26 de jun de 2015

Matrix Decodificada - Os Significados Espirituais e Mitológicos


Matrix significados espirituais


Mais de quinze anos após o primeiro filme (Matrix 1999) há ainda muito por ser compreendido sobre os significados ocultos da trilogia. Nas próximas linhas alguns significados dos personagens e história do ponto de vista da atual realidade da Terra (entre o plano físico e astral na atual Era de expiação e provas) e também alguns significados mitológicos e bíblicos dos personagens de Matrix. Escolha sua pílula... 

Zion – simboliza o astral inferior, representa o lugar que os espíritos libertos do materialismo se reúnem para combater a escuridão e a ilusão, simbolizada pelo mundo material (no filme a superfície terrestre está coberta de trevas e as máquinas fazem os seres humanos dormirem em casulos, enquanto permanecem presos ao materialismo através das ilusões e dos gozos oferecidos pela matrix) 

Matrix , neo na cidade das maquinas


Matrix – simboliza a interação entre o mundo material e o astral intermediário. Nesses dois planos muitos espíritos “dormem” encarnados no mundo físico sem qualquer percepção da realidade espiritual (dormem a semelhança dos seus corpos presos aos grandes casulos), ao mesmo tempo que enquanto dormem (estão encarnados) vivem as ilusões da matéria acreditando que o plano material é a verdadeira realidade. 

Ocorre que o plano material é interpenetrado pelo astral intermediário e nesse plano temos a face “astral” da Matrix (simbolizando nessa face o astral intermediário): a luta entre os espíritos libertos do materialismo, que por conhecerem as regras do astral, diferente do mundo físico, conseguem voar, mover-se mais rapidamente, tudo que um encarnado em projeção consciente ou em algum trabalho mediúnico mais ostensivo consegue fazer, ao mesmo tempo enfrentando os “agentes” ou “programas” que atuam para manter o mundo das ilusões como ele está. Se os agentes podem ser compreendidos como os “obsessores” ou “kiumbas” que agem nessa realidade, Smith é o claro arquétipo do mago das trevas com a capacidade de realizar amplos processos obsessivos ao ponto de conseguir se replicar em toda Matrix, agindo diretamente sobre o chacra cardíaco e transmitindo uma substância negra e viscosa (vibrião), quando então transforma o obsesediado em uma marionete sob o seu controle (ao ser transformado em alguém com a aparência de Smith)

Os despertos (como Neo, Morfeus, Seraph, Trinity, Niobe entre outros) representam os espíritos com conhecimento da vida espiritual que lutam tanto no astral inferior como no astral intermediário e também no físico para despertar os encarnados que ainda dormem e que vivem a “realidade” da Matrix semelhante ao mundo como o conhecemos, enquanto que em suas batalhas esses “despertos” vivem os confrontos no astral intermediário contra agentes e outros programas. O filme ao retratar a Matrix mostra essas duas realidades, interagindo entre si, de forma bem semelhante ao que ocorre no mundo físico e no astral intermediário, dois “locais” (planos) diferentes em um mesmo “local”.

Máquinas - As máquina representam a própria falta de espiritualidade, de alma, o excesso de materialismo, ou seja, o principal adversário do ser humano na sua jornada evolutiva: a falta de percepção da essência espiritual, do divino. Por isso elas são apresentadas no filme se alimentando dos humanos (os encarnados dormindo nos casulos, sem consciência da realidade espiritual), vivendo na escuridão e prontas para destruir qualquer luta pelo despertar espiritual. A própria Fonte das máquinas, apresentada ao final do filme mostra o resultado disso: a destruição do mundo das ilusões, através da ação do escolhido

Matrix cidade das trevas


Neo – É um arquétipo que representa todos os profetas, os escolhidos por Deus para anunciar sobre a vida espiritual, realizar feitos fantásticos, ajudar a livrar a humanidade do materialismo, das trevas e da ilusão. Neo é uma referência clara em seu nome ao profeta Noé, pois na Bíblia Latina o profeta é descrito como Noe e na versão Grega como Nwe, ou seja, um anagrama para New = novo = neo = Noé.

