler o que eu estava digitando.  Eu já tinha visto que no mapa cartográfico que tais coordenadas indicavam algum lugar remoto no meio do mar da Noruega.

Novamente a mesma voz falou mentalmente e claramente para mim:

– Tente 71º 01’ 01’’ e 03º 01’ 01’’

Digitei os números e novamente o programa não leu corretamente as coordenadas, parecia que estava com “vida própria” e apontou para um resultado sem qualquer nexo com as coordenadas que eu havia digitado: uma pequena cidade na república checa chamada Horazdovice


Cliquei então sobre o ponto mostrado no mapa: uma casa, próxima de algumas árvores e um lago. Ampliei o mapa e vi que havia uma grande cidade próxima chamada Strakonice. Novamente a voz se comunicou enquanto eu não compreendia como o programa poderia ter me levado até aquele local:

– Eis o local para onde o levamos através desse programa. Agora confirme a localização deste local.

Pensei comigo que tal local ficava na República Checa, mas por desencargo de consciência procurei na Wikipédia “onde” ficava a tal localidade de Strakonice (que descobri ser um distrito) e então quase caí pra trás da cadeira: o tal distrito ficava em uma região conhecida, como relatado na Wikipédia, na região da Boêmia do Sul!!!

Comecei a rir a frente do computador diante da criatividade dos amigos espirituais, pois além da Boêmia ser uma famosa marca de cerveja eu moro exatamente no sul. 

E pra não deixar qualquer dúvida sobre a utilização do banho de cerveja (pelo menos pra mim), na capital dessa região (Boêmia do Sul), capital intitulada České Budějovice está a sede de outra famosa cervejaria: a Budweiser!!!


De qualquer forma, com Budweiser ou Boêmia, havia ficado claro pra mim após os dois fenômenos, tanto a projeção astral como o local mostrado no mapa, que o banho de cerveja realmente tinha efeito para desagregar energias negativas.


No dia seguinte, quando confirmei no Google mapas a localização correta das coordenadas de latitude e longitude (71-3), exatamente no pequeno trecho do mar da Noruega, li novamente, no post sobre banhos energéticos que eu havia publicado em 17 de maio de 2013 sobre o banho de mar:

Banho de mar: Ótimo para descarrego e para energização – importante ser realizado em mar com ondas. A energia salina do mar “queima” as larvas e miasmas astrais.

Duas excelentes opções para desagregar energias negativas, o banho de cerveja e o banho de mar, que eu havia comprovado após aquelas interessantes experiências e a projeção astral orientada pelos amigos espirituais.

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: