20 de fev de 2015

Papa Francisco - O "Pedro Romano" Profetizado como Último Papa da Igreja


Jorge Mario Bergoglio Vaticano


Pergunta que recebi no facebook:

"Boa tarde Zé. Na profecias de Malaquias ele fala de 113 papás e o último será Petrus Romanus.  Estou confusa.  Papa Francisco é  o 113 papa.?  Se for o que ele tem a ver com Pedro Romano?"

Resposta: Boa tarde. Na verdade a profecia fala em 112 papas, sendo o último deles o atual papa Francisco:

"112 Pedro, o Romano (Petrus Romanus), que apascentará as ovelhas em meio a muitas tribulações. Passadas estas, será destruída a cidade das sete colinas e o Tremendo Juiz julgará o Seu povo. Fim"

Dois outros profetas trazem as pistas para esse significado, são eles Paracelso e Nostradamus:

“Estás predestinado a ser rodeado por muitas adversidades. Tens o nome de uma pedra e és uma pedra larga e delgada. Cairás sob o castigo que quebrou todos os impérios. E a tua sabedoria, no final dos tempos, será definida como loucura” (Paracelso)

Paracelso define que o papa tem o nome de uma pedra, por isso a referência a Pedro (pedra) Romano (em Roma). Francisco foi o primeiro papa vindo da América, mais precisamente da Argentina, nome que deriva do latim Argentum ou simplesmente prata uma substância que é retirada do rochedo, sendo considerado pedra todo o pedaço de um rochedo. O território argentino é comprido (largo) e "magro" (delgado)

Sobre Nostradamus:

“Antes que advenha a mudança de império
 Virá um caso bastante maravilhoso
 A fortaleza mudada, o pilar da rocha
 Mas transmutado sobre o rochedo negrumoso.” (Centúria 1, quadra 43)

O Império é a Igreja Católica, o caso maravilhoso (pessoa, ato ou fato extraordinário, surpreendente segundo o Aurélio) é a renúncia do papa. A rocha é a representação do papa, na Bíblia a pedra, a rocha, o primeiro papa é Pedro. A fortaleza que mudará, que é o pilar da rocha (papa) é uma referência ao Vaticano, que é a fortaleza do império católico e o pilar do papado e passará por grandes mudanças. A rocha sendo transmutada significa a mudança de papa e a eleição do rochedo negrumoso. A prata tem a sua maior aplicação exatamente na forma granulada e pode ser encontrada em rochedos grumosos. O termo utilizado por Nostradamus em francês arcaico é "noilleux" que dá a idéia de algo negro, mas também grumoso, granulado, o que deixaria a profecia ainda mais surpreendente, pois Francisco é o primeiro papa jesuíta, que devido a suas vestes tradicionalmente negras deixariam a profecia exata: um papa jesuíta (negro) e vindo da prata (argentum, argentina).

Dessa forma a referência ao último papa como uma "pedra" (Petrus) fala da sua origem na Argentina (argentum, prata), ou de outra forma, da argentina em Roma (prata em Roma, pedra em Roma), algo realmente inusitado: um papa vindo de fora da Europa (certamente seria profetizado pelo seu local de origem).

O próprio Nostradamus na epístola a Henrique II foi ainda mais claro:  "um príncipe, que virá do paralelo 50º para renovar toda a Igreja cristã”Apenas 3 países são "cortados" pelo paralelo 50º: Nova Zelândia, Chile e Argentina 

Mas além de Nostradamus temos um outro profeta que sabia que o último papa seria um jesuíta argentino. Trata-se de João Evangelista, no livro do Apocalipse, mais precisamente no capítulo 17. Nesse capítulo, João associa claramente a Besta à Roma, pois descreve que as 7 cabeças da Besta são 7 montes (Apocalipse 17:9), sendo que Roma é conhecida como a cidade das 7 colinas. Diz ainda que sobre a Besta está assentada uma mulher (Apocalipse 17:3), que se vestia de púrpura, adornada com ouro, embriagada com o sangue e os mártires do cristo (Apocalipse 17: 4 e 6). Essa mulher é a Igreja Romana que perseguiu os cristãos primitivos e que tem as suas lideranças utilizando a cor púrpura e adornadas com ouro.

A profecia está no versículo 10:  "são 7 reis, cinco caíram, um existe, o outro ainda não é vindo e quando vier convém não ficar muito tempo."