Há ainda outras curiosidades: quando Deus anuncia o dilúvio a Noé (lembrando que a batalha final entre Neo e Smith é no meio de uma chuva torrencial), o profeta contava com 600 anos. Segundo as escrituras, nenhum homem poderia viver mais do que 120 anos e no diálogo com o Arquiteto, este diz que Neo é a sexta anomalia, ou seja, depois de 5 anomalias de 120 anos ou 5 “encarnações” ou 600 anos de vida surge o aviso de Deus a Noé que o mundo seria destruído pelo dilúvio universal.

Zion é a forma inglesa de Tsion (monte Sião em árabe) o monte mais alto de Israel (na época de Abraão chamado de Sião e hoje conhecido como Monte Hermon. Tsion significa “cume”. No dilúvio bíblico a Arca de Noé ficou acima do monte mais alto, ou seja, o próprio Sião. Biblicamente, o monte mais alto representa o afundamento da Atlântida que na época era o maior farol de conhecimento da humanidade, já no filme representa a destruição do mundo das ilusões quando as “águas”(simbolizando a purificação) cobrirem todo o astral inferior (simbolizado por Zion), permitindo simbolicamente a vitória da espiritualidade sobre o materialismo.

Morpheus – Clara referência ao mitológico deus grego Morfeus que significa “moldador de sonhos”, em um sentido mais amplo aquele que consegue agir do plano astral sobre os que dormem no plano físico, influenciando e moldando seus sonhos.

Essa faceta de Morfeus é mostrada na própria influência que ele realiza sobre os companheiros de luta para que acreditem na profecia do escolhido, despertando um sentido ainda maior de fé e espiritualidade. Por tudo isso é ele a guiar Neo por toda a jornada de esclarecimento e descoberta sobre o que é a Matrix assim que ele é liberto ao mesmo tempo que encoraja com o seu discurso na caverna de Zion a resistência contra a invasão das máquinas.

Matrix, Neo e Morfeu, pilula vermelha e azul


Curiosamente Morfeus comanda a nave Nabucodonosor, nome de um famoso rei bíblico que após um sonho (opa) busca a ajuda de um profeta, Daniel (ooopa) para interpretar o sonho. Dentro da nave tem a inscrição Marcos 3:11, a nave do anunciador da profecia (Morfeus) e do profeta que vai realizar a profecia (Neo) , sendo que Marcos capítulo 3 (terceiro milênio, iniciado em 2001) tem 35 versículos (termina em 2036...oooooopa).

Ou seja, Mark ou Marcos (MA) capítulo 3 (TRIX) acaba no versículo 35, ou seja, a Matrix (o mundo das ilusões alimentado pelo materialismo) acaba no ano 35 do terceiro milênio (2036... ooooooooooooopa).

Mas vamos prosseguir com a análise mais espiritual do filme...

Na mitologia, o plano astral ou reino subterrâneo era conhecido como Hades (guarde bem esse nome) e dentro dele dois deuses mitológicos tinham a capacidade de conduzir as almas, de agir diretamente com grande força sobre esse “reino”. Um deles já foi apresentado, Morfeus.

O outro, na verdade a outra é Hécate, conhecida como a deusa tríplice por carregar duas tochas de fogo e uma chave. E quem é Hécate, a deusa “tripla” que é encarregada de salvar o chaveiro em Matrix Reloaded e que foge em uma moto após receber uma chave do chaveiro? Bingo se você respondeu Trinity.

No segundo filme surge a figura de Perséfone, que segundo a mitologia era uma bela mulher de olhos escuros (como a protagonista Mônica Belucci), que vivia em um casamento tranqüilo com Hades, a exceção de um episódio, quando Hades sentiu-se atraído por uma ninfa chamada Menthe (no filme o seu esposo desperta a fúria de Perséfone quando se envolve com uma mulher do restaurante, fazendo com que ela leve Neo, Trinity e Morfeus ao chaveiro). Segundo a mitologia, Perséfone interferia nas decisões de Hades sempre em favor dos heróis e mortais, sempre disposta a atendê-los quando buscavam ajuda.

E quem era o esposo de Perséfone no filme? Trata-se de Merovíngeo, a representação do próprio Hades, o deus mitológico do mundo inferior, ou seja, do plano astral. No filme ele é um programa responsável por traficar todas as informações da Matrix, corroborando para o entendimento que ele é o próprio Hades.

No primeiro filme (Matrix, 1999) por volta de 01h32min o agente Smith revela que aquela versão de Matrix era a segunda, pois a primeira havia sido um fracasso em virtude da sua “perfeição” e inevitabilidade, algo “corrigido”, segundo o Arquiteto ao final do segundo filme da trilogia, através do Oráculo. Na mitologia, Hades faz parte dos deuses da segunda geração (coincidência não?).

Seguindo essa linha de interpretação associando os principais programas da Matrix às principais divindades mitológicas, a Fonte (personagem que Neo encontra na cidade das máquinas ao final do ultimo filme) representa o deus Urano, divindade do céu e da noite, criando seres gigantes com vários braços e pernas (a semelhança das máquinas) e por odiá-los os aprisionou na Terra, inclusive uma indício desse entendimento é que, por aprisionar os filhos mais novos de Gaia, o próprio personagem aparece ao final do filme com um rosto de criança. Em um sentido mais filosófico, representa as forças primordiais instintivas, infantis, que muitas vezes permitem que os desejos e a falta de discernimento nublem os sentimentos mais nobres, conduzindo ao materialismo (representado no filme pelas máquinas) e a falta de espiritualidade.

O Arquiteto e o Oráculo simbolizam os pais de Hades, ou seja, Cronos e Reia, os criadores da primeira Matrix. Inclusive segundo a mitologia foi durante o reinado de Cronos que a humanidade viveu sua “Era de Ouro” (uma clara referência a primeira geração da Matrix que refletia a “perfeição” e “inevitabilidade” segundo as palavras de Smith e do Arquiteto ao longo da trilogia)    

A mitologia de Reia (Oráculo) é ainda mais interessante: devido a um oráculo de Urano, Cronos seria destronado por um dos seus filhos. Após Cronos matar cinco filhos (Arquiteto derrotando as 5 anomalias da Matrix), Reia resolve salvar o sexto filho (a sexta anomalia, Neo, que é ajudado o filme inteiro pelo Oráculo) e ele então derrota Cronos tornando-se o rei dos “deuses” (programas que dominam a Matrix). Esse deus, filho de Reia, que representa a sexta anomalia ou Neo é exatamente Zeus, que na mitologia é também conhecido como o “ajuntador de nuvens” (em uma passagem do segundo filme, Neo voa pelos céus e faz um redemoinho com as nuvens).

Em um sentido mais filosófico, o Arquiteto e o Oráculo representam a capacidade criativa de cada pessoa: a face mais intelectual, analítica, racional, a inflexibilidade (Arquiteto) e a face mais intuitiva, emocional, flexível (Oráculo)

Mas voltando a Hades/Merovíngeo..... porque o nome de Merovíngeo? Os merovíngeos foram uma linhagem de reis franceses (por isso o personagem fala francês) que reivindicaram seu reinado e uma terra prometida por acreditarem que representavam uma linhagem sagrada de supostos filhos de Jesus e Maria Madalena, nada mais adequado para um ser mitológico (Hades) que equivale ao arquétipo do diabo criado pelos católicos como um ser que advoga pra si poder semelhante a Deus (e por isso advoga ser descendente do próprio Jesus, que diga-se de passagem não teve filhos e nem filhas apesar de realmente ter se casado com Maria de Magdala como explico em pormenores no livro A Bíblia no 3º Milênio)


Smith (com “mito” no próprio nome, ou seja, “is mith”) é uma referência mitológica a Poseidon. Na mitologia Poseidon é filho de Cronos e Reia (Arquiteto e Oráculo representados no filme) e irmão de Zeus (o escolhido), sendo seu antagonista. O filme mostra algumas pistas sobre isso: como na mitologia, na qual usa um tridente, Smith usa três dedos junto (como um tridente) para criar cópias suas dentro da Matrix. Além disso, na mitologia Poseidon é o deus supremo das tempestades, exatamente o cenário da luta final contra Neo, quando Smith já controla toda a Matrix. Para não restar dúvidas, em seu encontro com Oráculo, Smith a chama de mãe, como Poseidon chamaria Reia. Estes são os significados espirituais e mitológicos da trilogia Matrix.