Ou seja, quando João teve essa visão descrita na Revelação, 5 reis (casados com a Mulher, portanto papas casados com a Igreja assentada em Roma, a mulher assentada na Besta) já haviam morrido. O Vaticano, o reino, erguido nas 7 colinas, foi erguido em 1929 pelo tratado de Latrão, é um Estado-monárquico, portanto tem um rei como dito na profecia. Seu rei é o papa.

Nessa época Pio XI, papa desde 1922 era o papa, portanto os 5 reis já mortos nessa visão foram: Pio XI, Pio XII, João XXIII, Paulo VI e João Paulo I.

É dito na profecia que um rei existe, ou seja, JPII era o papa que João de Patmos via na visão do Apocalipse e disse que após este papa, o próximo não ficaria muito tempo, no caso, Bento XVI que ficou 7 anos e alguns meses.   

É feita então a profecia sobre o oitavo e último rei (papa) que viria após Bento XVI:

“E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo (rei), e é dos 7, e vai à perdição” (Apocalipse 17:11)

Vimos que Roma representa a Besta, uma das 4 representações da antifraternidade ao longo da história (Império romano, Alemanha das duas guerras, Estados Unidos e no fim a China aliada a ala radical islâmica). Quando Francisco foi eleito, Roma (a besta) já não era a manifestação temporal da antifraternidade. Temos, portanto, na profecia dito o seguinte: Roma é também o oitavo e é dos 7 e vai à perdição.

João deixa as pistas: compara esse rei (papa) que viria após Bento XVI a um território (Roma) e fala que é o oitavo (não fala em oitavo rei, fala apenas em oitavo, deixando subentendido ser o oitavo rei) e fala que é dos sete.

O que poderia estar ligado aos 7 papas anteriores ao atual? A resposta é simples: uma congregação ou ordem atuante no Vaticano, na verdade, a maior delas. E existe uma ordem, que foi criada "coincidentemente" por sete homens, que é a maior ordem do Vaticano e "coincidentemente" é a ordem do atual papa, de onde ele vem: trata-se da ordem dos jesuítas.

Na profecia o papa é comparado a um território (Roma). Bergoglio vem da Argentina que é o país com o oitavo maior território do mundo. João aproveitou tal coincidência para comparar o oitavo papa a Roma, dizendo que "Roma (besta) é o oitavo" não faria sentido supor que o oitavo papa seria o território de Roma, sendo logicamente mais fácil compreender que ele profetizou "o território, lugar geográfico" é o oitavo.

Tal entendimento ajudaria, finalmente, a compreendermos  porque Malaquias falou em "Pedro Romano" ou em "pedra de Roma" associando a natureza geográfica inusitada do papa (da América, de fora da Europa) ao citar "Roma", pois o atual papa vem de um país com o nome de um pedra (prata extraída da rocha, argentum).

Da mesma maneira, o santo ou personalidade da Igreja mais famosa e importante que nasceu no império romano foi Francisco de Assis, nome utilizado pelo atual papa, podendo ser, portanto, facilmente considerado como o principal apóstolo romano ou o Pedro Romano.

Todas essas análises indicam claramente que o atual papa é, portanto, o derradeiro papa da lista de 112 papas profetizados por Malaquias. Ele foi profetizado no Apocalipse, por Paracelso, Nostradamus e também em vários desenhos de Parravicini. 

Sobre o Futuro
E como será o futuro de Francisco segundo as profecias? Existem profecias sobre o seu desencarne? Como acontecerá o fim da Igreja e a invasão sobre a Europa? Deixará Francisco um sucessor para liderar o mundo católico? Todas essas perguntas estão analisadas e respondidas na série de textos sobre os eventos que acontecerão sobre Francisco e a Igreja até os idos da década de 30, série que contém 6 partes. A primeira delas está aqui:


Ao final de cada texto tem um link para o texto seguinte.



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:

9 de fev de 2015

O Orichalco

Orichalco


Dando continuidade aos assuntos do post anterior sobre malha magnética, linhas ley, freqüências energéticas e medidas da geometria sagrada, agora um texto falando sobre o orichalco. O post anterior pode ser acessado aqui: A Vibração da Criação de Deus

Recentemente saiu na mídia que o "lendário metal da Atlântida" havia sido descoberto, uma espécie de mistura de cobre e zinco. Acontece que isso é apenas uma suposição (errônea por sinal, como veremos a seguir), como mencionado no próprio texto: "Mas sua composição, bem como sua origem, continuam incertas e sendo debatidas por estudiosos."

O texto pode ser visto aqui:  "Orichalco de cobre e zinco?"