Canal do Youtube: 



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:



4 de jun de 2015

Vulcão no Chile e Terremoto no Nepal - Ação dos Guardiões em Desencarnes Coletivos – Os Laboratórios de Magos Negros

vulcão, os terremotos e a ação de guardiões e magos negros


Recebi diversas perguntas sobre o motivo de tais eventos acontecerem sob o ponto de vista da Espiritualidade, em relação à ação dos guardiões e possíveis enfrentamentos contra magos negros.

Vale lembrar, que no auge da "profecia maia" quando muitos médiuns falaram em "inicio de nova era ou era de luz" ao final de 2012 eu esclareci, após uma projeção astral (publicada em dezembro de 2012 e detalhada no livro Brasil o Lírio das Américas) que não entraríamos em Era de Luz alguma em 2012 e que a partir daquele momento teríamos não apenas a aceleração de eventos de ordem natural e limpeza astral de algumas regiões utilizadas por magos negros se alimentando do sofrimento de alguns espíritos. Na época, Rússia e Eua estavam em paz e foi relatado que já estava acontecendo um conflito no astral entre as duas regiões, o que veio para o plano físico meses depois em forma de uma tensão presente entre esses dois países até os dias de hoje. O texto está aqui:


Vamos então analisar primeiro a questão da depuração energética que o próprio planeta realiza, com o auxilio dos Cristos Planetários. Falei sobre isso no vídeo feito em palestra ao final de 2013, entre os minutos 56 e 1 hora e 10 minutos (14 minutos de explicação):


Para assinar o canal do Youtube basta entrar no link abaixo: 



Com esses esclarecimentos, vamos às perguntas recebidas:

Pergunta: "Esses terremotos na Ásia e Oriente Médio por acaso são reflexos físicos de atividades de combate entre guardiões e dragões e magos negros? Abraço" (Pergunta enviada dia 26 de abril a fanpage)

Resposta: No caso da recente explosão do vulcão sim, inclusive quem leu o livro Brasil o Lírio das Américas vai entender porque a explosão aconteceu exatamente no dia de São Jorge. Apesar de em um primeiro momento parecer algo ruim (as cinzas e necessidade de evacuação próxima a região) é algo que evita danos maiores, pois nesse caso foi liberada muita energia geotérmica sem maiores danos diretos. Se essa energia não fosse liberada ela seria liberada através de algum forte terremoto que traria danos muito maiores.

Vale lembrar o que eu disse naquele texto de dezembro de 2012 que está no início deste post: "A terceira localidade era um vulcão que servia de entrada para uma colônia trevosa existente no território russo."

Ou seja, existem vulcões que são utilizados por algumas milícias umbralinas para testes, devido a grande quantidade de energia geotérmica gerada pela pressão do magma na Terra.

Já os recentes eventos no Nepal e região, que atingiram quase 5 milhões de pessoas estão entre os chamados eventos de desencarne coletivo, quando a espiritualidade superior organiza para que um determinado grupo de pessoas vivencie determinado evento e desencarne. Ao mesmo tempo tais eventos servem para motivar um maior sentimento de fraternidade entre as pessoas, na mobilização por uma ajuda física ou mesmo uma simples oração pelas pessoas que estão vivenciando os efeitos do evento.

Sobre os desencarnes coletivos eu expliquei nesse post aqui do blog:


Além de servir para liberar grande carga de energia negativa através de um evento natural (tsunami, terremoto, vulcanismo) e de muitas vezes agir para efetuar em um desencarne coletivo, esses eventos também servem, em alguns casos, para que equipes de guardiões destruam bases trevosas que cultivam sofrimento e tecnologia trevosa.

Um desses casos foi narrado na retomada da pirâmide de Chichen Itza, descrita no livro Brasil o Lírio das Américas. Ante de relatar esse trecho do livro, é interessante relatar as experiências que vivenciei na madrugada do Brasil correspondente ao horário do terremoto que ocorreu no Nepal:

"O Budismo tem ensinamentos muito bons e motiva uma espiritualidade voltada para o equilíbrio interior, tanto isso é verdade que a equipe da Globo que está lá relatou exatamente isso: os nepaleses buscam manter o equilíbrio, evitar histeria ou complexo de coitados mesmo diante dessa tragédia, exatamente por esse equilíbrio interior e espiritual que eles cultivam na prática. Se há uma coisa que podemos tirar de aprendizado, tanto nesse evento como no recente tsunami no Japão é a postura dos sobreviventes diante da tragédia. Eu particularmente na madrugada do terremoto tive um sono muito agitado, acordei varias vezes a noite e muito "mole", sentindo que estava sem energia, enquanto ao mesmo tempo, durante os períodos de sono, tinha visões em forma de flash de muita confusão, gente correndo, até que ali pelas 5 da manhã me vi em um local, uma espécie de um túnel (daqueles por onde passam carros), em um tom entre o azul e o amarelo e bem iluminado por uma luz natural e caminhava, junto a alguns encarnados em projeção, junto a muitas pessoas que caminhavam em silêncio naquele túnel, todas em silencio, em oração.

A maioria que desencarnou estava preparada e em paz e recebeu pronto auxilio do povo do oriente (grupo espiritual que normalmente trabalha nessas tragédias formado por espíritos e médicos ligados ao milenar conhecimento orientalista). Fiquei com a impressão de que esse túnel é uma espécie de ligação, um portal, entre aquela região e uma colônia que existe nas imediações do Everest e que vai não apenas receber muitos dos desencarnados como também servir de ponto de apoio para as equipes espirituais que estão trabalhando na região. A estimativa deles é que entorno de 10 mil almas tenham desencarnado e segundo eu fiquei sabendo depois, quando acordei (que se tratava de um terremoto no Nepal) muita gente do Brasil foi convocada para trabalhar nesse dia (provavelmente algumas tiveram um sono agitado naquela madrugada ou alguma sensação de ter "sonhado" com alguma tragédia) , até porque muitas almas hoje encarnadas no Brasil têm íntima ligação e grande número de encarnações anteriores no Oriente."

No post que publiquei essas informações surgiram relatos de leitores que haviam vivenciado as mesmas sensações no sono naquela noite, mostrando que realmente ocorreu uma convocação coletiva de muitos amigos do Brasil para ajudar no outro lado do mundo.

Como mencionei anteriormente, no livro Brasil o Lírio das Américas é relatado um trabalho de limpeza na pirâmide de Chichen Itza, destruindo um bolsão de espíritos utilizado em um laboratório das sombras. Tal trabalho acontece também em locais onde existe uma grande oferta de ectoplasma ligada a baixa vibração (vícios, sexualidade desregrada, sofrimento), como por exemplo, em inferninhos ou locais que sejam feitos sacrifícios com sangue.

Tais locais, na sua contrapartida no mundo espiritual, são alvo de ações dos guardiões, principalmente quando existe o planejamento de utilizar tais energias densas em conflitos maiores. A ação dos guardiões nesse evento do Nepal, através de um ponto de apoio no Everest é exatamente evitar que os desencarnados sejam capturados em um bolsão de espíritos sofredores na região por milícias de magos negros, evitando que milícias umbralinas sejam fortalecidas na região e possam aumentar os conflitos astrais existentes em uma região próxima, na fronteira de China, Rússia e Kazaquistão, como descrevi no inicio de 2015 e que ainda está restrito a um confronto entre russos e ucranianos. Esse texto está aqui:   

Vamos entender agora como funcionam esses laboratórios que se utilizam do sofrimento de um bolsão de espíritos e como os guardiões agem nesses casos de desencarnes coletivos agindo de forma a impedir a ação de milícias trevosas sobre os espíritos que desencarnam nesses eventos coletivos.