Em um antigo texto do blog eu mencionei que o orichalco seria usado no futuro na geração de energia solar:

"Nesse cenário futuro, o orichalco terá importância fundamental, pois ele é um elemento que potencializa as características do ouro e dentre essas características está a de captar de forma inimaginável para a nossa atual civilização, a energia solar.

No futuro, uma fina camada de ouro com orichalco existirá em todas as casas e prédios do planeta, não será mais necessário energia elétrica ou atômica, a energia será gratuita e limpa, vinda diretamente do Sol. Da mesma forma o homem descobrirá os grandes chacras planetários da Terra, bem como as chamadas “linhas ley” que interligam energeticamente todo o planeta, usando essa energia em diversos processos, que no início proporcionarão o aceleramento da produção de alimentos (permitindo que no futuro a humanidade aumente consideravelmente sua população antes de ascender por completo ao plano astral, num processo que levará entorno de mil anos), assim como de elementos, como água e elementos atômicos ainda desconhecidos, até tecnologias de teletransporte, primeiramente entre pontos que liguem continentes diferentes e num momento mais avançado, permitindo que pessoas encarnadas possam viajar para colônias no astral e até mesmo outros planetas, pois a nova tecnologia trará o aprendizado de como criar portais com a energia dessas “linhas de transmissão” naturais que existem no planeta."

Nesse outro post falei sobre a origem química do orichalco e adentrei em algumas explicações sobre a utilização desse elemento:



Templo atlante, Atlântida
Templo atlante

Feitas essas considerações iniciais, vamos descobrir afinal o que é o orichalco.... seria o "ouro monoatômico" ou outra substância? Como os antigos atlantes e egípcios obtinham esse elemento. O texto a seguir foi extraído do livro "Brasil o Lírio das Américas"

O Orichalco

– Na Antiguidade existia uma pedra no topo da pirâmide de Gizé, a famosa pedra filosofal, formada por um elemento químico que apenas existe no plano astral, conhecido pelos antigos atlantes como orichalco.

– O ouro monoatômico? – Perguntei-lhe

– Quase isso José – Respondeu-me de forma serena a guardiã – O orichalco, assim como todo o elemento atômico, possui em seu centro fluido universal, a essência de todo o princípio material. Esse fluido, semelhante a chama de uma vela, porém mais brilhante e em movimento espiral horário e anti-horário, movimento que por sua vez gera a vibração das cordas, que por sua vez geram os componentes do nível subatômico e depois o nível atômico do átomo. A diferença do orichalco para os demais elementos químicos, tanto a nível material como a nível astral é que o orichalco conduz mais facilmente, acima de qualquer outro elemento, o fluido universal para o nível atômico, conferindo uma aparência tipicamente luminosa e semelhante a “luz sólida” em qualquer estrutura feita com esse material e, ainda que visível no plano físico como acontecia na época dos atlantes, vibra a tal ponto que mesmo visível como algo sólido, sua estrutura apresenta-se entre o sólido e o gasoso, literalmente algo como uma luz sólida.

– E o ouro monoatômico, como ele seria gerado? – Indaguei novamente

– Ele é simplesmente o que a humanidade conhece atualmente como ouro coloidal – Respondeu-me – São nanopartículas produzidas através de eletrólise, ou seja, a utilização de uma corrente elétrica contínua. A função da Arca da Aliança, tal qual um capacitor, era exatamente gerar essa corrente elétrica, mais precisamente através dos dois querubins existentes na Arca, que ao atingir o ouro modificava a órbita dos elétrons de cada átomo de ouro ao aumentar a positividade do núcleo atômico. Com o tempo de exposição adequado a essa corrente e temperatura adequada, os elétrons começavam então a conduzir fluido universal para o nível atômico, transformando o metal em uma pilha de pó, ao mesmo tempo em que liberava uma certa quantidade de fluido universal na forma de “luz sólida”.

Jeremias complementou então as informações da guardiã ruiva: – Esse pó, conhecido como ouro monoatômico ou ouro coloidal, de aspecto esbranquiçado apresentava uma quantidade pequena de fluido universal na órbita dos seus elétrons, o suficiente para interessantes experiências espirituais. Uma delas consistia em passar um pouco deste pó sobre os chacras superiores, localizados na cabeça.

– Com o objetivo de melhor conduzir a eletricidade do cérebro perispiritual para o cérebro físico, aumentando a capacidade de realizar projeções lúcidas! – Conclui eufórico para o gigante guardião 31

Após refletir alguns segundos, perguntei para Jeremias: – E como os grandes iniciados conseguiam criar orichalco?