A missão realizada no astral pelos guardiões na pirâmide de Chichen Itza página 208 a 213 do livro "Brasil o Lírio das Américas narra de forma bem detalhada como funcionam esses laboratórios das trevas e qual a sua importância para as milícias trevosas (e porque eles têm interesse em aprisionar um maior número de pessoas a situações de sofrimento e culpa). Eis a narrativa:

“Começamos a ouvir gritos no subsolo da pirâmide e antes que eu perguntasse o que era aquilo, o guerreiro xamã esclareceu-me:

– Trata-se de um enorme bolsão de espíritos sofredores presos abaixo da pirâmide, no astral inferior. A gigantesca estrutura egóica que foi destruída há poucos instantes também servia como poderosa prisão para milhares de espíritos, muitos deles presos mentalmente por séculos ao momento que foram sacrificados em nome do “deus” dos antigos. Os socorristas, índios e guardiões ajudarão na retirada de todos eles do bolsão/ prisão. Será um longo trabalho – Falou com o olhar entristecido diante de tamanha barbárie comandada ao longo de vários séculos pelo mago das sombras daquele local – Toda a energia mental de sofrimento produzida por essas almas, à semelhança de outros bolsões utilizados pelos magos da escuridão, serve para a produção de vibriões, formas pensamento enfermiças com grande vibração de dor, sofrimento e desespero que normalmente são vitalizadas com elementais ou em casos ainda mais graves, com espíritos humanos desencarnados em estágio de ovóide, quando o corpo espiritual atinge profunda degradação.

– Sim, eu tenho estudado sobre o tema, – respondi – algumas obras espiritualistas (*) mais recentes têm abordado a utilização dos vibriões em complexos processos obsessivos realizados de forma organizada e profissional por milícias trevosas em trabalhos de goécia, pois utilizam-se dessas formas enfermiças as acoplando em centros de força (chacras) das vítimas da obsessão organizada por esses grupos umbralinos

Com uma fisionomia preocupada, o xamã feiticeiro trouxe uma informação interessante sobre a tecnologia das sombras, mas ao mesmo tempo perturbadora:

– Os magos da escuridão têm utilizado esses vibriões ou larvas astrais, de aspecto enegrecido, úmido e gelatinoso dentro de pequenas e grandes aparelhagens eletrônicas que eles constroem no mundo espiritual, desde pequenos dispositivos acoplados no sistema nervoso de vítimas de obsessão até os sistemas eletrônicos de prédios e cidades inteiras, pois os vibriões ou larvas devido à própria sintonia vibratória conseguem mais facilmente captar a energia radioativa do Sol das Trevas e, ao mesmo tempo, receberem a programação dos magos trevosos, que transmitem comandos hipnóticos aos elementais ou espíritos em estado ovóide que vitalizam as larvas ou os vibriões utilizados nesses aparelhos eletrônicos.

– Isso é terrível! – exclamei

Prosseguindo com aqueles valiosos esclarecimentos, calmamente o guerreiro xamânico, acostumado a trabalhar com todo o tipo de magia no mundo espiritual concluiu:

– Os sistemas dos prédios e cidades umbralinas, verdadeiros feudos comandados pelos magos da escuridão utilizam-se dessa tecnologia que mistura eletrônica e vibriões para captar a radioatividade vinda do Sol das Trevas têm como objetivo principal possibilitar que todo o ectoplasma utilizado nas construções astrais (prédios, cidades) permaneça ativo, através da radiação do Sol das Trevas que mantém constantemente ativa a programação mental feita pelo mago trevoso sobre a construção criada por ele e ao mesmo tempo a circulação do ectoplasma sobre essa construção.

– Então o ectoplasma é como um combustível para tais construções? – Questionei

– Exatamente – Respondeu-me – As construções no astral são em essência de matéria astral, o princípio material em uma freqüência diferente daquela que existe no mundo físico. Ocorre que o ectoplasma é muito mais fácil de ser moldado através da energia mental, por isso os magos trevosos e milícias necessitam tanto dele para erguer seus impérios, pois o ectoplasma é o molde das criações mentais e a energia que alimenta os próprios moldes. Dentro desses moldes existe a matéria astral e enquanto o molde permanece ativo, ou seja, enquanto existe um fluxo de ectoplasma, a construção mental moldada permanece ativa. Caso toda a engenhosidade eletrônica utilizando os vibriões e a radiação do Sol das Trevas não estivesse disponível para esses magos trevosos, eles precisariam alimentar constantemente com a própria força mental suas criações mentais, sendo que com a matéria astral isso é muito mais difícil de ser feito do que com o ectoplasma, pois este tende a estabilizar mais facilmente qualquer forma mental criada.