Sorrindo diante da minha ávida curiosidade a respeito daquele tema, o guardião trouxe algumas explicações sobre o assunto: – Basicamente o orichalco só poderia e só pode ser criado em grandes centros de força.

– Os pontos principais que formam as quatro estrelas sobre a malha eletromagnética do planeta – O interrompi complementando seu raciocínio

– Exatamente – respondeu-me Jeremias –pois é através desses pontos especiais da malha energética que a Terra absorve fluido universal. Além disso, é necessário que exista uma pirâmide sobre esse chacra planetário, obviamente com uma base em formato de quadrado perfeito a semelhança do “Santíssimo” dentro do Templo de Salomão que abrigava a Arca “elétrica”. Na região central da pirâmide, alinhada ao centro do topo, o dispositivo elétrico (Arca) despeja uma corrente elétrica que permite a separação do pó de ouro e do fluido universal que é liberado ascende para o topo da pirâmide. Com um fluxo de fluido universal adentrando o topo da pirâmide e outro fluxo saindo, produzido pela eletricidade do capacitor (Arca), todo este fluxo de energia ficava concentrado exatamente no cume de Gizé. A partir daí, o sacerdote utilizava-se de um pequeno cristal de quartzo para controlar a freqüência da eletricidade produzida pela Arca através da ressonância do cristal na direção do topo da pirâmide, utilizando-se da própria energia mental para moldar o formato do ápice, com certa cota de ectoplasma doada por ele próprio, permitindo que a estrutura de orichalco fosse vista no topo da edificação por qualquer pessoa.

Pensei alguns instantes e então tentei chegar a uma conclusão: – Então o orichalco é um elemento químico gerado a partir do fluido universal emanado pelo ouro que necessita, para manter-se no plano físico, de fluido universal vindo através da malha magnética, e também uma estrutura que amplifique a vibração eletromagnética, no caso a pirâmide?

– Essa avançada tecnologia desenvolvida pelos atlantes – observou Anik – criava verdadeiros portais com outros planetas e sistemas estelares, permitindo não apenas viagens astrais lúcidas dentro da Terra, mas também para locais muito mais distantes em outros orbes. Você consegue compreender agora a importância desta avançada máquina em todo o processo que os guardiões precisarão realizar nos próximos anos no resto do mundo?

Sorri para a gigante de expressivos olhos violetas, compreendendo a importância daquela tecnologia milenar vista por muitos homens, ainda nos dias de hoje como uma “tumba” de faraós. Gizé foi um dia, depois do afundamento da Atlântida, o principal pólo de estudo e desenvolvimento, mental e espiritual do mundo antigo, a iniciação na senda do oculto de muitos espíritos.

– A grande pirâmide – Acrescentou Jeremias – possuía, na câmara dos reis, um elaborado sistema que permitia encher boa parte do recinto com água, em um ambiente hermeticamente fechado, reproduzindo apenas a freqüência energética dentro daquele ambiente. Essa imersão sensorial do iniciado em um ambiente de amplificação vibratória e utilização de elementos para aumentar a eletricidade do cérebro astral na direção do cérebro físico permitiam condições ideais para a realização de projeções astrais lúcidas, iniciando as primeiras experiências do aprendiz na realidade astral, um verdadeiro renascimento para a vida espiritual.

Refleti naquele momento sobre a grande tecnologia que a humanidade voltaria a utilizar quando a Terra adentrasse em uma Era de Regeneração, a ciência unida à espiritualidade, uma percepção mais ampla do mundo, mas, sobretudo, a certeza de que a jornada evolutiva e o domínio do próprio templo são longas jornadas por um caminho infinito até o verdadeiro conhecimento de si mesmo e da essência divina que vibra em cada ser.  (Brasil o Lírio das Américas, Capítulo VI - A Iniciação - páginas 175 a 180)

31Recentes estudos da biologia sintética comprovam a possibilidade das aplicações dessas propriedades do ouro. Um interessante artigo pode ser lido aqui:


Domo da rocha, a cúpula dourada
Domo da Rocha

O livro “Brasil o Lírio das Américas” estará em promoção no site do Clube dos Autores até o dia 14 de fevereiro por R$ 38,98 (330 páginas). 

Quem quiser um pdf com trechos do livro antes de adquiri-lo pode pedir pelo email profecias2036@gmail.com

Para acessar o link do livro no Clube dos Autores, basta clicar no banner abaixo:



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: 
http://www.profecias2036.com.br/forum/