Após meditar alguns segundos, o altivo índio prosseguiu com novos apontamentos, tentando dirimir as minhas dúvidas sobre o tema:

– A mesma tecnologia utilizada nas construções do astral inferior pelos magos trevosos e utilizada nos processos obsessivos mais complexos (goécia) é utilizada também para colher ectoplasma, seja colocando pequenos dispositivos eletrônicos, com uma larva ou vibrião ativo, conectado no sistema nervoso de uma pessoa que sofrerá um processo obsessivo ou ainda em locais no mundo físico que sejam propícios para “abastecer” de ectoplasma esses aparelhos, como por exemplo: os inferninhos, boates, motéis, que alimentam tanques de ectoplasma no astral intermediário desses locais. Esses tanques por sua vez são constantemente esvaziados pelas milícias trevosas que dominam tais localidades e levam o combustível produzido pelos encarnados, de tempos em tempos, para as colônias ou feudos umbralinos.

– Muito interessante – Ponderei sobre tantos ensinamentos avançados – Por esse motivo os guardiões necessitam dos encarnados em projeção para realizar as missões de desmantelamento dos feudos controlados pelos magos trevosos.

Quando eu imaginava que as novidades haviam terminado, o xamã Guará trouxe uma observação curiosa:

– Como eu mencionei há pouco, o ectoplasma é um combustível. Nos sistemas que os magos da escuridão utilizam, tanto a radiação do Sol das Trevas como os vibriões são criadas as condições que mantenham a estabilidade da substância ectoplasmática. Quando os guardiões utilizam o ectoplasma dos encarnados em projeção astral sobre o ectoplasma utilizado nas estruturas criadas pelos trevosos a estabilidade de todo o molde envolvendo a forma mental criada pelo mago é perdida, ocorrendo o fenômeno da explosão: a energia cinética no interior do sistema quebra as moléculas do ectoplasma, propagando energia numa reação em cadeia, na forma de luz e calor que explode toda a criação mental no plano astral, ainda que a sua matriz original mantenha-se ativa no plano mental, na mente do mago que criou a forma mental.

Enquanto um grande grupo de espíritos socorristas e de índios acompanhados pelos guardiões adentrava na pirâmide para retirar os espíritos presos no astral inferior da pirâmide em uma espécie de masmorra interligada ao tanque de ectoplasma e a uma outra sala muito escura na qual os vibriões eram cultivados, eu permanecia alguns momentos pensativo, tentando compreender toda aquela tecnologia sinistra baseada na dor e na falta de amor."

(*) Excelente obra que trata do tema é o livro “Senhores da Escuridão” de Robson Pinheiro, página 180 a 196

Com todas essas considerações sobre os recentes eventos do Chile e do Nepal espero colaborar no entendimento dos leitores não apenas sobre os processos de depuração energética do planeta através de vulcões e terremotos e de como os guardiões e socorristas atuam nos desencarnes coletivos como também o entendimento de que para as milícias trevosas um grande número de pessoas desencarnando ao mesmo tempo em um local é sempre um evento muito visado, exatamente pela existência desses laboratórios e bolsões. Por isso que tais locais, como também os cemitérios, que congregam grande número de recém desencarnados e centros hospitalares recebem essa atenção especial dos guardiões, como medida preventiva a eventuais investidas de milícias umbralinas.

Como complemento a todo esse estudo, deixo o recente texto da fanpage sobre a ação das fraternidades e seus xamãs e pretos velhos no socorro às vítimas desses bolsões controlados por magos negros:





Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/  

Para receber os textos novos do blog diretamente no seu email: 
Enter your email address:

Delivered by FeedBurner